Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Lisinoretic - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Hidroclorotiazida e Lisinopril.

Classe terapêutica : Antihipertensivos

Apresentação :

30 comprimidos 10/12,5 mg
30 comprimidos 20/12,5 mg

Indicação : é indicado para o tratamento da hipertensão essencial em pacientes nos quais a terapia
combinada seja apropriada.

Modo de Usar :

LISINORETIC é apresentado em comprimidos para administração oral. hipertensão essencial: A dose usual
é de 1 comprimido administrado uma vez ao dia. Se necessário, a dose pode ser aumentada para 2 comprimidos
administrados uma vez ao dia. Insuficiência renal: LISINORETIC não deve ser usado como tratamento inicial em
nenhum paciente com insuficiência renal. Em pacientes com "clearance" de creatinina >30 e

Contra indicação :

LISINORETIC É contra indicado para pacientes com anúria, pacientes hipersensíveis a quaisquer
de seus componentes, para pacientes com história de edema angioneurtico relacionado a tratamento anterior com
inibidor da ECA, hereditério ou idioPótico. LISINORETIC É contra indicado para pacientes que apresentam
hipersensibilidade a outras drogas derivadas das sulfonamidas.

Modo de usar :

LISINORETIC é apresentado em comprimidos para administração oral. hipertensão essencial: A dose usual
é de 1 comprimido administrado uma vez ao dia. Se necessário, a dose pode ser aumentada para 2 comprimidos
administrados uma vez ao dia. Insuficiência renal: LISINORETIC não deve ser usado como tratamento inicial em
nenhum paciente com insuficiência renal. Em pacientes com "clearance" de creatinina >30 e

Cuidados e Advertências

LISINORETIC geralmente tolerado. O efeito colateral mais comum foi tontura que
respondeu redução de dose e raramente necessitou suspensão do tratamento. Outros efeitos colaterais menos
comuns foram cefaleia, tosse seca, fadiga, efeitos ortostáticos, diarreia, náusea, vômito, boca seca, erupção cutânea,
gota, palpitação, desconforto torcico, cãibras e fraqueza muscular, parestesia, astenia e impotncia.
Hipersensibilidade/edema angioneurtico: Edemas angioneurticos de face, extremidades, lbios, lngua, glote e/ou
laringe foram raramente relatados. Um conjunto de sintomas foi relatado e incluiu febre, vasculite, mialgia,
artralgia/artrite, anticorpos antinucleares positivos, velocidade de sedimentação dos eritrcitos elevada, eosinofilia e
leucocitose, rash e fotossensibilidade. Hipotensão e desequilíbrio hidroeletrolítico: Pode ocorrer hipotensão sintomática
em alguns pacientes. Isso foi observado em pacientes hipertensos sem complicações, mas mais provável na presença
de desequilíbrio hidroeletrolítico. Deve-se dar especial atenção ao tratamento administrado a pacientes com cardiopatia
isquêmica ou doença cerebrovascular, pois a queda excessiva da pressão arterial poderia resultar em infarto do
miocárdio ou acidente cerebrovascular. Comprometimento da função renal: As tiazidas podem não ser diuréticos
adequados para uso em pacientes com comprometimento renal e são ineficazes com valores de clearance da creatinina
iguais ou menores que 30 ml/min. LISINORETIC não deve ser administrado a pacientes com insuficiência renal, até
que a titulação de seus componentes individuais tenha mostrado a necessidade das doses presentes no comprimido
combinado. Hepatopatias: As tiazidas devem ser usadas com cautela em pacientes com função hepática comprometida
ou hepatopatia progressiva, pois pequenas alterações de equilíbrio hidroeletrolítico podem precipitar coma hepático.
Cirurgia/anestesia: Em pacientes que serão submetidos a grandes cirurgias, ou durante anestesia com agentes que
produzem hipotensão, o lisinopril pode bloquear a formação da angiotensina II secundária liberação compensatéria de
renina. Se ocorrer hipotensão e for considerada como decorrente deste mecanismo, pode-se corrigi-la através de
expansão de volume. Efeitos metabólicos e endócrinos: O tratamento com tiazidas pode alterar a tolerância glicose.
Ajustes posológicos de agentes antidiabéticos podem ser necessários. As tiazidas podem diminuir a excreção urinária
de cálcio e causar elevações intermitentes e discretas do cálcio srico. Pacientes em hemodilise: O uso de
LISINORETIC não é indicado para pacientes que necessitam de dilise por insuficiência renal. reações anafilactides
foram relatadas em pacientes dialisados com membranas de alto fluxo e medicados concomitantemente com inibidores
da ECA. Tosse: Foram relatados casos de tosse com o uso de inibidores da ECA. A tosse não produtiva, persistente e
desaparece com a interrupção do tratamento. Gravidez e lactação: O uso de lisinopril durante a gravidez não
recomendado. Quando a gravidez for detectada, lisinopril deve ser interrompido o mais rpido possível, a menos que
seja considerado de importncia vital para a me. Os inibidores da ECA podem causar morbidade e mortalidade fetal e
neonatal quando administrados a gestantes durante o segundo e terceiro trimestres. Oligoidrmnio materno ocorreu e
pode resultar em contratura dos membros, deformações craniofaciais e desenvolvimento de hipoplasia pulmonar. Caso
o lisinopril seja usado durante a gravidez, a paciente deve ser informada sobre o risco potencial para o feto. Nutrizes:
Não se sabe se o lisinopril secretado no leite materno, todavia, as tiazidas são detectadas no leite materno. Devido ao
potencial para reações graves da hidroclorotiazida em lactantes, deve-se decidir entre descontinuar a lactação ou o uso
de LISINORETIC, levando-se em consideração a importncia do medicamento para a me.

Fabricante :

HEXAL DO BRASIL LTDA

Rodovia Celso Garcia Cid, KM 87
Parque Industrial
Cambé - PR - Brasil
CEP 86183-600
SAC - 0800 400 91 92
sac.sandoz@sandoz.com
Cambé - PR +55 43 3174-8000
São Paulo - SP +55 11 5532-7122

Medicamentos do mesmo fabricante :

Aciclovir, Arotin, Atenopress, Atenorese, Binko Hexal, Captotec, Cetihexal, Cimetina, Ciprobiot, Clarilerg, Cor mio, Dexametonal, Diclac sr, Diclac, Enaprotec, Ergomemor, Flox, Flutec, Ginkgo Biloba, Glimeprid, Itrahexal, Keflaxina, Lisinopril, Lisinoretic, Lisinovil, Loratadina, Lorsacor, Lorsar hct, Micosten, Movacox, Neobacina, Neocina, Nimalgex, Omeprotec, Pantopaz, Piroxicam, Pontin, Qiftrim, Quadrihexal, Secnihexal, seduspar, sinvastacor, sotahexal, stugerina, Ulcerit, Zimicina,

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode ser-lhes prejudicial, mesmo que apresentem os mesmos sintomas.
Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.
O ministério da saúde adverte: a automedicação pode fazer mal à sua saúde.
Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária. Trata-se de um registro histórico deste medicamento.
Este texto não pode substituir a leitura da bula que acompanha o medicamento.
Os medicamentos podem mudar suas formulações, recomendações e alertas.
Apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão do medicamento comercializada.
Todas as bulas constantes no site portal são meramente informativas.
Lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.