Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Inibina - para que serve

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Isoxsuprina.

Classe terapêutica : Inibidor de Trabalho de Parto.

Apresentação :

INIBINA Comprimidos e Solução injetável: Caixas com 20 comprimidos de 10 mg de cloridrato de isoxsuprina e caixas com 5 e 25 ampolas de 2 ml com 10 mg/2 ml de isoxsuprina.

Indicações:

Como relaxante uterino: Ameaa de aborto, ameaa de parto prematuro, dismenorria primria, cãibras na gravidez.

Modo de Usar :

Como relaxante uterino: Ameaa de aborto e parto prematuro: Tratamento inicial: Infusão endovenosa com 10 ampolas diludas em 500 ml de soro glicosado a 5%, iniciando com 20 a 30 gotas por minuto; aumentar gradativamente até 50 gotas/min, até cessarem as contrações uterinas. Quando a via endovenosa não for recomendada, iniciar com 1 a 2 ampolas intramuscular, prosseguindo com 1 ampola a cada meia hora. Tratamento de manutenção: Injetível: Cessadas as contrações uterinas, aplicar inicialmente 1 ampola a cada 4 horas e posteriormente a cada 6 horas, durante 4 a 8 dias ou, se necessário, por 6 semanas. Comprimidos: após 48 horas do trmino das contrações uterinas, administrar 1 comprimido 4 vezes ao dia durante duas semanas. Dismenorria primria: Tratamento inicial: Iniciar o tratamento 1 a 3 dias antes da provável menstruação, com 1 a 2 comprimidos, 3 a 4 vezes ao dia. Em casos graves, iniciar com 1 ampola intramuscularmente. Tratamento de manutenção: Continuar a terapêutica empregada por mais 3 a 4 ciclos consecutivos. cãibras na gravidez: 1 a 6 comprimidos ao dia até melhora dos sintomas.
Maiores informaçães disposição da classe médica.
APSEN DO BRASIL Indústria química e farmacêutica Ltda.

Contra indicação :

O uso da isoxsuprina É contra indicado em presença de hemorragia arterial recente, angina de peito severa, insuficiência cardíaca congestiva, tireotoxicose, anemia severa, descolamento prematuro da placenta, ou imediatamente após parto. a administração parenteral deve ser evitada em pacientes portadores de hipotensão ou taquicardia. Não deve ser utilizado na manutenção de parto prematuro quando houver: problemas cardíacos (associados a arritmias), hipertireoidismo, corioamnionites (devido à infecção uterina), hemorragia, morte fetal intra-uterina, eclmpsia, hipertensão pulmonar, diabetes mellitus e hipertensão.

Precauções :

Em caso de aparecimento de exantemas graves durante terapia com isoxsuprina, o seu uso deve ser descontinuado. Na ameaa de parto prematuro, a paciente deve ser mantida em posição lateral durante a administração do produto por infusão, sendo que não são obtidos resultados significativos em casos com membranas rotas e dilatação do colo excedendo 4 cm. a administração endovenosa do produto deve ser feita somente sob a forma diluda (infusão), a fim de se prevenir possível queda de pressão arterial; caso ocorra hipotensão excessiva, deve-se diminuir a velocidade da infusão. Uma eventual hipotensão brusca pode ser contrabalanceada por 5 U de ocitocina gota a gota. A isoxsuprina atravessa a barreira placentária e pode causar taquicardia no neonato. O uso intravenoso para prevenção de parto prematuro pode aumentar a Incidência de hipoglicemia, hipocalcemia e hipotensão no neonato. A Incidência de toxicidade está relacionada diretamente com as concentrações sanguíneas de isoxsuprina no neonato, que são afetadas pelo tempo de gestação e pelo intervalo entre a administração e o parto (com consideração velocidade de eliminação da droga).

Modo de usar :

Como relaxante uterino: Ameaa de aborto e parto prematuro: Tratamento inicial: Infusão endovenosa com 10 ampolas diludas em 500 ml de soro glicosado a 5%, iniciando com 20 a 30 gotas por minuto; aumentar gradativamente até 50 gotas/min, até cessarem as contrações uterinas. Quando a via endovenosa não for recomendada, iniciar com 1 a 2 ampolas intramuscular, prosseguindo com 1 ampola a cada meia hora. Tratamento de manutenção: Injetível: Cessadas as contrações uterinas, aplicar inicialmente 1 ampola a cada 4 horas e posteriormente a cada 6 horas, durante 4 a 8 dias ou, se necessário, por 6 semanas. Comprimidos: após 48 horas do trmino das contrações uterinas, administrar 1 comprimido 4 vezes ao dia durante duas semanas. Dismenorria primria: Tratamento inicial: Iniciar o tratamento 1 a 3 dias antes da provável menstruação, com 1 a 2 comprimidos, 3 a 4 vezes ao dia. Em casos graves, iniciar com 1 ampola intramuscularmente. Tratamento de manutenção: Continuar a terapêutica empregada por mais 3 a 4 ciclos consecutivos. cãibras na gravidez: 1 a 6 comprimidos ao dia até melhora dos sintomas.
Maiores informaçães disposição da classe médica.
APSEN DO BRASIL Indústria química e farmacêutica Ltda.

Mecanismo de Ação

A isoxsuprina produz vasodilatação perifrica por efeito direto na musculatura vascular lisa, primariamente dentro do musculoesqueltico, com pouco efeito sobre o fluxo sanguíneo cutâneo. Pensou-se que seu efeito fosse devido à estimulação de receptores beta-adrenérgicos, porêm este não revertido por agentes bloqueadores beta-adrenérgicos. Isoxsuprina produz estimulação cardíaca e relaxamento uterino, queda na resistância vascular perifrica e aumento no ritmo e rendimento cardíacos. Isoxsuprina é bem absorvida no trato gastrintestinal e parcialmente conjugada no sangue. Sua meia-vida é aproximadamente de 1,25 hora em adultos; de 1,5 a 3 horas em recêm-nascidos (neonatos) e de 6 a 8 horas (demais bebs). O incio de ação d-se 1 hora após a administração oral, ou 10 minutos após a injeção intravenosa. A eliminação primariamente pela urina, sendo insignificante a excreção fecal.

Fabricante :

Apsen Brasil Indústria Química Farmacêutica

Endereço: Rua la Paz, 39, São Paulo - SP, 04755-020
Fone: 0800-165678
FAX: 11 5644-8226
E-mail: infomed@apsen.com.br

Medicamentos do mesmo fabricante :

Analgina, Arpadol, Azulfin, Colchis 1 mg, Colchis 05 mg, Delgar, Destilbenol, Diserim, Donaren, Enteronorm, Etoxin, Finigas, Fitoscar, Gastrodine, Hantina, Inibina, Labirin, Liberan, Lidospray, Litocit, Meclin, Miodrina, Noodipina, Plamin, Postec, Primidona, Rectocetil, Retemic, Reuquinol, Reutrexato, Suspirin, Unoprost, Xilodase, Yomax


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.