Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Limbitrol - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Amitriptilina e Clordiazepoxido.

Classe terapêutica : Antidepressivos

Apresentação : Caixas com 20 cápsulas.

Indicação : Estados depressivos acompanhados de ansiedade, inclusive distúrbios funcionais de origem depressiva.

Efeito Colateral :

Em doses terapêuticas o Limbitrol é bem tolerado. No incio do tratamento pode surgir astenia passageira que desaparece com adaptação da posologia. reações anticolinrgicas como secura na boca, constipação, taquicardia moderada e distúrbios de acomodação, desaparecem espontaneamente ou com adaptação da posologia. Os antidepressivos e os neurolpticos podem provocar modificações de EEG particularmente em pacientes predispostos; convulsões foram observadas em raros casos. - Superdosagem: a superdosagem manifesta-se por sonolência até coma, confusão mental, excitação, insuficiência cardíaca, distúrbios do ritmo cardíaco, hipotensão, efeitos anticolinrgicos (do tipo atropúnico), com taquicardia, secura das mucosas, obstipação até óleo paralítico, retenção de urina, midrase. Recomenda-se lavagem gástrica (mesmo após vrias horas da ingestão), monitoramento e tratamento convencional das alterações respiratórias e cardiovasculares. Nos casos de intoxicações graves por quaisquer benzodiazepúnicos (com coma ou sedação grave) recomenda-se o uso do antagonista específico, o flumazenil, na dose inicial de 0,3 mg EV, com incrementos de 0,3 mg a intervalos de 60 segundos, até reversão do coma. No caso dos benzodiazepúnicos de meia vida longa pode haver re-sedação, portanto, recomenda-se o uso de flumazenil por infusão endovenosa de 0,1 - 0,4 mg/hora, gota a gota, em glicose a 5% ou cloreto de sódio 0,9%, juntamente com os demais processos de reanimação, desde que o flumazenil não reverta a depressão respiratéria. Nas intoxicações mistas, o flumazenil também pode ser usado para diagnóstico.

Modo de Usar :

2 a 6 cápsulas ao dia, segundo as particularidades de cada caso. Iniciar o tratamento administrando-se 1 cápsula à noite e 1 pela manhã. A dose principal deve ser sempre ao deitar. Tratamento hospitalar: neste caso, a posologia recomendada pode ser duplicada, se necessário. No entanto, deve ser progressiva até se atingir a dose tima e bem tolerada. A dose terapêutica média de 3 cápsulas ao dia. Pacientes idosos e debilitados necessitam de doses mais baixas por causa de variações da sensibilidade individual.

Contra indicação :

Pacientes com reconhecida hipersensibilidade aos componentes de sua fórmula e a pacientes com glaucoma. Não administrar durante os três primeiros meses da gravidez, a não ser em caso de extrema necessidade, pois como ocorre com outros benzodiazepúnicos, não deve ser afastada a possibilidade de Ocorrência de danos fetais. Não se deve usar durante o perãodo de recuperação do infarto agudo do miocárdio. Evitar o tratamento prolongado em mulheres em risco de procriar. Existe a possibilidade do Limbitrol passar para o leite materno. Por essa razo, o Limbitrol não deve ser administrado regularmente a lactantes.

Precauções :

Precaução especial ao se administrar Limbitrol a pacientes com miastenia grave (devido ao relaxamento muscular preexistente) e a pacientes com disfunções renais e hepáticas graves. Por analogia com outros antidepressivos, o Limbitrol pode originar, durante o tratamento, estados paranides ou pré-delirantes e estados de excitação. Pacientes com hipertrofia prostática podem apresentar aumento dos distúrbios da micção e Às vezes retenção urinária. Como ocorre com outros antidepressivos, o tratamento de condições depressivas com Limbitrol pode exacerbar sintomas esquizofrúnicos em pacientes com esquizofrenia ou distúrbios esquizoafetivos. Nestes pacientes, portanto, qualquer tratamento prvio prolongado com neurolpticos deve ser mantido. Os antidepressivos e os neurolpticos devem ser administrados com cautela particularmente a pacientes idosos, quando há suspeita de insuficiência cardíaca, ou quando ocorrem perturbações do ritmo cardíaco ou da condução. Dependendo da dose e da sensibilidade individual, o Limbitrol pode modificar a reação do paciente ao dirigir veículos ou operar máquinas perigosas. Pacientes com história de epilepsia que utilizam Limbitrol devem ser mantidos sob observação, uma vez que a amitriptilina, como ocorre com outros antidepressivos tricclicos, pode ocasionar uma ligeira queda do limiar convulsivo. dependência: pode ocorrer dependência quando da terapia com benzodiazepúnicos. O risco mais evidente em pacientes em uso prolongado, altas dosagens e particularmente em pacientes predispostos, com história de alcoolismo, abuso de drogas, forte personalidade ou outros distúrbios psiquitricos graves. No sentido de minimizar o risco de dependência, os benzodiazepúnicos só devem ser prescritos após cuidadosa avaliação quanto indicação e devem ser administrados por perãodo de tempo o mais curto possível. A continuação do tratamento, quando necessária, deve ser acompanhada bem de perto. A duração prolongada do tratamento s se justifica após avaliação cuidadosa dos riscos e benefícios. Abstinncia: o incio dos sintomas de abstinncia varivel, durando poucas horas a uma semana ou mais. Nos casos menos graves, a sintomatologia da abstinncia pode restringir-se a tremor, agitação, insônia, ansiedade, cefaleia e dificuldade para concentrar-se. Entretanto, podem ocorrer outros sintomas de abstinncia, tais como, sudorese, espasmos muscular e abdominal, alterações na percepção e, mais raramente delirium e convulsões. Na Ocorrência de sintomas de abstinncia, necessário um acompanhamento médico bem próximo e apoio para o paciente. A interrupção abrupta deve ser evitada e adotado um esquema de retirada gradual. Interações Medicamentosas:: o uso concomitante com cimetidine inibe o metabolismo do Limbitrol. O uso concomitante com antitireideo aumenta o risco de agranulocitose. O uso simultâneo com estrgenos diminui o efeito teraPóutico da amitriptilina. O uso simultâneo e prolongado de anticoncepcionais orais e clordiazePóxido reduz a segurança do anticoncepcional e causa maior Incidência de hemorragia. Como ocorre com qualquer substância psicoativa, o efeito do Limbitrol pode ser intensificado pelo álcool. Se o Limbitrol for usado concomitantemente com outros medicamentos de ação central, tais como: neurolpticos, tranqilizantes, antidepressivos, hipnéticos, Analgésicos e anestásicos, seu efeito sedativo pode ser intensificado. A amitriptilina pode inibir a ação dos hipotensores que agem por bloqueio dos neurônios adrenérgicos como, por exemplo, guanetidina, betanidina, debrisoquina. O Limbitrol não deve ser administrado concomitantemente com IMAO. Nos pacientes em tratamento com IMAO deve-se intercalar uma pausa de 1 ou 2 semanas antes de se iniciar o tratamento com Limbitrol.

Fórmula :

Cada cápsula contém 5 mg de clordiazePóxido e12,5 mg de cloridrato de amitriptilina.

Fabricante :

Roche Químicos Farmacêuticos S/A

Estrada dos Bandeirantes, 2020 – cep 22775-109
Rio de Janeiro – RJ - Brasil

Canal do Médico: 0800 77 20 292
Canal do Paciente: 0800 77 20 289

Ancotil, Bactrim, Cellcept, Coreg, Efurix, Fansidar, Fortovase, Globocef, Granulokine, Herceptin, Hivid, Lanexat, Lariamar, Limbitrol, Liquemine, Mabthera, Marcoumar, Pegasys, Posicor, Prolopa, Prostigmine, Protamina, Protovit, Pulmozyme, Rennie, Roacutan, Rocaltrol, Rocefin im, Rocefin iv, Rochagan, Roferon a, Uro bactrim, Verutex, Vesanoid


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.