Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Vasopril - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Maleato de Enalapril.

Classe terapêutica : Antihipertensivos.

Apresentação : Caixa contendo 30 comprimidos de 5 mg, 10 mg ou 20 mg.

Indicação : Tratamento de hipertenso essencial, em todos os graus. Hipertenso renovascular; todos os graus de insuficincia cardíaca; na preveno do agravamento da insuficincia cardíaca em pacientes sintomáticos e assintomáticos, Pós-infarto do miocárdio e em pacientes com disfunção ventricular esquerda.

Efeito Colateral :

Geralmente Vasopril é bem tolerado, mas pode ocorrer: tontura e cefaleia foram os efeitos colaterais mais comumente relatados; fadiga e astenia; hipotenso, hipotenso ortostática, sncope, náuseas, diarreia, cãibras musculares, eruPóo cutânea e tosse. Menos frequentemente disfunção renal, insuficincia renal e oligúria foram relatadas. Edemas angioneurticos de face, lngua, glote e extremidades foram raramente relatados. Infarto do miocárdio ou acidente vasculocerebral, possivelmente secundários hipotenso excessiva a pacientes de alto risco; dor torácica; distúrbios do ritmo cardíaco; palpitações e angina pectoris foram raramente relatados. Hepatite (hepatocelular ou colestática); icterícia; obstipao; pancreatite; estomatite; dor abdominal; dispepsia; anorexia; depresso; sonolência, confuso mental; insônia, parestesia, nervosismo e vertigem. Outros: broncospasmo/asma; dispnéia; rinorria; eritema multiforme; dermatite esfoliativa; síndrome de Stevens-Johnson, diaforese; prurido; urticária; alopecia; impotncia; alteração do paladar; glossite, rubor facial e zumbido. - Interações Medicamentosas:: quando usado com outros agentes anti-hipertensivos: pode ocorrer efeito aditivo. Com diuréticos tiazdicos: o efeito espoliador de potássio (a hipocalemia) causada pelo diurético, pode ser atenuada com o efeito do enalapril. Sais de ltio: pode aumentar os níveis séricos de ltio. Interferncias em exames laboratoriais: podem ocorrer elevações nas taxas de uria e creatinina sérica, enzimas hepáticas e (ou) bilirrubinas, reversíveis com a descontinuao do enalapril. Hipercalemia e hiponatremia também podem ocorrer. Reduo da taxa de hemoglobina e hematécrito foram relatados.

Modo de Usar :

Como a absoro do enalapril não é afetada pela ingestão de alimentos, os comprimidos podem ser administrados antes, durante ou após as refeições. A dose inicial no tratamento da hipertenso essencial é de 10 a 20 mg, dependendo do grau de hipertenso e pode ser dada uma vez ao dia. Em hipertenso leve, a dose inicial recomendada é de 10 mg por dia. A posologia de manuteno usual de 20 mg tomados uma vez ao dia. A posologia deve ser ajustada de acordo com as necessidades do paciente, até o máximo de 40 mg por dia. Hipertenso renovascular: como a presso arterial e a função renal nesses pacientes podem ser particularmente sensíveis inibio de ECA, o tratamento deve ser iniciado com uma dose menor (como 5 mg ou menos). A posologia, então, deve ser ajustada de acordo com as necessidades do paciente. presumvel que a maioria dos casos responda a um comprimido de 20 mg ao dia. Terapia diurética concomitante em hipertenso: pode ocorrer hipotenso sintomática em seguida dose inicial do enalapril; isto ocorre mais em pacientes que vm sendo tratados com diuréticos. Recomendase cautela com estes pacientes, pois eles podem estar depletados de sal ou volume. A terapia diurética deve ser descontinuada por 2 a 3 dias antes do incio da terapia com o enalapril. Se isto não for possível, a dose inicial do enalapril deve ser baixa (5 mg ou menos) para determinar o efeito inicial sobre a presso arterial. A posologia então deve ser ajustada s necessidades do paciente. Posologia em insuficincia renal: geralmente, o intervalo entre as doses do enalapril deve ser prolongado e (ou) a posologia diminuída. Em caso de disfunção renal leve, depuração de creatinina P 30 ml/min, dose inicial de 5-10 mg/dia. Disfunção renal moderada, depuração de creatinina 30 > 10 ml/min, dose inicial 2,5-5 mg/dia. Disfunção renal grave (pacientes sob dilise), depuração de creatinina 10 ml/min, dose inicial 2,5 mg/dia nos dias de dilise. (O enalaprilato dialisvel). Nos dias em que o paciente não for submetido dilise, a posologia deve ser ajustada resposta da presso arterial). Insuficincia cardíaca/disfunção ventricular esquerda assintomática: a dose inicial de enalapril de 2,5 mg e deve ser administrada sob rgida superviso médica, para se determinar o efeito inicial sobre a presso arterial. Na ausência de, ou após o tratamento efetivo da hipotenso sintomática conseqente ao incio da terapia com enalapril, as doses devem ser aumentadas gradualmente, dependendo da resposta do paciente, até a dose de manuteno habitual de 20 mg, dada em tomada única diária ou em 2 tomadas divididas, conforme a tolerância do paciente. Este perãodo de titulao da dose pode ser realizado em 2 a 4 semanas, ou menos, se indicado pela presena de sinais ou sintomas residuais de insuficincia cardíaca. A presso arterial e a função renal devem ser monitorizadas cuidadosamente, tanto antes como depois de iniciar o tratamento com enalapril. Superdosagem: o tratamento recomendado para a superdosagem é a infuso intravenosa de soluo salina normal. Se a ingestão for recente, deve-se induzir ao vômito. O enalaprilato pode ser removido da circulao através de hemodilise.

Contra-Indicaçõesde Vasopril

Pacientes com hipersensibilidade prvia ao enalapril ou qualquer outro inibidor da enzima conversora da angiotensina (paciente que tenha apresentado angioedema durante a terapia com qualquer outro inibidor da ECA).

Precauções :

Hipotenso sintomática: tem ocorrido raramente. mais provável sua Ocorrência em hipertenso com depleo de volume, por exemplo, devido à terapia com diurético, restrio dietática de sal ou submetido dilise. mais frequente em pacientes com grau de insuficincia cardíaca avançada, relacionada ao uso de altas doses de diuréticos de ala ou falência renal. Havendo necessidade, ser feita reposio de volume e o tratamento com enalapril pode ser continuado, sempre sob orientao médica. Pacientes com insuficincia renal podem requerer ajustes posológicos (doses reduzidas). Como alguns pacientes hipertensos sem leso renal preexistente aparente desenvolveram discretos e transitórios aumentos de uria e creatinina sanguínea quando receberam concomitantemente o enalapril e um diurético, recomenda-se monitorizar previamente a função renal do paciente, podendo ser necessária a reduo da dose do enalapril e (ou) a interruPóo do diurético. Em alguns pacientes com estenose da artria renal bilateral ou estenose da artria renal de rim único,têm sido observados aumentos dos níveis séricos de uria e creatinina, reversíveis com a interruPóo da terapia. Tem sido relatado raramente edema angioneurtico de face, extremidades, lbios, lngua, glote e (ou) laringe. Quando houver o envolvimento da lngua, glote ou laringe, deve-se instituir terapia apropriada para evitar a obstruo das vias aéreas superiores (Administração de adrenalina 1:1000 subcutaneamente 0,3 a 0,5 ml) e descontinuar a utilização do produto, observando cuidadosamente o paciente até resoluo completa dos sintomas. Pacientes com história de edema angioneurtico não relacionado com os inibidores da ECA podem apresentar maior risco de angioedema enquanto estiverem recebendo um inibidor da ECA. Tem sido relatada a Ocorrência de reações anafilactides em pacientes submetidos dilise com membrana de alto fluxo (p. ex.: AN69) e tratados concomitantemente com inibidores da ECA. Foi relatada tosse persistente não produtiva com o uso de inibidores da ECA, que desaparece com a descontinuao da terapia. O enalapril cruza a barreira placentária. Houve relatos de hipotenso, insuficincia renal, hipoplasia e (ou) hipercalcemia no recêm-nascido, quando se utilizou inibidores da ECA durante o segundo ou terceiro trimestre de gestao. Houve Ocorrência de oligodrmnio materno, representando uma reduo da função renal fetal, podendo resultar em contratura dos membros, deformações craniofaciais e desenvolvimento de pulmo hipoplástico. Os inibidores da ECA podem causar morbidade e mortalidade fetal e neonatal quando administrados a mulheres grávidas. Desta forma, a utilização do maleato de enalapril não recomendada, a menos que seja necessária quando outras drogas não possam ser utilizadas ou sejam ineficazes. O enalapril e o enalaprilato so secretados no leite materno. Portanto, deve-se ter cuidado se o produto for prescrito para as nutrizes. O uso do maleato de enalapril não foi estudado em crianças. Em pacientes submetidos a cirurgias de grande porte ou sob anestesia com agentes que produzem hipotenso (o enalapril bloqueia a formao de angiotensina II), esta poderá ser corrigida com expanso de volume.

Fórmula :

Cada comprimido contêm: maleato de enalapril 5mg, 10 mg ou 20 mg.

Fabricante :

União Química Farmacêutica Nacional S.A.
Endereço: Avenida do Café, 277
São Paulo - SP, 04311-000
Telefone:(11) 5586-2000
SAC : 0800 11 15 59

Remédios do mesmo fabricante :

Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Curso Master O Cara da Foto