Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Lozap - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Omeprazol.

Classe terapêutica : Bloqueadores da Bomba de Protons.

Apresentação : Cápsulas 20 mg. Frascos com 7.

Indicação : LOZAP é indicado para o tratamento de: úlcera duodenal, úlcera gástrica, esofagite de refluxo, síndrome de Zollinger-Ellison, tratamento de manutenção para prevenção de recidiva em pacientes com ulcera duodenal, pacientes pouco responsivos com úlcera gástrica e tratamento de manutenção para pacientes com esofagite de refluxo cicatrizada.

Efeito Colateral :

LOZAP é bem-tolerado e as reações adversas são geralmente reversíveis. As seguintes reações foram relatadas, entretanto, na maioria dos casos, não foi possível estabelecer relação consistente com o tratamento. reações cutâneas: Raramente ocorreram erupções e (ou) prurido; em casos isolados: fotossensibilidade, eritema multiforme e alopecia. Musculoesquelticas: Casos isolados de artralgia, fraqueza muscular e mialgia. Sistema nervoso central e perifrico: cefaleia, raramente tontura, parestesia, sonolência, insônia e vertigem. Em casos isolados ocorreram confusão mental, agitação, depressão e alucinações, principalmente em pacientes em estado grave. Gastrintestinais: diarreia, dor abdominal, náuseas, vômitos e flatulência. Relatos isolados de estomatite e candidase gastrintestinal. hepáticas: Raramente ocorre aumento das enzimas hepáticas. Em casos isolados pode ocorrer encefalopatia em pacientes com insuficiência hepática grave preexistente, hepatite com ou sem icterícia, insuficiência hepática. endócrinas: Relatos isolados de necomastia. Hematológicas: Relatos isolados de leucopenia e trombocitopenia. Outras: Raramente mal-estar. Podem ocorrer reações de hipersensibilidade, por exemplo, urticária rara e, em casos isolados, angioedema, febre, broncoespasmo. Casos isolados de aumento da transpiração, edema perifrico, turvação da visão, alteração do paladar. Foram constatados, algumas vezes, casos de reações adversas mais intensas que requerem que o tratamento seja descontinuado.

Contra indicação :

Hipersensibilidade ao omeprazol.

Fórmula :

Cada cápsula contém 20 mg de omeprazol.

Informações ao paciênte

Conservar em lugar fresco e ao abrigo da luz. Prazo da validade: Ver embalagem. O perãodo de validade após a abertura de 3 meses. O frasco deve ser fechado entre as administrações. Não use medicamento com prazo de validade vencido. Siga corretamente as instruções de seu médico quanto ao emprego do produto, não modificando ou interrompendo o tratamento sem antes consult-lo. Informe-lhe também se estiver grávida, amamentando ou se engravidar durante o tratamento. Informe-lhe também se estiver tomando outros medicamentos. Recomenda-se a administração da cápsula antes do café da manhã. Atenção: Este é um novo produto e, embora as pesquisas realizadas tenham indicado eficácia e segurança quando corretamente indicado, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis ainda não descritas ou conhecidas. Em caso de suspeita de reação adversa, o médico responsável deve ser notificado. Podem ocorrer: náuseas, dor de cabeça, diarreia, prisão de ventre, gases e, mais raramente, erupção cutânea. Informe a seu médico se voc tem ou já teve alergia ao produto.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. Pode ser perigoso para a sua Saúde.

Interação Medicamentosa :

LOZAP pode prolongar o tempo da eliminação do diazepam, de warfarina e da fenitona, drogas estas metabolizadas por oxidação hepática. Os doentes sob tratamento com warfarina ou fenitona devem ser monitorizados, podendo ser necessária uma redução na dose dessas drogas. Entretanto, em pacientes sob tratamento contínuo com fenitona, o tratamento concomitante com LOZAP na dosagem de 20 mg/dia não alterou a concentração sanguínea da fenitona. Não foram observadas Interações com propranolol, metoprolol, teofilina, lidocana, quinidina ou amoxicilina, mas pode haver interação medicamentosa com outras drogas que também sejam metabolizadas através do sistema enzimático do citocromo P450. Não foram observadas Interações na administração concomitante de LOZAP com antiácidos ou alimentos.

Posologia e Modo de Usar

A dose usual em casos de úlcera duodenal, úlcera gástrica e esofagite de refluxo de 20 mg por via oral antes do café da manhã. Nos pacientes com úlcera duodenal, o alívio dos sintomas rpido e a cicatrização ocorre no prazo de 2 semanas na maioria dos casos. queles pacientes que não obtiveram cicatrização neste perãodo de tempo recomenda-se um perãodo adicional de 4 semanas, dentro do qual normalmente ocorre a cicatrização. Aos doentes pouco responsivos, com úlcera (gástrica ou duodenal) e a pacientes com esofagite de refluxo grave recomenda-se a dose diária de 40 mg, uma vez ao dia, por um perãodo de 4 semanas, para aqueles com úlcera duodenal, e de 8 semanas para os casos de úlcera gástrica ou esofagite de refluxo grave, dentro dos quais usualmente ocorre a cicatrização. Tratamento de manutenção: Para prevenir a recidiva em pacientes pouco responsivos com úlcera gástrica, recomenda-se a administração diária e 20 mg de LOZAP. Se necessário, a dose pode ser aumentada para 40 mg, uma vez ao dia. Na síndrome de Zollinger-Ellison recomenda-se uma dose inicial de 60 mg, uma vez ao dia, que Deverá ser ajustada individualmente e por um perãodo de tempo que ser determinado pela evolução clínica do paciente. Todos os casos com doença grave e resposta inadequada a outros tratamentos foram efetivamente controlados em mais de 90% dos pacientes, com doses entre 20 e 120 mg diários. Doses acima de 80 mg diários devem ser divididas em duas tomadas. Não existe ainda experiência com o uso de LOZAP em crianças. O tratamento por longos perãodos ainda não é recomendado, embora omeprazol não seja usado para manutenção por longo tempo.

Precauções e Advertências

Na presença de úlcera gástrica, a possibilidade de malignidade lesão deve ser precocemente afastada, uma vez que o tratamento com LOZAP pode aliviar os sintomas e retardar o diagnóstico desta patologia.

Propriedades

LOZAP (omeprazol) reduz a secreção cida gástrica através de mecanismo de ação altamente seletivo. LOZAP produz inibição especfica da enzima H + K + ATPase ("Bomba de Prótons") nas células parietais. Esta ação farmacológica, dose-dependente, inibe a etapa final da formação de ácido no estômago, proporcionando, assim, uma inibição efetiva tanto da secreção cida basal quanto da estimulada, independentemente do estémulo. O incio de ação de LOZAP rpido, e o controle reversível da secreção cida é obtido com apenas uma administração diária. Em pacientes com úlcera duodenal, a administração diária de 40 mg de LOZAP em combinação com 1,5 g de amoxicilina eficaz na erradicação do Helicobacter pylori. Resultados obtidos em um estudo de 6 meses de duração demonstraram que a eficaz erradicação está associada a redução significativa do ndice de recidiva. após Administração oral, a absorção geralmente completada em 36 horas. A ingestão concomitante de alimentos não influi na sua biodisponibilidade. A taxa de ligação protica de aproximadamente 95%. O omeprazol É completamente metabolizado no fgado, sendo seus metabólitos desprovidos de ação significativa na excreção cida. Aproximadamente 80% dos metabólitos são excretados na urina e o restante, nas fezes. LOZAP atua de forma especfica, exclusivamente nas células parietais, não possuindo ação sobre receptores de acetilcolina e histamina.

Superdosagem :

Não existem informaçães disponíveis sobre os efeitos de doses excessivas em seres humanos, e não há recomendações especficas para o seu tratamento. doses únicas orais de até 160 mg e doses totais de até 360 mg/dia tém sido bem toleradas. numa eventual superdosagem o tratamento deve ser sintomático e de suporte.

Uso Durante a Gravidez e Lactação

Como qualquer nova substância medicamentosa, LOZAP não deve ser administrado durante a gravidez e lactação, a não ser que, a critério médico, os benefícios do tratamento superem os riscos potenciais para o feto. Estudos em animais de Laboratório não demonstraram evidências de risco com a administração de LOZAP durante a gravidez e lactação e não se observaram toxicidade fetal ou efeitos teratogúnicos.

Fabricante : Laboratórios Baldacci Ltda.

Rua: Pedro de Toledo 520 - Vila Clementino, São Paulo, SP 04039-001

Telefones: 0800 13 3222 (SAC) - 55 11 5085-4444

E-mail: sac@lbaldacci.com.br

Medicamentos do mesmo fabricante :

Abrilar, Adoless, Amoxifar, Ampifar, Anlodibal, Annita, Ascarical, Azitrax gu, Azitrax, Balcor ev, Balcor, Balurol, Basilan, Capilarema, Cefuroxima baldacci 500, Colpistar, Divelol, Fibrinol, Gynomax, Inflanox, Inicox, Lozap 40 mg, Lozap, Materfolic, Matervit, Monocordil, Nutrical d, Omeprazol meprazento, Ornitargin, Otociriax, Pidomag, Probec, Prostem, Secni plus, Sinvascor, Stomet, Ultrafer, Umckan, Unizol, Viagra, Vueffe


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.