Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Macugen - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Pegaptanibe sódico

Nome genréico: pegaptanibe sódico Forma farmacêutica: solução para injeção intravtrea Via de Administração: intravtrea

Apresentação : Macugen 0,3 mg, solução para injeção intravtrea em dose única. Cada embalagem contém 1 envelope com 1 seringa pré-enchida e 1 agulha + 1 envelope contendo 1 mbolo e 1 trava (guia).

USO ADULTO

composição:

Cada seringa pré-enchida de dose única de Macugen contém uma solução de 3,47 mg/ml, que permite a administração de um volume utilizvel de 90 microlitros da solução correspondente a uma dose de 0,3 mg de pegaptanibe sódico (na forma de ácido livre do oligonucleotdeo).
Excipientes: fosfato de sódio monobásico monoidratado, fosfato de sódio dibásico heptaidratado, cloreto de sódio e água para injetíveis.

PARTE II

Informações ao paciênte Ação DO MEDICAMENTO

Macugen (pegaptanibe sódico) é utilizado para tratamento da forma mida da degeneração macular relacionada idade. Esta doença causa perda da visão decorrente do dano ocasionado parte central da retina (chamada de mcula), no fundo do olho. A mcula possibilita ao olho ter a visão central fina (acurada) necessária para se dirigir um carro, ler impressos com letras pequenas e outras tarefas semelhantes.
Na forma mida da degeneração macular relacionada idade, vasos sanguíneos anormais crescem sob a retina e a mcula. Esses novos vasos sanguíneos anormalmente formados podem levar a um sangramento e/ou extravasamento de líquido, causando salincias ou protuberncias na mcula, distorcendo ou destruindo a visão central. Nestas circunstâncias, a perda da visão pode ser rápida e grave. Macugen age inibindo o crescimento desses vasos sanguíneos anormais e prevenindo o sangramento e o extravasamento de líquido.

Indicação :

Macugen (pegaptanibe sódico) é indicado para tratamento de degeneração macular neovascular (mida) relacionada idade.

RISCOS DO MEDICAMENTO

Contra indicação :

Macugen (pegaptanibe sódico) É contra indicado caso voc seja hipersensível (alérgico) ao pegaptanibe sódico ou a qualquer componente da fórmula, ou se voc suspeitar ou apresentar infecção no olho ou em volta do olho.
Advertências
Macugen deve ser administrado apenas por injeção intravtrea.
Informe ao seu médico caso voc tenha problemas renais (função reduzida) ou necessite de hemodilise, porque Macugen não foi estudado de modo sistemático em pacientes apresentando estes problemas. Informe ao seu medico caso voc tenha problemas hepáticos (função reduzida do fgado), pois Macugen não foi estudado nestes pacientes.
Existe um pequeno risco de endoftalmite (infecção dentro do olho) associada a qualquer procedimento por injeção intravtrea. Informe ao seu médico o mais rpido possível se apresentar qualquer sintoma sugestivo de endoftalmite. Estes sintomas incluem dor nos olhos, fotofobia (desconforto nos olhos na presença da luz), redução da acuidade visual, embaamento visual, edema (inchao) de Pólpebra.
A segurança e eficácia de Macugen ainda não foram avaliadas em pacientes com problemas visuais devido a diabetes mellitus, doença vascular periférica e derrame.
Macugen não foi estudado para uso em pacientes com idade inferior a 40 anos.
Raros casos de anafilaxia/reações anafilactides (reações alérgicas graves), incluindo angioedema, foram relatados na experiência Pós-comercialização após a administração intravtrea de Macugen. Neste caso não foi estabelecida uma relação direta com Macugen ou com qualquer outro medicamento utilizado na preparação para a injeção. A relação direta com outros fatores também não foi estabelecida (vide “Modo de Uso – Instruções para Uso”).

Uso durante a Gravidez

Macugen não foi estudado em mulheres grávidas.
Macugen deve ser utilizado durante a gravidez apenas se o benefício potencial me justificar o risco potencial ao feto.
Informe ao seu médico a Ocorrência de gravidez ou caso esteja planejando ficar grávida.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgio-dentista.

Uso durante a Lactação

Ainda não se sabe se Macugen excretado no leite humano. Mulheres amamentando devem ter cautela já que muitos fármacos são excretados no leite materno. Informe ao seu médico caso esteja amamentando.

Efeitos na Habilidade de Dirigir e Operar máquinas

Pode ser que voc sinta a visão ficar turva após a aplicação de Macugen por injeção intravtrea. Se isto ocorrer, não dirija veículos ou opere máquinas até sentir que sua visão esteja normalizada.

Precauções :

Vide “Advertências”.

Interação Medicamentosa :

Informe ao seu médico se estiver tomando ou se tiver tomado recentemente qualquer outro medicamento.

MACUGEN NO FOI ESTUDADO PARA USO EM PACIENTES COM IDADE INFERIOR A 40 ANOS.
INFORME AO SEU médico OU CIRURGIO-DENTISTA O APARECIMENTO DE reações indesejáveIS.
INFORME AO SEU médico OU CIRURGIO-DENTISTA SE VOC está FAZENDO USO DE ALGUM OUTRO MEDICAMENTO.
NO USE MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU médico, PODE SER PERIGOSO PARA SUA Saúde.

MODO DE USO

Instruções para Uso

Somente o oftalmologista com experiência em Administração intravtrea deve aplicar Macugen (pegaptanibe sódico).
Macugen é administrado através de uma injeção no olho a cada 6 semanas (isto , 9 injeções por ano). Seu médico deve monitorar suas condições e decidir quanto duração do tratamento.
Macugen É um medicamento de uso único. O medicamento não deve ser utilizado se a solução estiver turva, com partculas ou se a seringa estiver danificada.
Informe ao seu médico sobre todos os casos de alergia pelos quais voc já passou. O seu médico deve avaliar todos esses casos antes de realizar a aplicação (vide “reações Adversas”).
Macugen (no envelope) deve ser utilizado dentro de um perãodo de 8 horas após a retirada do refrigerador. A seringa pré-enchida deve estar na temperatura ambiente para a administração. Macugen (no envelope) deve ser descartado, caso seja mantido em temperatura ambiente por um perãodo superior a 8 horas. Porêm, se Macugen (no envelope) for mantido em temperatura ambiente por menos de 8 horas, ele pode ser refrigerado novamente se necessário. Para evitar contaminação, a seringa de Macugen não deve ser removida do envelope até que voc esteja preparado para o procedimento, e o medicamento esteja pronto para ser administrado.
Se a seringa estiver fora do envelope e não for usada, ela deve ser descartada. Macugen não deve ser refrigerado novamente se a seringa for retirada do envelope. Qualquer produto não usado ou que tenha sobrado deve ser devidamente descartado.

Modo de Usar :

Macugen é uma solução clara e incolor.
Macugen deve ser utilizado uma vez a cada 6 semanas por via intravtrea (9 injeções ao ano).
a administração concomitante de Macugen em ambos os olhos ainda não foi estudada. A segurança e eficácia de Macugen não foram avaliadas após 2 anos de uso. Uso em Pacientes com Insuficiência hepática. Macugen não foi estudado em pacientes com insuficiência hepática . Porêm, não são necessárias considerações especiais nestes casos (vide “Propriedades Farmacocinéticas – Populações Especiais – Insuficiência hepática”).

Uso em Pacientes com Insuficiência Renal

Macugen não foi estudado sistematicamente em pacientes com insuficiência renal grave (clearance de creatinina < 30 ml/min). Não há necessidade de considerações especiais em pacientes com clearance de creatinina < 30 ml/min (vide “Propriedades Farmacocinéticas – Populações Especiais – Insuficiência Renal”).

Sexo

Não são necessárias considerações especiais (vide “Propriedades Farmacocinéticas – Populações Especiais – Sexo”).

Uso em Crianças e Adolescentes

Os estudos clínicos contemplaram pacientes acima de 40 anos de idade.

Instruções no Esquecimento da Dose

Caso voc esquea ou não possa comparecer É consulta para a aplicação de Macugen, entre em contato o mais rpido possível com o seu médico para agendar uma nova consulta.

SIGA A ORIENTAção DO SEU médico, RESPEITANDO SEMPRE OS HORRIOS, AS DOSES E A DUração DO TRATAMENTO.
NO INTERROMPA O TRATAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU médico.
NO USE O MEDICAMENTO COM O PRAZO DE VALIDADE VENCIDO. ANTES DE USAR, OBSERVE O ASPECTO DO MEDICAMENTO.

reações ADVERSAS

Psiquitricos: pesadelos e depressão.
Sistema Nervoso: cefaleia (dor de cabeça).
distúrbios Visuais: as reações adversas a seguir foram consideradas potencialmente relacionadas ao tratamento com Macugen (pegaptanibe sódico) (tanto ao procedimento de injeção como ao prprio Macugen), sendo a maioria considerada relacionada ao procedimento injetível: inflamação da cmara anterior, dor ocular, aumento da pressão dentro do olho, ceratite pontilhada (um tipo de inflamação da crnea), “moscas volantes” (pontos escuros no campo visual), opacidade vtrea, sensação anormal no olho, catarata, hemorragia na conjuntiva, vermelhidão na conjuntiva, edema (inchao) na conjuntiva, conjuntivite (inflamação ou infecção na conjuntiva), distrofia da crnea (alteração da estrutura da crnea), defeito ou distúrbio no epitélio (camada superficial) da crnea, edema (inchao) de crnea, secura, endoftalmite (inflamação dentro do olho), extravasamento, inflamação, irritação, prurido (coceira), vermelhidão ou inchao do olho, edema (inchao) de Pólpebra, aumento do lacrimejamento, degeneração macular, midrase (pupila dilatada), desconforto ocular, aumento da pressão no olho, hematoma periorbital, fotofobia (irritação na presença de luz), fotopsia (sensação de ver luzes ou cores cintilantes), hemorragia na retina, visão turva, acuidade visual reduzida, distúrbio visual, descolamento do vtreo, distúrbio vtreo, astenopia (cansaço visual), blefarite (inflamação da Pólpebra), conjuntivite alérgica, dePósitos na crnea, hemorragia no olho, prurido (coceira) na Pólpebra, ceratite, hemorragia vtrea e diminuição do reflexo da pupila, abrasão da crnea, exsudatos (acmulo de líquido) da retina, ptose (queda) da Pólpebra, cicatriz na retina, calzio (tersol), erosão da crnea, diminuição da pressão dentro do olho, reação no local da injeção, vesculas no local da injeção, descolamento da retina, distúrbio da crnea, oclusão da artria da retina, ruptura da retina, ectrpio (exposição da parte interna da Pólpebra), distúrbio de movimento do olho, irritação na Pólpebra, hifema (sangue coletado atrês da crnea), distúrbio na pupila, distúrbio da ris, icterícia no olho, uvete (inflamação da vea) anterior, dePósito no olho, irite (inflamação da ris), aumento da escavação do nervo ptico, deformidade da pupila, oclusão da veia da retina e prolapso (extravasamento) vtreo.
Ouvido e Labirinto: surdez, agravamento da doença de Mnire e vertigem. cardíacos: palpitações.
Vasculares: hipertensão (pressão alta) e aneurisma artico (bolsa formada pela dilatação da parede de uma artria).
Sistema Respiratério, Torcico e Mediastino: rinorria (corrimento nasal) e nasofaringite.
Gastrintestinais: vômitos e dispepsia (indigestáo).
Pele e Tecido Subcutâneo: dermatite de contato (reação alérgica da pele a substâncias), eczema (dermatite crônica), alterações na cor do cabelo, rash (erupção na pele), prurido (coceira) e sudorese noturna.
mêsculo-esqueltico e do Tecido Conjuntivo: dor nas costas. Gerais e Condições no Local de Administração: fadiga, rigidez, sensibilidade, dor torácica e doença tipo gripe.
Testes Laboratoriais: aumento nos níveis de gama-glutamiltransferase (enzima encontrada no fgado).
Lesão, Envenenamento e Complicações do Procedimento: abrasão.
Experiência Pós-comercialização
Raros casos de anafilaxia/reações anafilactides, incluindo angioedema, foram relatados em pacientes após Administração de Macugen junto com Vários outros medicamentos administrados na preparação para a injeção (vide “Modo de Uso – Instruções para Uso e Advertências”).

ATENção: ESTE É um medicamento NOVO E, EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO eficácia E segurança ACEITVEIS PARA COMERCIALIZAção, EFEITOS indesejáveIS E NO CONHECIDOS PODEM OCORRER. NESTE CASO, INFORME AO SEU médico.

CONDUTAS EM CASO DE SUPERDOSE

Foram estudadas doses de Macugen (pegaptanibe sódico) até 10 vezes maiores que a dose recomendada de 0,3 mg e não foram observados eventos adversos adicionais.

CUIDADOS DE CONSERVAção E USO
Macugen (pegaptanibe sódico) deve ser armazenado sob refrigeração (entre 2 e 8°C). Não congelar.
Macugen (no envelope) deve ser utilizado dentro de um perãodo de 8 horas após a retirada do refrigerador. A seringa pré-enchida deve estar na temperatura ambiente para a administração. Macugen (no envelope) pode ser refrigerado novamente desde que não fique em temperatura ambiente por mais de 8 horas. Caso exceda esse perãodo, Macugen (no envelope) deve ser descartado. A retirada do refrigerador e a nova refrigeração do produto deve ser feita apenas se necessário e pelo menor nmero de vezes possível.
Para evitar contaminação, a seringa de Macugen não deve ser removida do envelope até que voc esteja preparado para o procedimento, e o medicamento esteja pronto para ser administrado.
Se a seringa estiver fora do envelope e não for usada, deve ser descartada. Macugen não deve ser refrigerado novamente se a seringa for retirada do envelope.
Qualquer produto não utilizado ou material residual deve ser devidamente descartado.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. PARTE III Informações Técnicas AOS PROFISSIONAIS DE Saúde Características

FARMACOlógicAS

Propriedades Farmacodinâmicas

O pegaptanibe sódico é um oligonucleotdeo polietilenoglicolado modificado que se liga ao Fator de Crescimento Endotelial Vascular (VEGF)165 extracelular com alta especificidade e afinidade, inibindo sua atividade. O VEGF é uma proteína secretada que induz a angiognese, a permeabilidade vascular e a inflamação. Acredita-se que esses 3 processos contribuam para a progressão da forma neovascular (mida) da degeneração macular relacionada idade. O VEGF165 é a isoforma do VEGF preferencialmente envolvida na neovascularização ocular patológica. A inibição seletiva em animais tratados com pegaptanibe sódico comprovou ser to eficaz na supressão da neovascularização patológica quanto a inibição produzida pelo pan-VEGF; entretanto pegaptanibe sódico poupou a vasculatura normal, o que não ocorreu com o pan-VEGF. As reduções de crescimento do tamanho mdio total da lesão, do tamanho da Neovascularização Coroidal (NVC) e do tamanho de vazamento de fluorescena, decorrentes dos efeitos anti- angiogúnico e de anti-permeabilidade na retina, foram todos demonstrados nos pacientes com degeneração macular relacionada idade tratados com pegaptanibe sódico.

Propriedades Farmacocinéticas

Absorção

Em animais, o pegaptanibe lentamente absorvido na circulação sistémica a partir do olho, após Administração intravtrea. A velocidade de absorção a partir do olho é a etapa limitante da velocidade de distribuição do pegaptanibe em animais e provável que o seja também em humanos. Em humanos, a meia-vida plasmática média aparente ± desvio-padro após uma dose mono-ocular de 3 mg (10 vezes a dose recomendada) é de 10 ± 4 dias.
A concentração plasmática máxima média de cerca de 80 ng/ml ocorre entre 1 a 4 dias após uma dose mono-ocular de 3 mg em humanos. A rea sob a curva (AUC) média com esta dose de cerca de 25 μg.h/ml. O pegaptanibe não acumula no plasma quando administrado por via intravtrea a cada 6 semanas. Com doses menores que 0,5 mg/olho, as concentrações plasmáticas do pegaptanibe geralmente não excedem 10 ng/ml.
A biodisponibilidade absoluta do pegaptanibe após a administração intravtrea não foi determinada em humanos, porêm de aproximadamente 70-100% em coelhos, ces e macacos.
As concentrações plasmáticas em animais que receberam doses de até 0,5 mg/olho nos dois olhos foram de 0,03% a 0,15% das obtidas no humor vtreo.

Distribuição/Metabolismo/Excreção

Em camundongos, ratos, coelhos, ces e macacos, o pegaptanibe se distribui principalmente no volume plasmático e não se distribui amplamente nos tecidos perifricos após Administração intravenosa. A radioatividade, 24 horas após a administração intravtrea de uma dose radiomarcada de pegaptanibe sódico nos dois olhos de coelhos, distribuiu-se principalmente no fluido vtreo, retina e fluido aquoso. após administrações intravtreas e intravenosas de pegaptanibe sódico radiomarcado em coelhos, as concentrações mais altas de radioatividade (excluindo o olho para a dose intravtrea) foram obtidas nos rins. Em coelhos, o componente nucleotdeo 2’-fluorouridina encontrado no plasma e urina após doses únicas intravenosas e intravtreas de pegaptanibe sódico radiomarcado. O pegaptanibe metabolizado por endo e exonucleases. Em coelhos, eliminado principalmente na urina como fármaco inalterado e seus metabólitos.

Populações Especiais

Sexo

A farmacocinética do pegaptanibe similar tanto em pacientes do sexo masculino quanto em pacientes do sexo feminino, na faixa etária de 50 a 90 anos (vide “Posologia – Sexo”).

Insuficiência Renal

Uma diminuição no clearance de creatinina de 70 ml/min para 30 ml/min foi associada a um aumento de 2,3 vezes na AUC para pegaptanibe. No entanto, o ajuste de dose em pacientes tratados com a dose recomendada de 0,3 mg de pegaptanibe e cujo clearance de creatinina ≥ 30 ml/min não foi necessário. Os dados de farmacocinética indicam que doses de 0,3 mg não excedem a exposição observada com 3 mg, que é uma dose bem tolerada (vide “Posologia – Uso em Pacientes com Insuficiência Renal”).

Insuficiência hepática

A farmacocinética do pegaptanibe não foi estudada em pacientes com insuficiência hepática. No entanto, esperado que a exposição sistémica esteja numa faixa de boa tolerabilidade em pacientes com insuficiência hepática, considerando que uma dose de 10 vezes a dose máxima (3 mg/olho) foi bem tolerada.
Portanto, o ajuste de dose ou cuidados especiais nesta população não são necessários.

Dados de segurança pré-clínicos

Os dados de segurança pré-clínicos não revelaram qualquer risco especial para humanos, com base nos estudos convencionais de segurança farmacológica, de toxicidade de dose repetida e genotoxicidade.
Não foram conduzidos estudos de carcinogenicidade com pegaptanibe.
O pegaptanibe sódico não produziu toxicidade materna e nem evidência de teratogenicidade ou de mortalidade fetal em camundongos com doses intravenosas de 1 a 40 mg/kg/dia. Foi observado redução do peso corPóreo (5%) e a ossificação retardada nas falanges das patas dianteiras; estes resultados ocorreram dentro dos valores da linha basal para esta esPócie e não foram considerados clinicamente relevantes. No grupo tratado com pegaptanibe sódico 40 mg/kg/dia, as concentrações plasmáticas máximas em animais prenhes foram 20.000 vezes maiores do que as observadas em humanos (para o grupo tratado com a dose de 3 mg, 10 vezes maior que a dose recomendada). No grupo tratado com 40 mg/kg/dia, as concentrações de pegaptanibe sódico no líquido amnitico foram 0,05% dos níveis plasmáticos maternos.
Não há dados disponíveis para avaliar o acasalamento de machos ou fmeas ou os ndices de fertilidade.
RESULTADOS DE eficácia

O pegaptanibe sódico foi avaliado em 2 estudos controlados, duplo-mascarado, randomizados e identicamente desenhados (EOP1003; EOP1004) em pacientes com degeneração macular neovascular relacionada idade. No total, foram includos 1208 pacientes e destes, 1190 foram tratados (892 com pegaptanibe sódico, 298 com sham – tratamento com placebo simulando a aplicação ) com média de idade de 77 anos. Os pacientes receberam em média cerca de 8,4 - 8,6 tratamentos de um total de 9 tratamentos possveis em todos os braos de tratamento no primeiro ano.
Os pacientes foram randomizados para receber o controle (sham) ou 0,3 mg, 1 mg ou 3 mg de pegaptanibe sódico administrados como injeções intravtreas a cada 6 semanas durante 48 semanas. Nos 2 estudos, foram includos pacientes com um amplo espectro de Características de degeneração macular neovascular relacionada idade, incluindo todos os subtipos de lesões, rea do tamanho de 12 discos e de acuidade visual basal no olho em estudo entre 20/40 e 20/320 no nível basal. Foi permitido uso de terapia fotodinâmica (PDT) com verteporfina, a critério dos investigadores, em pacientes com lesões predominantemente clssicas.
O endpoint primrio de eficácia foi a proporção de pacientes perdendo menos de 15 letras de acuidade visual na avaliação, após 54 semanas, em relação ao nível basal. Em 1 ano, pegaptanibe sódico 0,3 mg demonstrou um benefício teraPóutico estatisticamente significativo no endpoint primrio de eficácia em ambos os estudos para o endpoint primrio de eficácia (análise agrupada pré-especificada, pegaptanibe sódico 0,3 mg 70% versus sham 55%)
Ao combinar ambos os estudos, os pacientes tratados com pegaptanibe sódico 0,3 mg apresentaram perda menos grave de visão (30 ou mais letras de visão na semana 54 em relação ao nível basal) em comparação com os pacientes que receberam sham (pegaptanibe sódico 0,3 mg, 10% versus sham 22%, valor de p ≤ 0,0001).
Ao combinar ambos os estudos, a proporção de pacientes tratados com 0,3 mg de pegaptanibe sódico que obteve uma visão igual ou pior que 20/200 na semana 54 foi menor do que a dos pacientes que receberam sham (pegaptanibe sódico 0,3 mg, 38% versus sham 56%, valor de p ≤ 0,0001).
Ao final do primeiro ano (semana 54), aproximadamente 1050 do nmero original de 1200 pacientes foram randomizados novamente tanto para continuar o mesmo tratamento ou descontinuar o tratamento até a semana 102.
O pegaptanibe sódico 0,3 mg demonstrou benefício teraPóutico independentemente do subtipo de lesão basal, do tamanho da lesão e da acuidade visual bem como de idade, sexo, pigmentação da ris e uso anterior e/ou basal de terapia fotodinâmica.
Durante o segundo ano de tratamento, a porcentagem de pacientes que apresentou perda de menos de 15 letras em relação nível basal até a semana 102 foram: pegaptanibe sódico 0,3 mg 59% versus sham 45%.
Em média, os pacientes tratados com pegaptanibe sódico 0,3 mg e os pacientes tratados com sham continuaram a apresentar perda de visão. No entanto, a velocidade de declnio da visão no grupo tratado com pegaptanibe sódico foi mais lenta que em pacientes que receberam sham.

Indicação : Macugen (pegaptanibe sódico) é indicado para tratamento de degeneração macular neovascular (mida) relacionada idade.

Contra indicação :

Macugen (pegaptanibe sódico) É contra indicado a pacientes com infecção ocular ou periocular ativa ou suspeita ou que apresentam hipersensibilidade conhecida ao pegaptanibe sódico ou a qualquer componente da fórmula.

MODO DE USAR E CONSERVAção DEPOIS DE ABERTO

Instruções para Uso

Macugen (pegaptanibe sódico) deve ser administrado apenas por via intravtrea.
A seringa de Macugen é indicada para uso único.
Macugen deve ser inspecionado visualmente quanto presença de material particulado e alteração de coloração antes de ser administrado. Não utilizar o produto se a solução estiver turva, se forem observadas partculas ou se houver evidências de que a seringa encontra-se danificada.
O procedimento de injeção deve ser conduzido em condições asspticas, que incluem o uso de luvas estáreis, gaze estáril e um esPóculo de Pólpebra estáril (ou equivalente). O histrico de reações de hipersensibilidade do paciente deve ser cuidadosamente avaliado antes de realizar o procedimento intravtreo (vide “Advertências”). Devem ser administrados anestesia adequada, e um microbicida tópico de amplo-espectro antes do procedimento.
Qualquer produto não utilizado ou material residual deve ser devidamente descartado.
Na ausência de estudos de compatibilidade, Macugen não deve ser misturado a outros medicamentos.
Macugen (no envelope) deve ser utilizado dentro de um perãodo de 8 horas após a retirada do refrigerador. Antes da administração, a seringa pré-enchida deve atingir a temperatura ambiente.
Macugen (no envelope) deve ser descartado caso seja mantido em temperatura ambiente por um perãodo superior a 8 horas. Porêm, se Macugen (no envelope) for mantido em temperatura ambiente por menos de 8 horas, ele pode ser refrigerado novamente se necessário. Para evitar contaminação, a seringa de Macugen não deve ser removida do envelope até que o paciente esteja preparado para o procedimento, e o medicamento esteja pronto para ser administrado.
Se a seringa estiver fora do envelope e não for usada, ela deve ser descartada. Macugen não deve ser refrigerado novamente se a seringa for retirada do envelope. Qualquer produto não usado ou que tenha sobrado deve ser devidamente descartado.
Antes da administração, acoplar o mbolo de poliestireno (de rosca) tampa de borracha, dentro do corpo da seringa. Para evitar o comprometimento da esterilidade do produto, não puxe de volta o mbolo antes da administração.
Uma trava fornecida para facilitar o manuseio da seringa durante a administração. A tampa da ponta da seringa deve ser removida no momento da administração do medicamento.
ATENção: este produto deve ser utilizado apenas como injeção intravtrea. Cuidados de Conservação Depois de Aberto Macugen deve ser armazenado sob refrigeração (entre 2 e 8°C). Não congelar.
Macugen (no envelope) deve ser utilizado dentro de um perãodo de 8 horas após a retirada do refrigerador. A seringa pré-enchida deve estar na temperatura ambiente para a administração.
Macugen (no envelope) pode ser refrigerado novamente desde que não fique em temperatura ambiente por mais de 8 horas. Caso exceda esse perãodo, Macugen (no envelope) deve ser descartado. A retirada do refrigerador e a nova refrigeração do produto deve ser feita apenas se necessário e pelo menor nmero de vezes possível.
Para evitar contaminação, a seringa de Macugen não deve ser removida do envelope até que voc esteja preparado para o procedimento e o medicamento esteja pronto para ser administrado.
Se a seringa estiver fora do envelope e não for usada, deve ser descartada. Macugen não deve ser refrigerado novamente se a seringa for retirada do envelope.
POSOLOGIA

APENAS PARA USO INTRAVTREO.

O tratamento com Macugen (pegaptanibe sódico) deve ser administrado apenas através de injeção intravtrea por oftalmologistas com experiência neste tipo de Administração.
Macugen 0,3 mg deve ser administrado uma vez a cada 6 semanas (9 aplicações por ano), por meio de injeção intravtrea no olho escolhido (afetado).
após a injeção, os pacientes devem ser monitorados em relação elevação de pressão intra-ocular, perfusão da cabeça do nervo ptico e endoftalmite. Os pacientes devem ser orientados a informar imediatamente qualquer sintoma sugestivo de endoftalmite.
a administração concomitante de Macugen em ambos os olhos ainda não foi estudada. A segurança e eficácia de Macugen não foram avaliadas após 2 anos de uso. Uso em Pacientes com Insuficiência hepática Macugen não foi estudado em pacientes com insuficiência hepática. Nenhum cuidado especial necessário nesta população de pacientes (vide “Propriedades Farmacocinéticas - Populações Especiais - Insuficiência hepática”).

Uso em Pacientes com Insuficiência Renal

Macugen não foi estudado adequadamente em pacientes com insuficiência renal grave (clearance de creatinina < 30 ml/min). Nenhum cuidado especial necessário em pacientes com clearance de creatinina acima de 30 ml/min (vide “Propriedades Farmacocinéticas – Populações Especiais – Insuficiência renal”).

Uso em Crianças e Adolescentes

Os estudos clínicos contemplaram pacientes acima dos 40 anos de idade.

Sexo

Não é necessário cuidado especial (vide “Propriedades Farmacocinéticas – Populações Especiais”).

Dose Omitida

Caso não seja possível administrar Macugen no dia e horrio estabelecido, nova consulta Deverá ser agendada o mais rpido possível.

AdvertênciaS

O tratamento com Macugen (pegaptanibe sódico) é indicado apenas para uso como injeção intravtrea.
Conforme esperado com injeções intravtreas, podem ser observados aumentos transitórios da pressão intra-ocular. Portanto, deve ser verificada a perfusão da cabeça do nervo ptico e a elevação da pressão intra-ocular deve ser tratada adequadamente após a injeção.
Existe um pequeno risco de endoftalmite associada ao procedimento de injeção intravtrea (0,1% por injeção em estudos clínicos) (vide “Posologia” e “Instruções para Uso”). Os pacientes devem ser orientados a relatar o mais rpido possível qualquer sintoma sugestivo de endoftalmite.
A segurança e eficácia de Macugen ainda não foram avaliadas em pacientes com problemas visuais devido a diabetes mellitus, doença vascular periférica e derrame. Macugen não foi estudado para uso em pacientes com idade inferior a 40 anos.
Raros casos de anafilaxia/reações anafilactides, incluindo angioedema, foram relatados na experiência Pós-comercialização após a administração intravtrea de Macugen. Neste caso não foi estabelecida uma relação direta com Macugen ou com qualquer outro medicamento utilizado na preparação para a injeção. A relação direta com outros fatores também não foi estabelecida (vide “Modo de Usar e Conservação Depois de Aberto - Instruções para Uso”).

Uso durante a Gravidez

O pegaptanibe não produziu toxicidade materna e não houve evidências de teratogenicidade ou mortalidade fetal em camundongos com doses intravenosas de até 40 mg/kg/dia (cerca de 7000 vezes a dose mono-ocular oftlmica humana recomendada de 0,3 mg/olho). O pegaptanibe atravessa a placenta em camundongos.
Macugen não foi estudado em mulheres grávidas. O risco potencial para humanos desconhecido. Espera-se que a exposição sistémica ao pegaptanibe após Administração intra-ocular seja muito baixa. Porêm, Macugen deve ser utilizado durante a gravidez apenas se o benefício potencial me justificar o risco potencial ao feto.
Macugen É um medicamento classificado na categoria B de risco de gravidez. Portanto, este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgio-dentista.

Uso durante a Lactação

Ainda não se sabe se Macugen excretado no leite humano. Deve-se ter cautela ao administrar Macugen em mulheres lactantes já que muitos fármacos são excretados no leite humano.

Efeitos na Habilidade de Dirigir e Operar máquinas

Os pacientes podem apresentar turvação visual temporria após receberem Macugen por injeção intravtrea. Portanto, não devem dirigir ou operar máquinas até que a visão esteja normalizada.

USO EM IDOSOS, crianças E OUTROS GRUPOS DE RISCO

Vide “Posologia”.
Interações Medicamentosas:

Não foram conduzidos estudos de interação medicamentosa com Macugen (pegaptanibe sódico). O pegaptanibe metabolizado por nucleases e, portanto, improvável que ocorram Interações Medicamentosas: mediadas pelo citocromo P450.
Dois estudos clínicos iniciais conduzidos em pacientes que receberam Macugen isoladamente e/ou em combinação com PDT (terapia fotodinâmica) não revelaram diferenas evidentes na farmacocinética do pegaptanibe.

reações ADVERSAS A MEDICAMENTOS

Macugen (pegaptanibe sódico) foi administrado a 892 pacientes em estudos controlados por um ano (nmero total de injeções = 7545, nmero mdio de injeções/paciente = 8,5) em doses de 0,3, 1,0 e 3,0 mg. As 3 doses apresentaram o mesmo perfil de segurança.
Em 295 pacientes tratados com a dose recomendada de 0,3 mg por 1 ano (nmero total de injeções = 2478, nmero mdio de injeções/paciente = 8,4), 84% dos pacientes apresentaram reações adversas consideradas pelos investigadores como relacionada ao procedimento de injeção, 3% dos pacientes apresentaram eventos adversos sários potencialmente relacionados ao procedimento de injeção e 1% apresentaram eventos adversos potencialmente relacionados ao procedimento de injeção que levaram descontinuação do tratamento em estudo. Vinte e sete por cento (27%) dos pacientes apresentaram eventos adversos atribudos ao fármaco em estudo de acordo com os investigadores; 0,7% dos pacientes apresentou eventos adversos sários potencialmente relacionados ao fármaco em estudo e 0,3% apresentaram eventos adversos potencialmente graves relacionados ao fármaco em estudo que levaram descontinuação deste.
Os dados de segurança descritos a seguir resumem todos os eventos adversos potencialmente relacionados ao procedimento ou ao fármaco em estudo nos 295 pacientes do grupo tratado com 0,3 mg no primeiro ano.
Psiquitricos: pesadelos e depressão.

Sistema Nervoso: cefaleia.

distúrbios visuais: as reações adversas a seguir foram consideradas potencialmente relacionadas ao tratamento com Macugen (tanto ao procedimento de injeção como ao prprio Macugen), sendo a maioria considerada relacionada ao procedimento injetível: inflamação da cmara anterior, dor ocular, aumento da pressão intra-ocular, ceratite pontilhada, floaters vtreos (moscas volantes), opacidade vtrea, sensação anormal no olho, catarata, hemorragia conjuntival, hiperemia conjuntival, edema conjuntival, conjuntivite, distrofia da crnea, defeito do epitélio da crnea, distúrbio do epitélio da crnea, edema de crnea, secura ocular, endoftalmite, extravasamento ocular, inflamação ocular, irritação ocular, prurido ocular, vermelhidão ocular, inchao ocular, edema ocular, edema de Pólpebra, aumento do lacrimejamento, degeneração macular, midrase, desconforto ocular, hipertensão ocular, hematoma periorbital, fotofobia, fotopsia, hemorragia retiniana, visão turva, acuidade visual reduzida, distúrbio visual, descolamento do vtreo, distúrbio vtreo, astenopia, blefarite, conjuntivite alérgica, dePósitos na crnea, hemorragia ocular, prurido palpebral, ceratite, hemorragia vtrea, comprometimento do reflexo pupilar, abrasão da crnea, exsudatos da retina, ptose palpebral, cicatriz na retina, calzio, erosão da crnea, diminuição da pressão intra-ocular, reação no local da injeção, vesculas no local da injeção, descolamento da retina, distúrbio da crnea, oclusão da artria da retina, ruptura da retina, ectrpio, distúrbio de movimento ocular, irritação palpebral, hifema, distúrbio pupilar, distúrbio da ris, icterícia ocular, uvete anterior, dePósito ocular, irite, aumento da escavação do nervo ptico, deformidade pupilar, oclusão da veia da retina e prolapso vtreo.
Ouvido e Labirinto: surdez, agravamento da doença de Mnire e vertigem. cardíacos: palpitações. Vasculares: hipertensão e aneurisma artico. Sistema Respiratério, Torcico e Mediastino: rinorria e nasofaringite. Gastrintestinais: vômitos e dispepsia.
Pele e Tecido Subcutâneo: dermatite de contato, eczema, alterações na cor do cabelo, rash (erupção cutânea), prurido, sudorese noturna.
mêsculo-esqueltico e do Tecido Conjuntivo: dor nas costas. Gerais e Condições no Local de Administração: fadiga, rigidez, sensibilidade, dor
torácica, doença tipo gripe. Testes Laboratoriais: aumento nos níveis de gama-glutamiltransferase. Lesão, Envenenamento e Complicações do Procedimento: abrasão.
Trezentos e setenta e quatro (374) pacientes receberam tratamento contínuo com Macugen por até 2 anos (128 com 0,3 mg, 126 com 1 mg e 120 com 3 mg). Os dados gerais de segurança foram consistentes com os obtidos no primeiro ano e não apareceram novos dados relacionados segurança. Em 128 pacientes tratados com a dose recomendada de 0,3 mg por até 2 anos (nmero total de injeções no segundo ano = 913, nmero mdio de injeções no segundo ano = 6,9), não houve evidências consistentes de aumento na frequência dos eventos adversos comparados queles observados durante o primeiro ano.

Experiência Pós-comercialização

Raros casos de anafilaxia/reações anafilactides, incluindo angioedema, foram relatados em pacientes após a administração intravtrea de Macugen junto com outros Vários medicamentos utilizados na preparação para a injeção (vide “Modo de Usar e Conservação depois de Aberto – Instruções para Uso e Advertências”).

ATENção: ESTE É um medicamento NOVO E, EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO eficácia E segurança ACEITVEIS PARA COMERCIALIZAção, EFEITOS indesejáveIS E NO CONHECIDOS PODEM OCORRER.

SUPERDOSE

Doses de Macugen (pegaptanibe sódico) até 10 vezes maiores que a dose recomendada (0,3 mg) foram estudadas. Nenhum evento adverso adicional foi observado.

ARMAZENAGEM

Macugen (pegaptanibe sódico) deve ser conservado sob refrigeração (entre 2 e 8°C). Não congelar (vide “Modo de Uso e Conservação depois de Aberto”).
O prazo de validade é indicado na embalagem externa.

PARTE IV

Dizeres legais :

MS - 1.0216.0183 farmacêutica responsável: Raquel Oppermann – CRF-SP no 36144
VENDA SOB PRESCRIção médica.
Número de lote e data de fabricação : vide embalagem externa.

Fabricante :

LABORATÓRIOS PFIZER LTDA.

Av. Presidente Tancredo de Almeida Neves, 1555 CEP 07112-070 – Guarulhos – SP CNPJ no 46.070.868/0001-69

Fale Pfizer 0800-7701575

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA USO RESTRITO A HOSPITAIS

CUIDADO: AGENTE CITOTÓXICO

Medicamentos do mesm fabricante :

Adriblastina, Aracytin, Aromasin, Bextra, Caverject, Dalacin V, Dalacin, Detrusitol, Diabinese, Dostinex, Dostinex, Drenol, Ecalta, Epelin, Eunades, Farlutal, Farmorubicina, Feldene, Fibrase, Fragmin, Frontal, Gelfoam, Genotropin, Geodon, Gino-fibrase, Gino-pletil, Gino-tralen, Kitnos, Legifol, Lomotil, Loniten, Lopid, Lyrica, Macugem, Mansil, Miantrex, Miantrex, Minipres, Minipress, Neuronti, Norvas, Ponsta, Propi, Vncizinacs


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.