Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Loralerg - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Loratadina.

Classe terapêutica : Antihistaminicos.

Apresentação : Embalagens de 10 e 20 comprimidos. Xarope: Frasco com 60 ml.

Indicação : LORALERG é indicado no tratamento sintomático de manifestações associadas a rinite alérgica tais como: coriza, espirros e prurido nasal, ardor e prurido ocular. é indicado também para o tratamento sintomático da urticária crônica e outras afecções dermatológicas.

Efeito Colateral :

Loratadina não demonstrou em estudos clínicos controlados atividade sedativa ou anticolinrgica significativa. Foram relatados raros casos de fadiga, sedação, cefaleia e secura na boca, sendo sua frequência estatisticamente igual do placebo. presença de alopecia foi raramente relatada.

Modo de Usar :

Adultos e crianças acima de 12 anos: 1 comprimido (10 mg), uma vez ao dia. Crianças de 2 a 12 anos: Peso corporal abaixo de 30 kg: 5 ml (5 mg), uma vez ao dia. Peso corporal acima de 30 kg: 10 ml ou 1 comprimido (10 mg), uma vez ao dia.

Contra indicação :

Pacientes que apresentem hipersensibilidade ou idiossincrasia droga.

Modo de usar :

Adultos e crianças acima de 12 anos: 1 comprimido (10 mg), uma vez ao dia. Crianças de 2 a 12 anos: Peso corporal abaixo de 30 kg: 5 ml (5 mg), uma vez ao dia. Peso corporal acima de 30 kg: 10 ml ou 1 comprimido (10 mg), uma vez ao dia.

Fórmula :

LORALERG Comprimidos: Cada comprimido contém 10 mg de loratadina. LORALERG Xarope: Cada 6 ml contém 5 mg de loratadina.

Informaçães Técnicas

LORALERG é um potente antagonista dos receptores H, da histamina. E prontamente absorvido no trato gastrintestinal, atingindo a concentração plasmática máxima em uma hora. A loratadina metabolizada no fgado e tem como metabólto ativo a descarboetoxiloratadina. Sua meia-vida é de 17 a 24 horas. A loratadina e seu metabólito ligam-se fortemente s proteínas plasmáticas. Estudos em animais demonstraram sua passagem transplacentária e para o leite materno. A insuficiência renal não altera de forma significativa a farmacocinética da droga, entretanto, nos casos de insuficiência hepática, há modificações nos parâmetros farmacocinéticos, exigindo, portanto, ajuste da dose. Pacientes idosos não necessitam de modificações na posologia.

Interação Medicamentosa :

Loratadina não potencializa os efeitos do álcool, como demonstrado através de avaliações do desempenho psicomotor.

Precauções e Advertências

Gravidez e lactação: Não há dados suficientes para assegurar o uso da loratadina na gravidez e lactação. O produto, portanto, não deve ser administrado a mulheres grávidas ou durante o perãodo de lactação, a menos que o médico considere que as vantagens superem eventuais riscos. As concentrações ativas no leite materno são semelhantes s do plasma. após 48 horas, somente 0,029% da dose administrada foi excretado no leite materno. Em estudos animais, a loratadina atravessa a barreira placentária. Pacientes com hepatopatia grave devem ter a dose reduzida pois podem apresentar uma diminuição do clearance da loratadina. Recomenda-se dose inicial de 5 mg ao dia ou 10 mg em dias alternados. A segurança e eficácia da loratadina não estáo estabelecidas em crianças abaixo de 2 anos. Interações farmacológicas em testes de Fabricante : Deve-se suspender o tratamento aproximadamente 48 horas antes da realização de qualquer prova cutânea, pois a loratadina pode impedir ou diminuir as reações que seriam positivas aos indicadores de reatividade drmica.

Superdosagem :

Não há registro até o momento de ingestão de superdose de loratadina. Os sinais e sintomas relacionados com dosagem excessiva incluem desde depressão do sistema nervoso central (sedação, apnia, redução do estado de alerta, colapso cardiovascular), excitação (insônia, alucinações, tremores ou convulsões) até parada respiratéria. O tratamento que Deverá ser instituído sintomático e adjuvante. Deve-se induzir o vômito (aconselha-se Administração de xarope de ipecacuanha) mesmo que já tenha ocorrido mese espontnea. O uso de carvo ativado e lavagem gástrica pode ser til. A loratadina não significativamente depurada por hemodilise.
FARMASA Laboratório Americano de Farmacoterapia S.A.

Fabricante :

Farmasa Laboratório Americano de Farmacoterapia S.A.

Rua Nova York, 245 - São Paulo - SP
CNPJ 61.150.819/0001-20

SAC: 0800-0114033

Medicamentos do mesmo fabricante :

Amplium, Eufor 20, Loralerg d, Loralerg, Lovacor, Loxiflan, Sercerin, Zylium


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.