Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Lamitor - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Lamotrigina

Classe terapêutica : Antiepilepticos

Apresentações : Embalagem contendo 30 comprimidos de 25 mg, 50 mg e 100 mg.

Indicações:Adultos e crianças a partir de 12 anos: LAMITOR é uma droga antiepilptica indicada, como adjuvante ou em monoterapia, para o tratamento de crises convulsivas parciais e crises generalizadas, incluindo as crises tonicoclínicas e as crises associadas com a síndrome de Lennox-Gastaut.

Efeito Colateral : Rashes cutâneos em até 10%. Os rashes cutâneos levaram suspensão do tratamento com lamotrigina em 2%. Raramente foram observados rashes cutâneos graves. Outras reações durante estudos incluram: diplopia, visão turva, tontura, sonolência, cefaleia, falta de firmeza de movimentos, cansaço, distúrbios gastrintestinais e irritabilidade/agressividade.

Modo de Usar : Dose em monoterapia: Adultos e crianças acima de 12 anos: Dose inicial de 25 mg, uma vez ao dia, por duas semanas, seguida por 50 mg, uma vez ao dia, por duas semanas. A partir daé a dose deve ser aumentada em até o máximo de 50-100 mg, a cada 1-2 semanas, até que uma resposta tima seja alcançada. A dose usual de manutenção é de 100-200 mg/dia, administrados uma vez ao dia ou em duas doses fracionadas. Alguns pacientes podem necessitar de até 500 mg/dia para alcançar a resposta desejada. Devido ao risco de exantema (rash), a dose inicial e o escalonamento de doses subseqente não devem ser excedidos. Dose em terapia combinada: Em pacientes recebendo valproato, a dose inicial de LAMITOR deve ser de 25 mg, em dias alternados, por duas semanas; seguido por 25 mg, uma vez ao dia, por duas semanas. Em seguida, a dose deve ser aumentada até um máximo de 25-50 mg, a cada 1 ou 2 semanas, até que uma resposta adequada seja alcançada. A dose usual de manutenção é de 100-200 mg/dia, administrados uma vez ao dia ou fracionados em duas tomadas. Pacientes idosos (acima de 65 anos de idade): Nenhum ajuste de dose necessário. Insuficiência hepática: As doses iniciais, de escalonamento e manutenção, devem ser reduzidas em aproximadamente 50%, em insuficiência hepática moderada (Child-Pugh grau B), 75% (Child-Pugh grau C).

Contra indicação : indivíduos com conhecida hipersensibilidade lamotrigina.

Precauções : Existem relatos de reações adversas dermatológicas que, geralmente, tém ocorrido nas primeiras oito semanas após o incio do tratamento; a maioria leve e autolimitada. Exantemas graves e potencialmente ameaadores da vida, síndrome de Stevens-Johnson (SJS), necrólise epidérmica tóxica tém sido relatados. Além disso, o risco global de aparecimento de um exantema pode estar fortemente associado com altas doses iniciais, doses que excedam o escalonamento recomendado e/ou com o uso concomitante de valproato (ver dose). Todos os pacientes (adultos e crianças) que desenvolverem exantema devem ser rapidamente avaliados, e o uso de lamotrigina descontinuado. A suspensão abrupta de LAMITOR pode provocar crises de rebote. A menos que seja necessário, a dose deve sofrer redução gradual ao longo de duas semanas. Não existem dados disponíveis suficientes para avaliar a segurança do uso na gravidez humana. Não deve ser usado na gravidez, a menos que, na opinio dos médicos, o benefício potencial para a me justifique qualquer risco possível ao desenvolvimento fetal. há informação limitada sobre o uso de lamotrigina na lactação. Esta substância passa pelo leite materno, 40%-60% da concentração sérica. O benefício potencial da amamentação deve ser considerado. Quando a me tratada durante a gravidez, existe um risco teórico de ocorrerem malformações fetais.

Modo de usar : de Lamitor

Dose em monoterapia: Adultos e crianças acima de 12 anos: Dose inicial de 25 mg, uma vez ao dia, por duas semanas, seguida por 50 mg, uma vez ao dia, por duas semanas. A partir daé a dose deve ser aumentada em até o máximo de 50-100 mg, a cada 1-2 semanas, até que uma resposta tima seja alcançada. A dose usual de manutenção é de 100-200 mg/dia, administrados uma vez ao dia ou em duas doses fracionadas. Alguns pacientes podem necessitar de até 500 mg/dia para alcançar a resposta desejada. Devido ao risco de exantema (rash), a dose inicial e o escalonamento de doses subseqente não devem ser excedidos. Dose em terapia combinada: Em pacientes recebendo valproato, a dose inicial de LAMITOR deve ser de 25 mg, em dias alternados, por duas semanas; seguido por 25 mg, uma vez ao dia, por duas semanas. Em seguida, a dose deve ser aumentada até um máximo de 25-50 mg, a cada 1 ou 2 semanas, até que uma resposta adequada seja alcançada. A dose usual de manutenção é de 100-200 mg/dia, administrados uma vez ao dia ou fracionados em duas tomadas. Pacientes idosos (acima de 65 anos de idade): Nenhum ajuste de dose necessário. Insuficiência hepática: As doses iniciais, de escalonamento e manutenção, devem ser reduzidas em aproximadamente 50%, em insuficiência hepática moderada (Child-Pugh grau B), 75% (Child-Pugh grau C).

Interação Medicamentosa :

Os agentes antiepilpticos que induzem as enzimas hepáticas de metabolização de drogas aumentam o metabolismo da lamotrigina. valproato de sódio reduz o metabolismo e aumenta a meia-vida média da lamotrigina em cerca de duas vezes.

Superdosagem :

ingestão aguda de doses de até 10 a 20 vezes a dose terapêutica máxima. Os sintomas incluem sonolência, ataxia, inconsciência e coma. No caso de superdose, o paciente deve ser hospitalizado para receber tratamento sintomático e de suporte apropriados. Se indicada, deve ser feita lavagem gástrica, idealmente até 2 a 4 horas após a ingestão.

Fabricante :

Torrent do Brasil Ltda

Avenida Dr. Chucri Zaidan, 1240
Edifício Morumbi Golden Tower- Torre A - 24º andar.
Santo Amaro – São Paulo/SP
CEP: 04711-130
Tel.: PABX - (11) 5501-2585
Fax: (11) 5501-2582
E-mail: torrent@torrent.com.br


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.