Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Rebetol - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Ribavirina.

Indicação : REBETOL é indicado para o tratamento da Hepatite C crônica em pacientes que não foram tratados anteriormente com interferona alfa ou em pacientes que apresentaram recidiva após monoterapia com interferona alfa. Deve ser administrado a pacientes com idade igual ou superior a 18 anos e com doença hepática compensada.

Efeito Colateral :

(Veja bula da INTRON A - interferona alfa - 2b) para reações adversas adicionais especficas para a interferona
A segurança da terapia concomitante REBETOL/interferona alfa - 2b (INTRON A) foi avaliada em um banco de dados com resultados de segurança correspondentes a 1.183 pacientes. Estavam includos 173 pacientes que tiveram recada após resposta inicial interferona alfa e 1.010 pacientes que não tinham sido tratados anteriormente.
Os efeitos adversos, em sua maioria, foram leves ou moderadamente graves e não limitaram o tratamento. Efeitos adversos graves foram relatados em 16% dos pacientes. O tipo e a frequência dos efeitos adversos com a terapia concomitante so consistentes com o perfil de segurança conhecido da interferona alfa - 2b e com os efeitos adversos associados ribavirina.
Os efeitos adversos foram relatados mais frequentemente nos pacientes que nunca tinham recebido interferona do que nos pacientes que já haviam sido tratados com interferona e que apresentaram recidiva. Os efeitos adversos listados na tabela de EFEITOS ADVERSOS so decorrentes da administração de REBETOL ou interferona alfa-2b durante 48 semanas, referentes aos grupos tratados cujos efeitos adversos foram mais frequentemente relatados. Os casos de tratamento com tempo de duração menor ou dos tratamentos em pacientes que apresentaram recidiva demonstraram menor Incidência de efeitos adversos.
Hemlise foi a toxicidade encontrada na terapia com a ribavirina. Entretanto, em estudos clínicos, nenhum paciente teve de descontinuar a terapia devido ao decrscimo dos níveis de hemoglobina isolados. Decrscimos das concentrações de hemoglobina 2 g/dl, > 3 g/dl e > 4 g/dl foram observados em 31%, 27% e 16% dos pacientes, respectivamente, durante as 24 semanas de duração do estudo. Os níveis de hemoglobina diminuram abaixo de 10 g/dl em somente 10% dos pacientes, indicando que a hemlise foi minimizada durante a terapia concomitante de REBETOL/interferona alfa - 2b (INTRON A) pelo cumprimento das orientações para ajustes posológicos (veja POSOLOGIA E Administração).
Reduções da dose ou interrupções devido aos efeitos adversos ocorreram em 12% (20/173) dos pacientes que tiveram recidiva após o tratamento de 24 semanas e, em 21% dos pacientes que não receberam interferona anteriormente, tratados durante 48 semanas. A anemia foi a principal razo para a reduo da dose. A terapia foi descontinuada devido aos efeitos adversos em 6% dos pacientes do grupo recidivante após tratamento de 24 semanas e em 20% dos pacientes que nunca tinham sido tratados com interferona anteriormente, tratados durante 48 semanas.
EFEITOS ADVERSOS RELACIONADOS AO TRATAMENTO
( 5% de Incidência em todos os grupos de tratamento)*
Corpo Interferona alfa-2b + REBETOL (N=1.183) porcentagem de pacientes Interferona alfa-2b + placebo (N=906) porcentagem de pacientes
Local de aplicação Inflamao no local da aplicação reação no local da aplicação 8% 5% 12% 7%
Sistema Nervoso Autnomo Secura na boca Aumento na sudorese 7% 8% 6% 6%
Corpo Como um Todo Astenia Dor no peito Fadiga Febre cefaleia Sintomas do tipo gripe Malaise Calafrios Dor no quadrante superior direito diminuição de peso 21% 7% 54% 34% 55% 24% 7% 29% 7% 14% 20% 4% 55% 35% 57% 29% 5% 26% 8% 7%
Sistema Nervoso Central/ Perifrico Tontura Parestesia 15% 5% 12% 5%
Sistema Gastrintestinal Dor abdominal Anorexia diarreia Dispepsia Nuseas vômitos 13% 22% 16% 11% 34% 7% 15% 16% 18% 6% 23% 7%
Sistema musculoesqueltico Artralgia Dor musculoesqueltica Mialgia 25% 18% 44% 28% 20% 50%
distúrbios Psiquitricos Agitao Ansiedade Falta de concentração Depresso Labilidade emocional insônia Irritabilidade Nervosismo sonolência 5% 12% 11% 29% 8% 35% 25% 4% 4% 5% 10% 11% 25% 6% 24% 19% 5% 5%
distúrbios Hematológicos Anemia 15% < 1%
distúrbios no Sistema Imunológico Infeco viral 6% 5%
Sistema Respiratério Tosse dispnéia Faringite Rinite 9% 13% 11% 6% 7% 8% 6% 4%
Pele e Anexos Alopecia Prurido Exantema Ressecamento 29% 21% 19% 12% 30% 9% 6% 6%
Sentidos Especiais, Outros distúrbios Gosto amargo Viso turva 5% 2% 3% 5%
células brancas e Sistema Retculo Endotelial Neutropenia 9% 6%
*distúrbios relacionados ao local da aplicação da interferona alfa-2b não relatados
função renal: a farmacocinética da ribavirina é alterada em pacientes com disfunção renal devido à diminuição da depuração nestes pacientes. Portanto, recomendada a avaliao da função renal em todos os pacientes antes do tratamento com REBETOL. Pacientes com depuração de creatina < 50 ml/minuto não devem ser tratados com REBETOL (veja CONTRA-indicações). Caso a concentração de creatina sérica aumente para valores acima de 2mg/dl (veja Tabela das ORIENtaçõeS PARA AJUSTES posológicOS), a terapia com REBETOL deve ser interrompida.
função hepática: Muito raramente foram relatados casos de hepatoxicidade que acarretaram em fatalidades com a administração de interferona alfa-2b. Todo paciente que desenvolver qualquer anormalidade na função hepática durante o tratamento Deverá ser cuidadosamente monitorado. O tratamento Deverá ser descontinuado caso os sinais e sintomas persistam.
Hipotenso: poderá ocorrer hipotenso durante o tratamento com INTRON A Solution (interferona alfa-2b) ou até dois dias após a terapia, podendo necessitar de tratamento auxiliar. Hidratao adequada Deverá ser mantida, uma vez que que hipotenso decorrente da depleo de líquidos foi constatada em alguns pacientes. Reposio de líquidos poderá ser necessária.
Febre: Apesar da febre poder estar associada síndrome "flu-like", comumente relatada durante a terapia com interferona, outras causas de febre persistente devem ser excluídas.
Disfunção respiratéria: Foram muito raramente observados em pacientes tratados com interferona alfa, incluindo-se aqueles tratados com interferona alfa-2b, casos de infiltrados pulmonares, pneumonites e pneumonia, incluindo casos fatais. A etiologia não foi definida. Estes sintomas foram mais frequentemente relatados quando o "shosaikoto", um fitoterpico chins, foi administrado concomitantemente com a interferona alfa. Qualquer paciente que apresente febre, tosse, dispnéia ou outros sintomas respiratérios, Deverá realizar um raio-X do pulmo. Caso o raio-X do pulmo demonstre infiltrados pulmonares ou evidencie uma disfunção pulmonar, o paciente Deverá ser monitorado cuidadosamente, e se for necessário, a terapia Deverá ser descontinuada.
Alterações oftlmicas: Os efeitos adversos oftálmicos, incluindo-se hemorragia da retina, manchas disseminadas de exsudato na retina e obstruo da artria ou veia da retina foram raramente observados após o tratamento prolongado de Vários meses com interferonas alfa, mas também foram relatados após tratamento de curta duração. Qualquer paciente com queixas de alterações na sua acuidade ou campo visual, ou que relate qualquer outro sintoma ocular durante o tratamento, Deverá ser submetido a exame específico. devido à necessidade de diferenciar as retinopatias observadas com as retinopatias diabticas e hipertensivas, recomendado o exame oftálmico antes do tratamento em pacientes com diabetes mellitus ou hipertenso.
Sistema Nervoso Central (SNC) e Psiquitrico: Pacientes com distúrbios psiquitricos pré-existentes ou com histrico de distúrbios psiquitricos graves não devem ser submetidos ao tratamento com REBETOL. Os efeitos graves do Sistema Nervoso Central como depresso; inteno e tentativa de suicdio; psicoses incluindo alucinações e comportamento agressivo,têm sido observados em alguns dos pacientes durante o tratamento com REBETOL. Nos casos graves, a terapia Deverá ser interrrompida. A gravidade destes efeitos adversos Deverá ser considerada pelo médico prescritor antes do incio do tratamento.
Cardiovascular: Hipertenso e arritmias supraventriculares, dor no peito e infarto do miocárdiotêm sido associados com os tratamentos que utilizam interferonas alfa.
Pacientes com histrico de insuficincia cardíaca congestiva, infarto do miocárdio e/ou arritmias anteriores ou atuais devem ser monitorados. Aqueles pacientes que apresentam anormalidades cardíacas pré-existentes devem ser monitorados com eletrocardiogramas antes e durante o tratamento. Arritmias cardíacas (principalmente a supraventricular) normalmente respondem terapia convencional, mas pode ser necessária a interrupção do tratamento.
Outros: O tratamento com REBETOL Deverá ser cuidadosamente administrado em pacientes debilitados, como aqueles que apresentam histrico de doenças pulmonares (por exemplo, doença pulmonar obstrutiva crônica) ou diabetes mellitus com risco de cetoacidose. Deve-se ter precauo também com os pacientes com problemas de coagulao (por exemplo, tromboflebites, embolia pulmonar) ou mielossupresso grave.
Devido ao fato de haver relatos de exacerbao de psorase pré-existente com interferonas, o tratamento com REBETOL Deverá ser instituído somente se seu benefício justificar o risco potencial nestes pacientes.
As observações iniciais podem indicar que a terapia com interferona alfa possa estar associada com um aumento da Incidência de rejeio de enxertos (transplantes de fgado e rins).
Foi relatado o surgimento de diferentes tipos de anticorpos durante o tratamento com interferonas alfa. Em pacientes predispostos a desenvolver doenças auto-imunes, manifestações clínicas destas doenças podem ocorrer com mais frequência durante o tratamento com interferonas.
A terapia com REBETOL Deverá ser interrrompida em pacientes que desenvolverem anormalidades tiroidianas durante o tratamento, caso estas anormalidades não possam ser controladas através de medicação .
Alterações de Exames Laboratoriais
Em estudos clínicos, a maioria dos casos de valores laboratoriais anormais foi gerenciadas com alterações posológicas (ver tabela em POSOLOGIA E Administração). A maioria dos casos de anemia, leucopenia, neutropenia, granulocitopenia e trombocitopenia foi leve. Anormalidades na função da tireide (alterações nos valores de TSH) que requereram interveno clínica ocorreram em 3% dos pacientes sem histrico anterior de distúrbio tireoidiano.
Foi observado em alguns pacientes tratados com REBETOL um aumento nos níveis de ácido rico e bilirrubina indireta associada com hemlise, mas os níveis retornaram ao valor basal 4 semanas após o fim da terapia.

Modo de Usar :

REBETOL cápsulas é administrado por via oral em doses de 1.000 ou 1.200 mg diariamente em duas doses divididas (de manhã e à noite), em combinao com a interferona alfa-2b (INTRON A) administrada subcutaneamente em dose de 3 milháes de UI três vezes por semana (dia sim, dia não) por 24 semanas (Veja bula da interferona alfa - 2b para informaçães adicionais sobre posologia e Administração da interferona).
A dose recomendada de REBETOL depende do peso do paciente:
Pacientes com peso 75 kg devem receber 1.000 mg diariamente, sendo 2 cápsulas de 200 mg pela manhã e 3 cápsulas de 200 mg à noite.
Pacientes com peso 75 kg devem receber 1.200 mg diariamente, sendo 3 cápsulas de 200 mg pela manhã e 3 cápsulas de 200 mg à noite.
A duração do tratamento recomendado de 24 a 48 semanas. A duração do tratamento deve ser individualizada dependendo das Características da doença, resposta terapia e tolerância medicação . após 24 semanas de tratamento, a resposta virológica deve ser avaliada. Se a resposta virológica esperada não for alcançada em 24 semanas, a terapia com REBETOL deve ser ser descontinuada.
Se reações adversas graves ou anormalidades/laboratoriais desenvolveremse durante a terapia concomitante de REBETOL / INTRON A (interferona alfa-2b), a posologia Deverá ser ajustada, ou descontinuar a terapia, se necessário, até que as reações adversas se amenizem. Se a intolerância persistir após o ajuste da dose, a terapia concomitante de REBETOL / interferona alfa-2b Deverá ser descontinuada.
Foram estabelecidas em estudos clínicos orientações para as modificações da posologia de REBETOL/interferona alfa-2b (veja tabela abaixo).
devido à reconhecida hemlise associada terapia com a ribavirina, orientações especiais so destinadas aos pacientes com histrico de doença cardiovascular estável. Nestes pacientes, reduo permanente da dose ser requerida se a hemoglobina diminuir 2 g/dl durante um perãodo de 4 semanas. Além disso, se a hemoglobina permanecer < 12 g/dl após 4 semanas com dose reduzida, o paciente Deverá descontinuar a terapia concomitante de REBETOL / interferona alfa-2b (INTRON A).
ORIENtaçõeS PARA AJUSTES posológicOS
Valores laboratoriais Reduo da dose de REBETOL para 600 mg/dia , se*: Reduo da interferona alfa - 2b para 1,5 milháo de UI, se*: Descontinuao permanente de REBETOL / interferona alfa-2b, se*:
Hemoglobina < 10 g/dl --- < 8,5 g/dl
Hemoglobina em pacientes com histrico de doença cardíaca estável diminuição 2 g/dl da hemoglobina por um perãodo de 4 semanas durante o tratamento < 12 g/dl após 4 semanas de reduo da dose
Leuccitos --- < 1,5 x 10 9/l < 1,0 x 10 9/l
Neutrófilos --- < 0,75 x 10 9/l < 0,5 x 10 9/l
Plaquetas --- < 50 x 10 9/l < 25 x 10 9/l
Bilirrubina direta --- --- 2,5 x LSN**
Bilirrubina indireta > 5 mg/dl --- 4 mg/dl (para > 4 semanas)
Creatinina --- ---- > 2,0 mg/dl
ALT/AST --- --- 2 x limite inferior e > 10 x LSN**
* Pacientes cuja posologia de REBETOL reduzida para 600 mg devem receber 1 cápsula de 200 mg pela manhã e 2 de 200 mg à noite
** Limite Superior da Normalidade

Contra indicação :

(Veja bula de INTRON A (Interferona alfa - 2b) para contra-Indicaçõesadicionais especficas para a interferona)
histrico de hipersensibilidade ribavirina ou a qualquer componente de REBETOL;
histrico de doença cardíaca preexistente grave, inclusive doenças cardíacas não controladas ou instveis, nos 6 meses antecedentes (veja PRECAUções);
gravidez, tanto homens como mulheres não devem receber ribavirina quando estiverem planejando ou houver possibilidade de gravidez (veja PRECAUções, USO DURANTE A GRAVIDEZ E LACTAO);
mulheres que estáo amamentando;
hemoglobinopatias (por exemplo, talassemia, anemia falciforme);
condições médicas debilitadas, graves, incluindo pacientes com deficincia renal crônica ou depuração de creatinina < 50 ml/minuto;
histrico de problemas psiquitricos graves, como depresso grave e inteno ou tentativa de suicdio;
epilepsia e/ou comprometimento da função do Sistema Nervoso Central (SNC) (ver PRECAUções);
cirrose hepática descompensada;
pacientes que estáo em tratamento ou que foram tratados recentemente com imunossupressores, com exceo dos corticosteróides de curta duração;
hepatite auto-imune ou história de doença auto-imune;
imunossuprimidos devido a transplantes;
pacientes com doença tiroidiana pré-existente, a menos que possa ser controlada com tratamento convencional.

Precauções :

(Veja bula de INTRONé a (interferona alfa - 2b) para precauções adicionais especficas para a interferona)
Com base nos resultados de estudos clínicos, o uso da ribavirina como monoterapia não eficaz e REBETOL não deve ser usado isoladamente. A segurança e a eficácia da terapia combinada foram estabelecidas usando-se somente terapia com REBETOL e interferona alfa-2b (INTRONé a). Variações de posologia, de vias de Administração e de reações adversas existem entre os diferentes tipos de interferonas. Portanto, somente a interferona alfa-2b (INTRONé a) deve ser usada em combinao com REBETOL.
Risco Teratogúnico
Dados pré-clínicos: Significativo potencial teratogúnico e/ou embriotxico foi demonstrado pela ribavirina em todos os animais com os quais foram conduzidos estudos adequados, ocorrendo em 1/10 a 1/20 da dose humana recomendada.
Interferona alfa-2b mostrou efeitos abortivos em macacos Rhesus (Macaca mulatta) em doses 90 e 180 vezes a dose intramuscular ou subcutânea recomendada de 2 MUI/m 2. Casos de aborto foram observados em todos os grupos que receberam doses correspondentes a 7,5 M, 15 M e 30 MUI/kg e foi estatisticamente significante quando comparada com o grupo controle que recebeu doses médias e altas (correspondentes a 90 e 180 vezes a dose intramuscular ou subcutânea recomendada de 2 MUI/ m 2). Não há dados suficientes em mulheres grávidas (veja CONTRA-Indicaçõese, USO DURANTE A GRAVIDEZ E LACTAO).
Pacientes do sexo feminino: A terapia com REBETOL não deve ser usada por mulheres grávidas (veja CONTRA-Indicaçõese USO DURANTE A GRAVIDEZ E LACTAO), e a terapia não deve ser iniciada até que se tenha resultado negativo para o teste de gravidez. Mulheres que possam engravidar devem usar contraceptivo eficiente durante o tratamento e 6 meses depois; testes de gravidez mensais de rotina devem ser realizados durante este perãodo. Se ocorrer gravidez durante o tratamento ou 6 meses após, a paciente Deverá ser avisada do significativo risco teratogúnico da ribavirina para o feto.
Pacientes do sexo masculino: A ribavirina acumula-se intracelularmente e removida lentamente do organismo. Não se sabe se a ribavirina contida no esperma exercer seus conhecidos efeitos teratogúnicos sobre a fertilizao do vulo.
Em estudos animais, a ribavirina produziu alterações no esperma em doses menores que a dose clínica. Pacientes do sexo masculino devem, portanto, ser aconselhados a adotar método contraceptivo eficiente durante o tratamento com REBETOL e durante 6 meses após o trmino do tratamento.
Pacientes do sexo feminino e masculino: Havendo possibilidade de gravidez, recomenda-se métodos contraceptivos para cada parceiro.
Carcinogenicidade: A ribavirina se mostrou mutagênica em alguns ensaios de genotoxicidade in vivo e in vitro. O potencial carcinogúnico de ribavirina não pode ser excluído.
Hemlise: Foi observada nos estudos clínicos, uma diminuição dos níveis de hemoglobina para < 10g/dl em mais de 14% dos pacientes tratados com a terapia de REBETOL. Embora a ribavirina não possua efeito cardiovascular direto, a anemia associada com REBETOL pode resultar em danos função cardíaca ou em exacerbao dos sintomas de doença coronariana ou ambos. Desta maneira, a terapia de REBETOL/interferona alfa-2b (INTRON A) deve ser administrada com cautela em pacientes com doença cardíaca preexistente (veja CONTRA-indicações). As condições cardíacas devem ser avaliadas antes do incio da terapia e monitorizadas clinicamente durante a terapia (se qualquer dano ocorrer, a terapia Deverá ser interrompida) [veja POSOLOGIA E Administração].
Hipersensibilidade aguda: Se alguma reação de hipersensibilidade aguda (por exemplo, urticária, angioedema, broncoconstrio, anafilaxia) ocorrer, a terapia com REBETOL Deverá ser descontinuada imediatamente e terapia médica apropriada, instituída. Exantemas transitórios não requerem interrupção do tratamento.
Testes laboratoriais (Veja bula da INTRON A - interferona alfa - 2b): Testes hematológicos-padro e químicos sanguíneos (hemograma completo e diferencial, contagem de plaquetas, eletrôlitos, creatinina sérica, testes de função hepática e ácido rico) devem ser conduzidos em todos os pacientes antes do incio da terapia concomitante de REBETOL. Valores iniciais aceitveis que possam ser considerados como Referência antes do incio do tratamento so:
Hemoglobina 12 g/dl (mulheres) 13 g/dl (homens)
Plaquetas 100.000/mm
Contagem de neutrófilos nível de TSH 1.500/mm deve estar dentro do normal
Estas avaliações laboratoriais devem ser realizadas antes do tratamento e, nas semanas 2, 4 após incio da terapia e, periodicamente quando clinicamente apropriado. Mulheres que possam engravidar devem fazer teste de gravidez todos os meses durante o tratamento e 6 meses após.
O ácido rico pode aumentar com a presena da ribavirina devido à hemlise, portanto, o potencial para o desenvolvimento de gota deve ser cuidadosamente monitorado em pacientes com esta predisposio.
Efeitos sobre habilidade de dirigir ou usar máquinas: Pacientes que desenvolverem fadiga, sonolência ou confuso durante o tratamento devem evitar dirigir ou operar máquinas.
Uso em pacientes com disfunção hepática: Não houve nenhuma interação farmacocinética entre ribavirina e a função hepática. Portanto, Não é necessário ajuste de dose na terapia com REBETOL em pacientes com disfunção hepática.
Pacientes com menos de 18 anos: A segurança e a eficácia em pacientes pediátricos não foram estabelecidas. Além disso, o uso em pacientes com menos de 18 anos de idade não é recomendado (veja POSOLOGIA E Administração).

Apresentação :

Rebetol é apresentado sob a forma de cápsulas gelatinosas de 200 mg em embalagens contendo 5 blísteres com 12 cápsulas.

Informação ao Paciente

REBETOL É um medicamento utilizado no tratamento da Hepatite C crônica, somente em combinao com a interferona alfa-2b (INTRONé a) .
Mantenha a embalagem em temperatura ambiente. Não congele.
O prazo de validade de REBETOL de 24 meses e encontra-se gravado na embalagem externa do produto; em caso de vencimento, inutilize o produto.
Informe seu médico a Ocorrência de gravidez na vigncia do tratamento ou após o seu trmino.
Informar ao médico se está amamentando.
Siga a orientao do seu médico, respeitando sempre os horrios, as doses e a duração do tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradveis.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do incio ou durante o tratamento.
Não deve ser utilizado durante a gravidez e a lactao. Mulheres que possam engravidar não devem receber REBETOL a menos que estejam usando método contraceptivo eficiente durante o perãodo de terapia, devendo também continuar com o método contraceptivo durante 6 meses (24 semanas) após o trmino da terapia.
Pacientes que desenvolverem fadiga, sonolência ou confuso durante o tratamento devem evitar dirigir ou operar máquinas.
NO TOME Remédio SEM O CONHECIMENTO DO SEU médico. PODE SER PERIGOSO PARA SUA Saúde.

Informaçães Técnicas

A ribavirina é um anlogo nucleosódico sintético que tem demonstrado atividade in vitro contra algumas viroses. Nem a ribavirina nem seus metabólitos nucleotdicos intracelulares em concentrações fisiológicas demonstraram inibir enzimas especficas do HCV ou a sua replicação . A monoterapia com REBETOL para a Hepatite C crônica tem demonstrado não possuir efeito sobre a eliminao do vrus (HCV-RNA) ou melhorar a histologia hepática após 6 ou 12 meses de terapia e 6 meses de acompanhamento. Entretanto, quando utilizado concomitantemente com a interferona alfa-2b (INTRONé a) no tratamento da Hepatite C crônica, REBETOL demonstrou elevar em aproximadamente 10 vezes a eficácia da interferona alfa - 2b (INTRONé a) utilizada isoladamente. Este aumento da eficácia incluiu reduo prolongada do HCV-RNA srico detectvel, melhora da inflamao hepática e normalizao do ALT.
Desta maneira, REBETOL cápsulas deve ser usado somente em combinao com a interferona alfa - 2b (INTRONé a).

Interação Medicamentosa :

(Veja bula da INTRON A - interferona alfa - 2b) para Interações Medicamentosas: adicionais especficas para a interferona
Nenhuma interação farmacocinética foi relatada entre REBETOL e a interferona alfa - 2b em um estudo farmacocinético de dose múltipla. Resultados de estudos in vitro em microssomos hepáticos de ratos e humanos após Administração de ribavirina não demonstraram alteração do metabolismo mediado pelo citocromo P450. Não há evidências a partir dos estudos de toxicidade que a ribavirina induza as enzimas hepáticas. Portanto, o potencial de interação de ribavirina com as enzimas P450 não relevante.
Efeito antiácido: Embora a administração concomitante de ribavirina 600 mg e um antiácido contendo magnésio, alumínio e simeticone diminua a biodisponibilidade da ribavirina em 14%, isto não pareceu ser clinicamente relevante.
Anlogos de nucleosdeo: A ribavirina in vitro demonstrou inibir a fosforilao da zidovudina e da estavudina. O significado clínico destes achados desconhecido. Contudo, estes resultados in vitro aumentam a possibilidade de que o uso concomitante de REBETOL com ziduvidina ou estavudina possa acarretar um aumento da viremia plasmática do HIV. Portanto, recomendado que os níveis de HIV-RNA sejam monitorados em pacientes em tratamento concomitante com um destes dois medicamentos. Caso haja um aumento dos níveis de HIV-RNA, o uso concomitante de REBETOL com inibitor da transcriptase reversa deve ser reconsiderada.

Pacientes Idosos

Devido ao fato da função renal em idosos poder estar diminuída, as condições renais (por exemplo, depuração de creatinina) devem ser determinadas antes do incio da terapia com REBETOL (veja CONTRA-indicações).
ESTE PRODUTO é um NOVO MEDICAMENTO E EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO eficácia E segurança QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER reações ADVERSAS IMPREvisíveIS, AINDA NO DESCRITAS OU CONHECIDAS. EM CASO DE SUSPEITA DE reação ADVERSA, O médico responsável DEVE SER NOTIFICADO.

Superdosagem :

Em estudos clínicos com a combinao REBETOL/interferona alfa-2b (INTRON A), a superdose máxima relatada foi uma dose total de 10 g de REBETOL (50 cápsulas de 200 mg) e 39 milháes de unidades (13 injeções subcutâneas de 3 milháes de UI cada) de interferona alfa-2b tomadas em um dia por um paciente numa tentativa de suicdio. O paciente foi observado por 2 dias, durante os quais nenhum efeito adverso da superdose foi observado.

Uso Durante a Gravidez e Lactao

(Veja bula da INTRON A - interferona alfa - 2b) para informaçães adicionais sobre gravidez e lactao especficas para a interferona:
A ribavirina foi embriotóxica e/ou teratogênica em estudos convencionais de embriotoxicidade/mutagenicidade em ratos e coelhos em doses bem abaixo das propostas para uso clínico. Mulheres que possam engravidar não devem receber REBETOL a menos que estejam usando método contraceptivo eficiente durante o perãodo de terapia (veja CONTRA-indicações). Além disso, deve ser usado contraceptivo eficiente durante 6 meses (24 semanas) após a terapia, com base na meia-vida de dose múltipla da ribavirina de 12 dias.
Não se sabe se a ribavirina excretada no leite humano. Devido ao potencial para efeitos adversos em lactentes, a amamentao deve ser descontinuada antes do incio do tratamento com REBETOL.

Fabricante :

Schering do Brasil

Av Alfredo Egídio de Souza Aranha, 384 An 4
São Paulo - SP

Medicamentos do mesmo fabriante :

Azelan, Betaferon, Cliane, Dopergin, Ecovis 200, Esmeron, Estrofem 2 mg, Femiane, Fludara, Gestadinona, Ginedisc, Gyno icaden, Icaden, Levovist, Lindisc 50, Lindisc duo, Loratadina, Mesigyna, Microvlar, Nebido, Neovlar, Procin, Proviron, Puregon, Quadriderm, Rebetol, Rotram, Sporostatin, Ultraproct, Vasomax

.


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Curso Master O Cara da Foto