Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Ogastro - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Lansoprazol.

Classe terapêutica : Antiulcerosos.

Apresentação : 30 mg: embalagens com 7, 14 e 28 cápsulas de liberação retardada. 15 mg: embalagens com 14 cápsulas de liberação retardada.

Indicação : 30 mg: cicatrização e alívio sintomático de esofagite de refluxo (incluindo úlcera de Barrett e casos de resposta insatisfatéria a antagonistas de receptores histamúnicos H2), de úlcera duodenal e de úlcera gástrica, em tratamento de curto prazo. Para tratamento em longo prazo de pacientes hipersecretores, portadores ou não de síndrome de Zollinger-Ellison. Dados clínicos atuais indicam que lansoprazol foi seguro e eficaz nessas desordens em tratamentos de até 2,6 anos de duração. 15 mg: manutenção da cicatrização de esofagite de refluxo erosiva, de úlcera duodenal e de úlcera gástrica.

Efeito Colateral :

Os eventos adversos mais frequentemente relatados em estudos de curto prazo (até 8 semanas de duração) e considerados possveis ou prováveis de estarem relacionados com o uso de lansoprazol, foram diarreia, cefaleia, tontura, náusea e constipação. As seguintes reações adversas foram relatadas em estudos com pacientes que receberam 15 mg ou 30 mg de lansoprazol, durante 12 meses, para tratamento de manutenção de esofagite erosiva cicatrizada e úlceras gástricas e duodenais cicatrizadas: gerais: dor abdominal, cefaleia, síndrome gripal, ferimentos acidentais, dor, dor lombar, dor no peito, infecção; sistema digestivo: diarreia, anomalias gastrintestinais (Pólipos), vômitos, alterações dentárias, náusea, gastroenterites, alterações fetais; sistema musculoesqueltico: artralgia.

Modo de Usar :

Tratamento de esofagite de refluxo, incluindo úlcera de Barrett: 30 mg ao dia, por 4 a 8 semanas. Tratamento de úlcera duodenal: 30 mg ao dia, por 2 a 4 semanas. Tratamento de úlcera gástrica: 30 mg ao dia, por 4 a 8 semanas. Tratamento de manutenção de cicatrização de esofagite de refluxo, de úlcera duodenal e de úlcera gástrica: 15 mg uma vez ao dia. Tratamento da síndrome de Zollinger-Ellison: dose inicial de 60 mg ao dia, por 3 a 6 dias. A dose deve ser então titulada ascendentemente, até se conseguir um paciente assintomático com secreção cida basal inferior a 10 mEq/h em pacientes com síndrome de Zollinger-Ellison não gastrectomizados e em hipersecretores sem a síndrome. Em pacientes com a síndrome, previamente gastrectomizados, a secreção acida basal recomendada como alvo igual ou inferior a 5 mEq/h. Se o paciente requerer 120 mg ou mais de lansoprazol ao dia, as doses devem ser divididas em 2 tomadas equivalentes. Uma vez que o alvo seja atingido, o paciente deve ser monitorado, para determinar se a dose deve ser ajustada para mais ou para menos. As cápsulas de Ogastro devem ser ingeridas pela manhã, em jejum. No caso de 2 tomadas diárias indicadas para doses de 120 mg ou mais, na síndrome de Zollinger-Ellison, a segunda tomada também deve ser em jejum. As cápsulas devem ser ingeridas inteiras; o paciente deve ser advertido para não abrir ou mastigar as cápsulas. Não é necessário ajuste da dose para insuficincia renal. Não é necessário ajuste da dose inicial para idosos e portadores de disfunção hepática leve a moderada. Consulte Precauções e uso em idosos para dosagem em idosos com disfunção hepática. Superdosagem: até o momento não há informação disponível sobre a superdosagem em humanos. Lansoprazol não removido da circulação por hemodilise.

Contra indicação :

Hipersensibilidade conhecida ao lansoprazol.

Precauções :

Ogastro cápsulas de liberação retardada deve ser ingerido pela manhã, em jejum. Os pacientes devem ser advertidos para que não abram ou mastiguem as cápsulas; elas devem ser deglutidas inteiras, para preservar a cobertura entárica dos grnulos. Por ser eliminado predominantemente por via biliar, o perfil farmacocinético de lansoprazol pode ser modificado por insuficincia hepática moderada a severa, bem como em idosos. Deve-se ter cautela na prescrição do lansoprazol a pacientes idosos com disfunção hepática. Uso na gravidez: não existem estudos adequados ou bem controlados na gestação humana. Lansoprazol somente deve ser administrado durante a gravidez se, em criteriosa avaliação médica, os benefícios potenciais justificarem os riscos potenciais para o feto. Uso na amamentação: não É conhecido se lansoprazol excretado pelo leite materno. Como Vários fármacos so excretados pelo leite materno, deve-se ter cautela na administração de lansoprazol a mulheres no perãodo de amamentação. Uso em pediatria: não foram estabelecidas a segurança e a eficácia em crianças. Uso em idosos: em idosos, tmax e AUC so o dobro do que aqueles em voluntários jovens. A posologia inicial não necessita ser modificada em idosos, mas doses subseqentes superiores a 30 mg ao dia não devem ser administradas, a menos que supresso adicional da secreção gástrica seja necessária. Deve-se ter cautela quando o fármaco for administrado a idosos com disfunção hepática. - Interações Medicamentosas:: lansoprazol metabolizado pelo sistema do citocromo P450. Estudos clínicos mostraram que lansoprazol não tem Interações clínicas com warfarina, antipirina, indometacina, aspirina, ibuprofen, fenitona, prednisona, antiácidos base de hidróxido de alumínio e magnésio, ou diazepam, em indivíduos sos. Quando lansoprazol é administrado concomitantemente com teofilina, um pequeno (10%) aumento na depuração da teofilina foi observado. devido à pequena magnitude e direção desse efeito sobre a depuração de teofilina, dificilmente esta interação representar preocupação do ponto de vista clínico. Mesmo assim alguns casos individuais podem necessitar de titulação adicional da dose de teofilina, quando lansoprazol for iniciado ou interrompido, para assegurar níveis sanguíneos clinicamente efetivos. Administração concomitante de lansoprazol e sucralfato retarda a absorção de lansoprazol e reduz sua biodisponibilidade em aproximadamente 30%. Portanto, lansoprazol deve ser tomado pelo menos 30 minutos antes do sucralfato. Não há diferena estatisticamente significante na Cmx quando lansoprazol é administrado uma hora após preparados antiácidos com hidróxido de alumínio e magnésio. Como lansoprazol causa inibição profunda e duradoura da secreção cida gástrica, teoricamente possível que possa interferir na absorção de fármacos em que o pH gástrico seja um importante determinante da biodisponibilidade (p. ex.: cetoconazol, steres da ampicilina, sais de ferro, digoxina).

 

Fórmula :

30 mg: lansoprazol 30 mg, excipiente q.s.p. 1cápsula. 15 mg: lansoprazol 15 mg, excipiente q.s.p. 1 cápsula.

Fabricante :

Abbott Laboratórios do Brasil Ltda.

Endereço: Estrada dos Bandeirantes, 2400 - Taquara, Rio de Janeiro - RJ, 22710-907

Medicamentos do mesmo fabricante :

Bufedil, Cetiva AE, Depakote, Ensure Pó, Etrane, Gentaplus, Iberol, Isomil, Klaricid UD, Klaricid, Leutrol, Lupron sc, Magnopyrol, Metiocolin b12, Noctal, Norvir, Ogastro, Pantomicina, Pedialyte 45 pó, Pedialyte 45, Pedialyte 90 pó, Pedialyte 90, Pedialyte, Quelicin, Selsun Azul, Selsun Ouro, Sevorane, Siliver, Sobrepin, Solvobil


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Curso Master O Cara da Foto