Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Inflax - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Piroxicam

Classe terapêutica : Analgesicos, Antiinflamatórios e Antireumaticos.

Apresentação :

Comprimidos Revestidos de 10 mg - Caixa com 16 comprimidos revestidos.
Comprimidos Revestidos de 20 mg - Caixa com 8 e 16 comprimidos revestidos.
Comprimidos Solveis de 20 mg - Caixa com 10 comprimidos solveis.
Gel - Bisnaga com 30 g.
Gotas - Suspensão oral - Frasco com 10 ml.
Injetível em solução intramuscular - Caixa com 2 ampolas.

Indicações:

Antiinflamatório não esteroidal utilizado na artrite reumatéide, espondilite anquilosante, distúrbios musculoesquelticos agudos, gota aguda e dor Pós-operatéria e Pós-traumática, dismenorria primria.
Injetível - O uso de injetíveis se faz no incio do tratamento ou em casos de reagudização de
quadros crônicos.
Gel - O uso do gel tém sua principal indicação nos processos
articulares e traumáticos como contuses musculares e articulares, pois, devido a sua boa absorção o Piroxicam na forma de gel atinge camadas profundas como a muscular e o líquido sinovial.

Efeito Colateral :

Gastrointestinal: Dores abdominais, pirose, azia, náuseas, vômitos, anorexia, flatulência, diarreia, sangramento gastrointestinal, perfuração e úlcera tém ocorrido, SNC: Tonturas, cefaleia, sonolência, vertigens, depressão, nervosismo, alucinações, alterações de humor, pesadelo, confusão mental e parestesia, Pele: Fotodermatites, exantema macular ou vesicular, edema,
principalmente do tornozelo, tem ocorrido em uma pequena porcentagem dos casos, Geral: Edema dos olhos, visão turva e irritações oculares podem ocorrer, Além de mal estar e tinitus.
Assim como, durante o tratamento com outros AINEs, pode-se observar raros casos de necrose epidérmica tóxica (doença de Lyell) e síndrome de Stevens-Johnson. reações vesculo-bolhosas tém sido raramente relatadas.
reações de hipersensibilidade tais como anafilaxia, broncoespasmo, urticária, angioedema, vasculite e doença do soro tém ocorrido raramente. Elevações reversíveis do BUN (Nitrognio ureico sanguíneo) e creatinina tém sido reportados. poderá ocorrer diminuição na hemoglobina e no hematécrito sem associação com sangramento gastrointestinal. Anemia, trombocitopenia e
púrpura não trombocitoPónica (Henoch - Schonlein), leucopenia e eosinofilia tém sido relatados. Anemia aplástica e hemoltica e epistaxe tém sido raramente reportados. Alguns pacientes podem ter aumentados os níveis de transaminase durante o tratamento com Piroxicam. reações hepáticas severas incluindo icterícia e casos fatais de hepatite tem sido relatados. Palpitações e dispnéia
tém sido raramente reportadas. Casos espordicos de anticorpos antinucleares (anti-DNA) positivos e disfunção auditiva tém ocorrido, bem como raros casos de alterações metabólicas como hipoglicemia, hiperglicemia, aumento ou diminuição de peso.
O gel de INFLAX (Piroxicam) é bem tolerado, há raros relatos de irritação local com o uso do Piroxicam.

Modo de Usar :

Comprimidos Revestidos / Comprimidos solveis:
Crianças acima de 5 anos 10 mg ao dia
Adultos 10 a 20 mg ao dia
Gotas:
Crianças até 5 anos 1 gota/Kg/dia em uma única dose diária.
Crianças com mais de 5 anos
de 20 a 25 gotas em uma única dose diária.
*Patologias agudas podem requerer uma dose inicial de 30 a 40 mg nos primeiros 2 dias.
*Os comprimidos solveis devem ser dissolvidos em meio copo de água pré-filtrada.
Injetível em solução intramuscular:
Adultos: 01 ampola intra-muscular uma vez ao dia ou critério médico.
*Aplicar em mêsculos de grande volume e profundamente.
Gel: Aplique uma fina camada (em torno de 1 g) sobre a rea
afetada espalhando-a homogeneamente de 3 a 4 vezes ao dia.

Contra indicação :

Paciente com úlcera péptica ativa ou hemorragia
gastrointestinal intensa. Pacientes que tenham demonstrado hipersensibilidade droga. há potencial risco de sensibilidade cruzada com ácido Acetil Salicélico e outros antiinflamatórios não esteroides (AINEs). Pacientes que desenvolveram asma, Pólipo nasal, angioedema ou urticária após o uso de ácido Acetil Salicélico ou outros AINEs. Gastrite e úlcera péptica: Os pacientes portadores destas patologias correm maior risco de apresentar complicações com o uso de Piroxicam.
Alergias: Os pacientes portadores de asma, bronquites e rinites ou urticária devem evitar o uso de Piroxicam, assim como de outros antiinflamatórios não esteroides. Insuficiência Renal: pacientes com a função renal prejudicada podem apresentar uma nefrite intersticial ou agravar a sua insuficiência renal.
Gravidez e Lactação: INFLAX (Piroxicam) não deve ser utilizado nestas
situações, pois, não existem trabalhos publicados que autorizem o seu uso.

Precauções :

Por sua ação antiagregadora plaquetária, INFLAX (Piroxicam),
pode acarretar problemas na hemostasia, por isto prudente não utiliz-lo nos pacientes que irão ser submetidos a cirurgia. Por ser de metabolização hepática, pacientes hepatopatas não devem receber INFLAX (Piroxicam) por tempo muito prolongado. Uma Incidência pouco frequente de ulceração péptica, perfuração e sangramento gastrointestinal, em raros casos fatais, tem sido relatada com o uso de Piroxicam. Em raros casos Piroxicam pode causar nefrite intersticial,
glomerulite, necrose papilar e síndrome nefrtica. Piroxicam inibe a síntese de prostaglandinas renais que servem para manter a perfusão renal em pacientes com fluxo renal e volume sanguíneo diminuído. Nesses pacientes, a administração de Piroxicam pode precipitar descompensação renal, reversível após a suspensão do tratamento. Pacientes sob maiores riscos são aqueles com insuficiência cardíaca congestiva, cirrose hepática, síndrome nefrtica e doença renal. Piroxicam pode causar retenção de sódio, potássio e água podendo interferir com a ação natriurética de agentes diuréticos. Estas propriedades devem ser limitadas, em se tratando de pacientes com função cardíaca comprometida ou hipertensão, uma vez que estes fatores poderão ser responsveis pela piora das condições cardíacas do paciente. Assim, como ocorre com outros AINEs, sangramento tem sido relatado raramente com Piroxicam, quando administrado a pacientes recebendo anticoagulantes cumarúnicos. Os pacientes devem ser monitorados cuidadosamente quando Piroxicam e anticoagulantes orais forem administrados concomitantemente. O
uso de doses subclínicas de INFLAX (Piroxicam) pode provocar um efeito contrrio sobre a produção de prostaglandinas. há casos relatados de fotossensibilidade com o uso de INFLAX (Piroxicam), sendo conveniente a não exposição excessiva ao sol enquanto o medicamento estiver sendo utilizado.
Evite o contato do gel com os olhos e espalhe homogeneamente o gel pela pele, pois pode ocorrer despigmentação transitéria da pele, lave-os com água corrente em grande quantidade caso ocorra contato com os olhos.

Modo de usar :

Comprimidos Revestidos / Comprimidos solveis:
Crianças acima de 5 anos 10 mg ao dia
Adultos 10 a 20 mg ao dia
Gotas:
Crianças até 5 anos 1 gota/Kg/dia em uma única dose diária.
Crianças com mais de 5 anos
de 20 a 25 gotas em uma única dose diária.
*Patologias agudas podem requerer uma dose inicial de 30 a 40 mg nos primeiros 2 dias.
*Os comprimidos solveis devem ser dissolvidos em meio copo de água pré-filtrada.
Injetível em solução intramuscular:
Adultos: 01 ampola intra-muscular uma vez ao dia ou critério médico.
*Aplicar em mêsculos de grande volume e profundamente.
Gel: Aplique uma fina camada (em torno de 1 g) sobre a rea
afetada espalhando-a homogeneamente de 3 a 4 vezes ao dia.

Fórmula :

Comprimidos Revestidos de 10 mg: cada comprimido contém:
Piroxicam 10mg
Excipiente: Celulose, Lactose, Polietilenoglicol, dióxido de titânio,
Gluconato Amido sódico, Estearato de magnésio, Acetona,
Laurilsulfato de sódio, Talco, Polissorbato 80, Simeticone, Copolómero
ácido Metacrílico, Trietilcitrato, água Destilada.
Comprimidos Revestidos de 20 mg: cada comprimido contém:
Piroxicam 20mg
Excipiente: Celulose, Lactose, Polietilenoglicol, dióxido de titânio,
Gluconato Amido sódico, Estearato de magnésio, Acetona,
Laurilsulfato de sódio, Talco, Polissorbato 80, Simeticone, Copolómero
ácido Metacrílico, Trietilcitrato, água Destilada.
Comprimidos Solveis de 20 mg: cada comprimido contém:
Piroxicam 20mg
Excipiente: Celulose Microcristalina, Amido de Milho, Estearato de
magnésio.
Gel a 0,5%: cada 5 gr contém:
Piroxicam 25mg
Excipiente: Carbopol, Trietanolamina, Metilparabeno, Propilparabeno,
água destilada.
Gotas: cada 20 gotas contém:
Piroxicam 10mg
Excipiente: açúcar, álcool Absoluto, Celulose Microcristalina,
Glicerina, Metilparabeno, Propilparabeno, Polissorbato 20, água
Destilada.
Injetível em solução intramuscular: cada 2 ml contém:
Piroxicam 40mg
Excipiente: Propilenoglicol, álcool Benzilico, água bidestilada.

Informaçães Técnicas

Mecanismo de Ação: INFLAX (Piroxicam) É um agente antiinflamatório que possui também propriedades analgésicas e antipiráticas. eficaz,
independentemente da etiologia da inflamação. Sua ação antiinflamatória está ligada a inibição da síntese de prostanides, incluindo as prostaglandinas, por bloqueio reversível da ciclo-oxigenase. Este bloqueio diminui a produção de
vrias prostaglandinas (PGD2, PGE2, PGF2, PGI2) e do tromboxano (TXA2) impedindo a ação vasodilatadora, hiperanalgésica e pirogênica dessas substâncias. Nos processos inflamatórios crônicos a ação de INFLAX (Piroxicam) retarda-se um pouco porque as prostaglandinas são produzidas inclusive a nível das células sinoviais. interessante observar que doses subclínicas de INFLAX (Piroxicam) podem acarretar aumento da concentração de prostaglandinas a nível das articulações através de uma ação ativadora da fosfolipase A2 que aumenta a concentração de ácido araquidúnico disponível. As PGE e PGF estáo relacionadas aos processos dolorosos que ocorrem na
dismenorria, por isto, INFLAX (Piroxicam) pode ser utilizado nesta patologia.
Farmacocinética: INFLAX (Piroxicam) é bem absorvido por via oral, e
metabolizado no fgado. Uma porcentagem de INFLAX (Piroxicam) participa do ciclo entero-hepático. A ação antiinflamatória e analgésica imediata, mas nas doenças crônicas, o equilíbrio entre os níveis sanguíneos e a articulação comprometida pode levar até 7 dias.

Informações ao paciênte

INFLAX (Piroxicam), devido as suas propriedades analgésicas e
antipiráticas, É indicado nos casos de Artrites, distúrbios
mêsculo-esquelticos, Gota, Dor Pós-operatéria ou Pós-traumática e
Dismenorria.
Cuidados na conservação:
O medicamento deve ser conservado em temperatura ambiente ao
abrigo da luz e umidade.
Prazo de Validade:
Comprimido Solvel, Gotas, Gel e Injetível: 24 meses após a data de
fabricação .
Comprimido Revestido: 36 meses após a data de fabricação .
Não use medicamentos com o prazo de validade vencido
Verifique a data de fabricação no cartucho.
Gravidez e Lactação: até o momento, não existem trabalhos que
comprovem a utilização de Piroxicam, nessa classe de pacientes,
portanto, a sua utilização durante estes perãodos É contra-indicada.
Informe seu médico a Ocorrência de gravidez na vigncia do
tratamento ou após o seu trmino. Informe-o se estiver amamentando.
Cuidados na administração e interrupção: As doenças crônicas
necessitam de um perãodo de 6 a 7 dias para se obter uma resposta
adequada, não se devendo interromper a medicação sem consultar o
médico. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os
horrios, as doses e a duração do tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento de seu médico.
reações Adversas: Pacientes sensíveis podem apresentar dores de
estômago, vômitos, azia e distensão abdominal, principalmente quando a dose de 30 mg/dia for ultrapassada, ou quando INFLAX (Piroxicam) for utilizado prolongadamente.
Deve-se interromper o tratamento no caso de aparecimento de
erupções cutâneas.Informe a seu médico o aparecimento de reações
desagradveis.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. Contra-Indicaçõese Precauções: Pacientes que eventualmente
tiveram qualquer manifestação de hipersensibilidade aos
medicamentos do grupo Oxicans não devem utilizar INFLAX
(Piroxicam). Todos os antiinflamatórios não hormonais podem ser
responsveis pela piora da sintomatologia de pacientes asmáticos ou
portadores de outras doenças alérgicas como: Rinites, Bronquites e
urticária. Em caso de contato do gel com os olhos lave-os com água
corrente abundante e procure orientação médica. Informar a seu
médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do
incio, ou durante o tratamento.
Uso concomitante com outras substâncias: O Piroxicam pode interagir com drogas como antidiabéticos orais, anticoagulantes, diuréticos e outras drogas potencialmente nefrotóxicas. Evite o uso de bebidas alcolicas durante o tratamento.
NO TOME Remédio SEM O CONHECIMENTO DO SEU médico, PODE SER PERIGOSO PARA A SUA Saúde.

Interação Medicamentosa :

Anticoagulantes orais: Uso concomitante com Piroxicam diminui a agregação plaquetária e aumenta o tempo de sangramento, ácido Acetil Salicélico e outros AINEs: Aumento do potencial de reações adversas, lítio : Ocorre aumento dos níveis plasmáticos de lítio, Agentes hipoglicemiantes: Pode ocorrer aumento da ação hipoglicemiante das sulfoniluréias, Diuréticos: Tem sua ação diminuída quando utilizados simultaneamente com Piroxicam.

Superdosagem :

A ingestão acidental de doses elevadas ou erros de dosagem
Exige atitudes médicas que impeam a absorção e acelerem a sua eliminação.
A absorção a nível intestinal pode ser diminuída por ingestão de substâncias que apresentem efeito quelante, como o carvo ativado, associado ou não.
Dependendo do tempo de ingestão pode-se tomar medidas provocadoras de vômitos. uma hidratação adequada facilita a eliminação urinária do piroxicam.
Uso em pacientes com idade superior a 65 anos: inflax (piroxicam)
poderá ser utilizado por pacientes acima de 65 anos de idade desde que observadas as precauções comuns do produto.

Fabricante :

Ativus farmacêutica Ltda.

Rua Fonte Mécia, 2050
Cep 13270-000 - CX Postal 489
Bairro São Pedro - Valinhos /SP
E-mail: ativus@ativus.com.br

Medicamentos do mesmo fabricante :

Antagon, Asmax, Azimix, Calcichell, Calman, Cinoflax, Colpist mt, Cortax, Dexador, Ferrin, Fluidin, Folifer, Ginotrax, Gynax n, Inflax, Klispel, Licovit, Livten 500 mg, Loratadina, Loremix d, Loremix, Meloxil, Miconan, Mivalen, Nasterid a, Nasterid, Nortec, Novativ, Xelix, Xirvit


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.