Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Vagostesyl - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Sulfato de atropina

Apresentação : Caixa com 2 blisters com15 drágeas.

Indicação : VAGOSTESYL é indicado em todas as alterações funcionais neurovegetativas primárias ou secundárias. Aparelho cardiovascular: Eretismo cardíaco, palpitações, taquicardia, labilidade vasomotora, vertigens e tonturas de causas espasmódicas. Aparelho respiratório: Acessos de asma brônquica, angústia ou dispnéia neurológica. Tosse por hiperexcitabilidade primária. Aparelho digestivo: Gastralgia, enteralgia, hipersecreção gástrica, diarreias funcionais, náusea e vômito, meteorismos gástrico e cólico. Aparelho neuroendócrino: Palpitação, ruborização facial, palidez espasmódica, angústia respiratória, dispnéia subjetiva, estados asmatiformes, sensação de frio inexplicada, onda de calor na face, formigamento nas extremidades e outras manifestações subjetivas próprias dos distúrbios neurovegetativos sobretudo na menopausa e na menarca. Tratamento do componente neurovegetativo na hipertensão arterial, certas cefaleias e insônias e síndromes pré-menstruais e dismenorréias.

Contra indicação :

Hipersensibilidade ao fenobarbital ou a qualquer um dos componentes da fórmula. Insuficiências renal e hepática. Insuficiência respiratória severa. O fenobarbital é contra-indicado a pacientes com história de porfiria manifesta ou latente e àqueles nos quais a droga produz inquietação e(ou) excitação. Gravidez e lactação.

Modo de Usar :

Adultos: 1 a 2 drágeas, 3 vezes ao dia.

Efeito Colateral :

A mais comum é sonolência. Mais raramente reações cutâneas, anemia megaloblástica, dores articulares, osteomalácia, raquitismo, nistagmo e ataxia.

Advertências e Preucações

Não ingerir bebidas alcoólicas durante o tratamento. Pacientes cuja atividade exija alerta contínuo, como dirigir veículos a motor, operar máquinas, só devem fazê-lo em estado de vigília normal. A posologia deve ser diminuída nos casos de insuficiência renal ou hepática, nos idosos ou alcoólatras. Deve-se ter cuidado especial na administração do produto a pacientes com bronquite asmática ou uropatias obstrutivas devido à presença de um agente anticolinérgico (sulfato de atropina) na fórmula. O fenobarbital pode induzir ao hábito. Podem ocorrer tolerância, dependências física e psíquica especialmente após uso prolongado de altas doses.

Superdosagem :

Embora de difícil Ocorrência podem haver casos de superdosagem com VAGOSTESYL. A dose tóxica dos barbitúricos varia consideravelmente. Geralmente uma dose oral de 1 g da maioria dos barbitúricos produz sério envenenamento em um adulto; a dose letal variando entre 2 a 10 g. Os sintomas de intoxicação incluem nistagmo, ataxia, depressão do SNC, depressão respiratória, hipotermia, hipotensão, ausência ou diminuição dos reflexos, edema pulmonar, colapso circulatório e em casos de maior gravidade parada cardíaca e morte. No caso de insuficiência renal, a uremia pode aumentar a sensibilidade do SNC aos barbitúricos. No tratamento da superdosagem considere a possibilidade de superdosagem por drogas múltiplas, interações entre drogas e cinética incomum no paciente. Proteja as vias aéreas do paciente e, se necessário, utilize assistência respiratória e ventilação macânica SOS. Meticulosamente monitorize e mantenha, em limites aceitáveis, seus sinais vitais. A absorção no trato gastrintestinal pode ser diminuída pela administração de carvão ativado que em muitos casos é mais eficiente que a indução ao vômito ou lavagem. Considere a utilização do carvão ativado no lugar do esvaziamento gástrico ou como adjunvante no processo. Se houver insuficiência renal, proceder à diálise peritoneal. A alcalinização da urina acelera a excreção do fenobarbital, mas a diálise e a hemoperfusão são mais eficientes e não causam tantas alterações inconvenientes no equilíbrio eletrolítico. Se o paciente fez uso abusivo crônico de sedativos, reações de privação podem manifestar-se seguindo a superdosagem aguda.

Fórmula :

Cada drágea contém: Sulfato de atropina 0,00018 g; Cloridrato de papaverina 0,00250 g; Fenobarbital 0,02300 g; Extrato fl. de Leptolobium elegans 0,02000 g; Extrato fl. de Passiflora encarnata 0,02000 g; Excipiente q.s.p. 0,26000 g.

Interação Medicamentosa :

Diversas substâncias podem alterar os efeitos do fenobarbital e o seu uso concomitante somente deve ser feito com acompanhamento médico. O metotrexato pode ter a sua atividade e toxicidade aumentadas pela ação de barbitúricos. também os efeitos depressores do SNC produzidos pelos anestésicos são potencializados pelo fenobarbital. As reações adversas produzidas pelos antidepressivos tricíclicos (amitriptilina, desipramina, doxepina, imipramina, nortriptilina e protriptilina) podem ser exacerbadas pelo uso concomitante de fenobarbital. Os hipoglicemiantes orais (aceto-hexamida, clorpropamida, tolazamida, tolbutamida) têm sua ação potencializada pelo fenobarbital e ao mesmo tempo podem prolongar a ação hipnossedativa desta droga. As associações do fenobarbital com antiepilépticos como fenitoína, ácido valpróico e valproato de sódio parecem diminuir o metabolismo dos barbitúricos o que exige ajustamento nas doses, pois pode haver aumento ou redução das concentrações séricas. Pode também haver interação com os anticoagulantes orais com diminuição de atividade. Por um mecanismo de indução enzimática, algumas substâncias são metabolizadas com mais rapidez. Incluídas entre essas substâncias estão a griseofulvina, quinidina, desoxicilina e estrogênio. Pode haver diminuição de atividade dos contraceptivos orais. O álcool, os derivados benzodiazepínicos e as drogas anticolinérgicas também têm seus efeitos potencializados pela ação dos barbitúricos.

Venda sob prescrição médica.

Introdução

Vagostesyl
Sulfato de atropina
Cloridrato de papaverina
Fenobarbital
Extrato fl. de leptolobium elegans
Extrato fl. de passiflora encarnata

Propriedades

VAGOSTESYL é uma associação medicamentosa com ação abrangente sobre os sistemas nervoso central e neurovegetativo. Seus componentes dispostos de maneira equilibrada garantem um sinergismo de ação que resulta em uma maior eficácia, mesmo quando usados em doses menores do que as comumente empregadas para cada componente isolado. O sulfato de atropina atua como parassimpaticolítico, inibe o efeito da inervação vagal, suprime o reflexo óculo-cardíaco, impede a broncoconstrição, evita o espasmo da musculatura lisa, determina o relaxamento dos esfíncteres, reduz a secreção salivar, sudoral, gástrica e intestinal e modera a hipertonia extrapiramidal. O cloridrato de papaverina reduz a hiperexcitabilidade do simpático, corrige a constrição vascular, melhora o hiperperistaltismo intestinal, coordena a discinesia gastrocólica e reduz a sensibilidade do centro respiratório bulbar. O fenobarbital é um completo sedativo dos centros nervosos corticais e diencefálicos. Atua sobre o simpático e sobre o parassimpático, reduz a excitabilidade exagerada dos nervos motores e regulariza as alterações do sono. O Leptolobium elegans e a Passiflora encarnata atuam sobre o sistema nervoso central com ação sedativa e hipnótica branda, regularizando as alterações do sono.

Fabricante :

Indicação :

VAGOSTESYL é indicado em todas as alterações funcionais neurovegetativas primárias ou secundárias. Aparelho cardiovascular: Eretismo cardíaco, palpitações, taquicardia, labilidade vasomotora, vertigens e tonturas de causas espasmódicas. Aparelho respiratório: Acessos de asma brônquica, angústia ou dispnéia neurológica. Tosse por hiperexcitabilidade primária. Aparelho digestivo: Gastralgia, enteralgia, hipersecreção gástrica, diarreias funcionais, náusea e vômito, meteorismos gástrico e cólico. Aparelho neuroendócrino: Palpitação, ruborização facial, palidez espasmódica, angústia respiratória, dispnéia subjetiva, estados asmatiformes, sensação de frio inexplicada, onda de calor na face, formigamento nas extremidades e outras manifestações subjetivas próprias dos distúrbios neurovegetativos sobretudo na menopausa e na menarca. Tratamento do componente neurovegetativo na hipertensão arterial, certas cefaleias e insônias e síndromes pré-menstruais e dismenorréias.

Contra indicação :

Hipersensibilidade ao fenobarbital ou a qualquer um dos componentes da fórmula. Insuficiências renal e hepática. Insuficiência respiratória severa. O fenobarbital é contra-indicado a pacientes com história de porfiria manifesta ou latente e àqueles nos quais a droga produz inquietação e(ou) excitação. Gravidez e lactação.

Modo de Usar :

Adultos: 1 a 2 drágeas, 3 vezes ao dia.

Efeito Colateral :

A mais comum é sonolência. Mais raramente reações cutâneas, anemia megaloblástica, dores articulares, osteomalácia, raquitismo, nistagmo e ataxia.

Advertências e Preucações

Não ingerir bebidas alcoólicas durante o tratamento. Pacientes cuja atividade exija alerta contínuo, como dirigir veículos a motor, operar máquinas, só devem fazê-lo em estado de vigília normal. A posologia deve ser diminuída nos casos de insuficiência renal ou hepática, nos idosos ou alcoólatras. Deve-se ter cuidado especial na administração do produto a pacientes com bronquite asmática ou uropatias obstrutivas devido à presença de um agente anticolinérgico (sulfato de atropina) na fórmula. O fenobarbital pode induzir ao hábito. Podem ocorrer tolerância, dependências física e psíquica especialmente após uso prolongado de altas doses.

Superdosagem :

Embora de difícil Ocorrência podem haver casos de superdosagem com VAGOSTESYL. A dose tóxica dos barbitúricos varia consideravelmente. Geralmente uma dose oral de 1 g da maioria dos barbitúricos produz sério envenenamento em um adulto; a dose letal variando entre 2 a 10 g. Os sintomas de intoxicação incluem nistagmo, ataxia, depressão do SNC, depressão respiratória, hipotermia, hipotensão, ausência ou diminuição dos reflexos, edema pulmonar, colapso circulatório e em casos de maior gravidade parada cardíaca e morte. No caso de insuficiência renal, a uremia pode aumentar a sensibilidade do SNC aos barbitúricos. No tratamento da superdosagem considere a possibilidade de superdosagem por drogas múltiplas, interações entre drogas e cinética incomum no paciente. Proteja as vias aéreas do paciente e, se necessário, utilize assistência respiratória e ventilação macânica SOS. Meticulosamente monitorize e mantenha, em limites aceitáveis, seus sinais vitais. A absorção no trato gastrintestinal pode ser diminuída pela administração de carvão ativado que em muitos casos é mais eficiente que a indução ao vômito ou lavagem. Considere a utilização do carvão ativado no lugar do esvaziamento gástrico ou como adjunvante no processo. Se houver insuficiência renal, proceder à diálise peritoneal. A alcalinização da urina acelera a excreção do fenobarbital, mas a diálise e a hemoperfusão são mais eficientes e não causam tantas alterações inconvenientes no equilíbrio eletrolítico. Se o paciente fez uso abusivo crônico de sedativos, reações de privação podem manifestar-se seguindo a superdosagem aguda.

Fórmula :

Cada drágea contém: Sulfato de atropina 0,00018 g; Cloridrato de papaverina 0,00250 g; Fenobarbital 0,02300 g; Extrato fl. de Leptolobium elegans 0,02000 g; Extrato fl. de Passiflora encarnata 0,02000 g; Excipiente q.s.p. 0,26000 g.

Apresentação : Caixa com 2 blisters com15 drágeas.

Interação Medicamentosa :

Diversas substâncias podem alterar os efeitos do fenobarbital e o seu uso concomitante somente deve ser feito com acompanhamento médico. O metotrexato pode ter a sua atividade e toxicidade aumentadas pela ação de barbitúricos. também os efeitos depressores do SNC produzidos pelos anestésicos são potencializados pelo fenobarbital. As reações adversas produzidas pelos antidepressivos tricíclicos (amitriptilina, desipramina, doxepina, imipramina, nortriptilina e protriptilina) podem ser exacerbadas pelo uso concomitante de fenobarbital. Os hipoglicemiantes orais (aceto-hexamida, clorpropamida, tolazamida, tolbutamida) têm sua ação potencializada pelo fenobarbital e ao mesmo tempo podem prolongar a ação hipnossedativa desta droga. As associações do fenobarbital com antiepilépticos como fenitoína, ácido valpróico e valproato de sódio parecem diminuir o metabolismo dos barbitúricos o que exige ajustamento nas doses, pois pode haver aumento ou redução das concentrações séricas. Pode também haver interação com os anticoagulantes orais com diminuição de atividade. Por um mecanismo de indução enzimática, algumas substâncias são metabolizadas com mais rapidez. Incluídas entre essas substâncias estão a griseofulvina, quinidina, desoxicilina e estrogênio. Pode haver diminuição de atividade dos contraceptivos orais. O álcool, os derivados benzodiazepínicos e as drogas anticolinérgicas também têm seus efeitos potencializados pela ação dos barbitúricos.

Venda

Venda sob prescrição médica.

Introdução

Vagostesyl
Sulfato de atropina
Cloridrato de papaverina
Fenobarbital
Extrato fl. de leptolobium elegans
Extrato fl. de passiflora encarnata

Propriedades

VAGOSTESYL é uma associação medicamentosa com ação abrangente sobre os sistemas nervoso central e neurovegetativo. Seus componentes dispostos de maneira equilibrada garantem um sinergismo de ação que resulta em uma maior eficácia, mesmo quando usados em doses menores do que as comumente empregadas para cada componente isolado. O sulfato de atropina atua como parassimpaticolítico, inibe o efeito da inervação vagal, suprime o reflexo óculo-cardíaco, impede a broncoconstrição, evita o espasmo da musculatura lisa, determina o relaxamento dos esfíncteres, reduz a secreção salivar, sudoral, gástrica e intestinal e modera a hipertonia extrapiramidal. O cloridrato de papaverina reduz a hiperexcitabilidade do simpático, corrige a constrição vascular, melhora o hiperperistaltismo intestinal, coordena a discinesia gastrocólica e reduz a sensibilidade do centro respiratório bulbar. O fenobarbital é um completo sedativo dos centros nervosos corticais e diencefálicos. Atua sobre o simpático e sobre o parassimpático, reduz a excitabilidade exagerada dos nervos motores e regulariza as alterações do sono. O Leptolobium elegans e a Passiflora encarnata atuam sobre o sistema nervoso central com ação sedativa e hipnótica branda, regularizando as alterações do sono.

Fabricante :

Laboratório Gross S.A.

Endereço: Rua Padre Ildefonso Penalba, 389 - Todos Os Santos, Rio de Janeiro - RJ, 20775-020
Telefone:(21) 2597-3112

Medicamentos do mesmo fabricante :

Adeforte, Deficical b12, Hematiase b12, Hidrion, Neurilan, Nucleo cmp, Sepurin, Suprasten, Suprasten


Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode ser-lhes prejudicial, mesmo que apresentem os mesmos sintomas.
Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.
O ministério da saúde adverte: a auto-medicação pode fazer mal à sua saúde.
Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária. Trata-se de um registro histórico deste medicamento.
Este texto não pode substituir a leitura da bula que acompanha o medicamento.
Os medicamentos podem mudar suas formulações, recomendações e alertas.
Apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão do medicamento comercializada.
Todas as bulas constantes no site portal são meramente informativas.
Lembre-se, a informação é o melhor remédio.

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Curso Master O Cara da Foto