Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Loralerg D - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Loratadina e Pseudoefedrina.

Apresentação : LORALERG D Comprimidos: Embalagem com 10 comprimidos. LORALERG D Xarope: Frasco com 60 ml.

Indicação : LORALERG D É indicado no tratamento sintomático das manifestações nasais e oculares, secundárias É congestáo das mucosas, nos casos de rinite alérgica e resfriado comum.

Efeito Colateral :

As reações adversas mais comuns foram insônia e boca seca. Foram também relatados casos de cefaleia e sonolência. Outras reações adversas raras: nervosismo, náuseas, fadiga, distúrbios abdominais, anorexia, sede, taquicardia, faringite, rinite, acne, prurido, erupção cutânea, urticária, artralgia, confusão, disfonia, hipercinese, hipoestesia, diminuição da lbido, parestesia, tremores, vertigem, rubor, hipotensão ortostática, aumento da sudorese, distúrbios oculares, dor no ouvido, tinnitus, anormalidades no paladar, agitação, apatia, depressão, euforia, perturbações do sono, aumento do apetite, mudanças nos hábitos intestinais, dispepsia, eructação, hemorróidas, descoloração da lngua, vômito, função hepática anormal passageira, desidratação, aumento de peso, hipertensão, palpitação, cefaleia intensa, broncoespasmo, tosse, dispnéia, epistaxe, congestáo nasal, espirros, irritação nasal, disria, distúrbios na micção, nictria, polria, retenção urinária, astenia, dor na coluna, cãibras e mal-estar.

Modo de Usar :

Adultos e crianças acima de 12 anos. 1 comprimido, duas vezes ao dia. Crianças de 6 a 12 anos (peso corporal acima de 30 kg): 5 ml, duas vezes ao dia. Crianças de 2 a 6 anos (peso corporal abaixo de 30k): 2,5 ml, duas vezes ao dia. A dose não deve exceder o dobro, a cada 24 horas.

Contra indicação :

Administração de inibidores de monoaminoxidase (IMAO) concomitante ou dentro de 10 dias da interrupção do tratamento com os mesmos, pacientes com glaucoma de ângulo estreito, retenção urinária, hipertensão arterial grave, doença coronariana severa, hipertireoidismo, hipersensibilidade ou idiossincrasia aos componentes da fórmula.

Precauções :

Gravidez e lactação: Não há dados disponíveis para assegurar o uso da loratadina na gravidez e na lactação. Seu uso, portanto, não é recomendado a mulheres grávidas ou durante o perãodo de lactação, a menos que o médico considere que as vantagens do tratamento superem eventuais riscos. Os agentes simpatomimáticos devem ser usados com cautela em pacientes com glaucoma, úlcera péptica estenosante, obstrução piloroduodenal, hipertrofia prostática ou obstrução do colo da bexiga, doença cardiovascular, aumento da pressão intra-ocular, diabetes mellitus e pacientes fazendo uso de digitlicos. Os simpatomimáticos podem estimular o SNC e causar convulsões e colapso cardiovascular associado com hipotensão arterial. Recomenda-se cautela na administração a pacientes com mais de 60 anos, pois os agentes simpatomimáticos podem causar reações adversas tais como confusão, alucinações, depressão do SNC e parada cardiorrespiratéria.

Modo de usar :

Adultos e crianças acima de 12 anos. 1 comprimido, duas vezes ao dia. Crianças de 6 a 12 anos (peso corporal acima de 30 kg): 5 ml, duas vezes ao dia. Crianças de 2 a 6 anos (peso corporal abaixo de 30k): 2,5 ml, duas vezes ao dia. A dose não deve exceder o dobro, a cada 24 horas.

Fórmula :

LORALERG D Comprimidos revestidos: Cada comprimido contém 5 mg de loratadina e 120 mg de pseudo-efedrina. LORALERG D Xarope: Cada 1 ml contém 1 mg de loratadina e 12 mg de pseudo-efedrina.

Informaçães Técnicas

LORALERG D É composto pela associação da loratadina e da pseudo-efedrina. A loratadina é um potente Anti-histamínico, com rpido incio de ação e dotado de atividade seletiva e antagênica aos receptores H 1 perifricos. A pseudo-efedrina É um agente descongestionante devido às suas atividades simpatomimáticas potentes. A pseudo-efedrina ativa os receptores alfa 1 adrenérgicos nos vasos de capacitncia venosa, levando a uma diminuição expressiva do volume da mucosa nasal. Seu efeito descongestionante gradual, mas constante.

Interações Farmacológicas Em Testes de Laboratório

Não administrar Anti-histamínicos aproximadamente quatro dias antes de se realizar qualquer prova cutânea, pois pode haver inibição ou diminuição de reações que seriam positivas como indicadores da reatividade celular. A inibição progressiva da isoenzima cardíaca MB da creatina fosfoquinase se d pela agregação in vitro de pseudo-efedrina a soros que contém a enzima. A inibição se completa em 6 horas.

Interação Medicamentosa :

A administração concomitante de LORALERG D e álcool não produz efeitos potencializadores. a administração de pseudo efedrina a pacientes que usam inibidores da monoaminoxidase (IMAO) pode gerar aumento da pressão arterial, inclusive crises hipertensivas. O uso concomitante com digitlicos pode aumentar a atividade de marcapasso ectópico. Com metildopa, mecamilamina, reserpina e alcalóides de veratro, pode diminuir o efeito antidepressivo dessas drogas. a administração de antiácidos aumenta a taxa de absorção da pseudo-efedrina e o caolin a diminui. Os agentes bloqueadores betaadrenérgicos também podem interagir com simpatomimáticos.

Superdosagem :

Não há registro até o momento de ingestão de superdose de loratadina/pseudo-efedrina. Os sinais e sintomas relacionados com dosagem excessiva desta combinação incluem desde depressão do sistema nervoso central (sedação, apnia, diminuição da capacidade mental, cianose, coma, colapso cardiovascular), excitação (insônia, alucinações, tremores ou convulsões) até parada respiratéria. Outros sinais e sintomas que podem ocorrer são: euforia, excitação, taquicardia, palpitações, sede, sudorese, náuseas, tinnitus, ataxia, visão turva e hiper ou hipotensão arterial, dor pré-cordial, dificuldade de micção, debilidade e tensão muscular, psicose tóxica com alucinações. Em crianças, o risco de estémulo maior, como também os sinais e sintomas similares aos produzidos pela atropina, tais como boca seca, pupilas fixas e dilatadas, rubor, hipertermia. sintomas gastrintestinais. O tratamento que Deverá ser instituído sintomático e adjuvante. Deve-se induzir o vômito (aconselha-se Administração de xarope de ipecacuanha) caso não tenha ocorrido mese espontnea. Medidas como o uso de carvo ativado e lavagem gástrica são alternativas teis. Não se sabe se o produto dialisvel.
FARMASA Laboratório Americano de Farmacoterapia S.A.

Fabricante :

Farmasa Laboratório Americano de Farmacoterapia S.A.

Rua Nova York, 245 - São Paulo - SP
CNPJ 61.150.819/0001-20

SAC: 0800-0114033

Medicamentos do mesmo fabricante :

Amplium, Eufor 20, Loralerg d, Loralerg, Lovacor, Loxiflan, Sercerin, Zylium


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Emagrecimento e Aumento de Massa Muscular