Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Interleukin - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Interleucina-2 recombinante

fórmula :

Cada frasco ampola com 1 mg de liofilizado contém:
Interleucina-2 recombinante 1,00 mg
Obs.: Cada 1 mg de IL-2r=18 x10 6 U.I.
Manitol, Dodecilsulfato de sódio, Fosfato Monossódico monoidratado, e Fosfato Dissódico q.s.p.
Diluente:
água para Injetíveis 1,2 ml

Indicações:

Interleukin , é obtido por Técnicas de dna recombinante. o plasmdeo de expressão possui um gen de interleukin e a regulação ocorre através do promotor triptofano. a indução na cultura ocorre por depleção do triptofano agregado a um meio definido.
A atividade de interleucina-2 recombinante injetável expressa em unidades internacionais (u.i.), com 18 x 10 6 u.i., correspondendo a 1 mg de proteína de interleucina-2 recombinante. antes da administração, o Pó liofilizado deve ser dissolvido com 1,2 ml de diluente para injeção, de modo a fornecer uma solução isotúnica.
A interleucina-2 recombinante injetável é uma pastilha liofilizada firme composta de Pó cristalino branco.
- ação:
A interleucina-2 é normalmente produzida pelos linfcitos t. as formas comerciais podem ser recombinantes (não glicosadas quando são elaboradas em bactrias) ou extradas do sobrenadante do cultivo. a forma recombinante parece possuir as mesmas propriedades da forma nativa. favorece a mitognese linfocitéria e estimula o crescimento das linhas celulares dependentes de interleucina-2. tambm, potencializa a citotoxicidade linfocitéria, a dos natural killer (nk) e a das células assassinas ativadas por linfocinas (lak). em alguns casos os pacientes que recebem interleucina-2 desenvolvem anticorpos contra a mesma; no entanto, desconhece-se seu impacto clínico.
- Indicaçõese uso:
O interleukin injetável é indicado para o tratamento de pacientes adultos com carcinoma metastsico de células renais e melanoma. usar os procedimentos de dosificação indicados logo a seguir, mesmo que não se tenha estabelecido a dose terapêutica tima.
- contra-indicações:
O interleukin está contra indicado para pacientes com antecedentes conhecidos de hipersensibilidade a interleucina-2 recombinante. recomenda-se não administrar a interleucina-2 em pacientes com metstase cerebral não-tratadas. pacientes com transplante de rgos, com função pulmonar alterada ou com resposta anormal ao ensaio de estresse base de tlio.
- precauções especiais para o uso:
O interleukin deve ser utilizado sob supervisão de um médico qualificado, experiente no uso de agentes quimiotrpicos para o cncer. exigida a hospitalização em uma unidade especializada, com a instalação de uma unidade de cuidados intensivos para controlar os parâmetros clínicos e de Laboratório correspondentes. necessita-se uma precaução extrema e um controle cuidadoso em pacientes com grave enfermidade cardiovascular ou respiratéria preexistente, alterações do estado mental ou afetação da função hepática ou renal.
a administração de interleucina-2 provoca febre e efeitos colaterais gastrointestinais na maioria dos pacientes tratados com as doses recomendadas. pode-se utilizar medicamento antipirático e/ou antiulceroso para tratar ou prevenir parcialmente estes efeitos colaterais. a administração de interleucina-2 provoca uma elevação reversível das transaminases hepáticas, da bilirrubina, no bun e na creatinina. os pacientes com disfunção renal ou hepática preexistentes devem ser vigiados atentamente. a administração de interleucina-2 poderá alterar o metabolismo renal ou hepático da excreção de drogas administradas simultaneamente. outras drogas que tem um potencial nefrotxico ou hepatotxico conhecido devem ser utilizadas com precaução. os fenmenos de hipotensão podem aparecer rapidamente e serão mais pronunciados com a administração simultânea em "bolus" endovenoso que com a infusão contínua endovenosa. a Ocorrência de hipotensão pode aparecer de 2 a 12 horas depois de administrar interleucina-2. a maioria dos pacientes necessita de tratamento com agentes pressores, tais como dopamina ou fluidos por via endovenosa. a função pulmonar deve ser controlada atentamente nos pacientes que desenvolvem estertores ou aumento da velocidade respiratéria ou que se queixam de dispnéia. os pacientes podem sofrer distorções do estado mental, incluindo irritabilidade, confusão ou depressão, enquanto recebem interleucina-2. estas distorções são normalmente reverssveis quando se suspende a administração do fármaco. sem cuidado, as alterações do estado mental podem progredir durante Vários dias antes de que se inicie a recuperação. a interleucina-2 pode alterar a resposta do paciente s drogas psicotrpicas. a administração de interleucina-2 provoca uma fuga capilar na maioria dos pacientes, que poderá exacerbar as efuses das superfcies serosas. deve-se estudar a possibilidade de tratar os derrames antes de iniciar-se a terapia com sobretudo quando estáo situados em lugares anatémicos em que a piora poderá provocar uma alteração de um orgão importante (por exemplo derrames pericárdicos). análises de Fabricante : Além das análises normalmente exigidas para controlar os pacientes com carcinomas metastsicos de células renais, são recomendadas as seguintes análises de Laboratório para todos os pacientes submetidos terapia com interleucina-2, antes de iniciar o tratamento e depois periodicamente: análises hepatológicas ordinárias, fórmula leucocitéria (incluindo a contagem diferencial e de plaquetas), química sanguínea incluindo os eletrôlitos, provas da função renal e hepática, radiografia de trax. como complemento do histrico e do exame físico , deve-se considerar a obtenção do ecg basal, provas de gasometria pulmonar e sangue arterial e avaliação objetiva para enfermidade vascular coronária, e avaliação prvia ao tratamento.
- Advertências:
Devido aos graves efeitos adversos que acompanham geralmente a terapia com interleucina-2 nas doses recomendadas,
Interleucina-2 somente Deverá ser administrada a pacientes bem informados, em ambiente hospitalar e sob a supervisão de um médico qualificado, experimentado no uso de agentes quimioterpicos do cncer.
A interleucina-2 pode provocar uma síndrome de extravasamento capilar. ao administrar fluidos por via endovenosa deve-se tomar o cuidado dos benefícios potenciais da expansão do volume intravascular contra o risco de edema pulmonar devido ao extravasamento capilar. alguns pacientes podem necessitar de entubação para tratar a insuficiência respiratéria passageira. a administração de interleucina-2 deve ser suspensa em pacientes que desenvolvem letargia ou sonolência, a administração continuada pode levar ao coma. a interleucina-2 pode piorar os sintomas de enfermidade em pacientes com metstase do snc clinicamente não reconhecidas ou não tratadas. todos os pacientes deverão submeter-se a uma avaliação e tratamento adequados da metastse do snc antes de receber terapia com interleucina-2. a administração de interleucina-2 pode estar associada com um aumento da Incidência e/ou gravidade das infecções bacterianas, principalmente por staphylococcus aureus. as infecções bacterianas preexistentes deverão ser tratadas adequadamente antes de iniciar a terapia com o produto. a toxicidade associada com a administração do fármaco poderá piorar com uma infecção bacteriana concorrente.
- Interações Medicamentosas::
A interleucina-2 pode tanto afetar o funcionamento do sistema nervoso central como a distribuição, metabolismo, e excreção das drogas. por isso, podem ocorrer Interações após a administração simultânea com drogas de ação central. a administração conjunta de medicamentos nefrotxicos, mielotxicos ou cardiotxicos poderá aumentar a toxicidade de interleucina-2 nestes sistemas. os glicocorticóides, administrados simultaneamente, podem diminuir a atividade do produto. alguns agentes anti-hipertensivos, como os beta-bloqueadores, poderão potenciar a hipotensão observada no produto.
- incompatibilidades:
A interleucina-2 somente deve ser reconstituída e diluda com os diluentes recomendados nas instruções de uso para reconstituição. deve-se evitar o uso de água injetável ou solução de cloreto de sódio a 0,9% devido à formação de precipitado. o produto não deve ser misturado com outros medicamentos.
- reações adversas:
As reações adversas ao tratamento com interleucina-2 estáo relacionadas com as doses e as posologias de Administração. geralmente as reações adversas são autolimitadas e reverssveis ao descontinuar a terapia. os efeitos informados com maior frequência, incluem: hipotensão, dispnéia e retenção de líquidos (resultado em um incremento do peso corporal). a hipotensão mais frequente quando se administra o fármaco em "bolus" por via endovenosa.
Sistema cardiovascular:
frequentemente se observa hipotensão, geralmente ocorre entre 2 a 12 horas após a administração de interleucina-2. em alguns pacientes, a hipotensão resolvida sem terapia. em outros, requerem tratamento com fluidos administrados por via endovenosa ou agentes pressores como a dopamina.
Entre as reações graves que ocorrem com menor frequência incluem: hipertensão, fibrilação auricular, taquicardia supraventricular ou ventricular, sncope, dor no peito e angina pectoris, infarto do miocárdio franco, trocas passageiras do ecg, que sugerem isquemia, com ou sem trocas enzimáticas, endocardites e insuficiência cardíaca, choque cardiogúnico.
Rins:
oligúria com bun e creatinina elevadas, nefrite intersticial alérgica, anúria e proteinária.
Trato respiratério:
dispnéia. informados menos frequentemente : edema pulmonar, síndrome de distress respiratério do adulto, broncoconstrição, insuficiência respiratéria.
Fgado:
Elevação da bilirrubina, elevação das trasaminases hepáticas, hepatomegalia. raramente: encefalopatia hepática.
Trato gastrointestinal:
Nuseas, vômitos, diarreia.
Informados menos frequentemente: perfuração intestinal, estomatites, hemorragia gastrointestinal, anorexia, prisão de ventre, distensão abdominal.
Sangue:
Anemia, trombocitopenia, granulocitopenia, eosinofilia, linfocitopenia, linfocitoses.
Sistema nervoso:
Distorções psquicas, depressão, dissociação mental, confusão, angstia, parania, desorientação, irritabilidade, insônia e sonolência, enjôos, transtornos neurológicos motores centrais ou perifricos, inclusive anormalidades no andar, diminuição da coordenação, parestesia, neuralgia e acatisia, transtornos da fala, da visão, do gosto e da audição, transtornos cerebrovasculares, incluindo ataque isquêmico passageiro, edema cerebral e acidente cerebrovascular, estupor, vertigem convulsões e raramente coma.
Valores anormais encontrados em exames laboratoriais:
Acidose, alcalose respiratéria, hipocalemia, hipercalcemia, hipocalcemia, hiperglicemia, hipoalbuminemia e raras vezes, hipotiroidismo.
Pele, pelo:
Edema, prurido, eritema, erupções, alopécia, secura da pele e dessecação .
Outros :
Febre, calafrios, fadiga, mal-estar, astenia, dor de cabeça, artralgias. relatos menos frequentes: conjutivite, secura na boca, mialgia, artrite, parestesia, rinite, reações no local da injeção.
- intoxicação e seu tratamento:
Os efeitos colaterais que se seguem ao uso de interleucina-2 estáo diretamente relacionados com a dose. por isto, de se esperar que os pacientes experimentem os efeitos colaterais mais marcantes quando administram uma dose superior a recomendada. as reações observadas somente irão desaparecer quando o tratamento for suspenso. qualquer sintoma que persista deve ser tratado com terapia de apoio.
- posologia (doses máximas e mínimas):
1) 0,033 mg (600.000 u.i.)/kg de peso corporal, administrados em "bolus" endovenoso (durante 15 minutos) cada 8 horas durante 4 a 5 dias, seguido por uma semana sem o medicamento e outros 4 a 5 dias a mais de interleukin endovenosa. este é um ciclo possível de repetição.
2) 1 mg (18 x10 6 u.i.)/m 2 de rea corPórea em infusão contínua durante 24 horas de 4 a 5 dias, seguido por uma semana sem medicamento e outros 4 a 5 dias a mais de interleukin em infusão endovenosa durante 24 horas e outras 3 semanas sem o medicamento. este é um ciclo passvel de repetição.
Nota: 1 mg de il-2r = 18 x10 6 u.i.
- superdosagem:
Produz efeitos adversos em uma relação dependente da dose. em caso de superdose, podem ser administrados corticóides endovenosos (dexametasona), que também elimina a eficácia do tratamento antineoplásico.
Uso para pessoas de mais de 65 anos de idade:
Recomenda-se precaução especial no tratamento de pacientes idosos, dada a sua sensibilidade e maior suscetibilidade a reações indesejáveis.
Crianças:
Não foi estabelacida a segurança e eficácia de interleukin em crianças.
Uso durante a gravidez e em lactação:
A interleucina-2 recombinante não deve ser administrada a pessoas fertis de ambos os sexos, e que não tenham praticado uma contracepção efetiva. não foram efetuados estudos de reprodução em animais com interleucina-2. tampouco se sabe se pode provocar lesões fetais quando se administra em mulheres grávidas ou se pode afetar a capacidade reprodutiva. não se disPóe de informaçães sobre a excreção de interleucina-2 no leite humano e nem se sabe sobre seus efeitos em mulheres em lactação, por isso não se deve administrar a mães que alimentem seus filhos com o peito.
Instruções de uso para a reconstituição:
Cada frasco deve ser reconstituído com 1,2 ml de água estáril para injetíveis. colocar o diluente em contato com o frasco para evitar a formação de espuma. girar suavemente o conteúdo até que se dissolva totalmente. não agitar.
A solução resultante deve ser um líquido transparente e incolor. quando se reconstitui seguindo as instruções, cada ml contém 1 mg (18 milháes de u.i.) de interleucina-2 recombinante. o frasco-ampola reconstituído pode ser diludo com 50 ml de solução de dextrose a 5% ou solução de dextrose a 5% com um máximo de albumina humana de 2%. o produto diludo pode ser diludo a um máximo, se for necessário, em 250 ml (faixa de 100 a 1000 ml) com solução de dextrose a 5%, com albumina humana a 2%. uma diluição de até 1.000 vezes de interleucina-2, reconstituída em uma bolsa plástica, que contém solução injetável de glicose a 5%, com albumina humana a 2%, não demonstra nenhuma perda de potncia durante um perãodo de até 48 horas, em uma temperatura ambiente ou refrigerada, entre 2 a 30ºC.
Nota: os medicamentos parenterais devem ser inspecionados visualmente para verificação da existância de partculas e descoloração antes de sua administração, sempre que a solução e o recipiente o permitam.

Informações ao paciênte

O INTERLEUKIN é uma Apresentação : estáril, estável, liofilizada, de Interleucina-2 Recombinante altamente purificada, produzida por fermentação de bactrias recombinantes. As bactrias hospedeiras são as Escherichia coli MM294.
- Cuidados de conservação: Conservar o produto antes da diluição em temperatura entre 2 e 8 C. Uma vez reconstituído deve ser empregado imediatamente ou pode ser conservado em geladeira, sem congelar, durante 24 horas ou em freezer, congelado a menos de 10C por até 28 dias. Nestas condições, pode ser descongelado e recongelado por até três vezes. A solução diluda clara e incolor ou ligeiramente amarelada. Este produto não contém conservante. Portanto, para evitar a possibilidade de contaminação, recomenda-se não retirar mais de uma dose do frasco.
- Prazo de validade: 24 meses após a data de fabricação (vide cartucho). O prazo de validade encontra-se gravado na embalagem externa; em caso de vencimento inutilize o produto. Nenhum medicamento Deverá ser administrado após o trmino do seu prazo de validade.
Informe ao seu médico se estiver grávida, amamentando ou engravidar durante o tratamento.
O INTERLEUKIN deve ser administrado por via endovenosa.
Como ocorre com o uso de outras drogas antineoplsicas, o INTERLEUKIN não deve ser administrado a homens e mulheres em idade frtil, a não ser que estejam fazendo uso de métodos contraceptivos eficazes.
Hemogramas completos peridicos devem ser realizados durante o tratamento com o IINTERLEUKIN e também antes e durante a terapia em perãodos apropriados.
- Cuidados na interrupção do tratamento:
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informar ao médico o aparecimento de reações desagradveis como febre, fadiga, dores musculares, dores de cabeça que possam ser associadas ao uso do medicamento.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. ingestão concomitante com álcool não é aconselhável.
- Contra-indicações: história de hipersensibilidade a Interleucina-2 ou a qualquer um dos componentes de INTERLEUKIN É contra-indica seu uso.
NO TOME Remédio SEM CONHECIMENTO DE SEU médico, PODE SER PERIGOSO PARA A SUA Saúde.

Fabricante :

Blasiegel Indústria e Comércio Ltda.

Rodovia Raposo Tavares, 2833 Km 30,5
Barro Branco - Cotia/SP - Cep: 06705-030
Pabx: (11) 4615-9400
Fax: (11) 4615-9401

Medicamento do mesmo fabricante :

Anfugine, Anfugitak, Anfugitarin, Blaubimax, Blaubumin, Blauferon a, Blauferon b, Blauppsb, Dextasona, Duozol, Eritromax, Interleukin, Leucocitim, Novasutin, Ribavirin, Vudirax


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Emagrecimento e Aumento de Massa Muscular