Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Lorasc - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Loratadina.

Apresentação : Comprimido de 10mg: Embalagem com 12 comprimidos.

Indicação : LORASC é indicado para o alívio dos sintomas associados com rinite alérgica como: coriza, espirros, e prurido nasal, ardor e prurido ocular. Os sinais e sintoma oculares e nasais são rapidamente aliviados após Administração oral do produto.Tambm é indicado para o alívio dos sinais e sintomas de urticária e outras afecções dermatológicas alérgicas.

Efeito Colateral :

LORASC não apresenta propriedades sedativas clinicamente significativas quando utilizado na dose recomendada de 10mg diários.
As reações adversas relatadas comumente incluem fadiga, cefaleia, sonolência, boca seca, transtornos gastrintestinais como náuseas e gastrite, e também manifestações alérgicas cutâneas (exantema ou rash). reações adversas como alopecia, anafilaxia e função hepática alterada foram relatadas raramente com a utilização de LORASC.
Da mesma forma, a Incidência de reações adversas com LORASC tem sido comparvel do placebo. Em estudos clínicos pediátricos controlados, a Incidência de cefaleia, sedação, nervosismo, relacionada ao tratamento, foi similar à do placebo, Além do que tais eventos foram raramente relatados.
ALTERAções EM EXAMES LABORATORIAIS
O tratamento com Anti-histamínicos Deverá ser suspenso aproximadamente 48 horas antes de se efetuar qualquer tipo de prova cutânea, já que os Anti-histamínicos podem impedir ou diminuir as reações que, de outro modo, seriam positivas e, portanto, indicativas de reatividade drmica.

Modo de Usar :

Crianças de 2 a 12 anos - Peso corporal abaixo de 30Kg: 5mg uma vez ao dia.
Adultos e crianças acima de 12 anos: um comprimido (10mg) uma vez ao dia.

Contra-indicaçao ;

LORASC está contra indicado em pacientes que tenham demonstrado hipersensibilidade ou idiossincrasia a seus componentes.
PRECAUções
A segurança e eficácia de LORASC em crianças abaixo de 2 anos ainda não foram estabelecidas.
Pacientes com hepatopatia grave devem iniciar o tratamento com doses baixas de LORASC, uma vez que eles podem ter uma depuração reduzida de loratadina; uma dose inicial de 5mg diários ou de 10mg em dias alternados recomendada.
Não está estabelecido se o uso de LORASC pode acarretar riscos durante a gravidez ou lactação. Portanto, o medicamento só deverá ser utilizado se os benefícios potenciais para a me justificarem o risco potencial para o feto. Considerando que a loratadina excretada no leite materno e devido ao aumento de risco do uso de Anti-histamínicos por crianças, particularmente por recêm-nascidos e prematuros, deve-se optar ou pela descontinuação da lactação ou pela interrupção do uso do produto.

Modo de usar :

Crianças de 2 a 12 anos - Peso corporal abaixo de 30Kg: 5mg uma vez ao dia.
Adultos e crianças acima de 12 anos: um comprimido (10mg) uma vez ao dia.

Fórmula :

Cada comprimido contém:
Loratadina ....................10mg
Excipientes: lactose, amido de milho, estearato de magnésio; q.s.p. ....................1 comprimido

Informaçães Técnicas

A loratadina é um Anti-histamínico tricclico de ação prolongada, com ação seletiva e antagênica nos receptores H1 perifricos. rapidamente absorvido após Administração oral atingindo concentrações plasmáticas máximas em 1 hora. Sua meia-vida é de 17 a 24 horas. intensamente metabolizado no fgado em descarboetoxiloratadina (metabólito ativo). Sua taxa de ligação s proteínas plasmáticas de cerca de 97 a 99% e a do metabólito ativo de 73 a 76%. Sua excreção urinária e fecal, representada por cerca de 81% da dose administrada.
A insuficiência renal não modifica de forma significativa a farmacocinética de LORASC. Em caso de insuficiência hepática, há modificações dos parâmetros farmacocinéticos, e a dose de LORASC deve ser diminuída.
Nos pacientes idosos, não há necessidade de alteração da dose, pois os parâmetros farmacocinéticos não se modificam de forma significativa.

Informações ao paciênte

é usado no alívio dos sintomas associados com rinite alérgica tais como coriza, espirros e prurido nasal, ardor e prurido oculares. também é indicado para o alívio de sinais e sintomas de urticária crônica e outras afecções dermatológicas alérgicas.
Cuidados de conservação: Conservar o produto em temperatura entre (2 a 30oC). Proteger da luz e umidade.
Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação (VIDE CARTUCHO). Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
O uso da loratadina não é recomendado durante a gravidez e nas mulheres que estejam amamentando.
"Informe seu médico a Ocorrência de gravidez na vigncia do tratamento ou após seu trmino, e se está amamentando".
"Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horrios, as doses e a duração do tratamento".
"Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico".
Informe seu médico a Ocorrência de reações adversas, tais como: cansaço e dor de cabeça.
"SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR; NO DESAPARECENDO OS SINTOMAS, PROCURE ORIENTAção médica".
"TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS crianças".
A loratadina É contra-indicada pessoas que possuam histrico de hipersensibilidade ao medicamento.
"Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do incio ou durante o tratamento".
"NO TOME Remédio SEM O CONHECIMENTO DO SEU médico, PODE SER PERIGOSO PARA SUA Saúde".

Interação Medicamentosa :

Quando administrado concomitantemente com álcool, LORASC não exerce efeitos potencializadores, como foi demonstrado através de avaliações em estudos de desempenho psicomotor.
Um aumento das concentrações plasmáticas de loratadina tem sido relatado em estudos clínicos controlados, após o uso concomitante com cetoconazol, eritromicina ou cimetidina, porêm sem alterações clinicamente significativas (incluindo eletrocardiogrficas).
Outros medicamentos conhecidamente inibidores do metabolismo hepático devem ser co-administrados com cautela, até que estudos definitivos de interação possam ser completados.

Superdosagem :

sonolência, taquicardia e cefaleia tém sido relatadas com doses excessivas. uma única ingestão de 160mg de loratadina não produziu efeitos adversos. em caso de superdose, o tratamento, que Deverá ser imediatamente iniciado, sintomático e coadjuvante.
Tratamento: o paciente Deverá ser induzido ao vômito, ainda que tenha ocorrido mese espontnea. o vômito induzido farmacologicamente, através da administração de xarope de ipeca, é o método preferido. entretanto, não deverão ser induzidos ao vômito pacientes com diminuição do nível de consciência. a ação da ipeca facilitada com atividade fsica e Administração de 240 a 360 mililitros de água. caso não ocorra mese nos primeiros 15 minutos seguintes é Administração de ipeca, a dose Deverá ser repetida.
Deverão ser tomadas precauções contra a aspiração, principalmente em crianças. após a mese, pode-se tentar evitar a absorção do restante do fármaco que ainda estiver no estômago, com a ajuda de carvo ativado administrado sob forma de suspensão em água. caso o vômito não tenha sido obtido, ou esteja contra indicado, Deverá realizar-se lavagem gástrica. o agente preferido para a lavagem gástrica em crianças é a solução salina fisiológica.
Em adultos, poderá ser usada corrente, entretanto, antes de preceder-se instilação seguinte, Deverá ser retirado o maior volume possível do líquido já administrado. os agentes catérticos salinos atraem água para os intestinos por osmose e, portanto, podem ser valiosos por sua ação diluente rápida do conteúdo intestinal. a loratadina não significativamente depurada por hemodilise. após administrar-se tratamento de emergência, o paciente Deverá permanecer sob observação clínica.
Uso em idosos
Deve seguir a mesma dose usual dos adultos, não excedendo a dose máxima diária permitida.

Fabricante :

Vitapan Indústria farmacêutica Ltda.

Endereço: Rua VPR 01, Quadra 02-A, Modulo 01, Daia
Anápolis - GO, 75132-020
Telefone: (62) 3902-6100
CNPJ: 30.222.814/0001-31
Industria Brasileira.

Medicamentos do mesmo fabricante :

Aceclofenaco, Alendrin, Algy Flanderil, Amlodil, Ancloric, Assedatil, Atenoclor, Baczin, Beritin BC, Binafin, Bronquil, Butacid, Cecoflan, Celoxin, Cifloxan, Cinazin, Clarivit, Clordilon, Cloridrato de Amilorida Hidroclorotiazida, Clotigen, Dermitrat, Dermonil, Descoflan, Dexamex, Dibetam, Digoxan, Dimedril, Dimenidrin, Diureclor, Doralex, Dorfenol, Doxilina, Dnergrip-C, Feldran, Ferrison, Flamalgen, Flamatrat, Fluconid, Fungitrin, Gellat, Ginecol,
  • Glicomet, Hemodase, Ivermectina, Katrizan, Lisinoprid, Lorasc, Lorasliv, Losacoron, Mebendathil, Meloflan, Micotrin, Miocardil, Mucovit, Nimelid, Nimelit, Nistagen, Panvermin, Peptovit, Permitrat, Predcort, Pressomet, Pulmotrat, Quadrineo, Renapril, Resfriol, Reumotec, Ritroxim, Secdazol, Sivastin, Soripan, Suavebaby, Sulfato de Salbutamol, Tenolon, Ulcevit, Vertizan, Vitaglos, Vital Colírio, Vitromicin,

    Advertências :

    Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

    Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

    Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

    Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

    Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

    O ministério da saúde adverte:

    A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

    Como descartar os medicamentos :

    Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

    Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

    Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

    Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

    Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

    As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

    Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

    Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

    No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

    Mantenha-o longe do alcance de crianças.

    Manuseie-o com as mãos limpas.

    Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

    O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

    Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

    Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

    Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

    Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.