Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Leucovorina - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : ácido folúnico

Apresentação : Embalagens com 1 frasco-ampola de 50 mg e 1 ampola de diluente de 5 ml. Solução injetível(I.M./I.V.) de 3 mg/1 ml. Embalagens com 6 frascos-ampola com 1 ml.

Indicação : Redução da toxicidade do metotrexato de pacientes que estejam sendo submetidos a tratamento com o metotrexato para osteossarcoma, ou quando existe eliminação diminuída desta droga ou ainda em sua superdosagem; anemias megaloblsticas por deficiência de folatos; normalização dos níveis de folatos, que frequentemente são diminuídos durante a gravidez. No tratamento de pacientes com problemas hepáticos (cirrose e hepatopatias crônicas), alcoolismo e nos idosos (melhora dos sintomas psquicos da deficiência de folatos).

Efeito Colateral :

Apenas reações de hipersensibilidade ao Princípio ativo e ao ácido fólico. Tem ocorrido pirexia após as injeções.

Modo de Usar :

Cncer colorretal avançado: são recomendados os dois seguintes regimes de tratamento: Administração de 200 mg/m2 por injeção intravenosa durante no mínimo 3 minutos seguido por 5 fluoruracil a 370 mg/m2 por injeção intravenosa. a administração de 20 mg/m2 por injeção intravenosa seguido por 5 fluoruracil a 425 mg/m2 por injeção intravenosa. O tratamento repetido diariamente por 5 dias. Este tratamento de 5 dias pode ser repetido em intervalos de 4 semanas (28 dias), por 2 vezes e depois repetido a intervalos de 4 a 5 semanas (28 a 35 dias) depois que o paciente estiver completamente recuperado dos efeitos txicos do primeiro tratamento. Nos tratamentos subseqentes a dosagem de 5 fluoruracil deve ser ajustada baseada na tolerância do paciente durante o primeiro tratamento. A dosagem diária de 5 fluoruracil deve ser reduzida em 20% para pacientes que experimentaram moderada toxicidade hematológica ou gastrintestinal durante o tratamento inicial, e em 30% para pacientes que experimentaram toxicidade severa. Para pacientes que não experimentaram toxicidade durante o tratamento inicial a dosagem de 5 fluoruracil pode ser aumentada em 10%. As dosagens de Leucovorina Biosintática não são ajustadas pela toxicidade. Outras doses e dosagens da terapia de Leucovorina Biosintática/5 fluoruracil tém sido avaliadas em pacientes com cncer colorretal avançado, alguns desses regimes alternativos podem também ser eficazes no tratamento dessa doença. Contudo, mais pesquisas clínicas são necessárias para confirmar a segurança e eficácia desses regimes de tratamento alternativos. Como fator de proteção ou na redução da toxicidade depois de altas doses de terapia com metotrexato: as recomendações para Leucovorina Biosintática são baseadas na dose de metotrexato de 12 a 15 g/m2 administrada por infusão intravenosa durante 4 horas. Proteção de uma dose de 15 mg (aproximadamente 10 mg/m2) a cada 6 horas por 10 doses comea 24 horas depois do incio da infusão do metotrexato. Na presença de toxicidade gastrintestinal, náusea ou vômito, Leucovorina Biosintática deve ser administrada parenteralmente. Creatinina sérica em níveis de metotrexato devem ser determinados, no mínimo, uma vez por dia. a administração de Leucovorina Biosintática, hidratação e alcalinização urinária (pH de 7,0 ou mais) devem ser continuadas até o nível de metotrexato ficar inferior a 5 x 10-8M (0,05 micromolar). A dose de Leucovorina Biosintática deve ser ajustada ou redução da toxicidade do metotrexato estendida baseada nas seguintes recomendações: eliminação normal de metotrexato: nível srico de metotroxate aproximadamente 10 micromolar 24 horas após Administração, 1 micromolar 48 horas após e menos que 0,2 micromolar após 72 horas: 15 mg via oral, I.M. ou I.V., 10 doses comeando 24 horas depois de iniciar a infusão do metotrexato. Eliminação tardia de metotrexato: nível srico de metotrexato permanecendo acima de 0,2 micromolar após 72 horas e mais que 0,05 micromolar após 96 horas da administração: continua 15 mg via oral, I.M. ou I.V., até que o nível de metotrexato seja inferior a 0,05 micromolar. Eliminação inicial de metotrexato e/ou evidência de insuficiência renal aguda: nível srico de metotrexato de 50 micromolar ou mais após 24 horas, ou 5 micromolar ou mais após 48 horas; um aumento de 100% ou mais nos níveis séricos de creatinina 24 horas após Administração de metotrexato (p. ex., um aumento de 0,5 mg/dL para o nível de 1 mg/dL ou mais): 150 mg I.V., até o nível de metotrexato ser inferior a 1 micromolar; então 15 mg I.V., até o nível de metotrexato ser inferior a 0,05 micromolar. Pacientes que experimentaram eliminação inicial do metotrexato são sucetíveis a desenvolver insuficiência renal reversível. Adicionalmente terapia apropriada de Leucovorina Biosintática, esses pacientes necessitam de contínua hidratação e alcalinização urinária e monitorização da situação fluódica e eletrolítica, até os níveis séricos de metotrexato diminurem até 0,05 micromolar e a insuficiência renal estar normalizada. Alguns pacientes irão apresentar eliminação anormal de metotrexato ou na função renal após a administração de metotrexato que significantemente menos severa que as anormalidades descritas na tabela acima. Essas anormalidades podem ou não estar associadas com significante toxicidade clínica. Caso toxicidade clínica seja observada, a terapia com Leucovorina Biosintática deve ser estendida por mais 24 horas (total de 14 doses durante 84 horas) na terapia subseqente. A possibilidade do paciente receber outra medicação que interage com metotrexato (p.ex., medicamentos que possam interferir com eliminação do metotrexato ou prender-se com albumina sérica) deve ser sempre considerada quando anormalidades laboratoriais ou toxicidade clínica seja observada. Eliminação de metotrexato diminuída ou superdosagem inadvertida: o uso de Leucovorina Biosintática deve comear to logo seja possível. Leucovorina Biosintática 10 mg/m2 I.M., I.V. ou via oral a cada 6 horas até que o nível srico do metotrexato seja inferior a 10-8M. Na presença de toxicidade gastrintestinal, náusea ou vômito, Leucovorina Biosintática deve ser administrada parenteralmente. Creatinina sérica e nível de metotrexato devem ser determinados em intervalos de 24 horas. Caso o nível de creatinina srico, após 24 horas, aumentar 50%, ou caso o nível de metotrexato for maior que 5 x 10-6M após 24 horas, ou caso seja maior que 9 x 10-7M após 48 horas, a dose de Leucovorina Biosintática deve ser aumentada para 100 mg/m2 I.V. cada 3 horas até que o nível de metotrexato seja inferior a 10-8M. Hidratação (3 L/d) e alcalinização urinária com solução de bicarbonato de sódio devem ser empregadas concomitantemente. O bicarbonato deve ser ajustado para manter um pH urinário de 7,0 ou mais. Anemia megaloblstica devido à deficiência de ácido fólico: até 1 mg diário. Não há evidências de que doses maiores que 1 mg/dia tenham maior eficácia que doses de 1 mg, adicionalmente perda de folato na urina torna-se maior quando a administração excede 1 mg. Cada 50 mg de Leucovorina Biosintática quando reconstituída com 5 ml, de diluente estáril, gera uma concentração final de 10 mg/ml. Cada 350 mg de Leucovorina Biosintática quando reconstituída com 17 ml de diluente estáril, gera uma concentração de 20,5 mg/ml. Leucovorina Biosintática não contém preservativos. Reconstituir com água estáril para injeção. Produtos para uso parenteral devem ser inspecionados visualmente quanto descoloração ou material particulado, imediatamente antes da administração, caso a solução ou recipiente permitam. - Superdosagem: não há reações clínicas significativas.

Contra-indicaçao ;

Anemias perniciosas por carncia de cobalaminas (vitamina B12), pelo simples fato de que pode ser observada uma melhora da crase sanguínea, sem a necessária remissão do quadro neurológico. Gravidez e lactação.

Precauções :

Adequar as doses aos níveis séricos de metotrexato. Não deve ser administrada simultaneamente com antagonistas do ácido fólico, pois pode anular o efeito do antagonista. - Interações Medicamentosas:: Leucovorina em altas doses pode inibir a ação anticonvulsiva da fenitona, do fenobarbital e da primidona, sendo que pode inclusive desencadear crises comiciais em crianças com baixo limiar de convulsibilidade. O Leucovorina pode aumentar o risco de toxicidade quando administrado concomitantemente ao 5-fluoracil.

Fórmula :

Cada frasco-ampola de Pó lifilo injetívelcontém: ácido folúnico (leucovorina célcica) 50 mg. Cada ampola de diluente contém: água estáril para injeção 5 ml. Cada frasco-ampola de solução injetável de 3 mg contém: ácido folúnico (leucovorina célcica) 3 mg, veículo q.s.p. 1 ml.

Fabricante :

Fabricante : s Biosintética Ltda.

Medicamentos do mesmo fabricante :

adalat_oros., anangor., ansentron, arovit., avalox., baycuten-n, bayro-gel, benerva, bepantol, biocarbo, biometrox, biopaxel, biorrub, bioxifeno, bonar, brozepax, canesten, cipro, copaxone, corus_50_mg, corus_h, corus-h, deprilan_5_mg, dermomax, disgren, dysport, ephynal, eupressin, eupressin, ezulen, filgrastima, fluticaps, formocaps, gino-canesten_1, gino-canesten_3, leucovorina, lipobay, lisinopril, litiocar, loratadina, micetal, minor, miodaron, naproxeno, nicolan, nifelat, nootron, oceral, omeprazol, ondansetron, one-a-day_50, osteocalcic, osteotrat, oxcord, paclitaxel, pantopept, paracetamol, prevax, progresse, revangel, ribavirina, rupafin, saridon, sinergen, somatrop, supradyn, vincetron


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.