Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Pacemol - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : paracetamol

Apresentação : Caixas com 20 e 100 comprimidos de 500 mg. Caixas com 132 e 100 comprimidos de 750 mg. Gotas: frasco plástico gotejador com 15 ml.

Indicação : Analgésico e antitrmico, no alívio da dor leve a moderada e para reduzir a febre. Alternativa do Ácido acetilsalicílico no tratamento da cefaleia, dismenorria (célica menstrual), dor muscular leve a moderada, artralgia, febre, dor Pós-operatéria, dor Pós-parto, dor crônica causada pelo cncer, desconforto da febre em resfriados e gripes, no alívio temporrio de dores menores em artrites e reumatismos. Pacemol particularmente bem indicado como Analgésico e antitrmico na presena de alergia é aspirina, podendo ser usado em pacientes com problemas hemostáticos (incluindo terapia anticoagulante), e diáteses hemorrágicas (hemofilia) e nas doenças do trato gastrintestinal superior (úlcera, gastrites e hiato de hárnia).

Efeito Colateral :

Pode ocorrer: dor de garganta e febre inexplicadas, cansaço excessivo não habitual (anemia), embora raramente, pode causar erupções cutâneas do tipo urticária benigna. Hemorragias ou hematomas não habituais (discrasias sanguíneas); aparecimento de cor amarela nos olhos ou pele (hepatite). Doses elevadas (acima de 10 g em dose única) podem causar leso hepática em alguns pacientes, podendo levar à necrose completa e irreversível; os sintomas clínicos manifestam-se geralmente em 24 horas. influência com exames laboratoriais: o paracemol pode interferir com os sistemas de medida da glicemia em fitas reagentes diminuindo em até 20% os valores mdios de glicose. Os resultados dos testes da função pancretica utilizando a bentiromida ficam invalidados, a menos que o uso do paracetamol seja descontinuado três dias antes da realização do exame. Na determinação do ácido rico srico, o paracetamol pode produzir valores falsamente aumentados, quando for utilizado o método de tungstato. O paracetamol pode produzir falsos resultados positivos na determinação qualitativa do ácido-5-hidroxi-indolacético, quando for utilizado reagente nitrozonaftol.

Modo de Usar :

Adultos e crianças acima de 12 anos: Pacemol 500 mg: 1 a 2 comprimidos, 3 a 4 vezes ao dia. Não exceder mais do que o total de 8 comprimidos, em doses fracionadas, num intervalo de 24 horas. Pacemol 750 mg: 1 comprimido, 3 a 4 vezes ao dia. Não exceder mais do que o total de 5 comprimidos, em doses fracionadas, num intervalo de 24 horas. Pacemol gotas: 35 a 55 gotas, 3 a 5 vezes ao dia. Não exceder mais do que o total de 5 administrações nas 24 horas. Crianças: Pacemol gotas: a dose usual de paracetamol para crianças abaixo de 12 anos é de 10 a 15 mg/kg, cada 4 horas (no máximo 5 vezes por dia). Recomenda-se 1 gota por kg de peso, por dose (por exemplo: uma criança com 10 kg Deverá tomar 10 gotas, com 15 kg tomar 15 gotas e assim por diante), até o limite de 35 gotas por dose. Essa administração pode ser repetida 4 a 5 vezes por dia, com intervalos de 4 a 6 horas, não devendo ultrapassar 5 administrações nas 24 horas. Pacemol gotas pode ser diludo em um pouco de água ou suco de frutas. Superdosagem: o paracetamol em doses maciças pode causar hepatotoxicidade. Em casos de suspeita de ingestão de doses elevadas de Pacemol, deve-se procurar imediatamente um servio médico de urgência. A intoxicação por paracetamol em crianças parece ser menos frequente que em adultos, pois há evidências de que as crianças so menos vulnerveis que os adultos em relação hepatotoxicidade. Apesar dessas diferenas, devem ser tomadas as medidas necessárias em casos de superdose em crianças, da mesma forma que para adultos. Os sintomas iniciais que se seguem a uma dose potencial hepatotóxica de paracetamol podem incluir: náusea, vômito sudorese intensa e mal-estar geral. Hipotenso arterial, arritmia cardíaca, icterícia, insuficincia hepática e renal so também observados. Os sinais clínicos e laboratoriais de hepatotoxicidade podem não aparecer antes de decorridos 48 a 72 horas após a ingestão da dose maciça. - Tratamento da superdose: o antídoto para a intoxicação pelo paracetamol é a acetilcisteína. As primeiras medidas a serem tomadas, incluem lavagem estomacal, ou indução ao vômito com o xarope de ipecacuanha. Deve-se tentar obter uma dosagem de paracetamol plasmático, logo que possível, não antes de decorridas 4 horas após a ingestão. As provas de função hepática devem ser realizadas inicialmente e repetidas a cada 24 horas até normalização. Independentemente da dose maciça de paracetamol ingerida, deve-se administrar imediatamente o antídoto n-acetiloisteína a 20%, desde que não tenha decorrido mais de 16 horas da ingestão, para que os resultados sejam ideais. A n-acetilcisteína deve ser administrada por via oral, na dose de ataque de 140 mg/kg de peso, seguida a cada 4 horas por uma dose de manutenção de 70 mg/kg de peso, até um máximo de 17 doses, conforme evolução do caso. A n-acetilcisteína a 20% deve ser administrada após a diluição a 5% em água, suco ou refrigerante, preparada no momento da administração. Se o paciente vomitar a dose no prazo de 1 hora após a sua administração, deve-se repetir a dose. Se necessário, o antídoto (diludo em água) poderá ser administrado mediante a intubação duodenal. Além da administração do antídoto, o paciente deve ser acompanhado com medidas gerais de suporte, incluindo manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico; correção de hipoglicemia, Administração de vitamina K, quando necessário e outras. após a recuperação do paciente, não permanecem seqelas hepáticas anatêmicas ou funcionais.

Contra indicação :

Pacientes com conhecida hipersensibilidade ao paracetamol ou aos outros componentes da fórmula e em portadores de hepatopatias.

Precauções :

Ocorrendo reação de hipersensibilidade ao paracetamol, a administração de Pacemol deve ser suspensa. Fertilidade: os estudos de toxicidade crônica em animais demonstraram que doses elevadas de paracetamol produzem atrofia testicular e inibição da espermatognese; se desconhece a importncia deste efeito para o uso em humanos. Gravidez: o paracetamol atravessa a plaqueta, embora não se tem observado problemas em mulheres gestantes. Pacemol pode ser usado durante a gravidez, porêm o seu uso deve ser feito por perãodo curto. Lactação: não tem sido descritos problemas em humanos. Embora se tenha detectado pequenas concentrações de paracetamol no leite humano, não foi detectado paracetamol ou seus metabólitos na urina dos lactentes. Advertências: o paracetamol pode causar hepatotoxicidade grave em alcolatras crônicos. Mesmo quando usado em doses terapêuticas,esta hepatotoxicidade pode ser causada pela indução do sistema microssomal hepático, resultando em aumento de metabólitos txicos ou por quantidades reduzidas de glutationa, responsável pela conjugação dos metabólitos txicos. Interações Medicamentosas:: a administração de Pacemol com alimentos retarda a absorção do paracetamol. Doses elevadas de paracetamol potencializam a ação dos anticoagulantes cumarúnicos e indandiúnicos. O uso do paracetamol aumenta a meia-vida do cloranfenicol de 3,25 para 15 horas. O paracetamol altera os níveis plasmáticos do diflunisal. Aumenta o risco dos salicilatos (não se recomenda o uso prolongado e simultâneo do paracetamol com salicilatos). A ingestão crônica e excessiva de álcool bem como altas doses de barbitúricos, anticonvulsivantes (carbamazepina), rifampicina e sulfimpirazona realam os efeitos hepatotxicos do paracetamol. A depuração metabólica do paracetamol é acelerada em mulheres que tomam anticoncepcionais orais.

 

Fórmula :

Cada comprimido contêm, respectivamente, 500 mge 750 mg paracetamol. Excipiente: manitol, polivinilpirrolidona, estearato de magnésio, talco, amido. Gotas: cada 1 ml da solução contêm 200 mg de paracetamol. veículo: macrogol, ciclamato de sódio, sacarina sódica, benzoato de sódio, metabissulfito de sódio, ácido cítrico, corante vermelho bordeaux, aroma artificial de framboesa e água deionizada.

Fabricante :

Fabricante : s Gemballa Ltda.

Av. Sete de Setembro, 50
Telefone: (47) 3521-1734

Ascaverm, Atalin, Atapec, Dexacort, Eraverm t, Eraverm, Espasmacid, Etrat, Nidazol, Novotussan, Otocort, Paceflex, Pacemol 500 mg, Pacemol, Penvicilin, Pepsivit, Reafix, Sangotone, Senol


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Curso Master O Cara da Foto