Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Videx - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Didanosina.

Atenção: o uso incorreto causa resistância do vírus da aids e falha no tratamento.

Apresentação : Videx 25mg ou 50mg ou 100mg ou 150mg ou 200mg comprimidos é apresentado em frascos com 60 comprimidos tamponados dispersveis/ mastigáveis.
Videx 4g Pó não tamponado para Solução Oral é apresentado em frascos com 4g de didanosina acompanhado de colher-dosadora.

Indicação : VIDEX É indicado no tratamento de pacientes infectados pelo HIV, fazendo parte de regimes anti-retrovirais adequados.

Modo de Usar :

Devido é absoro reduzida na presena de alimentos, a didanosina deve ser administrada pelo menos 30 minutos antes das refeições ou com o estômago vazio (vide FARMACOLOGIA clínica - Farmacocinética ).
Adultos
As doses recomendadas de VIDEX so dependentes do peso corporal, como descrito abaixo. O intervalo de dose (2 vezes ao dia) deve ser de 12 horas.
ESQUEMA posológicO PARA ADULTOS
PESO DO PACIENTE VIDEXÉ coMPRIMIDOS
= 60 kg 200mg 2 vezes ao dia ou 400mg 1 vez ao dia*
60Kg < 60 Kg
Clearance de creatinina (ml/min/1,73 m 2 ) Intervalo
> 60 (dose normal) 200 125 Cada 12 horas
30 - 59 100 75 Cada 12 horas
10 - 29 150 100 Cada 24 horas
< 10 100 75 Cada 24 horas
Nos pacientes sob dilise, a dose diária de VIDEX deve ser administrada após a concluso da mesma. Não é necessário administrar dose suplementar de VIDEX é após a hemodilise.
Pacientes pediátricos : uma vez que, a excreo urinária também uma importante via de eliminao da didanosina em pacientes pediátricos, o "clearance" de didanosina pode ser alterado nesses pacientes com disfunção renal. Embora os dados sejam insuficientes para recomendar um ajuste específico da dose de VIDEX nesta populao de pacientes, deve ser considerada uma reduo da dose e/ou aumento do intervalo entre elas.
Pacientes com disfunção hepática
Os dados so insuficientes para recomendar um ajuste específico da dose em pacientes com disfunção hepática, porem a reduo da mesma deve ser considerada. Durante o tratamento com VIDEX , os pacientes devem ser observados quanto elevao das enzimas hepáticas e a administração de VIDEX interrompida caso ocorra o aumento das enzimas a um nível clinicamente significativo (VER AdvertênciaS ). Em caso de rápidas elevações dos níveis de aminotransferase, deve ser considerada a interruPóo de todas as terapias com anlogos de nucleosdeos (ver PRECAUções ).
método de Preparo
VIDEXÉ comprimidos
Adultos : os pacientes devem tomar 2 comprimidos por dose, para fornecer antiácido suficiente contra a degradao cida da didanosina. Os comprimidos devem ser mastigados ou completamente dispersos em 30 ml de água antes do consumo. Para dispersar os comprimidos, agitar até formar uma disperso uniforme e ingerir imediatamente toda a disperso. Quando for desejável um sabor adicional, a disperso pode ser diluda em 30 ml de suco de ma. Agitar a disperso diluda antes do consumo. A disperso em água ou em suco de ma estável a temperatura ambiente (17 - 23C) por até uma hora.
Pacientes pediátricos : Os comprimidos devem ser mastigados ou completamente dispersos em água, antes do consumo. Quando for desejável uma dose de 1 comprimido, o volume de água para a disperso deve ser de 15 ml. Pode ser adicionado 15 ml de suco de ma disperso para conferir sabor adicional, como descrito acima.
VIDEX Pó não tamponado para Solução Oral
PARA OBTER A eficácia ADEQUADA DO PRODUTO, ESTE DEVE SER PREPARADO EXCLUSIVAMENTE EM FARMCIAS HOSPITALARES OU DE MANIPULAO.
VIDEX Pó não tamponado para Solução Oral deve ser administrado após ter sido misturado a um antiácido contendo hidróxido de alumínio [Al(OH) 3 ] e hidróxido de magnésio [Mg(OH) 2 ] como agentes tamponantes principais. Os antiácidos comercialmente disponíveis podem ser classificados em dois grupos (A e B) baseado na concentração de Mg(OH) 2 e Al(OH) 3 como mostra a tabela a seguir. após a tabela de concentrações encontram-se descritos os procedimentos correspondentes (grupos de antiácidos A e B) para preparar as misturas finais.
QUANTIDADE (mg) DE HIdróxidO DE magnésio E HIdróxidO DE ALumíniO POR 5 ml DE ANTIÁcido*
Antiácidos do grupo A (usar o procedimento A para preparação) Antiácidos do grupo B (usar o procedimento B para preparação)
Mg (OH) 2 300 325 350 375 400 425 450 Al(OH) 3 600 550 500 450 400 350 300 Mg (OH) 2 150 163 175 187 200 213 225 Al (OH) 3 300 275 250 225 200 175 150
* Observar que quando a quantidade de Mg(OH) 2 AUMENTA, a quantidade de Al(OH) 3 DIMINUI. Quantidade de antiácidos entre os valores listados acima so aceitos, desde que ambos os componentes estejam proporcionalmente ajustados, isto , o AUMENTO na quantidade de Mg(OH) 2 deve ser ajustada para uma reduo proporcional da quantidade de Al(OH) 3- (p. ex., caso a quantidade de Mg(OH) 2 seja de 320 mg, a quantidade de Al(OH) 3 precisa ser 560 mg. Se os níveis de Mg(OH) 2 e de Al(OH) 3 de um antiácido não estiverem adequados a esta tabela, este NO Deverá SER USADO.
PROCEDIMENTO A (com antiácidos do Grupo A, como por exemplo Mylanta Plus)
Antes da dispensao, o Pó seco deve ser reconstituído com água purificada USP para obter uma concentração inicial de didanosina de 20 mg/ml e a soluo resultante deve ser misturada imediatamente com um antiácido para se obter uma concentração final de 10 mg de didanosina por ml, da seguinte forma:
Soluo inicial de 20mg/ml: Reconstituir o produto para 20mg/ml adicionando 200ml de água purificada USP ao frasco de VIDEX , contendo 4g de didanosina Pó seco.
Soluo final de 10mg/ml:
1. Misturar imediatamente uma parte da soluo reconstituída de 20mg/ml com uma parte da soluo de antiácidos. A mistura do produto reconstituído e antiácido Deverá ser colocada em frascos de vidro ou plástico [polietileno de alta densidade (HDPE), polietileno tereftalato (PET) ou polietileno tereftalato com glicol (PETG)], com tampa prova de crianças. Identificar o frasco da soluo final com o prazo de validade.
2. Instruir o paciente para agitar vigorosamente a mistura de didanosina e antiácido antes de cada administração e armazenar a mistura em recipiente bem fechado em refrigerador (2 a 8C) por até 30 dias. Esta mistura da soluo de didanosina e antiácido estável somente por 30 dias e o paciente deve desprezar qualquer volume não utilizado até essa data.
PROCEDIMENTO B (com antiácidos do Grupo B)
Soluo final de 10 mg/ml:
Antes da dispensao, o Pó seco deve ser reconstituído diretamente com uma soluo de antiácidos do grupo B de modo a obter uma concentração final de 10 mg de didanosina por ml, da seguinte forma:
Frasco de VIDEX 4 g:
1. Adicionar 400 ml de antiácido em duas porções de 200 ml, agitando o conteúdo após cada adio de 200 ml e transferindo cada poro para um frasco de vidro ou plástico [(polietileno de alta densidade (HDPE), polietileno tereftalato (PET) ou polietileno tereftalato com glicol (PETG)].
2. Instruir o paciente para agitar vigorosamente a mistura didanosina e antiácido antes de cada administração e armazenar a mistura em recipiente bem fechado em refrigerador (2 a 8C) por até 30 dias. Orientar o paciente a desprezar qualquer volume não utilizado até essa data.

Contra indicação :

VIDEX É contra indicado para pacientes com hipersensibilidade clinicamente significativa a qualquer dos componentes das formulações.

Precauções :

Acidose ltica
COMO OCORRE COM OUTROS ANLOGOS DE NUCLEOSDEOS, FORAM RELATADAS RARAS OcorrênciaS DE ACIDOSE LTICA EM PACIENTES RECEBENDO DIDANOSINA, OcorrênciaS ESTAS QUE PODEM SER FATAIS E ALGUMAS VEZES estáO ASSOCIADAS COM ESTEATOSE hepática SEVERA. NO SE SABE SE ESTES EVENTOStêm RELAO CAUSAL AOS ANLOGOS DE NUCLEOSDEOS; ESTA CONDIO TEM SIDO DESCRITA COMO UM EVENTO RELACIONADO DOENA. EM CASO DE UM RPIDO AUMENTO DOS níveis DE AMINOTRANSFERASE OU Ácido LTICO, A DESCONTINUAO DE TODAS AS TERAPIAS COM ANLOGOS DE NUCLEOSDEO DEVE SER CONSIDERADA.
Disfunção renal
PACIENTES COM DISfunção RENAL ("CLEARACE" DE CREATININA < 60 ml / MIN / 1,73 M 2 )têm MAIORES CHANCES DE DESENVOLVER TOXICIDADE COM DIDANOSINA devido à diminuição DO "CLEARANCE" DA DROGA (VER FARMACOLOGIA clínica ). RECOMENDA-SE A REDUO DA DOSE NESTES PACIENTES (VER POSOLOGIA E Administração ).
AS SEGUINTES RECOMENDAções DEVEM SER CONSIDERADAS EM PACIENTES COM DISfunção RENAL. A QUANTIDADE DE magnésio DE CADA COMPRIMIDO TAMPONADO DE DIDANOSINA DE 8,6 mEq. ISTO PODE REPRESENTAR UMA CARGA EXCESSIVA DE magnésio EM PACIENTES COM DISfunção RENAL SIGNIFICATIVA. A FORMULAO DO COMPRIMIDO DE MASSA REDUZIDA NO CONtêm ALumíniO.
Disfunção hepática
OS DADOS SO INSUFICIENTES PARA RECOMENDAR UM AJUSTE específico DA DOSE DE DIDANOSINA EM PACIENTES COM DISfunção hepática, Porêm UMA REDUO DA DOSE NESTES PACIENTES DEVE SER CONSIDERADA ( VER POSOLOGIA E Administração E AdvertênciaS ).
Fenilcetonria
OS COMPRIMIDOS DE VIDEX NO CONtêm FENILALANINA LIVRE, MAS CONtêm FENILALANINA PROVENIENTE DO ASPARTAME (COMPONENTE DA FORMULAO). PORTANTO, O USO DE DIDANOSINA EM PACIENTES COM FENILCETONRIA DEVE SER CONSIDERADO APENAS SE CLARAMENTE INDICADO. VIDEX COMPRIMIDOS DE MASSA REDUZIDA CONtêm 36,5 MG DE FENILALANINA. VIDEX Pó PARA Solução Oral NO CONtêm FENILALANINA.
Pacientes em dieta de restrio de sódio
OS COMPRIMIDOS DE MASSA REDUZIDA E O Pó NO TAMPONADO PARA Solução Oral DE VIDEX NO CONtêm sódio EM SUAS FORMULAções Porêm DEVE-SE CONSIDERAR A QUANTIDADE DE sódio DOS PRODUTOS ANTIÁcidoS MISTURADOS AO VIDEX Pó NO TAMPONADO PARA SOLUO.
Diabetes mellitus
OS COMPRIMIDOS E O Pó NO TAMPONADO DE VIDEX NO CONtêm SACAROSE.
Gravidez
Não há DA dos com mulheres grávidas DE MODO A DETERMINAR se a didanosina pode causar dano fetal ou afetar a capacidade reprodutiva. Portanto , DEVE-SE CONSIDERAR o uso de didanosina durante a gravidez apenas se claramente indicado.
Estudos teratológicos em ratos e coelhos não constataram evidência de embriotoxicidade, fetotoxicidade ou de efeitos teratogúnicos. Um estudo em ratos DEMONSTROU que a didanosina e/ou seus metabólitos so transferidos para o feto através da placenta.
Lactao
Não se TEM CONHECIMENTO se a didanosina excretada no leite humano. Como vrias drogas so excretadas no leite materno, recomenda-se que a mulher que esteja tomando didanosina não amamente devido ao potencial QUANTO A Ocorrência DE reações adversas srias em crianças lactentes.
Em níveis de dosagem de 1000mg/kg/dia em ratos, a didanosina foi ASSOCIADA ingestão REDUZIDA DE ALIMENTO E GANHO DE PESO CORPORAL EM FMEAS E FILHOTES DURANTE A LACTAO média E TARDIA, Porêm o desenvolvimento físico e funcional da prole não foi alterado. Um outro estudo em ratos DE mo N strou que, após Administração oral, a didanosina e/ou seus metabólitos foram eliminados no leite de lactantes.
Reproduo
A didanosina não comprometeu a capacidade de reproduo de ratos machos ou fmeas, após tratamento prvio e durante o acasalamento, gestao e lactao, com doses diárias de didanosina de até 1000mg/kg/dia.
Em estudos de reproduo perinatal e Pós-natal com ratos, a didanosina não induziu efeitos txicos.
Carcinognese /Mutagnese
Estudos de carcinogenicidade foram conduzidos em camudongos e ratos durante o perãodo de vida de 22 a 24 meses, respectivamente. Não se observou neoplasias relacionadas droga, em qualquer grupo de camundongos tratados com didadosina, durante ou ao final do perãodo de tratamento. Em ratos, foram OBSERVADOS aumentos estatisticamente significativos de tumores de células granulosas em fmeas com altas doses, fibrossarcomas subcutâneos e sarcomas histiocticos em machos com doses altas e hemangiomas em machos com doses intermediárias e altas.
Estes aumentos foram atribudos variao biológica ou a outros fatores, tais como aumento da longevidade com doses altas, que so conhecidos por influenciarem a variabilidade do ndice de tumores espontneos e não foram considerados um efeito toxicológico significativo.
Outras
PACIENTES RECEBENDO DIDANOSINA PODEM CONTINUAR DESENVOLVENDO INFECções OPORTUNISTAS E OUTRAS COMPLICAções DA INFECO POR HIV.

Advertências

Pancreatite
Tem ocorrido casos de pancreatite fatal e não fatal durante a terapia com Videx, administrado de forma isolada ou em regimes antiretrovirais associados, em pacientes com ou sem tratamento antiretroviral prvio, independente do grau de imunosupresso. VIDEX deve ser interrompido em pacientes com sinais ou sintomas de pancreatite e descontinuado naqueles onde esta for confirmada. Os pacientes recebendo VIDEX associado estavudina, com ou sem a administração de hidroxiurria, podem ter um aumento no risco de desenvolver pancreatite.
Quando o tratamento com drogas conhecidas por causar pancreatite for necessário para a manuteno da vida, recomenda-se a suspenso da terapia com VIDEX. VIDEX deve ser usado com extrema cautela e somente se claramente necessário. Pacientes com infeco avançada pelo HIV apresentam maior risco de desenvolverem pancreatite e devem ser cuidadosamente monitorados. Os pacientes com comprometimento renal podem ter um grande risco de pancreatite se tratados sem o ajuste da dose.
A frequência de pancreatite está relacionada dose. Nos estudos de Fase III, a Incidência variou de 1 a 10% com doses mais elevadas quelas normalmente recomendadas e 1 a 7% com a dose recomendada.
Em estudos pediátricos, a pancreatite ocorreu em 3% (2/60) dos pacientes tratados com doses inferiores 300mg/m2/dia e em 13% (5/38) dos pacientes tratados com doses mais elevadas. O uso de VIDEX deve ser interrompido em pacientes pediátricos com sinais e sintomas de pancreatite e descontinuado quando da confirmao de pancreatite.
Outras
O uso da didanosina tem sido associado é Ocorrência de hiperuricemia. O tratamento Deverá ser suspenso se ocorrerem elevações significativas nos níveis de ácido rico durante o tratamento.
A insuficincia hepática, de etiologia desconhecida, tem ocorrido raramente em pacientes tratados com didanosina. Os pacientes devem ser observados quanto a elevações das enzimas hepáticas e a didanosina deve ser suspensa se as enzimas atingirem um nível clinicamente significativo. EM CASO DE AUMENTO RPIDO DOS níveis DE AMINOTRANSFERASE, A DESCONTINUAO DE TODAS AS TERAPIAS COM ANLOGOS DE NUCLEOSDEOS DEVE SER CONSIDERADA (VER PRECAUções).
Pacientes pediátricos recebendo didanosinatêm demonstrado alterações na retina ou no nervo ptico em raras ocasies, particularmente com doses acima daquela recomendada. há também relatos de despigmentao da retina e neurite ptica em pacientes adultos. Exames peridicos da retina devem ser considerados para pacientes em tratamento com VIDEX .
DEVE-SE CONSIDERAR A MODIFICAO DO TRATAMENTO BASEADO NA DETERMINAO médica QUANTO AO RISCO/BENefíciO DO MESMO.

 

Fórmula :

Cada comprimido de VIDEX 25mg ou 50mg ou 100mg ou 150mg ou 200mg contêm 25mg ou 50mg ou 100mg ou 150mg ou 200mg de didanosina, respectivamente.
Ingredientes inativos: aspartame, carbonato de cálcio, hidróxido de magnésio, estearato de magnésio, celulose microcristalina, crospovidona, sorbitol, aroma de tangerina.
Cada frasco de VIDEX 4g Pó não tamponado para Solução Oral contêm 4g de didanosina (substância ativa).

Descrio

VIDEX é apresentado na forma de comprimidos (2,1g - massa reduzida) tamponados dispersveis e mastigáveis e Pó não tamponado para Solução Oral.

Estabilidade

VidexÉ comprimidos : deve ser armazenado em frascos bem fechados em temperatura ambiente (entre 15 e 30 o c). proteger da umidade. se dissolvido em água ou em suco de ma diludo, a dose estável em temperatura ambiente por até 1 hora.
Videx Pó não tamponado para Solução Oral: os frascos fechados com Pó seco devem ser armazenados em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC). a mistura do produto reconstituído/antiácido pode ser armazenada por 30 dias sob refrigeração (entre 2 e 8c). descartar qualquer poro não utilizada em 30 dias.

Eventos Adversos

Estudos clínicos (Adultos)
os eventos adversos clínicos graves e as anormalidades laboratoriais observados em pacientes recebendo didanosina nos estudos clínicos geralmente refletem o curso clínico reconhecido da AIDS e infeco por HIV.
Eventos clínicos : Outros eventos adversos clínicos que ocorreram em 5 % ou mais dos pacientes recebendo didanosina como monoterapia nos estudos clínicos estáo DESCRITOS na tabela abaixo. os eventos adversos QUE OCORRERAM NOS pacientes tratados com videx NOS REGIMES DE terapia combinada foram similares quanto ao tipo, porêm geralmente com Incidência menor quando comparado queles relatados nos pacientes com doença mais avançada e que foram tratados com monoterapia.
EVENTOS ADVERSOS clínicoS QUE OCORRERAM EM 5% OU MAIS DOS PACIENTES
ADULTOS NOS ESTUDOS clínicoS COM MONOTERAPIA
(% DE PACIENTES)
EVENTO ADVERSO PACIENTES TRATADOS COM DIDANOSINA PACIENTES TRATADOS COM ZIDOVUDINA
ESTUDO ACTG 116A N=197 ESTUDO ACTG 116B/117 N=298 ESTUDO ACTG 116A N=212 ESTUDO ACTG 116B/117 N=304
diarreia NEUROPATIA PERIFRICA CALAFRIOS/FEBRE ERUPóO cutânea/ PRURIDO DOR ABDOMINAL ASTENIA cefaleia DOR NUSEA/vômitoS PANCREATITE 19 17 9 7 13 4 6 6 7 7 28 20 12 9 7 7 7 7 7 6 15 14 12 8 8 8 12 6 14 3 21 12 11 5 8 9 7 3 6 2
Pancreatite: VER Advertências e Precauções PARA MAIORES InformaçãES SOBRE PANCREATITE .
Neuropatia perifrica : PACIENTES RECEBENDO DIDANOSINA PODEM DESENVOLVER NEUROPATIA PERIFRICA, NORMALMENTE CARACTERIZADA POR DORMNCIA BILATERAL SIMTRICA DISTAL, FORMIGAMENTO, DOR NOS PóS E, COM MENOR frequência, NAS MOS. NOS ESTUDOS clínicoS, A frequência PARECE ESTAR RELACIONADA A DOSE E/OU AO estáGIO DA DOENA; SENDO QUE NDICES MENORES FORAM OBSERVADOS EM PACIENTES COM Doença MENOS AvançaDA. A NEUROPATIA TEM OCORRIDO MAIS FREQUENTEMENTE EM PACIENTES COM história DE NEUROPATIA OU TERAPIA COM DROGA NEUROtóxica, OS QUAIStêm UM MAIOR RISCO DE DESENVOLVEREM NEUROPATIA DURANTE A TERAPIA COM DIDANOSINA .
Anormalidades laboratoriais : AS ANORMALIDADES DOS TESTES LABORATORIAIS EM PACIENTES RECEBENDO DIDANOSINA COMO MONOTERAPIA estáO DESCRITAS NA TABELA ABAIXO. AS ANORMALIDADES LABORATORIAIS DESCRITAS EM PACIENTES TRATADOS COM DIDANOSINA EM TERAPIA COMBINADA FORAM SIMILARES QUANTO AO TIPO, Porêm GERALMENTE COM MENOR GRAVIDADE QUANDO COMPARADO S ANORMALIDADES RELATADAS NOS PACIENTES COM Doença MAIS AvançaDA E QUE FORAM TRATADOS COM MONOTERAPIA.
ANORMALIDADES DOS TESTES LABORATORIAIS EM PACIENTES ADULTOS NOS ESTUDOS clínicoS COM MONOTERAPIA
(PORCENTAGEM DE PACIENTES)
ANORMALIDADES NOS TESTES LABORATORIAIS PACIENTES TRATADOS COM DIDANOSINA PACIENTES TRATADOS COM ZIDOVUDINA
ESTUDO ACTG 116 A N=197 ESTUDO ACTG 116B/117 N=298 ESTUDO ACTG 116 A N = 212 ESTUDO ACTG 116B/117 N = 304
AMILASE (=1,4 VEZES LNS) LEUCOPENIA ( 5 VEZES LNS) TGP (ALT) (> 5 VEZES LNS) GRANULOCITO-PENIA ( 12MG/DL) TROMBOCITOPENIA (2,6 VEZES LNS) 17 13 9 9 6 6 4 3 2 1 15 16 7 6 8 3 1 2 2 1 12 26 4 6 19 8 1 1 4 1 5 22 6 6 15 5 1 1 3 1
xLNS: LIMITE NORMAL SUPERIOR
*VER AdvertênciaS PARA DETALHES ADICIONAIS SOBRE URICEMIA.
Experiência de Pós-comercializao
OS EVENTOS ADVERSOS A SEGUIRtêm SIDO RELATADOS DURANTE A vigilância DE PóS-COMERCIALIZAO; ESTES EVENTOS FORAM SELECIONADOS devido à SUA GRAVIDADE, frequência DE RELATO E/OU possível RELAO CAUSAL COM VIDEX : alopécia, reações ANAFILTICAS, ANOREXIA, DISPEPSIA, flatulência, SIALADENITE, AUMENTO DA GLNDULA PARTIDA, BOCA SECA, OLHOS SECOS, INSUFICINCIA hepática, ACIDOSE LTICA E ESTEATOSE hepática, HEPATITE, DIABETES MELLITUS, HIPOGLICEMIA, HIPERGLICEMIA, MIALGIA (COM OU SEM ELEVAO DA CREATININA FOSFOQUINASE), RABDOMILISE (ALGUNS DESSES CASOS FORAM COMPLICADOS PELA INSUFICINCIA RENAL AGUDA QUE NECESSITOU DE HEMODILISE), ARTRALGIA, MIOPATIA, DESPIGMENTAO DA RETINA E NEURITE PTICA. VER ADVERTENCIAS E PRECAUções PARA MAIORES InformaçãES SOBRE INSUFICINCIA hepática, ACIDOSE LTICA E ALTERAções PTICAS E DA RETINA.
Pacientes pediátricos
EM UM ESTUDO clínico COMPARATIVO ENVOLVENDO PACIENTES pediátricoS QUE COMPAROU VIDEX (N=281) E ZIDOVUDINA (N=276), AMBOS EM MONOTERAPIA E A COMBINAO DESSAS DUAS DROGAS (N=274). OS EVENTOS clínicoS ADVERSOS OBSERVADOS FORAM GERALMENTE SIMILARES QUELES RELATADOS EM ADULTOS.
OS TIPOS DE ANORMALIDADES LABORATORIAIS NOS PACIENTES pediátricoS também FORAM SIMILARES QUELES OBSERVADOS EM ADULTOS. ADICIONALMENTE, AS ELEVAções DA CREATININA FOSFOQUINASE ( > 5,1 VEZES O LIMITE NORMAL SUPERIOR) FORAM FREQUENTEMENTE RELATADAS, SENDO OBSERVADOS EM 6% DOS PACIENTES RECEBENDO DIDANOSINA COMO MONOTERAPIA (N=281), EM COMPAração COM 8% OBSERVADO ENTRE OS PACIENTES TRATADOS COM ZIDOVUDINA COMO MONOTERAPIA (N=276) E 8% ENTRE AQUELES RECEBENDO A COMBINAO DE AMBAS (N=274). AS ANORMALIDADES LABORATORIAIS RELATADAS COM MAIOR frequência NOS PACIENTES PEDIATRICOS FORAM:
GRANULOCITOPENIA ( 5 VEZES O LIMITE NORMAL SUPERIOR): 14% COM A MONOTERAPIA DE DIDANOSINA; 10% QUANDO ASSOCIADO A ZIDOVUDINA; 16% PARA ZIDOVUDINA USADA ISOLADAMENTE COMO MONOTERAPIA.

Farmacologia clínica

Mecanismo de Ao e Microbiologia
Didanosina (2 ,,3 ,-dideoxiinosina) é um inibidor da replicação do HIV in vitro em culturas de células humanas e linhagens de células.
Posologia uma vez ao dia
Em situações especiais como em casos de dificuldade de adeso ao tratamento, a administração da dose total diária de 400mg uma vez ao dia em dose única (2 comprimidos de 200mg) pode ser considerada (ver POSOLOGIA). Esta dosagem está atualmente baseada no racional farmacológico referente longa meia-vida intracelular do ddATP. Os estudos de longo prazo de eficácia e segurança envolvendo a dosagem uma vez ao dia estáo em andamento.
A relao entre a sensibilidade do HIV didanosina in vitro e a resposta clínica ao tratamento não está bem estabelecida e os resultados de sensibilidade in vitro apresentaram uma grande variao. Demonstrou-se in vivo uma correlao satisfatéria entre as determinações da carga viral [por ex. pelos métodos de reação em cadeia da polimerase (PCR) do RNA] e a progresso da doença clínica.
Farmacocinética
Adultos
A didanosina rapidamente degradada em pH ácido. Sendo assim, todas as formulações orais contêm ou devem ser administrados com agentes tamponantes formulados para aumentar o pH gástrico. A didanosina 20-25% mais biodisponível a partir da forma comprimidos do que a didanosina Solução Oral tamponada. recomendada uma reduo de 20% na dose de didanosina quando se passa da forma de Solução Oral tamponada para a de comprimidos. De forma inversa, recomendado um aumento de 20% da dose de didanosina quando se passa da forma de comprimidos para a de Solução Oral tamponada. Todas as formulações de VIDEX devem ser administradas pelo menos 30 minutos antes das refeições ou com o estômago vazio.
A biodisponibilidade média absoluta de uma soluo de didanosina de 37 (14) % após 4 semanas de Administração em doses terapêuticas. Embora exista uma variabilidade significativa entre os pacientes, os valores de Cmx e AUC (rea sob a curva) aumentam proporcionalmente dose, dentro da faixa de doses administradas na prtica médica.
In vitro, a ligao da didanosina s proteínas plasmáticas humanas menor que 5%, indicando que Interações entre drogas envolvendo o deslocamento dos sítios de ligao não está prevista. Uma hora após a infuso, a concentração de didanosina no líquido cerebroespinal representa em média 21% da concentração plasmática simultânea.
O metabolismo da didanosina no homem não foi avaliado. Entretanto, presume-se que siga a mesma via responsável pela eliminao das purinas endgenas.
A meia vida média de eliminao é de 1,6 horas e a recuperação urinária da didanosina de aproximadamente 20% da dose após Administração oral. O "clearance" renal representa, em média, 50% do "clearance" corPóreo total.
Disfunção renal
A farmacocinética da didanosina após a administração oral foi avaliada em pacientes HIV positivos com insuficincia renal grave (pacientes com necessidade de hemodilise ou dilise peritoneal ambulatorial) em comparação aos pacientes HIV positivo com função renal normal, e em indivíduos não infectados pelo HIV com Vários graus de comprometimento renal em comparação com indivíduos não infectados pelo HIV com função renal normal. A biodisponibilidade absoluta não foi afetada, porêm o "clearance" aparente da droga diminuiu conforme diminuição do "clearance" de creatinina. A meia-vida média de eliminao variou de 1,4 horas nos pacientes com função renal normal para 4,1 horas nos pacientes com insuficincia renal grave. A didanosina não foi detectada no líquido da dilise peritoneal, no entanto, a recuperação de didanosina no líquido da hemodilise foi de 0,6% a 7,4% da dose em um perãodo de dilise de 3 a 4 horas. Recomenda-se o ajuste da dose nos pacientes com função renal diminuída (

Informações ao paciênte

Ao esperada do medicamento: VIDEX demonstrou promover um retardamento significativo dos efeitos da AIDS.
Cuidados de Armazenamento:
VIDEXÉ comprimidos: deve ser conservado em frasco bem fechado, em temperatura ambiente (entre 15 e 30 o C). Proteger da umidade. Se o comprimido for disperso em água ou em suco de ma, a dose pode ser mantida por até uma hora temperatura ambiente.
VIDEX Pó não tamponado para Solução Oral: os frascos com o Pó seco (não tamponado) devem ser guardados em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC). A mistura contendo soluo de VIDEX e antiácido pode ser guardada até 30 dias sob refrigeração (entre 2 e 8C). Descartar qualquer poro não utilizada após 30 dias.
Prazo de validade: confira sempre o prazo de validade impresso na embalagem externa do produto. Este medicamento não Deverá ser utilizado se o seu prazo de validade estiver vencido.
Gravidez e Lactao: informe seu médico a Ocorrência de gravidez na vigncia do tratamento ou após o seu trmino. Informe ao médico se estiver amamentando.
Cuidados de Administração:
Observar o procedimento correto para o preparo das doses conforme orientado pelo médico. O produto deve ser ingerido com o estômago vazio ou pelo menos 30 minutos antes das refeições.
Comprimidos: os pacientes devem tomar 2 comprimidos de VIDEX por dose. Crianças entre 3 meses e um ano de idade devem tomar 1 comprimido por dose. Desta forma assegura-se a ingestão de quantidade suficiente de antiácidos necessária para evitar a degradao gástrica do produto.
Pó para Solução Oral: VIDEX Pó para Solução Oral deve ser preparado exclusivamente na farmcia do hospital ou em farmcias de manipulao, conforme descrito no item "método de Preparo".
Siga a orientao do seu médico, respeitando sempre os horrios, as doses e a duração do tratamento.
interrupção do tratamento: não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
reações Adversas: As principais reações de VIDEX so neuropatia perifrica e pancreatite e estas ocorrem com maior frequência em pacientes com história destes eventos. Os sintomas de neuropatia perifrica incluem formigamento, queimao, dor ou dormncia das mos ou Pós; os sintomas de pancreatite incluem dor abdominal, náuseas e vômitos. Em caso de aparecimento desses sintomas, informe seu médico. (Na Ocorrência de toxicidade, podem ser necessárias modificações de dose e/ou interrupção do tratamento com VIDEX).
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. ingestão concomitante com outras substâncias: Este medicamento deve ser usado com cautela em Associação com outros medicamentos que poderão exacerbar o seu efeito txico, inclusive álcool. VIDEX deve ser administrado 30 minutos antes das refeições ou em jejum, uma vez que a ingestão concomitante com alimento reduz pela metade a quantidade de droga absorvida.
Precauções: A terapia com este medicamento não reduz o risco de transmisso de HIV a outras pessoas. Este medicamento não representa uma cura para a infeco pelo HIV e os pacientes podem continuar a adquirir doenças associadas à infeco pelo HIV ou é aIDS, inclusive infecções oportunistas. Portanto, os pacientes devem permanecer sob contínua superviso médica.
Ateno Especial para Pacientes Fenilcetonricos: este produto contêm 36,5 mg de fenilalanina (do aspartame) por comprimido.
NO TOME Remédio SEM O CONHECIMENTO DO SEU médico. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA Saúde.
Informações Técnicas

Interação Alimentar

A ingestão de didanosina com alimentos reduz aproximadamente pela metade a quantidade de didanosina absorvida (ver FARMACOLOGIA clínica ). Portanto, VIDEX deve ser administrado pelo menos 30 minutos antes das refeições ou em jejum (ver POSOLOGIA E Administração e FARMACOLOGIA clínica ).

Interação Medicamentosa :

A co-Administração da didanosina com drogas conhecidas por causarem neuropatia perifrica ou pancreatite pode aumentar o risco destas toxicidades. Pacientes que receberem essas drogas devem ser cuidadosamente observados. Neuropatia tem ocorrido com maior frequência em pacientes com história de neuropatia ou terapia com droga neurotóxica, os quais apresentam maiores chances de desenvolver a doença durante a terapia com didanosina (ver reações ADVERSAS ).
Reduções significativas dos valores de AUC (rea sob a curva) da delavirdina (20%) e indinavir (84%) ocorreram após a administração concomitante de cada um destes agentes com VIDEX. Para evitar essas Interações, estes agentes devem ser administrados pelo menos 1 hora antes da dose de VIDEX . A farmacocinética de nelfinavir não é alterada para níveis clinicamente significativos quando administrado com uma refeio leve 1 hora após a administração de VIDEX.
Estudos específicos de interação entre drogas foram conduzidos com dapsona, nevirapina, rifabutina, foscarneto, ritonavir, estavudina e zidovudina (estudos de dose múltipla) e com loperadina, metoclopramida, ranitidina, sulfametoxazol e trimetoprima (estudos de dose única).
Não foram observadas Interações farmacocinéticas clinicamente significativas.
Recomenda-se que drogas cuja absoro possa ser afetada pela acidez estomacal (p. ex.: cetoconazol e itraconazol) sejam administradas pelo menos 2 horas antes da dosagem de VIDEX. a administração de VIDEX duas horas antes, ou concomitantemente ao ganciclovir foi associado com uma elevao média de 111% na AUC da didanosina em estado de equilíbrio. Uma menor reduo (21%) foi observada na AUC do ganciclovir em estado de equilíbrio quando VIDEX foi administrado também duas horas antes, porêm não ocorreu quando ambas foram administradas simultaneamente. Não ocorreram alterações no "clearance" renal destas drogas. Não se tem conhecimento se estas alterações so clinicamente significativas. Não há evidências que VIDEX potencialize os efeitos mielodepressivos do ganciclovir.
Como com outros produtos contendo componentes antiácidos de magnésio e/ou alumínio , VIDEX comprimidos ou Pó não tamponado reconstituído com água e misturado com um antiácido contendo alumínio e/ou magnésio, não devem ser administrados juntamente com qualquer antibiótico da classe das tetraciclinas. Do mesmo modo, concentrações plasmáticas de alguns antibióticos da classe das quinolonas, como a ciprofloxacina, diminuem quando da administração com antiácidos contidos ou misturados com VIDEX. recomendvel que estas drogas sejam administradas pelo menos 2 horas antes da administração de VIDEX.

Superdosagem :

Não há nenhum antídoto conhecido para a superdosagem de didanosina. Relatos em estudos iniciais nos quais a didanosina foi administrada inicialmente em doses 10 vezes superiores s doses atualmente recomendadas indicam que as complicações previstas de superdosagem crônica seriam hiperuricemia, pancreatite, neuropatia perifrica ou, possivelmente, disfunção hepática. A didanosina não SOFRE dilise peritoneal embora haja uma certa depuração por hemodilise. a remoo fracionada da didanosina durante uma sesso média de hemodilise de 3 a 4 horas de aproximadamente 20% a 35% da quantidade presente no organismo no incio da dilise.

Fabricante :

Bristol Myers Squibb S.A.

Princípios Ativos: Didanosina
Advertência: O site Bulário-Brasil tem por objetivo a informação e divulgao de temas médicos. As informaçães aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua Saúde.

Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.