Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Valerato de Betametasona - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : valerato de betametasona

Apresentação : Creme dermatológico: bisnagas com 30 g.

Este medicamento é indicado para o tratamento da psoríase, exceto a psoríase em placa disseminada; eczema, inclusive atópico, infantil e discóide; neurodermatoses, incluindo líquen simples e líquen plano; dermatite seborréica e dermatites de contato; eritroderma generalizado; lúpus eritematoso discóide. Ainda é utilizado, devido ao efeito antiinflamatório, no controle de queimadura solar, picadas de inseto e miliária rubra.

Contra indicação :

Este medicamento é contra-indicado para pacientes que apresentam alergia ao valerato de betametasona ou a qualquer outro componente da fórmula. também é contraindicado nas doenças de pele causadas por vírus como catapora, herpes e vacínia. Não deve ser usado nas doenças de pele de crianças com menos de 1 ano de idade (inclusive aquela provocada pela amônia da urina acumulada na fralda). Não há restrições para o uso deste medicamento em pacientes idosos.

Não deve ser utilizado durante a gravidez e a amamentação, exceto sob orientação médica.

Modo de Usar :

O valerato de betametasona creme dermatológico é um creme homogêneo ao tato, de cor branca para uso tópico. O valerato de betametasona pomada dermatológica é uma pomada translúcida, homogênea ao tato, para uso tópico.

Deve ser aplicada uma pequena quantidade de creme ou pomada sobre a lesão com suaves fricções de duas a três vezes ao dia até que se observe a melhora. Depois, as aplicações podem ser diminuídas para 1 vez ao dia ou em dias alternados. Quando aplicado corretamente, o creme e a pomada são praticamente invisíveis. Este medicamento não é indicado para crianças menores de 1 ano devido à maior absorção do medicamento. Não há restrições para o uso deste medicamento em pacientes idosos. O uso deste produto por um longo período de tempo pode causar alterações locais como dilatação dos vasos sangüíneos, estrias e adelgaçamento da pele.

O tratamento com este medicamento não deve durar mais de 7 dias sem supervisão médica.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Não use o medicamento com prazo de validade vencido.

Antes de usar observe o aspecto do medicamento.

Efeito Colateral :

Este medicamento quando usado corretamente não causa reações desagradáveis, mas se ocorrer o aumento da coceira, do inchaço, da vermelhidão ou houver piora da lesão o uso do medicamento deve ser suspenso e o médico procurado.

O valerato de betametasona creme dermatológico e pomada dermatológica quando administrado corretamente é bem tolerado. Caso ocorram sinais de hipersensibilidade, a aplicação do medicamento deve ser suspensa imediatamente. O uso de corticosteróides potentes de modo prolongado e intenso pode ocasionar alterações atróficas na pele como dilatação dos vasos superficiais, estrias e adelgaçamento da pele, principalmente se faz uso de curativos oclusivos ou se o medicamento é aplicado sobre as dobras da pele. Há relatos de hipertricose e alteração na pigmentação devido ao uso de esteróides tópicos. Assim como com outros corticosteróides tópicos, o tratamento de grandes áreas ou o uso de grandes quantidades deste medicamento pode levar ao aparecimento de sinais de hipercortisolismo devido à alta absorção sistêmica, principalmente nos recém-nascidos e crianças, e sob tratamento oclusivo. Nos lactentes a fralda pode funcionar como um curativo oclusivo.

O valerato de betametasona creme dermatológico e pomada dermatológica são normalmente bem tolerados, no entanto, surgindo sinais de hipersensibilidade, o produto deve ser descontinuado imediatamente. Raros casos de tratamento da psoríase com corticosteróides (ou sua suspensão) estão relacionados com a Ocorrência da forma pustular da doença.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis.

Advertências e Preucações

O tratamento por longos períodos deve ser evitado, principalmente em crianças, sempre que possível por causa da possível supressão adrenal que pode ocorrer mesmo que não haja oclusão da lesão. O tratamento com potentes corticosteróides tópicos por períodos de tempo prolongados podem provocar alterações atróficas da pele na face, mais que em outras áreas do corpo e isto deve ser levado em consideração quando for fazer o uso deste medicamento nos casos de eczema agudo severo, psoríase e lúpus eritematoso discóide. Se for fazer uso do tratamento oclusivo, antes da aplicação de um novo curativo a pele deve ser corretamente limpa para se evitar a infecção bacteriana ocasionada pela oclusão. Caso a infecção se desenvolva uma terapia antibiótica adequada deve ser instituída. Qualquer disseminação infecciosa necessita da administração de antimicrobianos e da interrupção da corticoterapia tópica. A disseminação da infecção pode ocorrer devido ao “efeito mascarador” do corticosteróide. Na psoríase, os corticosteróides podem ser perigosos devido a uma série de razões que incluem desenvolvimento de tolerância, rebotes e recidivas, risco de psoríase pustular generalizada e da Ocorrência de toxicidade local ou sistêmica decorrente de uma deficiência na função de barreira da pele. Portanto, se o medicamento for usado na psoríase o paciente deve ser cuidadosamente supervisionado.

Se for necessária aplicação nas pálpebras deve-se evitar o contato com os olhos pois isto poderia resultar em glaucoma. O uso prolongado de corticosteróides em animais prenhes pode causar anormalidades no desenvolvimento do feto. Até o presente momento não se sabe se tais anormalidades podem também ocorrer no ser humano, todavia, os esteróides tópicos não devem ser usados extensivamente na gravidez, isto é, em grandes quantidades e por tempo prolongado.

O valerato de betametasona creme dermatológico e pomada dermatológica devem ser usados com cautela em pacientes idosos devido à maior suscetibilidade destes pacientes aos efeito adversos provocados pelos medicamentos.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se ocorrer gravidez ou iniciar amamentação durante o uso deste medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Esteróides tópicos, como o valerato de betametasona, não devem ser usados extensivamente na gravidez, ou seja, em grandes quantidades e por tempo prolongado.

Superdosagem :

Se isto acontecer podem surgir sinais de distúrbio hormonal (hipercortisolismo), caracterizado por inchaço. O uso do medicamento deve ser gradualmente descontinuado sob supervisão médica, devido ao risco de supressão adrenal aguda.

Fórmula :

Cada g do creme dermatológico contém: valerato de betametasona 1,2mg; equivalente a 1 mg de betametasona.

Excipiente q.s.p. 1g: álcool cetoestearílico, cetomacrogol 1.000, vaselina sólida, metilparabeno, propilparabeno, propilenoglicol, fosfato de sódio monobásico, silicone DC 245, fosfato de sódio dibásico e água deionizada.

Cada g da pomada dermatológica contém: valerato de betametasona 1,2mg; equivalente a 1 mg de betametasona.

Excipiente q.s.p. 1g: vaselina líquida, propilenoglicol e vaselina sólida.

Armazenamento

O medicamento deve ser armazenado na sua embalagem original, em temperatura ambiente (entre 15 e 30 ºC), em lugar seco e ao abrigo da luz (evite armazená-lo no banheiro). Nestas condições o prazo de validade é de 2 anos a contar da data de fabricação. Ao adquirir o medicamento, confira sempre o prazo de validade impresso na bisnaga ou na embalagem externa do produto. Após a utilização do medicamento mantenha a bisnaga bem fechada para uma melhor conservação do medicamento.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Pomada dermatológica: bisnagas com 30 g.

USO TÓPICO - USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Interação Medicamentosa :

Não existem interações significativas.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Informações Legais

Reg. da pomada dermatológica no M.S. 1.2568.0107 e do creme dermatológico no M.S. 1.2568.0105
Farmacêutico Responsável: Dr. Luiz Donaduzzi CRF-PR 5842
Centro de Atendimento ao Consumidor
0800 709 9333 / (45) 2103-1166
cac@pratidonaduzzi.com.br

Fabricante :

Prati, Donaduzzi & Cia Ltda.

Tel.: +55 45 2103-1166


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.


Jesus a Chave Hermenêutica, Curso exclussivo com o Pastor Caio Fábio