Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Maliasin - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Barbexaclona.

Indicação : Grande mal isolado com ataques de pequeno mal, sobretudo quando os ataques se apresentam preferencialmente nas horas matutinas ou vespertinas.
Pequeno mal tipo mioclínico-astático (ataques acinéticos, síndrome de lennox-gastauf).
Pequeno mal mioclínico.
Epilepsias de Jackson e focais.
Para profilaxia do grande mal (proteção contra o grande mal), picnolepsia (ausências), espasmos infantis (convulsões bns segundo os autores alemães).

Efeito Colateral :

No incio do tratamento com Maliasin, podem surgir sintomas passageiros de adaptação terapêutica, com irritação, bem como cansaço e, em raros casos, perda de peso. Estes efeitos colaterais desaparecem no decorrer de 1 até no máximo de 6 semanas, após o incio do tratamento. Não foram observadas do quadro hepático e urinário, sob tratamento prolongado, porêm são recomendados controles laboratoriais peridicos.
Em casos excepcionais, sobretudo depois de doses excessivas, pode, surgir alucinações pticas similares quelas observadas nas alucinoses com a redução da dose. O surgimento de sintomas neurotxicos, como obnubilação, ataxia, nistagmo, vertigem e vômitos, também deve ser motivo para uma redução da dose.
Quando a ingestão de alimentos estiver reduzida (por exemplo, no caso de enfermidades, inapetncia, etc.), pode haver diminuição da tolerância ao maliasin e fazer-se necessária uma redução da dose.

Modo de Usar :

Maliasin 25 mg destina-se terapêutica em crianças até 12 anos de idade. crianças maiores e adultos devem receber maliasin 100 mg.
O ajuste a dose tima de Maliasin deve ser feito de modo progressivo, comeando com uma drágea de 100 mg ao dia e aumentando em intervalos de 2 dias a uma semana, uma drágea de dada vez, tanto tempo quanto seja necessário. Em pediatria, pode-se alcançar um ajuste mais lento, usando-se maliasin 25 mg.
A dose diária no adulto , em média, de 2 a 4 drágeas de 100 mg nos pacientes de ambulatério e de 4 a 6 drágeas nos pacientes hospitalizados. Somente em uma pequena parte dos doentes são necessárias doses de 8 drágeas diárias (800 mg).
Em média, a dose de Maliasin de 5 a 8 mg/kg de peso na criança e de 3 a 5 mg/kg de peso no adulto. Assim, no adulto, a dose diária de 200 a 400 mg, podendo chegar a 800 mg.
Da mesma forma, a dose média em pediatria é a seguinte:
Lactentes
25 a 50 mg, podendo chegar a 100 mg
1 a 2 anos
50 a 100 mg, podendo chegar a 150 mg
2 a 5 anos
100 a 200 mg, podendo chegar a 250 mg
5 a 12 anos
200 a 400 mg, podendo chegar a 800 mg
A transição de outro para maliasin deve ser Maliasin deve ser feita de forma lenta,administrando-se Maliasin medida em que o outro produto for reduzido.
Maliasin poderá ser administrado adicionalmente, suspendendo a medicação anterior, paulatinamente, após o decorrer de alguns dias. deve-se evitar uma transição abrupta.

Contra indicação

intoxicações agudas com álcool, sonferos, Analgésicos e psicofármacos; porfirias hepáticas; transtornos graves das funções cardíacas, renal e hepáticas; tireotoxicoses; feocromocitoma; glaucoma de próstata com retenção urinária residual; arritmias cardíacas; angina pectoris grave; psicose com agitação; hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

Precauções :

Pela possível limitação da capacidade de reação, maliasin deve ser administrado com cuidado quando se necessitar manipular maquinário perigoso ou dirigir veículos motorizados.
Discute-se a possibilidade de efeito teratogúnico dos produtos anticonvulsivante. No tratamento de epilpticas grávidas, devem ser avaliados, cuidadosamente. no tratamento de epilpticas grávidas, devem ser avaliados, cuidadosamente, os benefícios que se esperam do tratamento e o risco representa para a mo e para o feto. o perãodo entre o vigsimo e o quadragsimo dias de gestação deve ser objeto de precauções especiais.
A Princípio, de acordo com a opinio geral, os antiepilpticos devem ser prescritos também durante a gestação, uma vez que a interrupção do tratamento sempre traz para o feto o risco de um dano de origem epilptica. durante as últimas semanas da gravidez, recomendável fazer-se uma profilaxia com vitamina k via oral, Além da sua administração perenteral no neo-nato no Pós-parto.
Não existe experiência sobre a administração de maliasin mães durante a amamentação. portanto, recomenda-se observar cuidadosamente as crianças.
Recomenda-se reduzir a dose no tratamento de pessoas idosas.
Quando a eventuais alterações do metabolismo do cálcio, são recomendados controles laboratoriais frequentes e tratamento com vitamina D, se necessário.
Não se observam efeitos hepatotxicos com o uso prolongado de fenobarbital. Entretanto, dentro do campo da hipersensibilidade, já foram descritos quadros isolados de hepatite e icterícia, Além de dermatite esfoliativa. Se houver alguma alteração nas enzimas hepáticas, ficam recomendados exames para esclarecimento diagnósticos.
Como medida profiltica na hiperplasia gengival, que pode manifestar-se em casos mais raros, recomendável uma higiene dentária regular.
Em casos rarssimos de polifibromatoses (doença de dupuytren, fibromas plantares, síndrome ombo-brao), a suspensão de Maliasin pode exercer um efeito benfico sobre a evolução destas patologias.

Modo de usar :

Maliasin 25 mg destina-se terapêutica em crianças até 12 anos de idade. crianças maiores e adultos devem receber maliasin 100 mg.
O ajuste a dose tima de Maliasin deve ser feito de modo progressivo, comeando com uma drágea de 100 mg ao dia e aumentando em intervalos de 2 dias a uma semana, uma drágea de dada vez, tanto tempo quanto seja necessário. Em pediatria, pode-se alcançar um ajuste mais lento, usando-se maliasin 25 mg.
A dose diária no adulto , em média, de 2 a 4 drágeas de 100 mg nos pacientes de ambulatério e de 4 a 6 drágeas nos pacientes hospitalizados. Somente em uma pequena parte dos doentes são necessárias doses de 8 drágeas diárias (800 mg).
Em média, a dose de Maliasin de 5 a 8 mg/kg de peso na criança e de 3 a 5 mg/kg de peso no adulto. Assim, no adulto, a dose diária de 200 a 400 mg, podendo chegar a 800 mg.
Da mesma forma, a dose média em pediatria é a seguinte:
Lactentes
25 a 50 mg, podendo chegar a 100 mg
1 a 2 anos
50 a 100 mg, podendo chegar a 150 mg
2 a 5 anos
100 a 200 mg, podendo chegar a 250 mg
5 a 12 anos
200 a 400 mg, podendo chegar a 800 mg
A transição de outro para maliasin deve ser Maliasin deve ser feita de forma lenta,administrando-se Maliasin medida em que o outro produto for reduzido.
Maliasin poderá ser administrado adicionalmente, suspendendo a medicação anterior, paulatinamente, após o decorrer de alguns dias. deve-se evitar uma transição abrupta.

Fórmula :

Cada drágea contém:
Barbexaclona (1 - 1 ciclohexil - 2 - metilamino - propano 5,5 -feniletibarbiturato)....................25 ou 100 mg
correspondendo a 15 ou 60 mg de ácido feniletibarbitúrico
InformaçãO AO PACIENTE:
Conservar o frasco em lugar fresco, ao abrigo da luz e umidade.
O prazo de validade do produto de 60 meses, a contar da data de sua fabricação .
NO USE MEDICAMENTOS COM PRAZO DE VALIDADE VENCIDO.
Assim como qualquer medicamento, maliasin só deve ser usado durante o primeiro trimestre de gravidez sob orientação e cuidados médicos.
A Ocorrência de gestação durante o uso do medicamento deve ser comunicada imediatamente ao médico.
O uso durante a amamentação deve ser feito somente sob orientação e cuidados médicos.
O produto deve ser administrado de acordo com a orientação dada pelo médico e somente ele poderá recomendar a sua interrupção.
No incio do tratamento com Maliasin, podem surgir reações desagradveis de adaptação ao medicamento, tais como: irritação, inquietação, cansaço e, raros casos, perda de peso.
Estes efeitos desaparecem de 1 até no máximo de 6 semanas após o inicio do tratamento. no caso de surgirem outras reações ou se o paciente for portador de outros transtornos orgânicos quaisquer, o médico deve ser comunicado imediatamente.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. Pela possível limitação da capacidade de reação, maliasin deve ser administrado com cuidado quando se necessitar manipular maquinário perigoso ou dirigir veículos motorizados.
Recomenda-se o uso de doses menores para pessoas idosas e/ou debilitadas.
NO TOME Remédio SEM O CONHECIMENTO DO SEU médico. PODE SER PERIGOSO PARA SUA Saúde.
InformaçãO Técnica:
Maliasin contém como Princípio ativo a Barbexaclona, quimicamente o 1-1-cicohexil-2-metilamino propano (chp) -5,5-feniletibarbiturato, uma nova molécula obtida da salificação do fenobarbital com a propilixedrina (ciclohexil-aminopropano).
No tratamento da epilepsia, ainda hoje o ácido feniletilbarbitúrico ocupa inalteradamente um lugar de pReferência. Conjecturas sobre a possibilidade de aumentar por um lado a sua ação antiepilptica e por outro de reduzir os efeitos colaterais hipnéticos acompanhantes, levaram síntese da Barbexaclona.
Em experimentação animal, mostrou-se que as propriedades anticonvulsivantes desta combinação equilibrada dos componentes depressores e estimuladores são maiores do que correspondentes doses de fenobarbital. Do mesmo modo, desaparecem os efeitos narcticos em todas as doses terapêuticas empregadas.
Outrossim, a ação anticonculsivantes inicia-se rapidamente, a partir da concentração sanguínea do fenobarbital, o que devido a uma maior absorção pelo tecido nervoso (Haas).
A eficácia clínica desse antiepilptico foi observada por penin (1964), Krueger e Schwarz (1965) e, com nfase especial na influência sobre o sono, por javanovic (1966). Dessas observações estabeleceu-se para Maliasin a indicação preferencial na epilepsia, grande mal do tipo matutino, segundo Penin e Javanovic, enquanto schwarz e kruerger não encontraram diferenas significativas na resposta das diferentes formas de epilepsia maior. No pequeno mal, observou-se apenas uma ação moderada.

Interação Medicamentosa :

Pode ocorrer uma redução do efeito dos medicamentos administrados simultaneamente, principalmente derivados cumarúnicos, griseofulvina,
contraceptivos orais, guanetidina e glicocorticóides. Um efeito sedativo intenso, ocasionado pela ingestão de outros antiepilpticos e fármacos de ação sedativa sobre o sistema nervoso central (sobretudo o ácido valpróico), pode ser compensado pela redução da dose.
Como ocorre com todos os fármacos de ação central, deve-se evitar o consumo de bebidas alcolicas durante o tratamento com Maliasin.

Superdosagem :

Os objetivos no tratamento da intoxicação por superdosagem são manter a respiração, combater e eliminar a droga.
A respiração assistida deve ser instituída, se necessário, e o oxignio administrado enquanto houver depressão respiratéria.
O estômago deve ser aspirado e lavado com água morna; deve-se enche-lo com uma solução contendo 30g de sulfato de sódio para promover a pesristalse.
O choque deve ser tratado pela administração intravenosa de fludos, principalmente plasma, cloreto de sódio ou glicose.
O paciente deve ser mantido aquecido e trocado de posição a cada 30 minutos para evitar pneumonia hipostática.
Deve-se uma diurese alcalina. se necessário, usar agentes vasopressores potentes (metaraminol) para manter a pressão sistlica a 100 mmhg.
Quando não se obtém a diurese, deve-se usar a hemodilise.

Fabricante :

Asta médica Ltda.

Endereço
Rua Glicério, 497 Liberdade - Sao Paulo
CEP: 01.514-000 - São Paulo - SP

Telefone: (11) 3209-1660

Medicamentos do mesmo fabricante :

Benflogin, Dasten, Dilatrend, Dualid S, Erdotin, Eriflogin, Euglucon 5 mg, Flogo rosa, Flogoral, Genuxal, Holoxane, Ilosone, Isocord, Kamillosan, Katadolon, Lanitop, Maliasin, Meracilina, Microvacin, Miltex, Mitexan, Miticocan, Montricin, Multigen-al, Narcaricina, Neprazol, Nisulid, Orofungin, Ossopan 800, Ostac, Paraqueimol, Prelone, Recormon, Rino-lastin, Ronvan, Rumalon, Selvigon, Sonin, Zanidip


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Curso Master O Cara da Foto