Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Premarin - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Estrogenos Conjugados.

Indicação : Premarin (estrognios conjugados naturais) creme vaginal é indicado para o tratamento da atrofia vulvar e vaginal.

1. Antecedente pessoal, diagnóstico ou suspeita de cncer de mama
2. Neoplasia estrognio-dependente diagnosticada ou suspeita (cncer endometrial, hiperplasia endometrial)
3. Gravidez confirmada ou suspeita
4. Sangramento genital anormal de causa indeterminada
5. história atual ou anterior de tromboembolismo venoso confirmado (trombose venosa profunda, embolia pulmonar)
6. Doença tromboemblica arterial atual ou recente (acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio)
7. Disfunção ou doença hepática, desde que os resultados dos testes da função hepática não tenham retornado ao normal
8. Premarin (estrognios conjugados naturais) creme vaginal não deve ser utilizado em pacientes com hipersensibilidade qualquer dos seus componentes
-PRECAUções:
Exames físico s
Antes do incio ou da reinicializao da TRE/TRH, deve-se avaliar cuidadosamente os antecedentes pessoal e familiar, Além de realizar exames ginecológico e geral completos considerando-se as contra-Indicaçõese Advertências de uso. Deve-se excluir gravidez antes do incio do tratamento. Devem ser realizados checkups peridicos e avaliao cuidadosa da relao risco-benefício em mulheres tratadas com TRE/TRH.
Reteno de líquido
Como estrognios/progestognios podem causar certo grau de reteno de líquido, pacientes com condições que possam ser influenciadas por esse fator, como disfunção cardíaca ou renal, devem ser observadas cuidadosamente quando receberem estrognios.
Hipertrigliceridemia
Deve-se ter cuidado com pacientes com hipertrigliceridemia preexistente, uma vez que casos raros de aumentos excessivos de triglicerdeos plasmáticos evoluindo para pancreatite foram relatados com terapia estrogênica nessa populao. Mulheres com hipertrigliceridemia preexistente devem ser acompanhadas rigorosamente durante a terapia de reposio hormonal ou estrogênica.
Alteração da função hepática
Em pacientes com alteração da função hepática, pode haver reduo do metabolismo de estrognios/progestognios.
Antecedentes de icterícia Colestática
Deve-se ter cuidado com pacientes com antecedentes de icterícia colestática associada a uso anterior de estrognios ou a gravidez e, no caso de recorrência, o medicamento deve ser descontinuado.
Associao de um Progestognio em Mulheres Não-Histerectomizadas
Estudos do acrscimo de um progestognio por, no mínimo, 10 dias de um ciclo de Administração de estrognios ou diariamente com estrognio em esquema contínuo relataram diminuição da Incidência de hiperplasia endometrial em relao terapia com estrognio isolado. A hiperplasia endometrial pode ser um precursor do cncer endometrial.
Em um subgrupo do estudo WHI (ver Farmacodinâmica e eficácia clínica), não se observou aumento do risco de cncer endometrial após tratamento mdio de 5,2 anos com estrognio/progestognio combinados em comparação ao placebo.
No entanto, existem riscos que podem ser associados ao uso de progestognios nos esquemas de reposio estrogênica em comparação aos esquemas com estrognio isoladamente. Entre esses riscos estáo (a) aumento do risco de cncer de mama (ver Advertências); (b) efeitos adversos sobre o metabolismo das lipoproteínas (p. ex., diminuição de HDL, aumento de LDL) e (c) intolerância glicose.
Elevao da Presso Arterial
Em um pequeno nmero de casos relatados, aumentos considerveis da presso arterial durante a TRE foram atribudos a reações idiossincrticas aos estrognios. Em um estudo clínico amplo, randomizado, controlado por placebo não se observou efeito da TRE sobre a presso arterial. A presso arterial deve ser monitorizada em intervalos regulares nas pacientes em uso de estrognios.
Exacerbao de Outras Condições
A terapia de reposio hormonal/estrogênica pode causar exacerbao da asma, epilepsia, enxaqueca, diabetes mellitus com ou sem envolvimento vascular, porfiria, lpus eritematoso sistêmico, hemangiomas hepáticos e deve ser utilizada com cuidado em mulheres com essas condições.
A endometriose pode ser exacerbada com a utilização da TRE/TRH. A adio de um progestognio deve ser considerada em mulheres que se submeteram a histerectomia mas que apresentam endometriose residual, uma vez que foram relatados alguns casos de transformao maligna após terapia estrogênica isolada.
Hipocalcemia
Os estrognios devem ser utilizados com cuidado em indivíduos com hipocalcemia grave.
Hipotireoidismo
Pacientes em terapia de reposio de hormnio tireoideano podem necessitar de doses maiores para manter os níveis de hormônios tireoideanos livres em um nivel aceitvel (ver Interações com Exames Laboratoriais).
Monitorizao Laboratorial
a administração de estrognios deve normalmente ser orientada pela resposta clínica dose mais baixa, e não por monitorizao laboratorial, para alívio dos sintomas nas Indicaçõesnas quais os sintomas so observados.
Sangramento Uterino
Algumas pacientes podem desenvolver sangramento uterino anormal (ver Advertências, Cncer Endometrial).
Preservativo de ltex
Premarin (estrognios conjugados naturais) creme vaginal mostrou diminuir a resistância de preservativos de ltex. Deve-se considerar o potencial de Premarin (estrognios conjugados naturais) creme vaginal em diminuir a resistância e contribuir para a falha de preservativos masculino ou feminino e diafragma feitos de ltex ou borracha.
Gravidez
Os estrognios não devem ser utilizados durante a gravidez (ver Contra-indicações).
Lactao
Os estrognios não devem ser utilizados durante a lactao.
Uso pediátrico
Embora a terapia de reposio estrogênica venha sendo utilizada para a induo da puberdade em adolescentes com algumas formas de retardo da puberdade, a segurança e a eficácia em pacientes pediátricos ainda não foi estabelecida. O tratamento com estrognio de meninas pré-puberes também induz ao desenvolvimento prematuro das mamas e a cornificação vaginal, Além de poder induzir sangramento vaginal.
Como foi demonstrado que doses elevadas e repetidas de estrognios por perãodo de tempo prolongado aceleram o fechamento epifisário, a terapia hormonal não deve ser iniciada antes do fechamento epifisário completo para não haver comprometimento do crescimento global.

Modo de Usar :

A administração deve ser cclica (três semanas com medicação e uma semana sem) e somente para uso a curto prazo.
Dose usual recomendada ou a critério médico: 1/2 a 2 gramas diariamente por via intravaginal dependendo da intensidade da afeco.
As pacientes devem ser reavaliadas periodicamente para determinar a necessidade de continuao do tratamento.
Instruções para uso do aplicador:
1. Retire a tampa da bisnaga e rosqueie o aplicador.
2. Aperte suavemente a base da bisnaga com os dedos, de maneira a forar a entrada do creme no aplicador, até a marca da dose prescrita.
3. Retire o aplicador e feche a bisnaga.
4. Introduza cuidadosamente o aplicador na vagina, o mais profundamente possível, e empurre o mbolo até esvaziar o aplicador.
Para limpar:
1. Puxe o mbolo, forando suavemente, até retirá-lo do aplicador.
2. Lave as peas com sabão neutro e água morna (não usar água quente, nem ferv-lo).
3. Monte-o novamente depois de enxugar as peas.

Modo de usar :

A administração deve ser cclica (três semanas com medicação e uma semana sem) e somente para uso a curto prazo.
Dose usual recomendada ou a critério médico: 1/2 a 2 gramas diariamente por via intravaginal dependendo da intensidade da afeco.
As pacientes devem ser reavaliadas periodicamente para determinar a necessidade de continuao do tratamento.
Instruções para uso do aplicador:
1. Retire a tampa da bisnaga e rosqueie o aplicador.
2. Aperte suavemente a base da bisnaga com os dedos, de maneira a forar a entrada do creme no aplicador, até a marca da dose prescrita.
3. Retire o aplicador e feche a bisnaga.
4. Introduza cuidadosamente o aplicador na vagina, o mais profundamente possível, e empurre o mbolo até esvaziar o aplicador.
Para limpar:
1. Puxe o mbolo, forando suavemente, até retirá-lo do aplicador.
2. Lave as peas com sabão neutro e água morna (não usar água quente, nem ferv-lo).
3. Monte-o novamente depois de enxugar as peas.

Advertências

A Terapia de Reposio Estrogênica (TRE) e a Terapia de Reposio Hormonal (TRH) vm sendo associadas ao aumento do risco de alguns tipos de cncer e doenças cardiovasculares. O uso de estrognios isolados em mulheres com étero intacto está associado a aumento do risco de cncer endometrial. A TRE ou TRH não deve ser iniciada nem mantida para preveno de doença cardiovascular. Os riscos e os benefícios da TRE e TRH devem sempre ser cuidadosamente ponderados, inclusive levando-se em consideração o aparecimento de riscos com a continuidade do tratamento. Estrognios com ou sem progestognios devem ser prescritos nas doses eficazes mais baixas e pela duração mais curta compatéveis com os objetivos do tratamento e os riscos para cada paciente. Na ausência de dados equivalentes, os riscos da TRH devem ser assumidos como semelhantes para todos os estrognios e combinações de estrognio/progestognio.
Pode ocorrer absoro sistêmica com o uso de Premarin (estrognios conjugados naturais) Creme Vaginal. Advertências, precauções e reações adversas associadas ao tratamento com Premarin (estrognios conjugados naturais) oral devem ser levadas em consideração.
Risco Cardiovascular
A TRE e a TRH vm sendo associadas a aumento do risco de eventos cardiovasculares, como infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral, bem como de trombose venosa e embolia pulmonar (tromboembolismo venoso ou TEV).
As pacientes com fatores de risco para distúrbios tromboemblicos devem ser atentamente observadas.
Doena Coronariana e Acidente Vascular Cerebral
Em um subgrupo do estudo WHI (Women's Health Initiative; ver Farmacodinâmica e eficácia clínica), observou-se aumento do risco de eventos de doença cardíaca coronariana (DCC) (definidos como infarto do miocárdio não-fatal e bito por DCC) em mulheres tratadas com estrognio/progestognio combinados em comparação s que receberam placebo (37 versus 30 por 10.000 mulheres-ano). O aumento do risco foi observado após o primeiro ano e se manteve.
No mesmo subgrupo do estudo WHI, observou-se aumento do risco de acidente vascular cerebral em mulheres tratadas com estrognio/progestognio combinados em comparação s que receberam placebo (29 versus 21 por 10.000 mulheres-ano). O aumento do risco foi observado após o primeiro ano e se manteve.
No subgrupo do estudo WHI com estrognio isoladamente, verificou-se aumento do nmero de infartos do miocárdio e acidente vascular cerebral nas mulheres tratadas com estrognio em comparação s que receberam placebo. Essas observações so preliminares e o estudo ainda está em andamento.
Nas mulheres na Pós-menopausa com doença cardíaca estabelecida (n = 2.763, idade média de 66,7 anos) de um estudo clínico controlado de preveno secundária de doença cardiovascular (Estudo HERS - Heart and Estrogen/Progestin Replacement Study), o tratamento oral com estrognios conjugados eqinos combinado a acetato de medroxiprogesterona não demonstrou benefícios cardiovasculares. Durante um seguimento mdio de 4,1 anos, o tratamento oral com estrognios conjugados eqinos combinado a acetato de medroxiprogesterona não diminuiu a taxa global de eventos de DCC em mulheres na Pós-menopausa com doença coronariana estabelecida. Houve mais eventos de DCC no grupo tratado com hormnio do que no grupo placebo no primeiro ano, mas não nos anos seguintes. Depois do Estudo HERS original, 2.321 mulheres concordaram em participar de uma extenso desse estudo de forma aberta, denominada HERS II. O seguimento mdio no HERS II foi de 2,7 anos, resultando em um acompanhamento total de 6,8 anos. As taxas de eventos de doença cardíaca coronariana (DCC) foram equivalentes nas mulheres do grupo tratado com hormnio e nas do grupo placebo nos Estudos HERS e HERS II e nos dois combinados.
Tromboembolismo Venoso
Em um subgrupo do estudo WHI (ver Farmacodinâmica e eficácia clínica), observou-se uma taxa 2 vezes maior de tromboembolismo venoso, incluindo trombose venosa profunda e embolia pulmonar, em mulheres tratadas com estrognio/progestognio combinados em comparação s que receberam placebo. A taxa de tromboembolismo venoso foi de 34 por 10.000 mulheres-ano no grupo estrognio/progestognio combinados em comparação a 16 por 10.000 mulheres-ano no grupo placebo. O aumento do risco de tromboembolismo venoso foi observado no primeiro ano e se manteve.
No subgrupo do estudo WHI com estrognio isoladamente, verificou-se aumento de tromboembolismo venoso nas mulheres tratadas com estrognio em comparação s que receberam placebo. Essas observações so preliminares e o estudo ainda está em andamento.
Se possível, os estrognios devem ser descontinuados, no mínimo, quatro a seis semanas antes de cirurgia associada a aumento do risco de tromboembolismo ou durante perãodos de imobilizao prolongada.
Fatores de risco conhecidos para tromboembolismo venoso incluem, mas não se limitam a, história pessoal ou familiar de tromboembolismo venoso, obesidade e lpus eritematoso sistêmico.
Neoplasias Malignas
Cncer Endometrial
O uso de estrognios isolados em mulheres não-histerectomizadas vem sendo associado a aumento do risco de cncer endometrial.
O risco relatado de cncer endometrial entre as usurias de estrognio isolado cerca de 2 a 12 vezes maior do que nas não-usurias e, aparentemente, depende da duração do tratamento e da dose de estrognio. A maioria dos estudos não demonstra aumento significativo do risco associado ao uso de estrognios por menos de um ano. O maior risco parece estar associado ao uso prolongado, com risco 15 a 24 vezes maior para terapias de 5 a 10 anos ou mais, persistindo por, no mínimo, 8 a 15 anos após a descontinuao da TRE.
Não há evidências de que o uso de estrognios naturais resulte em perfil de risco endometrial diferente do observado com estrognios sintéticos em doses equivalentes de estrognio. Demonstrou-se que o acrscimo de um progestognio TRE reduz o risco de hiperplasia endometrial, que pode ser um precursor do cncer endometrial. (ver Precauções)
Em um subgrupo do estudo WHI, (ver Farmacodinâmica e eficácia clínica) não se observou aumento do risco de cncer endometrial após tratamento mdio de 5,2 anos com estrognio/progestognio combinados em comparação ao placebo.
importante que todas as mulheres que recebem estrognio/progestognio combinados sejam acompanhadas clinicamente. Medidas diagnsticas adequadas, entre as quais coleta de amostra do endométrio quando indicada, devem ser adotadas para excluir a presena de doença maligna em todos os casos de sangramento vaginal anormal persistente ou recorrente não-diagnosticado.
Cncer de Mama
O uso prolongado de TRE e TRH vem sendo associado a aumento do risco de cncer de mama.
No subgrupo de TRH do estudo WHI (ver Farmacodinâmica e eficácia clínica), observou-se aumento do risco relativo de 26% de cncer de mama invasivo (38 versus 30 por 10.000 mulheres-ano) após uma média de 5,2 anos de tratamento em mulheres tratadas com estrognio/progestognio combinados em comparação s que receberam placebo. O maior risco de cncer de mama ficou evidente após 4 anos de tratamento com o medicamento em estudo. As mulheres que relataram uso anterior de hormnio na Pós-menopausa apresentaram um risco relativo mais alto de cncer de mama associado TRH do que as que nunca usaram hormnio na Pós-menopausa.
No subgrupo de TRE do estudo WHI, não se observou aumento do risco de cncer de mama em mulheres tratadas com estrognio em comparação ao placebo após tratamento mdio de 5,2 anos. Esses dados so preliminares e esse subgrupo do estudo WHI ainda está em andamento.
Uma reavaliao dos dados originais de 51 estudos epidemiológicos [não necessariamente incluindo o Premarin (estrognios conjugados naturais)] demonstrou um aumento pequeno ou moderado da probabilidade de diagnosticar cncer de mama em mulheres em uso atual ou recente de TRE/TRH. Os autores estimam que, entre as 1000 mulheres que iniciaram a terapia hormonal aos 50 anos e continuaram por 5, 10 ou 15 anos, o nmero adicional de casos de cncer de mama que ocorreria aos 70 anos seria de 2, 6 e 12 casos, respectivamente. Isso, com adio a uma Incidência cumulativa estimada, no mesmo perãodo, de 45 casos por 1000 mulheres que nunca usaram TRE/TRH. A probabilidade de diagnosticar cncer de mama aumentou com a duração do tratamento e aproximou-se do normal após cinco anos de suspenso da TRE/TRH. De acordo com essa re-análise, os cnceres de mama diagnosticados em usurias correntes ou recentes de TRE/TRH so menos prováveis de apresentarem metstases do que em não-usurias.
Outros estudos epidemiológicos sugerem que a adio de um progestognio aumenta o risco de cncer de mama em comparação ao uso de estrognio isoladamente.
Todas as mulheres devem ser avaliadas anualmente por um profissional de Saúde e devem fazer o auto-exame mensalmente. Além disso, a realizao do exame de mamografia deve variar de acordo com a idade e fatores de risco da paciente.
Cncer de Ovrio
A Associação entre TRE e cncer de ovrio foi avaliada em Vários estudos de caso-controle e coorte. Dois estudos coorte de grande porte indicaram um aumento do risco de cncer de ovrio associado terapia de reposio a longo prazo apenas com estrognio, particularmente com uso maior ou igual a 10 anos. Em um desses estudos, relatou-se Incidência na fase basal de 4,4 casos por 10.000 mulheres-ano entre as mulheres na Pós-menopausa não-tratadas em comparação a 6,5 casos por 10.000 mulheres-ano nas usurias de TRE. Outros estudos epidemiológicos de TRE e cncer de ovrio não demonstraram uma Associação significante. Os dados não so suficientes para determinar a existância de aumento do risco com TRH.
Efeitos Durante a Gravidez
Os estrognios não devem ser utilizados durante a gravidez (ver Contra-Indicaçõese Precauções).
Doena da Vescula Biliar
Relatou-se aumento de 2 a 4 vezes do risco de doença da vescula biliar com necessidade de cirurgia em mulheres tratadas com TRE/TRH.
Anormalidades Visuais
Trombose vascular retiniana foi relatada em pacientes recebendo estrognios. Se houver perda repentina da viso, parcial ou total, ou incio repentino de proptose, diplopia ou enxaqueca, descontinuar o medicamento até que se realize uma avaliao. Se o exame revelar papiledema ou lesões vasculares retinianas, a medicação deve ser descontinuada.

Informaçães Técnicas

Descrio
Premarin (estrognios conjugados naturais) creme vaginal é uma mistura de estrognios obtidos de fontes exclusivamente naturais (urina de águas prenhes). Contêm sais sódicos dos steres sulfatados hidrossolveis de estrona, equilina e 17-alfa-diidroequilina, bem como quantidades menores de 17-alfa-estradiol, equilenina, 17-alfa-diidroequilenina, 17-beta-estradiol, delta-8,9-diidroestrona, 17-beta-diidroequilina e 17-beta-diidroequilenina.
Farmacologia clínica
Os estrognios so importantes no desenvolvimento e manuteno do sistema reprodutor feminino e dos caracteres sexuais secundários. Promovem o crescimento e desenvolvimento da vagina, étero, trompas de Falpio e aumento das mamas. Indiretamente, contribuem na conformação da estrutura óssea, manuteno do tnus e da elasticidade das estruturas urogenitais, alterações nas ePófises dos ossos longos, que condicionam o pico de crescimento da puberdade até seu trmino, o crescimento de Pólos axilares e pubianos, e a pigmentao dos mamilos e genitais. A diminuição da atividade estrogênica no fim do ciclo menstrual pode ocasionar a menstruao, embora a interruPóo da secreo de progesterona seja o fator mais importante no ciclo com ovulao. Entretanto, no ciclo pré-ovulatério ou anovulatério, o estrognio é o determinante primrio no incio da menstruao. Os estrognios também afetam a liberação de gonadotropinas hipofisrias.
Os efeitos farmacológicos dos estrognios conjugados naturais so similares queles dos estrognios endgenos. Eles so hidrossolveis e bem absorvidos pelo trato gastrintestinal. Nos tecidos-alvo (rgos genitais femininos, mamas, hipotlamo, hiPófise), os estrognios penetram na célula e so transportados para dentro do Núcleo. Como resultado da ao estrogênica, ocorre a síntese de RNA e proteínas especficas.
O metabolismo e a inativao ocorrem principalmente no fgado. Alguns estrognios so excretados através da bile, entretanto, so reabsorvidos no intestino, retornando ao fgado através do sistema venoso porta. Estrognios conjugados hidrossolveis encontram-se em sua maioria ionizados nos líquidos corporais, o que favorece a eliminao através dos rins, uma vez que a reabsoro tubular mínima.
Premarin (estrognios conjugados naturais) creme vaginal tem demonstrado ser efetivo na reverso de alterações atróficas associadas à deficincia estrogênica.
Farmacodinâmica e eficácia clínica
Dois subgrupos do estudo WHI (Women's Health Initiative) incluram um total de 27.000 mulheres saudveis na Pós-menopausa para avaliar os riscos e os benefícios da TRE ou da TRH prolongada (estrognios conjugados eqinos isoladamente [0,625 mg por dia] ou estrognios conjugados eqinos combinados a acetato de medroxiprogesterona [0,625 mg/2,5 mg por dia]) em comparação ao placebo na preveno de certas doenças crônicas. O objetivo primrio foi a Incidência de doença cardíaca coronariana (DCC) (infarto do miocárdio não-fatal e bito por DCC), sendo o cncer de mama invasivo o evento adverso primrio estudado. Um "ndice global" incluiu a Ocorrência de um dos 2 eventos primrios associados a acidente vascular cerebral (AVC), embolia pulmonar (EP), cncer endometrial, cncer colorretal, fratura de quadril e bito por outras causas. O estudo não avaliou os efeitos da TRH sobre os sintomas da menopausa.
O subgrupo do estudo com TRH foi interrompido precocemente porque, de acordo com regras pré-definidas, o aumento do risco de cncer de mama e eventos cardiovasculares excederam os benefícios a longo prazo especificados no "ndice global". A tabela a seguir mostra os resultados deste subgrupo do estudo de estrognio combinado a progestognio, o qual incluiu 16.608 mulheres (média idade de 63 anos, variando de 50 a 79 anos) com um seguimento mdio de 5,2 anos:
RISCO RELATIVO E NMERO DE EVENTOS NO SUBGRUPO DO ESTUDO WHI DE ESTROGNIO + PROGESTOGNIOa
Evento Risco RelativoTRH vs placeboem 5,2 Anos(IC* de 95%) Placebon = 8.102 TRHn = 8.506
N de eventos por 10.000 mulheres-anos
Eventos de DCC Infarto do miocárdio não-fatal bito por DCC 1,29 (1,02-1,63)1,32 (1,02-1,72)1,18 (0,70-1,97) 30236 37307
Cncer de mama invasivob 1,26 (1,00-1,59) 30 38
Acidente vascular cerebral 1,41 (1,07-1,85) 21 29
Embolia pulmonar 2,13 (1,39-3,25) 8 16
Cncer colorretal 0,63 (0,43-0,92) 16 10
Cncer endometrial 0,83 (0,47-1,47) 6 5
Fratura de quadril 0,66 (0,45-0,98) 15 10
bito por causas diferentes dos eventos acima citados 0,92 (0,74-1,14) 40 37
ndice Global 1,15 (1,03-1,28) 151 170
Trombose venosa profundac 2,07 (1,49-2,87) 13 26
Fraturas vertebraisc 0,66 (0,44-0,98) 15 9
Outras fraturas osteoporticasc 0,77 (0,69-0,86) 170 131
a adaptado da Revista JAMA, 2002; 288:321-333
b inclui cncer de mama metastático e não-metastático, com exceo do cncer de mama in situ
c não includo no ndice Global
* intervalos de confiana não-ajustados para múltiplos aspectos e comparações múltiplas. Exceto para trombose venosa profunda e outras fraturas osteoporticas, com base em intervalos de confiana ajustados, os riscos relativos não foram estatisticamente significantes.
O aumento do nmero de eventos por 10.000 mulheres-ano atribuveis ao estrognio combinado ao progestognio foi de 7 eventos a mais de DCC, 8 de AVCs, 8 de EPs e 8 casos de cncer de mama invasivo, ao passo que a reduo do nmero de eventos por 10.000 mulheres-ano foi de menos 6 casos de cncer colorretal e menos 5 fraturas de quadril. O aumento do nmero de evento includo no "ndice global" foi de 19 por 10.000 mulheres-ano. Não houve diferena entre os grupos em termos de mortalidade por todas as causas.
O subgrupo do estudo WHI com estrognio isoladamente em mulheres histerectomizadas ainda está em andamento.

Informações ao paciênte

Premarin (estrognios conjugados naturais) creme vaginal é indicado para o tratamento de atrofia vulvar e vaginal.
Conservar o medicamento em temperatura ambiente (temperatura entre 15C e 30ºC).
O prazo de validade é de 18 meses contados a partir da data de fabricação indicada na embalagem externa. Não use medicamento com prazo de validade vencido.
Premarin (estrognios conjugados naturais) não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez, ou ainda por mulheres que estejam amamentando.
Informe seu médico a Ocorrência de gravidez na vigncia do tratamento ou após seu trmino. Informar ao médico se estiver amamentando.
Siga a orientao de seu médico, respeitando os horrios, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de quaisquer reações desagradveis que venham porventura a ocorrer durante o uso de Premarin (estrognios conjugados naturais) creme vaginal.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do incio, ou durante o tratamento.
Premarin (estrognios conjugados naturais) creme vaginal não deve ser utilizado por mulheres que apresentam suspeita ou confirmao diagnstica de tumores ginecológicos (étero e mama); gravidez; sangramento ginecológico anormal; história atual ou anterior de trombose de veias ou artrias (trombose venosa profunda, embolia pulmonar); história de alergia a qualquer dos componentes do medicamento.
Antes do incio ou da reinicializao da Terapia de Reposio com Estrognios isoladamente (TRE) ou Terapia de Reposio Hormonal (Estrognio e Progestognio - TRH), deve-se procurar um médico para uma avaliao clínica completa. Periodicamente, pacientes tratadas com TRE/TRH devem ser cuidadosamente avaliadas quanto aos riscos e benefícios.
NO TOME Remédio SEM O CONHECIMENTO DE SEU médico. PODE SER PERIGOSO PARA A Saúde.

Interações Com Exames Laboratoriais

Os estrognios aumentam a globulina de ligao tireide (TBG), resultando em aumento do hormnio tireoideano total circulante, determinado por iodo ligado a proteína (PBI), níveis de T4 por coluna ou radioimunoensaio ou níveis de T3 por radioimunoensaio. A captao de T3 por resina diminui, refletindo os níveis elevados de TBG. Não há alteração nas concentrações de T4 e T3 livres.
O nível srico de outras proteínas de ligao também pode ser aumentado, ou seja, globulina de ligao a corticosteróides (CBG), globulina de ligao aos hormônios sexuais (SHBG), resultando no aumento dos corticosteróides e esteroides sexuais circulantes, respectivamente. As concentrações de hormônios biologicamente ativos ou livres não so alteradas. Pode haver aumento de outras proteínas plasmáticas (substrato angiotensinognio/renina, alfa-1-antitripsina, ceruloplasmina).
Pode haver diminuição da resposta metirapona.
-reações ADVERSAS:
As seguintes reações adversas foram relatadas com estrognios conjugados eqinos creme vaginal ou so efeitos indesejáveis associados a estrognios. Não É possível calcular a frequência desses eventos com base nos dados de vendas para exposio do paciente porque a dose de estrognios conjugados eqinos creme vaginal varia de paciente para paciente e o produto é comercializado em todo o mundo em unidades de diversos tamanhos.
Sistema Corporal reação adversa
distúrbios do sistema reprodutor e das mamas
Sangramento de escape/spotting; Dor mamria, aumento da sensibilidade, aumento do volume mamrio e descarga papilarreações no local da administração de desconforto vulvovaginal, incluindo queimao, irritao e prurido genital; secreo vaginalAumento do tamanho de leiomioma uterinoHiperplasia endometrial
distúrbios gastrintestinais
Nuseas; vômitos; distenso; dor abdominalPancreatite
distúrbios do sistema nervoso
Tontura; cefaleia, enxaqueca; nervosismoAcidente vascular cerebral(AVC)
distúrbios mêsculo-esquelticos, sseos e do tecido conjuntivo
Artralgias; cãibras nas pernas
distúrbios psiquitricos
Alterações na libido; distúrbios de humor; irritabilidade; depresso
distúrbios vasculares
Embolia pulmonar; trombose venosa
distúrbios gerais e condições do local da administração
Edema
distúrbios cutâneos e subcutâneos
AlopeciaCloasma/melasma; hirsutismo; prurido; eruPóo cutâneaEritema multiforme; eritema nodoso
distúrbio hepato-biliar
Doena da vescula biliar icterícia colestática
Infecções e Infestações
Vaginite, incluindo candidase vaginalCistite
Neoplasias benignas e malignas (incluindo cistos e Pólipos)
Cncer de mama; cncer de ovrio; alterações fibrocsticas da mamaCncer endometrial; aumento de hemangiomas hepáticos
distúrbios do sistema imunológico
reações anafilticas/anafilactides, incluindo urticária e angioedema; hipersensibilidade
distúrbios de metabolismo e nutricional
intolerância glicose
distúrbios oculares
intolerância a lentes de contato
Outros
Alterações no peso (aumento ou diminuição)Aumento dos triglicerdeosAumento da presso arterial
endócrino
Puberdade precoce

Interação Medicamentosa :

Os dados de um estudo de Interações Medicamentosas: com estrognios conjugados eqinos e acetato de medroxiprogesterona indicam que a disposio farmacocinética de ambos os fármacos não é alterada quando so administrados concomitantemente. Não foram conduzidos outros estudos clínicos de Interações Medicamentosas: com estrognios conjugados eqinos.
Estudos in vitro e in vivo demonstraram que o 17 beta-estradiol, um dos componentes dos estrognios conjugados eqinos, metabolizado parcialmente pelo citocromo P450 3A4 (CYP3A4). Portanto, fortes indutores da CYP3A4, como fenobarbital, fenitona, carbamazepina, rifampicina e dexametasona, podem diminuir as concentrações plasmáticas do 17 beta-estradiol. Essa reduo pode causar diminuição do efeito e/ou das alterações do perfil de sangramento uterino. Inibidores da CYP3A4, como a cimetidina, a eritromicina e o cetoconazol, podem aumentar as concentrações plasmáticas do 17 beta-estradiol e podem resultar em efeitos colaterais.
Foram relatadas ondas de calor e sangramento vaginal em pacientes em TRE/TRH tratadas concomitantemente com erva de So João. A erva de So João pode induzir as enzimas microssomais hepáticas que teoricamente podem diminuir a eficácia da TRE/TRH.

Pacientes Idosas

Do nmero total de pacientes do brao do estudo whi que utilizou estrognios conjugados naturais em Associação com o acetato de medroxiprogesterona, 44% (n = 7.320) tinham 65 anos ou mais e 6,6% (n = 1.095), 75 anos ou mais (ver farmacodinâmica e eficácia clínica). não foram observadas diferenas significativas nos riscos relativos entre as pacientes de 65 anos ou mais em comparação s pacientes mais novas. o risco relativo de avc e cncer de mama invasivo foi maior em mulheres de 75 anos ou mais em comparação a pacientes mais novas.

Superdosagem :

Não foram relatados eventos adversos sários após a ingestão aguda de doses elevadas de produtos contendo estrognios/progestognios por crianças pequenas. A superdosagem pode causar náuseas e vômitos e sangramento por supresso pode ocorrer em mulheres. Não há antídoto específico e se houver necessidade de tratamento adicional, deve ser sintomático.

Fabricante :

Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda.

Endereço: Rua Alexandre Dumas, 1860 - Santo Amaro, São Paulo - SP, 04717-904

Telefone:(11) 5185-8500

SAC: 08000 175934

Medicamentos do mesmo fabricante :

Advil, Anfertil, Antepsin, Benefix, Besedan, Caltrate, Cincordil, Clusivol, Cycrin, Dimetapp elixir, Dimetapp elixir, Dimetapp, Droxaine, Efexor xr, Efexor xr, Epocler, Eranz, Evanor, Fibrosine, Fleet enema, Fontol, Halothane, Harmonete, Hrf, Infrarub, Isordil, Lorax, Lorazepam, Magnesia bisurada, Materna, Materna, Minesse, Minesse, Minulet, Minulet, Mucolitic, Neumega, Nordette, Nortrel, Novantrone, Nursoy, Pondicilina, Premarin, Premelle, Preparado h, Rapamune, Rebaten la, Rinozin, Simecoplus, Sorcal, Wycillin r


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.