Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Miodrina - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Ritodrina.

Classe terapêutica : Inibidor de Trabalho de Parto.

Apresentação : Comprimidos 10 mg, caixas contendo 20 ou 60 comprimidos. Solução injetável: 10 mg/ml, caixas contendo 10 ampolas de 5 ml; 15 mg/ml, caixas contendo 1 ampola de 10 ml.

Indicação : Profilaxia e tratamento do trabalho prematuro de parto em gestações com 20 ou mais semanas.

Efeito Colateral :

Tem sido relatada cetoacidose materna, especialmente em pacientes recebendo altas doses de adrenocorticóides ou diabéticos malcontrolados. são de Incidência mais frequente (10-15% no uso oral e cerca de 33% no endovenoso); batimentos cardíacos rpidos ou irregulares. são de Incidência rara: angina de peito, molstia cardíaca, edema pulmonar. Episódios mais graves destes quadros ocorrem quando do uso concomitante com adrenocorticóides e devem-se perda de líquidos; comprometimento da função hepática ou hepatite. Os seguintes sintomas necessitam de atenção médica, caso perdurem ou se tornem incmodos: cefaleias, náusea, vermelhidão da pele, vômitos, tremores, ansiedade, nervosismo, rash cutâneo.

Modo de Usar :

Miodrina comprimido: a dose inicial oral é de 10 mg 30 minutos antes de que a infusão intravenosa seja descontinuada. Prosseguir com 10 mg a cada 2 horas por 24 horas. A dose de manutenção oral é de 10-20 mg a cada 4-6 horas até o termo ou a critério médico. Miodrina solução para infusão endovenosa: a dose inicial intravenosa de 50-100 mcg (0,05-0,1 mg) por minuto, aumentando a cada 10 minutos, conforme necessário, em 50 mcg (0,05 mg) até a dose eficaz. A dose de manutenção intravenosa é de 150-350 mcg (0,15-0,35 mg) por minuto. A infusão intravenosa deve ser continuada por 12-24 horas após as contrações terem cessado. O tratamento intravenoso usualmente seguido de Administração oral. O tratamento pode ser repetido no caso de reIncidência de trabalho pré-termo. Miodrina Solução injetável pode ser preparada para infusão intravenosa através da diluição de 150 mg em 500 ml de solução a 5% de dextrose, produzindo uma solução contendo 300 mcg (0,3 mg) de cloridrato de ritodrina por ml. Soluções mais concentradas podem ser preparadas em casos onde uma restrição fluódica seja necessária. O uso de soluções de cloreto de sódio, Ringer ou Hartmann, ou outras soluções salinas como solução de infusão, deveria ser evitado devido ao risco de edema pulmonar. A solução para infusão endovenosa contendo 300 mcg/ml conserva-se por 48 horas após sua preparação. Obs.: para maior eficácia, recomenda-se que a terapia seja iniciada to logo o diagnóstico de trabalho pré-termo seja confirmado. Caso o trabalho de parto persista, apesar da administração de doses máximas, recomenda-se descontinuar o tratamento com Miodrina. Recomenda-se que a infusão endovenosa de Miodrina seja feita com um dispositivo de controle, a fim de melhor titular a dose e com a paciente em posição lateral esquerda, para reduzir alterações de pressão sanguínea. A deambulação da paciente pode ser retomada gradualmente após 36-48 horas. - Superdosagem: sintomas: batimentos cardíacos rpidos e irregulares, náuseas, vômitos, tremores, nervosismo, respiração curta. Tratamento: lavagem gástrica ou indução da mese, seguida de Administração de carvo ativado. Administração de bloqueador beta-adrenérgico.

Contra indicação :

distúrbios cardíacos, especialmente aqueles associados com arritmias; hipertireoidismo, corioamnionite; hemorragia ou morte fetal intra-uterina; anormalidade fetal conhecida; eclampsia e pré-eclampsia graves; hipertensão pulmonar.

Precauções :

O risco-benefício do emprego de ritodrina deve ser cuidadosamente avaliado em presença de alergia ritodrina, processos asmáticos que estejam sendo tratados com estimulantes beta-adrenérgicos ou esteroides, diabetes mellitus, hipertensão, história precedente de enxaqueca, pré-eclampsia leve ou moderada. O uso em pacientes com ruptura das membranas deve ser avaliado contra o risco de contrair infecção intra-uterina. Seu uso não é recomendado anteriormente a vigsima semana de gestação. Recomenda-se uma cuidadosa monitoração do paciente, especialmente quanto segurança da idade gestacional, glicose sanguínea, líquidos e eletrôlitos (especialmente em pacientes diabéticos ou aqueles que recebam adrenocorticóides, diuréticos depletores de potássio ou glicosódios digitlicos), eletrocardiograma, ritmo cardíaco fetal e materno, pressão sanguínea materna, atividade uterina. Ritodrina atravessa a barreira placentária, portanto, o risco-benefício deve ser cuidadosamente avaliado em relação a danos ao feto.têm sido relatado casos de hipoglicemia neonatal, taquicardia e óleo paralítico. Hipocalcemia e hipotensão ocorrem, em geral, com estimulantes beta-adrenérgicos, porêm com ritodrina não tem sido observados. Antes do uso da ritodrina o médico deve certificar-se de condições que afetam o seu uso, especialmente alergia ao fármaco ou a outras medicações, especialmente glicorticóides ou agentes bloqueadores beta-adrenérgicos. a administração concomitante excessiva de soluções salinas pode provocar acmulo de líquidos circulatérios e edema pulmonar materno. O uso de soluções como de cloreto de sódio, Ringer ou de Hartmann deveria ser reservado para casos onde solução de dextrose não possa ser usada. A deambulação do paciente pode ser retomada gradualmente após 36-48 horas, caso as contrações não mais ocorram. A eficácia em trabalho avançado (dilatação cervical maior do que 4 cm ou contração maior do que 80%) não está estabelecida. - Interações Medicamentosas: e interferncia em exames laboratoriais: a ritodrina pode interagir com os seguintes fármacos: adrenocorticóides e glicocorticóides de ação prolongada: o uso simultâneo para aumentar a maturidade pulmonar fetal pode elevar o risco de edema pulmonar na me. Caso o uso simultâneo seja considerado necessário, ambas as medicações devem ser descontinuadas ao primeiro sinal de edema pulmonar. Tem sido também relatada cetoacidose materna com o uso simultâneo de altas doses de adrenocorticóides. Agentes bloqueadores beta-adrenérgicos: podem antagonizar os efeitos da ritodrina; apesar de que agentes com maior seletividade beta-1 podem ser menos antagonistas, o uso concomitante não é recomendado. Diazxido parenteral ou anestásicos gerais potentes: podem potencializar os efeitos cardiovasculares da ritodrina endovenosa, especialmente arritmia cardíaca ou hipotensão. Outros simpatomimáticos: o uso concomitante pode aumentar os efeitos e o potencial para efeitos colaterais dos simpatomimáticos ou da ritodrina. Ritodrina pode influenciar os seguintes exames laboratoriais e fisiológicos: alanina aminotransferase (ALT/SGPT) e aspartato aminotransferase (ALT/SGOT): as concentrações séricas podem aumentar em menos de 1%. Concentrações de glicose sanguínea, ácidos graxos livre no soro, insulina sérica: podem estar transitoriamente aumentadas durante a infusão venosa, porêm retornam aos níveis anteriores ao tratamento dentro de 24-72 horas, mesmo com infusão continuada. Ritmo cardíaco e pressão sanguínea maternos - ritmo cardíaco fetal e materno: ritmo cardíaco e pressão sanguínea diastlica materna aumentados, ou pressão sanguínea diastlica materna diminuída ocorre em cerca de 80-100% dos pacientes tratados com ritodrina endovenosa. Miodrina oral frequentemente causa pequenos aumentos no ritmo cardíaco materno, porêm, normalmente, não afeta o ritmo cardíaco fetal ou a pressão sanguínea materna. Concentrações de potássio srico: podem estar diminuídas durante a infusão intravenosa, relacionadas a alterações na glicose e insulina. O máximo efeito relacionado a este parmetro ocorre dentro de 2 horas após o incio da infusão e retorna ao normal 30 minutos a 24 horas após a retirada.

Fórmula :

Comprimidos: cloridrato de ritodrina: 10 mg;excipiente q.s.p.: 1 comprimido. injetável 5 mg: cloridrato de ritodrina: 10 mg; veículo q.s.p.: 1 ml. injetável 10 mg: cloridrato de ritodrina: 15 mg; veículo q.s.p.: 1 ml.

Fabricante :

Apsen Brasil Indústria Química Farmacêutica

Endereço: Rua la Paz, 39, São Paulo - SP, 04755-020
Fone: 0800-165678
FAX: 11 5644-8226
E-mail: infomed@apsen.com.br

Medicamentos do mesmo fabricante :

Analgina, Arpadol, Azulfin, Colchis 1 mg, Colchis 05 mg, Delgar, Destilbenol, Diserim, Donaren, Enteronorm, Etoxin, Finigas, Fitoscar, Gastrodine, Hantina, Inibina, Labirin, Liberan, Lidospray, Litocit, Meclin, Miodrina, Noodipina, Plamin, Postec, Primidona, Rectocetil, Retemic, Reuquinol, Reutrexato, Suspirin, Unoprost, Xilodase, Yomax


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.