Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Pentasa- Granulado - Bula

Esta bula é meramente informatica destinada ao público em geral.

Princípio ativo : Messalazina

Apresentação : Granulado de libertação modificada 1g

O QUE PENTASA, granulado de libertação modificada E PARA QUe é utilizado

O PENTASA, granulado de libertação modificada apresenta-se na forma de granulado contendo 1g de Messalazina.

O PENTASA, granulado de libertação modificada encontra-se disponível em embalagens de saches de papel de alumínio (em ambos os lados) contendo 20 e 60 saches.

Indicação : O PENTASA, granulado de libertação modificada é utilizado no tratamento da colite ulcerosa ligeira a moderada e da Doença de Crohn, ambas na fase aguda, e para prevenção de recidivas.

ANTES DE UTILIZAR PENTASA, granulado de libertação modificada
Não utilize PENTASA, granulado de libertação modificada:

- se tiver alergia (hipersensibilidade) Messalazina ou a outro constituinte do medicamento;

- se tiver hipersensibilidade aos salicilatos

- Se sofrer de insuficincia renal e/ou hepática grave

Tome especial cuidado com PENTASA, granulado de libertação modificada:

Nos casos de doentes com história de alergia aos salicilatos (nomeadamente Sulfasalazina).

Nos casos de doentes com insuficincia hepática; A função renal deve ser vigiada regularmente em especial na fase inicial de tratamento; o uso corrente de outros medicamentos nefrotxicos conhecidos, tais como Anti-inflamatórios não esteroides e azatioprina, pode aumentar o risco de reações renais.

O tratamento concomitante com a messalazina pode aumentar o risco de discrasia sanguínea em doentes a receberem azatioprina ou 6-mercaptopurina. O tratamento deve ser suspenso se houver suspeita ou certeza da Ocorrência destas reações adversas.

Utilizar PENTASA, granulado de libertação modificada com alimentos e bebidas:

Os granulados de PENTASA, granulado de libertação modificada podem ser administradas com os alimentos.

Gravidez e aleitamento

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

O uso de PENTASA, Granulado de Libertação Modificada durante a gravidez deve ser com precaução e apenas se, na opinio do médico, os benefícios potenciais se sobrepuserem aos possveis riscos.

Sabe-se que a Messalazina atravessa a placenta, mas os limitados dados disponíveis sobre a utilização deste composto em grávidas não permitem avaliar os possveis efeitos nocivos. Não se observaram efeitos teratogúnicos nos estudos com animais. Foram reportadas desordens sanguíneas (leucoPónia, trombocitoPónia e anemia) em recêm-nascidos de mães a serem tratadas com PENTASA.

A Messalazina excretada no leite materno. A concentração de messalazina no leite materno muito inferior do sangue materno, ao passo que o seu metabolito, acetil-Messalazina, detectado em concentrações semelhantes. Existe experiência limitada na utilização de messalazina oral em mulheres a amamentar. Não foram efectuados estudos com PENTASA durante o aleitamento. Não podem ser excluídas reações de hipersensibiliadde nas crianças, tais como diarreia.

Condução de veículos e utilização de máquinas:

O tratamento com PENTASA, granulado de libertação modificada não altera a sua capacidade para conduzir veículos e utilizar máquinas.

Tomar PENTASA, granulado de libertação modificada com outros medicamentos:

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos sem receita médica.

Não existem dados sobre interações entre PENTASA e outros fármacos.

Modo de Usar :

PENTASA, granulado de libertação modificada

Tomar PENTASA, granulado de libertação modificada sempre de acordo com as instruções do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

A dosagem deve ser adaptada à gravidade do problema.

Adultos e crianças:

Colite Ulcerosa

Fase aguda: 2-4 g / dia em 3 a 4 doses

Tratamento de manutenção: 1.5 g / dia em 3 doses

Doena de Crohn

Fase aguda: 4 g / dia em 4 doses

A dose pode ser gradualmente diminuída a 2 g / dia, de acordo com o progresso da doença.

No caso de haver problemas de estômago, as saches podem ser tomadas durante ou logo após a refeição. PENTASA granulado de libertação modificada pode ser administrado com água ou iogurte. Os microgrnulos não devem ser mastigados.

Se tomar mais PENTASA, granulado de libertação modificada do que deveria

Considerando a fraca absorção sistêmica da messalazina a Ocorrência da sobredosagem bastante rara.

Sintomas: Em caso de intoxicação aguda com derivados do ácido salicélico, observa-se inicialmente hiperventilação, transpiração intensa e irritabilidade, surgindo mais tarde paralisia respiratéria progressiva, perda da conscincia, tremuras e exsicose.

Tratamento: O tratamento dos sintomas Deverá ser efectuado no hospital através de uma infuso de solução de bicarbonato de sódio ou de lactato de sódio, com o objectivo de aumentar a reserva alcalina e promover a excreção renal dos salicilatos. Pode-se efetuar a diurese forçada. vigilância

Consulte imediatamente o seu médico ou farmacêutico, recorra ao hospital mais próximo ou consulte o Centro de Informação Anti-Venenos (CIAV). Telefone: 808 250 143

Caso se tenha esquecido de utilizar PENTASA, granulado de libertação modificada

Caso se tenha esquecido de uma dose, Deverá tomar a sache o mais rapidamente possível, continuando o tratamento da forma prescrita. No entanto, quando já estiver próxima a toma seguinte, preferível não tomar a sache que foi esquecido e tomar o seguinte hora prevista.

Não tome uma dose dobrada para compensar a dose que se esqueceu de tomar.

Efeitos secundários PENTASA

Como os demais medicamentos, PENTASA, granulado de libertação modificada pode ter efeitos secundários.

A maior parte dos efeitos secundários so mínimos e temporrios, pois o PENTASA, granulado de libertação modificada geralmente bem tolerado. A maioria dos efeitos indesejáveis reportados foi descrita principalmente com a administração de doses orais elevadas.

Os efeitos indesejáveis observados mais frequentemente em ensaios clínicos foram: diarreia, náuseas, dor abdominal, dores de cabeça, vômitos e erupções cutâneas. Podem ocorrer ocasionalmente reações de hipersensibilidade e febre.

Gastrointestinais:

Diarreia, dor abdominal, náuseas e vômitos

Raramente aumento da concentração em circulação da amilase, pancreatite (inflamação aguda ou crônica do Póncreas)

Dermatológicos:

Rash, comicháo, urticária e acne. Muito raramente alopécia reversível

Perturbações do colagnio:

Muito raramente casos isolados de síndromes do tipo lpus eritematoso

cardíacos:

Raramente inflamação do miocárdio (mêsculo cardíaco) e do pericárdio (teca cardíaca) (podendo ser de origem alérgica).

hepáticos:

Muito raramente aumento das enzimas hepáticas e da bilirrubina, toxicidade do fgado (incluindo hepatite, cirrose, insuficincia hepática) (podendo ser de origem alérgica).

Urogenitais:

Muito raramente função renal anormal, (incluindo nefrite intersticial, sndroma nefrítico) e descoloração da urina.

Respiratérios

Muito raramente reações pulmonares alérgicas (incluindo falta de ar, tosse, alveolites alérgicas, pneumonia eosinofólica, infiltração pulmonar, pneumonite).

mêsculo-esquelticos:

Muito raramente dor nos mêsculos e dor nas articulações Hematológicos:

Muito raramente eosinofilia (como uma reação alérgica) anemia, anemia aplástica, diminuição anormal do nmero de leuccitos (glbulos brancos) no sangue (incluindo granulocitoPónia), diminuição do nmero de plaquetas no sangue, agranulocitose e pancitoPónia

importante referir que vrias destas perturbações podem também ser atribudas própria doença inflamatória intestinal.

Caso detecte efeitos secundários não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

CONSERVAção DE PENTASA, granulado de libertação modificada

Armazenar a uma temperatura entre 15 e 25 C, na embalagem de origem e protegido da luz.

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Prazo de validade

Não utilize PENTASA, granulado de libertação modificada após expirar prazo de validade indicado na embalagem.

Fabricante :

FERRING PORTUGUESA PRODUTOS farmacêuTICOS, Sociedade Unipessoal, LDA.

Rua Prof. Henrique de Barros Edifício Sagres Piso 8, Sala A

2685-338 PRIOR VELHO


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.