Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Macugen- 0,3 mg solução injetável - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Pegaptanibe sódico

Apresentação :
Solução injetável.
A solução lmpida e incolor.

RESUMO DAS Características DO MEDICAMENTO Macugen

NOME DO MEDICAMENTO
Macugen 0,3 mg solução injetável
2. composição QUALITATIVA E QUANTITATIVA
Cada seringa pré-cheia para dose única dispensa 1,65 mg de pegaptanib sódico, correspondente a 0,3
mg de oligonucletido na forma de ácido livre, num volume nominal de 90 microlitros.
Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

Indicação : Macugen é indicado no tratamento da degeneração macular relacionada com a idade (DMI)
neovascular (hámida)
4.2 Posologia e modo de Administração
APENAS PARA USO INTRAVTREO.
O tratamento com Macugen feito apenas por injecção intravtreal e deve ser administrado por
oftalmologistas com experiência em injecções intravtreas.
Macugen 0,3 mg deve ser administrado uma vez a cada 6 semanas (9 injecções por ano) por injecção
intravtrea no olho afectado.
Macugen deve ser examinado visualmente para detecção de partculas e descoloração, antes da administração (ver secção 6.6).
Deve-se realizar a Técnica de injecção sob condições asspticas, incluindo a desinfecção cirúrgica das
mos, utilização de luvas estáreis, de bata estáril e de um esPóculo estáril para a Pólpebra (ou
equivalente) e a existância de condições para efetuar paracentese estáril (se necessário). Deve-se
avaliar cuidadosamente a história clínica do doente relativa a reações de hipersensibilidade antes de
se realizar o procedimento intravtreo (ver secção 4.4). Antes da injecção deve-se administrar
anestesia adequada e um microbicida tópico de largo espectro.
após a injecção, observaram-se aumentos transitórios da pressão intra-ocular em doentes tratados
com Macugen. Assim, a perfusão da cabeça do nervo ptico e a pressão intra-ocular deverão ser
monitorizadas. Adicionalmente, os doentes deverão também ser cuidadosamente monitorizados
relativamente é Ocorrência de endoftalmite durante as duas semanas seguintes injecção. Os doentes
devem ser instruídos para relatar imediatamente quaisquer sintomas sugestivos de endoftalmite (ver
secção 4.4).
Deve considerar-se a interrupção ou a descontinuação da terapêutica com Macugen se, após 2
injecções consecutivas, o doente não demonstrar benefício clínico (perda da acuidade visual inferior a
15 letras) na visita da 12 semana.
3
Grupos específicos de doentes:
Insuficiência hepática:
Macugen não foi estudado em doentes com insuficiência hepática.
No entanto, não são necessárias considerações especiais nesta população (ver secção 5.2).
Insuficiência renal:
Macugen não foi estudado adequadamente em doentes com depuração da creatinina < 20 ml/min. Não
são necessárias considerações especiais em doentes cuja depuração da creatinina superior a 20
ml/min (ver secção 5.2).
Crianças e adolescentes:
Macugen não foi estudado em doentes com menos de 18 anos de idade. Assim, não se recomenda a
sua utilização em crianças e adolescentes.
Doentes idosos:
Não são necessárias considerações especiais.
Gnero:
Não são necessárias considerações especiais.
4.3 Contra-indicações
Infecção ocular ou periocular, ativa ou suspeita.
Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes.
4.4 Advertências e Precauções especiais de utilização
Tal como esperado com injecções intravtreas, pode-se observar um aumento transitório da pressão
intra-ocular. Por conseguinte, deve-se verificar a perfusão da cabeça do nervo ptico e monitorizar
adequadamente o aumento da pressão intra-ocular após injecção.
Poderão ocorrer hemorragias intravtreas imediatas (no dia da injecção) ou retardadas após a injecção
de pegaptanib.
Os procedimentos de injecção intravtrea estáo associados a um risco de endoftalmite; nos ensaios
clínicos com Macugen, a Incidência de endoftalmite foi de 0,1% por injecção.
Na experiência Pós-comercialização observaram-se casos de reações de anafilaxia/anafilactides,
incluindo angioedema, algumas horas após o procedimento de Administração intravtreo de
pegaptanib. Nestes casos, não se estabeleceu uma relação directa ao Macugen ou a qualquer dos
variados medicamentos administrados como parte da Técnica de preparação da injecção, ou a outros
factores.
4.5 Interações Medicamentosas: e outras formas de interação
Não se realizaram estudos de interação medicamentosa com Macugen. O pegaptanib metabolizado
pelas nucleases e, portanto, as Interações Medicamentosas: mediadas pelo citocromo P450 são
improváveis.
Dois estudos clínicos realizados numa fase inicial em doentes que receberam Macugen isoladamente e
em combinação com TFD (terapêutica fotodinâmica) não revelaram qualquer diferena aparente na
farmacocinética plasmática do pegaptanib.
4
4.6 Gravidez e aleitamento
O pegaptanib não foi estudado em mulheres grávidas. Os estudos em modelos animais são
insuficientes mas demonstram toxicidade reprodutiva quando os níveis de exposição sistémica ao
fármaco são elevados (ver secção 5.3). Desconhece-se o risco potencial para o ser humano. Espera-se
que a exposição sistémica ao pegaptanib seja muito baixa, após Administração ocular. No entanto, o
Macugen apenas Deverá ser utilizado durante a gravidez se o potencial benefício para a me justificar
o potencial risco para o feto.
Desconhece-se se Macugen excretado no leite humano. Não se recomenda a administração de
Macugen durante o aleitamento.
4.7 Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas
Os doentes podem apresentar temporariamente visão turva, após Administração de Macugen por
injecção intravtrea. Não devem conduzir nem utilizar máquinas até ao desaparecimento destes
sintomas.
4.8 Efeitos indesejáveis
Administrou-se Macugen a 892 doentes, em estudos controlados com duração de um ano (nmero
total de injecções = 7545, nmero mdio de injecções/doente = 8,5), nas doses de 0,3, 1,0 e 3,0 mg.
Todas as três doses partilharam um perfil de segurança idntico. Nos 295 doentes que foram expostos
dose recomendada de 0,3 mg durante um ano (nmero total de injecções = 2478, nmero mdio de
injecções/doente = 8,4), 84% dos mesmos experimentaram um acontecimento adverso atribudo pelo
investigador como estando relacionado com a Técnica de injecção; 3% dos doentes experimentaram
um acontecimento adverso grave potencialmente relacionado com a Técnica de injecção; e 1%
experimentaram um acontecimento adverso potencialmente relacionado com a Técnica de injecção que
originou a interrupção ou descontinuação do tratamento em estudo. Vinte e sete por cento (27%) dos
doentes experimentaram um acontecimento adverso atribudo pelo investigador como estando
relacionado com o fármaco em estudo. Dois doentes (0,7%) experimentaram um acontecimento
adverso grave potencialmente relacionado com o fármaco em estudo. Um destes doentes sofreu um
aneurisma artico; o outro doente sofreu deslocamento da retina e hemorragia da retina, que levou
interrupção do tratamento.
Os acontecimentos adversos oculares graves registados em doentes tratados com Macugen incluram
endoftalmite (12 casos; 1%), hemorragia da retina (3 casos; <1%), hemorragia vtrea (2 casos, <1%) e
deslocamento da retina (4 casos, <1%).
Os dados de segurança abaixo descritos resumem todos os acontecimentos adversos potencialmente
relacionados com a Técnica ou com o fármaco, nos 295 doentes no grupo de tratamento com 0,3 mg.
As reações adversas estáo listadas por classes de sistemas de rgos e frequência (muito frequentes
(1/10), frequentes (1/100 e <1/10) e pouco frequentes (1/1000 e <1/100).
Perturbações de carater psiquiátrico
Pouco frequentes Pesadelos, depressão
Doenças do sistema nervoso
Frequentes Cefaleias
Afecções oculares
Estas reações adversas oculares foram consideradas como potencialmente relacionadas com o
tratamento com Macugen (tanto com a Técnica de injecção como com o Macugen), tendo a maioria
sido consideradas como relacionadas com a Técnica de injecção.
5
Muito frequentes Inflamação da cmara anterior, dor ocular, pressão intra-ocular
aumentada, queratite pontilhada, manchas flutuantes vtreas e opacidades
vtreas.
Frequentes Sensação anmala no olho, catarata, hemorragia da conjuntiva, hiperemia
conjuntival, edema conjuntival, conjuntivite, distrofia crnea, distúrbio
do epitélio crneo, afecção do epitélio crneo, edema crneo, olho seco,
endoftalmite, descarga ocular, inflamação ocular, irritação ocular, prurido
ocular, vermelhidão ocular, tumefação ocular, edema da Pólpebra,
lacrimação aumentada, degeneração macular, midrase, desconforto
ocular, hipertensão ocular, hematoma periorbital, fotofobia, fotopsia,
hemorragia da retina, visão turva, acuidade visual reduzida, perturbação
visual, descolamento do vtreo e afecção do vtreo.
Pouco frequentes Astenopia, blefarite, conjuntivite alérgica, dePósitos crneos, hemorragia
ocular, prurido da Pólpebra, queratite, hemorragia vtrea, reflexo pupilar
insuficiente, abrasão crnea, exsudados da retina, ptose da Pólpebra,
cicatriz da retina, calzio, erosão crnea, pressão intra-ocular diminuída,
reação no local de injecção, vesculas no local de injecção,
descolamento da retina, afecção da crnea, oclusão da artria da retina,
ruptura da retina, ectrpio, distúrbios do movimento ocular, irritação da
Pólpebra, hifaema, afecção pupilar, afecção da ris, icterícia ocular, uvete
anterior, dePósito ocular, irite, depressão do nervo ptico, deformação
pupilar, oclusão da veia da retina e prolapso do vtreo.
Afecções do ouvido e do labirinto
Pouco frequentes Surdez, agravamento da doença de Meniere, vertigem
Cardiopatias
Pouco frequentes Palpitações
Vasculopatias
Pouco frequentes hipertensão, aneurisma artico
Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino
Frequentes Rinorreia
Pouco frequentes Nasofaringite
Doenças gastrointestinais
Pouco frequentes vômitos, dispepsia
Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneas
Pouco frequentes Dermatite de contacto, eczema, alterações da coloração do cabelo,
erupção cutânea, prurido, suores nocturnos
Afecções musculosquelticas e dos tecidos conjuntivos
Pouco frequentes Dor no dorso
Perturbações gerais e alterações no local de Administração
Pouco frequentes Fadiga, rigidez, sensação de dor ao toque, dor no peito, sintomas gripais
Exames complementares de diagnóstico
Pouco frequentes Aumento da atividade da enzima gama-glutamiltransferase
Complicações de intervenções relacionadas com lesões e intoxicações
Pouco frequentes Abrasão
6
Trezentos e setenta e quatro (374) doentes receberam tratamento contínuo até 2 anos com Macugen
(128 com 0,3 mg, 126 com 1 mg e 120 com 3 mg). Os dados totais de segurança foram consistentes
com os dados de segurança de 1 ano, não tendo surgido qualquer sinal de segurança novo. Nos 128
doentes que foram tratados com a dose recomendada de 0,3 mg até 2 anos (nmero total de injecções
no segundo ano =913, nmero mdio de injecções no segundo ano = 6,9), não houve evidência de
aumento da frequência de eventos adversos, em relação ao observado durante o primeiro ano.
Experiência Pós-comercialização: registaram-se casos raros de reações de anafilaxia/anafilactides,
incluindo angioedema, em doentes, algumas horas após a administração de pegaptanib e de Vários
medicamentos que são administrados como parte da Técnica de preparação da injecção (ver secções
4.2 e 4.4).
4.9 Sobredosagem
Não foram observados casos de sobredosagem com Macugen em ensaios clínicos.
5. PROPRIEDADES FARMACOlógicAS
5.1 Propriedades farmacodinâmicas
Classe terapêutica : Outros medicamentos oftalmológicos; Código ATC: S01LA03.
O pegaptanib é um oligonucletido peguilado modificado, que se liga com elevada especificidade e
afinidade ao Factor de Crescimento Endotelial Vascular extracelular (VEGF165), inibindo a sua
atividade. O VEGF é uma proteína secretada que induz a angiognese, a permeabilidade vascular e a
inflamação; pensa-se que todas elas contribuem para a progressão da forma neovascular (hámida) da
DMI. O VEFG165 é a isoforma do VEFG preferencialmente envolvido na neurovascularização ocular
patológica. A inibição selectiva do pegaptanib em modelos animais demonstrou ser to eficaz a
suprimir a neovascularização patológica como inibição pan-VEFG, no entanto, pegabtanib respeitou a
vasculatura normal, enquanto que a inibição pan-VEGF não o fez. As reduções observadas no
crescimento da dimensão total média da lesão, a dimensão de Neovascularização da Coroideia (NVC)
e a dimensão da perda de fluorescena, foram demonstradas em doentes com DMI tratados com
Macugen.
O pegaptanib foi estudado em dois estudos controlados, com dupla ocultação, de desenho idntico e
aleatorizados (EOP1003; EOP1004) em doentes com DMI neovascular. Um total de 1190 doentes foi
tratado (892 com Macugen, 298 com simulação da administração do fármaco (controlo)), sendo a
média de idades de 77 anos. Os doentes receberam, em média, 8,4-8,6 tratamentos de um nmero total
possível de 9, transversal a todos os braos do tratamento no primeiro ano.
Os doentes foram distribudos aleatoriamente para receberem o controlo (simulação da administração
do fármaco) ou 0,3 mg, 1 mg, ou 3 mg de Macugen em injecções intravtreas a cada 6 semanas,
durante 48 semanas. Permitiu-se a utilização de terapia fotodinâmica com verteporfina (TFV),
consideração dos investigadores, nos doentes com lesões predominantemente clssicas.
Os dois ensaios envolveram doentes com todos os sub-tipos de lesões de DMI neovascular (25%
predominantemente clssicas, 39% ocultas sem lesões clssicas e 36% minimamente clssicas), de
dimenses de lesão até reas de 12 discos das quais mais de 50% poderiam estar comprometidas pela
existância de hemorragia subretinal e/ou, até 25%, pela existância de cicatrizes fibrticas ou danos
atróficos. Os doentes foram submetidos previamente a uma TDF e a acuidade visual basal estava
compreendida entre 20/40 e 20/320 no olho em estudo.
7
Ao fim de um ano, Macugen 0,3 mg demonstrou benefício teraPóutico estatisticamente significativo
em relação ao endpoint primrio de eficácia, proporção de doentes com perda da acuidade visual
inferior a 15 letras (análise de pool de dados pré-estabelecida, pegaptanib 0,3 mg 70% versus a
simulação da administração do fármaco 55%, p=0,0001; EOP 1003 pegaptanib a 0,3 mg 73% versus a
simulação da administração 59%, p= 0,0105; EOP 1004 pegaptanib a 0,3 mg 67% versus a simulação
da administração 52%, p=0,0031).
Alteração média na acuidade visual ao longo do tempo; Ano 1; ITT (LOCF)
-25
-20
-15
-10
-5
0
5
0 6 12 18 24 30 36 42 48 54
0.3 mg N=265
Sham N=272
Alteração da AV desde a semana 0 (em letras)
Ano 1
A
Semanas
Controlo N=272
N: nmero de doentes envolvidos
O pegaptanib a 0,3 mg apresentou benefício teraPóutico independentemente do sub-tipo de lesão,
dimensão da lesão e acuidade visual iniciais, bem como da idade, sexo, pigmentação da ris e
utilização anterior e/ou no perãodo inicial de TFV.
No final do primeiro ano (semana 54), 1053 doentes iniciais foram re-aleatorizados, por forma a
continuar ou a interromper o durante a semana 102.
Em média, os benefícios do tratamento mantiveram-se por 102 semanas com a manutenção da
acuidade visual dos doentes que foram re-aleatorizados para continuarem o tratamento com
pegaptanib. Os doentes que na re-aleatorização interromperam o tratamento com pegaptanib após um
ano, tiveram perdas da acuidade visual durante o segundo ano.
8
Resumo das alterações médias na acuidade visual relativamente aos valores basais
nas semanas 6, 12, 54 e 102 (LOCF)
EOP 1003 EOP 1004
0,3-0,3 0,3 descontinuação
Controlocontrolo/
controlo+
descontinuação
0,3-0,3 0,3 descontinuação
Controlocontrolo/
controlo+
descontinuação
N 67 66 54 66 66 53
Alteração
média na AV
Semana 6
-1,9 -0,0 -4,4 -1,9 -2,0 -3,4
Alteração
média na AV
Semana 12
-4,3 -2,0 -4,8 -2,8 -2,2 -4,7
Alteração
média na AV
Semana 54
-9,6 -4,3 -11,7 -8,0 -7,6 -15,6
Alteração
média na AV
Semana 102
-10,8 -9,7 -13,1 -8,0 -12,7 -21,1
Os dados do perãodo de 2 anos indicam que o tratamento com Macugen Deverá ser iniciado o mais
cedo possível. O potencial de visão do olho Deverá ser considerado no incio ou na continuação da
terapêutica com Macugen nos estadios mais avançados da doença.
a administração de Macugen simultaneamente em ambos os olhos não foi estudada.
A segurança e a eficácia de Macugen não foram estudadas em perãodos superiores a 2 anos.
5.2 Propriedades farmacocinéticas
Absorção:
Em animais, pegaptanib é absorvido lentamente para a circulação sistémica a partir do olho, após
Administração intravtrea. A velocidade de absorção a partir do olho é o passo limitante na
disponibilidade de pegaptanib em animais, e provável que também o seja no ser humano. No ser
humano, a semi-vida plasmática aparente média desvio padro de pegaptanib após uma dose
monocular de 3 mg (10 vezes a dose recomendada) é de 10 4 dias.
A concentração plasmática média máxima de cerca de 80 ng/ml ocorre 1 a 4 dias após uma dose
monocular de 3 mg, no ser humano. Com esta dose, a rea sob a curva da concentração plasmáticatempo
(AUC) média cerca de 25 g.h/ml. Pegaptanib não se acumula no plasma quando
administrado por via intravtrea a cada 6 semanas. Com doses inferiores a 0,5 mg/olho, improvável
que as concentrações plasmáticas de pegaptanib excedam os 10 ng/ml.
A biodisponibilidade absoluta de pegaptanib após Administração intravtrea não foi avaliada no ser
humano, mas é aproximadamente 70-100% no coelho, no co e no macaco.
Os modelos animais que receberam doses de pegaptanib até 0,5 mg/olho em ambos os olhos, as
concentrações plasmáticas atingiram 0,03% a 0,15% das registadas no humor vtreo.
9
Distribuição/Metabolismo/Excreção:
Em ratinhos, ratos, coelhos, ces e macacos, pegaptanib distribui-se principalmente no volume
plasmático e não se distribui extensivamente nos tecidos perifricos após Administração intravenosa.
Vinte e quatro horas após a administração intravtrea de uma dose de pegaptanib marcada
radioativamente em ambos os olhos de coelhos, a radioatividade distribuiu-se principalmente no
humor vtreo, retina e humor aquoso. após administrações intravtrea e intravenosa de pegaptanib
marcado radioativamente em coelhos, as concentrações de radioatividade mais elevadas (excluindo
o olho para a dose intravtrea) foram obtidas no rim. Nos coelhos, detecta-se o componente
nucletido, 2-fluoruridina no plasma e na urina, após doses únicas intravenosas e intravtreas de
Macugen marcado radioativamente. Pegaptanib metabolizado pelas endo- e exonucleases. Nos
coelhos, pegaptanib eliminado na sua forma inalterada e respectivos metabolitos, principalmente na
urina.
Populações especiais:
A farmacocinética do pegaptanib semelhante em mulheres e homens com idades compreendidas
entre os 50 e os 90 anos.
O pegaptanib não foi adequadamente estudado nos doentes com a depuração de creatinina acima de
20 ml/min. A diminuição da depuração da creatinina para valores inferiores a 20 ml/min pode estar
associada com um aumento de até 2,3 vezes a AUC do pegaptanib. Não são necessários cuidados
especiais em doentes com níveis de depuração de creatinina acima de 20 ml/min e que foram tratados
com a dose recomendada de 0,3 mg de pegaptanib sódico.
Não se estudou a farmacocinética do pegaptanib em doentes com insuficiência hepática. Espera-se
que a exposição sistémica esteja includa num intervalo bem tolerado em doentes com insuficiência
hepática, uma vez que uma dose 10 vezes superior (3 mg/olho) foi bem tolerada.
5.3 Dados de segurança pré-clínica
Os dados não-clínicos não revelaram riscos especiais para o ser humano, segundo estudos
convencionais de farmacologia de segurança, toxicidade de dose repetida e genotoxicidade. Não se
estudou o potencial carcinogúnico do pegaptanib.
O pegaptanib não produziu toxicidade materna nem evidência de teratogenicidade ou mortalidade
fetal em ratinhos com doses intravenosas de 1 a 40 mg/kg/dia. Observou-se peso corporal reduzido
(5%) e atraso mínimo na ossificação nas falanges das patas dianteiras; apenas em níveis de exposição
baseados numa AUC cerca de 300 vezes superior esperada em seres humanos. Assim, considera-se
que estes dados tém uma relevncia clínica limitada. No grupo com 40 mg/kg/dia, as concentrações de
pegaptanib no líquido amnitico corresponderam a 0,05% dos níveis plasmáticos maternos. Não
existem estudos de toxicidade reprodutiva em coelhos.
Não existem dados disponíveis para avaliar os ndices de acasalamento ou fertilidade masculinos e
femininos.
6. InformaçãES farmacêuTICAS
6.1 Lista dos excipientes
Cloreto de sódio
Fosfato monossódico mono-hidratado
Fosfato dissódico hepta-hidratado
Hidróxido de sódio
ácido clordrico
água para preparações injetáveis.
10
6.2 Incompatibilidades
Na ausência de estudos de compatibilidade, este medicamento não deve ser misturado com outros
medicamentos.
6.3 Prazo de validade
18 meses.
6.4 Precauções especiais de conservação
Conservar no frigorfico (2C-8oC). Não congelar.
6.5 Natureza e conteúdo do recipiente
Macugen apresenta-se numa embalagem de dose única.
Cada embalagem contém uma bolsa acondicionada numa cartonagem contendo uma seringa pré-cheia
de vidro Tipo 1de 1 ml, selada com uma rolha de elastémero e uma haste do mbolo pré-fixa, segura
por grampo de plástico. A seringa tem um adaptador de plástico de policarbonato pré-fixo
demoninado luer lock e a extremidade selada com uma cápsula de fecho de elastémero A
embalagem fornecida sem a agulha.
6.6 Precauções especiais de eliminação
Macugen destina-se apenas a uma utilização única. Não utilizar Macugen se a solução se apresentar
turva, se observarem partculas ou se houver evidência de danos na seringa ou se a seringa não tiver
um grampo de plástico ou se o mesmo não estiver fixo seringa.
Antes da administração, a seringa deve ser removida do grampo de plástico e a cápsula de fecho
removida. Uma agulha de 27 ou 30 G x polegadas deve ser adicionada ao adaptador luer lock, para
permitir a administração do medicamento.
A seringa Deverá ser inspeccionada, direccionando a agulha para cima para identificar a presença de
bolhas. Se existirem bolhas, deverão aplicar-se pequenos toques com o dedo até que estas atinjam a
parte superior da seringa. Posteriormente, Deverá empurrar-se suavemente o mbolo para cima para
forar a saída das bolhas. O mbolo rolha não deve ser puxado para três.
A parte final do mbolo rolha (mais próxima da haste do mbolo) não deve ser puxada para três da
linha da dose, impressa na seringa. Imediatamente antes da administração, esta parte da rolha mais
próxima da haste do mbolo deve ser alinhada com a linha da dose, de modo a assegurar que
administrada a dose correcta. Nesta altura Deverá ser injectado todo o conteúdo da seringa.
Macugen deve ser conservado no frigorfico. A solução a injectar Deverá atingir a temperatura
ambiente antes da administração. Macugen deve ser rejeitado se for conservado temperatura
ambiente durante mais de 2 semanas. De forma a prevenir a contaminação, a seringa de Macugen s
deve ser retirada da bolsa quando o doente estiver pronto para a injecção.
Os produtos não utilizados ou os resduos devem ser eliminados de acordo com as exigncias locais.
11
7. Fabricante :
Pfizer Limited
Ramsgate Road
Sandwich, Kent
CT13 9NJ
Reino Unido
8. NMERO(S) DA AUTORIZAção DE INTRODUção NO MERCADO
EU/1/05/325/002
9. DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAção/RENOVAção DA AUTORIZAção DE
INTRODUção NO MERCADO
31/01/2006
10. DATA DA REVIsão DO TEXTO
MM/YYYY
Informação pormenorizada sobre este medicamento está disponível na Internet no site da Agncia
Europeia do Medicamento (EMEA) http://www.emea.europa.eu/
12
ANEXO II
A. TITULAR(ES) DE AUTORIZAção DE FABRICO
responsável(EIS) PELA LIBERTAção DO LOTE
B. CONDIções DA AUTORIZAção DE INTRODUção NO
MERCADO
13
A TITULAR(ES) DE AUTORIZAção DE FABRICO responsável(IES) PELA
LIBERTAção DO LOTE
Nome e endereo do(s) fabricante(s) responsável(veis) pela libertação do lote
Pfizer Ireland Pharmaceuticals
Pottery Road
Dun Loghaire
Co Dublin
Ireland
B. CONDIções DA AUTORIZAção DE INTRODUção NO MERCADO
CONDIções OU RESTRIções RELATIVAS AO FORNECIMENTO E utilização
IMPOSTAS AO Fabricante :
Medicamento de receita médica restrita, de utilização reservada a certos meios especializados (ver
anexo I: Resumo das Características do Medicamento, secção 4.2.)
CONDIções OU RESTRIções RELATIVAS utilização SEGURA E EFICAZ
DO MEDICAMENTO
O Fabricante : deve implementar nacionalmente, antes de
iniciar a comercialização, e tal como acordado com as autoridades competentes dos Estados
Membros:
Um plano educacional para médicos e tcnicos de Saúde, que se destina a minimizar o risco e
apoiar a utilização segura e eficaz do medicamento. Este plano Deverá consistir de medidas
destinadas a minimizar os acontecimentos adversos associados ao procedimento de injecção
intravtrea (por exemplo, endoftalmite) através de educação adequada acerca de:
a) O procedimento intravtreo tal como foi realizado nos ensaios clínicos piloto
b) Técnicas estáreis para minimizar o risco de infecção
c) utilização de antibióticos
d) utilização de iodopovidona
e) Realização de limpeza das Pólpebras
f) utilização de anestásicos para assegurar o conforto do doente
g) Técnicas para a injecção intravtrea
h) Gerir a pressão intraocular (PIO)
i) Gerir a endoftalmite
j) Compreender os factores de risco envolvidos no desenvolvimento de endoftalmite
k) Reporte de acontecimentos adversos graves
Um plano educacional para doentes, que se destina a minimizar o risco e apoiar a utilização
segura e eficaz do medicamento. Este plano Deverá consistir de medidas para fornecer
educação adequada acerca de:
l) Principais sinais e sintomas de acontecimentos adversos graves associados Técnica de injecção
intravtrea
m) Quando procurar assistência médica com urgência
14
OUTRAS CONDIções
Sistema de Farmacovigilância
O Fabricante : tem de assegurar que o sistema de
farmacovigilância, descrito na versão 2.0 includa no Mdulo 1.8.1 do pedido de Autorização de
Introdução no Mercado, está implementado e em funcionamento antes do incio da comercialização
do medicamento, e durante o perãodo em que o medicamento esteja a ser comercializado.
Plano de Gestáo do risco
O Fabricante : comprometeu-se a realizar e monitorizar os
estudos que estáo detalhados no plano de gestáo de risco, que são parte do plano de
Farmacovigilância.
Adicionalmente, o Fabricante : comprometeu-se a fornecer uma
proposta de metodologia para avaliar a eficácia das medidas de minimização de risco na EU,
incluindo datas para essa avaliação. Esta proposta deve estar em linha com a norma orientadora sobre
Sistemas de Gestáo de Risco para Medicamentos de uso Humano e deve ser submetida nos 30 dias
após a Decisão da Comissão.
15
ANEXO III
ROTULAGEM E BULA INFORMATIVA
16
A. ROTULAGEM
17
IndicaçõesA INCLUIR NO ACONDICIONAMENTO secundáriO
Cartonagem
1. NOME DO MEDICAMENTO
Macugen 0,3 mg solução injetável
pegaptanib sódico
2. DESCRIção DA(S) SUBstânCIA(S) ativa(S)
Uma seringa pré-cheia de dose única dispensa 1,65 mg de pegaptanib sódico, correspondente a 0,3 mg
de ácido livre do oligonucletido, num volume nominal de 90 microlitros.
3. LISTA DOS EXCIPIENTES
Cloreto de sódio, fosfato sódico monobásico mono-hidratado, fosfato sódico dibásico heptahidratado,
hidróxido de sódio, ácido clordrico e água para preparações injetáveis.
4. FORMA farmacêuTICA E CONTeúdO
Solução injetável, 90 ?l.
Esta embalagem contém uma seringa pré-cheia, um mbolo rolha e uma haste do mbolo pré-fixa e
fornecida sem agulha
5. MODO E VIA(S) DE Administração
Uso intravtreo. Leia o BULA INFORMATIVA antes de utilizar.
6. Advertência ESPECIAL DE QUE O MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO
FORA DO ALCANCE E DA VISTA DAS crianças
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
7. OUTRAS AdvertênciaS ESPECIAIS, SE NECESsário
8. PRAZO DE VALIDADE
VAL.:
9. CONDIções ESPECIAIS DE CONSERVAção
Conservar no frigorfico. Não congelar.
18
10. CUIDADOS ESPECIAIS QUANTO ELIMINAção DO MEDICAMENTO NO
UTILIZADO OU DOS RESDUOS PROVENIENTES DESSE MEDICAMENTO, SE
APLICVEL
11. NOME E ENDEREO DO Fabricante :
Pfizer Limited
Ramsgate Road
Sandwich, Kent
CT13 9NJ
Reino Unido
12. NMERO(S) DA AUTORIZAção DE INTRODUção NO MERCADO
EU/1/05/325/002
13. NMERO DO LOTE
Lote:
14. CLASSIFICAção QUANTO DISPENSA AO PóBLICO
Medicamento sujeito a receita médica.
15. INSTRUções DE utilização
16. InformaçãO EM BRAILLE
A justificação para não incluir a informação em Braille foi aceite.
19
IndicaçõesmínimaS A INCLUIR EM PEQUENAS UNIDADES DE
ACONDICIONAMENTO PRIMRIO
Seringa pré-cheia
1. NOME DO MEDICAMENTO E VIA(S) DE Administração
Macugen 0,3 mg injetável
pegaptanib
2. MODO DE Administração
3. PRAZO DE VALIDADE
4. NMERO DO LOTE
5. CONTeúdO EM DE PESO, VOLUME OU UNIDADE
90 l
6. OUTRAS
20
IndicaçõesmínimaS A INCLUIR EM PEQUENAS UNIDADES DE
ACONDICIONAMENTO PRIMRIO
Bolsa que contém a seringa pré-cheia, um mbolo rolha e a haste do mbolo pré-fixa
1. NOME DO MEDICAMENTO
Macugen 0,3 mg solução injetável
pegaptanib sódico
Uso intravtreo.
2. MODO DE Administração
3. PRAZO DE VALIDADE
VAL.:
4. NMERO DO LOTE
Lote:
5. CONTeúdO EM TERMOS DE PESO, VOLUME OU UNIDADE
90 ?l
6. OUTRAS
A bolsa não deve ser aberta até o doente estar preparado para a injecção.
Pfizer
21
B. BULA INFORMATIVA
22
Macugen 0,3 mg solução injetável
Pegaptanib sódico
Leia atentamente este folheto antes de iniciar o seu tratamento com Macugen.
-
- Caso ainda tenha dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.
1. O que Macugen e para que é utilizado
2. Antes de utilizar Macugen
3. Como que a injecção intravtrea de Macugen é administrada
4. Efeitos secundários possveis
5. Como conservar Macugen
6. Outras Informações
1. O QUE MACUGEN E PARA QUe é utilizado
Macugen É um medicamento oftálmico, o que significa que é apenas para tratamento do olho. é uma
solução injetável contida numa seringa pré-cheia de vidro. O seu médico administrar-lhe-é a
injecção.
Macugen é utilizado para o tratamento da forma hámida da degeneração macular relacionada com a
idade (DMI). Esta doença leva perda de visão resultante da lesão na parte central da retina
(designada de mcula), na parte posterior do olho. A mcula proporciona ao olho a capacidade de
oferecer uma visão central ntida, que necessária para atividades como conduzir veículos, ler
impresses de grande definição e outras tarefas semelhantes.
Na forma hámida da degeneração macular relacionada com a idade, desenvolvem-se vasos sanguíneos
anmalos, sob a retina e mcula. Estes novos vasos sanguíneos podem sangrar e derramar fluido,
causando uma salincia ou elevação da mcula, distorcendo ou destruindo a visão central. Nestas
circunstâncias, a perda de visão poderá ser rápida e grave. Macugen Atua inibindo o desenvolvimento
destes vasos sanguíneos anmalos e detendo a hemorragia e o derrame. Macugen é utilizado para o
tratamento de todos os tipos de crescimento de vasos sanguíneos anmalos em doentes com
degeneração macular relacionada com a idade.
Cada embalagem de Macugen contém uma seringa pré-cheia, um mbolo rolha de elastémero e uma
haste do mbolo pré-fixa dentro de uma bolsa selada. A seringa pré-cheia apenas utilizada uma vez,
sendo depois eliminada.
2. ANTES DE UTILIZAR MACUGEN
Não utilize Macugen:
Se tem hipersensibilidade (alergia) ao pegaptanib sódico ou a qualquer outro componente de
Macugen.
Se tem uma infecção dentro ou em volta do olho.
23
Tome especial cuidado com Macugen:
Por favor contacte o seu médico no caso de ser alérgico a qualquer substância.
Macugen é administrado através de uma injecção no olho. Pode ocorrer ocasionalmente uma infecção
na porção interna do olho após o tratamento com Macugen (nas duas semanas seguintes).
importante identificar e tratar este tipo de infecções o mais rapidamente possível. Por favor contacte
imediatamente o seu médico, caso repare em algum dos seguintes sintomas: dor no olho ou aumento
do desconforto, agravamento da vermelhidão do olho, visão turva ou diminuída, aumento da
sensibilidade luz, aumento do nmero de pequenas partculas na sua visão. No caso de não
conseguir contactar o seu médico por qualquer razo, Deverá contactar imediatamente um médico
substituto.
Em alguns doentes pode ocorrer um aumento da pressão no interior do olho tratado durante um curto
perãodo após a injecção. O seu médico pode monitorizar a pressão intra-ocular após cada injecção.
Utilizar Macugen com outros medicamentos:
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros
medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.
Gravidez:
Não há experiência de utilização de Macugen em mulheres grávidas; desta forma, desconhece-se o
potencial risco para o ser humano. Se está grávida ou planeia engravidar, por favor fale com o seu
médico antes de iniciar o tratamento com Macugen.
Aleitamento:
Desconhece-se se o Macugen excretado no leite humano. Não se recomenda a administração de
Macugen durante o aleitamento. Aconselhe-se com o seu médico ou farmacêutico antes do tratamento
com Macugen.
Condução de veículos e utilização de máquinas:
poderá sentir temporariamente a visão turva após a administração de Macugen. Neste caso, não
conduza nem utilize máquinas até ao desaparecimento dos sintomas.
3. COMO QUE A INJECção INTRAVTREA DE MACUGEN é aDMINISTRADA
Todas as injecções de Macugen serão administradas pelo seu médico.
Macugen é administrado através de uma injecção única dentro do seu olho, de 6 em 6 semanas (isto ,
9 vezes por ano). A injecção é administrada no vtreo do olho, que é a substância gelatinosa que existe
no interior do olho. O seu médico irá monitorizar o seu estado e recomendar a duração do tratamento
com Macugen.
Antes de iniciar o tratamento, o seu médico poderá pedir-lhe para utilizar um Colírio com antibiótico,
ou para lavar cuidadosamente os seus olhos. Por favor contacte o seu médico no caso de ser alérgico a
qualquer substância. Deverá seguir rigorosamente estas instruções.
Antes de administrar a injecção, o seu médico aplicar-lhe-é um anestásico local (medicamento que
provoca entorpecimento). Isto irá reduzir ou prevenir qualquer dor que possa vir a sentir com a
injecção, que é um procedimento rpido e simples.
após cada injecção poder-lhe- ser pedido para utilizar um Colírio com antibiótico (ou outro tipo de
tratamento antibiótico) para prevenir uma infecção ocular.
Caso se tenha esquecido de comparecer a uma consulta:
Contacte o hospital ou clínica o mais rapidamente possível para remarcar a sua consulta.
24
4. Efeitos secundários possíveis Como os demais medicamentos, Macugen pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se
manifestam em todas as pessoas. Os efeitos secundários registados mais frequentemente (que
ocorreram em mais de um em cada 10 doentes, em ensaios clínicos), foram, provavelmente, causados
pela Técnica de injecção em vez de pelo medicamento, e incluram: inflamação ocular, dor ocular,
aumento da pressão no interior do olho, pequenas marcas na superfcie do olho (queratite pontuada),
pequenas partculas ou manchas na sua visão (manchas flutuantes ou opacidades vtreas). .
Ocasionalmente, pode ocorrer uma infecção na porção interna do olho durante duas semanas após o
tratamento com Macugen. Os sintomas que poderá vir a sentir estáo descritos na secção 2 deste
folheto (Tome especial cuidado com Macugen). Por favor, leia a secção 2 que lhe dar informaçães
sobre como proceder se ocorrerem estes sintomas.
Registaram-se outros efeitos secundários frequentes no olho, possivelmente relacionados com o
medicamento ou com a Técnica de injecção (ocorreram em mais que um de 100 doentes em ensaios
clínicos), nomeadamente: visão turva, distúrbios visuais, desconforto ocular, diminuição da visão,
aumento da sensibilidade luz, aparecimento de luzes a piscar, hemorragia em torno do olho
(hemorragia periorbitéria), olho vermelho (hemorragia conjuntival), distúrbio da parte interna
gelatinosa do olho (doença vtrea) tais como deslocamento ou lesão (deslocamento do corpo vtreo),
opacificação do cristalino (catarata), distúrbio da superfcie do olho (crnea), inchao ou inflamação
das Pólpebras , inchao da rea interna da Pólpebra ou da superfcie externa do olho (conjuntiva),
inflamação ocular, lgrimas, inflamação da conjuntiva (conjuntivite), secura, descargas oculares,
irritação do olho, comicháo no olho, olho vermelho ou dilatação da pupila.
Outros efeitos secundários frequentes não visuais, possivelmente relacionados com o medicamento ou
com a Técnica de injecção (ocorreram em mais que um de 100 doentes em ensaios clínicos) incluram:
dor de cabeça ou descarga nasal.
Os efeitos secundários oculares pouco frequentes, possivelmente relacionados com o medicamento ou
com a Técnica de injecção, (ocorreram em menos que um em100 doentes mas mais que um em 1000
doentes em ensaios clínicos) incluram: inflamação do olho ou da superfcie externa do olho,
hemorragia no olho ou na parte interna do olho (corpo vtreo), lesão ocular, inflamação da parte
central da superfcie do olho (queratite), pequenos dePósitos no olho ou na superfcie do olho
(crnea), dePósitos na parte posterior do olho, comicháo nas Pólpebras, perturbações na reação do
seu olho luz (reflexo pupilar diminuído), pequena erosão na parte central da superfcie do olho
(crnea), Pólpebra descada, cicatriz no interior do olho (cicatriz da retina), pequeno alto na Pólpebra
devido a inflamação (calzio), diminuição da pressão no interior do olho, reação no local de injecção,
vesculas no local de injecção, deslocação ou ruptura de uma camada na parte posterior do olho
(retina), afecção da pupila, da parte colorida do olho (ris), oclusão da artria retinal, inversão da
Pólpebra, alteração do movimento do olho, irritação da Pólpebra, sangue no olho, olho descolorido,
dePósito no olho, inflamação do olho (irite), formação de uma cavidade no nervo ptico, deformação
da pupila, oclusão da veia na parte posterior do olho, descarga do interior gelatinoso do olho.
Outros efeitos secundários pouco frequentes não visuais, relacionados com o medicamento ou com a
Técnica de injecção (ocorreram em menos que um de 100 mas mais que um de 1000 doentes em
ensaios clínicos) incluram: pesadelos, depressão, surdez, vertigem, palpitações, aumento da pressão
arterial, dilatação da aorta (o principal vaso sanguíneo), inflamação do trato respiratério superior,
vômitos, indigestáo, irritação e inflamação da pele, alterações da cor do cabelo, erupção cutânea,
suores nocturnos com comicháo, dor nas costas, fadiga, tremuras, flacidez, dor no peito, febre sbita,
dor generalizada, aumento das enzimas hepáticas, abrasão.
25
Em alguns casos raros registou-se uma reação alérgica grave logo após a injecção. Por favor procure
ajuda médica imediata caso apresente os seguintes sintomas logo após a injecção: dificuldade sbita
em respirar ou sibilos, boca, face, mos ou Pós inchados, pele irritada, desmaio, pulso acelerado,
cãibras no estômago, náuseas, vômitos ou diarreia.
Caso detecte efeitos secundários não mencionados neste BULA INFORMATIVA, informe o seu médico ou
farmacêutico.
5. COMO CONSERVAR MACUGEN
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Conservar no frigorfico (2C 8C).
Não congelar.
Macugen deve ser rejeitado se for conservado temperatura ambiente durante mais de 2 semanas.
Não utilize Macugen após expirar o prazo de validade indicado no rótulo e na cartonagem.
Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu
farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a
proteger o ambiente.
6. Outras Informações
Qual a composição de MACUGEN
- A substância ativa é pegaptanib sódico. Cada seringa pré-cheia de dose única dispensa uma
dose de 0,3 mg de pegaptanib.
- Os outros componentes são cloreto de sódio, fosfato monossódico mono-hidratado, fosfato
dissódico hepta-hidratado, hidróxido de sódio, ácido clordrico e água para preparações
injetáveis.
Qual o aspecto de MACUGEN e conteúdo da embalagem:
Macugen apresenta-se numa embalagem de dose única.
Cada embalagem contém uma bolsa acondicionada numa cartonagem contendo uma seringa pré-cheia
de vidro Tipo 1de 1 ml, selada com uma rolha de elastémero e uma haste do mbolo pré-fixa, segura
por grampo de plástico. A seringa tem um adaptador de plástico de policarbonato pré-fixo
demoninado luer lock e a extremidade selada com uma cápsula de fecho de elastémero. A
embalagem fornecida sem a agulha.

Fabricante :

Fabricante : s Pfizer Ltda.

Rua Alexandre Dumas, 1860 - Santo Amaro
São Paulo - SP
(11) 5185-8500

Medicamentos do mesmo fabricante :

Aricept, Arthrotec, Cardura, Dalacin t, Depo medrol, Depo provera 1000, Detrusitol comprimidos, Detrusitol retard, Diflucan solução, Diflucan, Discotrine, Fasigyn, Feldene gel, Genotropin 53, Genotropin miniquick, Genotropin mixer, Macugen 3, Provera, Sortis, Zeldox solução, Zithromax


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.