Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Hyperium 1 mg - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : dediidrogenofosfato de rilmenidina

Apresentação : Caixa com 30 comprimidos de 1 mg.

Indicação : hipertensão arterial.

Efeito Colateral :

Na dose de 1 mg em uma tomada diária, no decorrer dos estudos controlados, a Incidência das reações adversas É comparvel s observadas com o placebo. Na dose de 2 mg por dia, os estudos controlados comparativos versus clonidina na dose de 0,15 a 0,30 mg/dia ou alfametildopa na dose de 500 a 1000 mg/dia, demonstraram que a Incidência das reações adversas foi significativamente inferior quela observada com a clonidina ou com alfametildopa. As reações adversas são raras, benignas e transitérias nas doses terapêuticas: astenia, palpitações, insônia, sonolência, fadiga ao esforo, gastralgias, secura da boca, diarreia, erupção cutânea. Mais raramente pode-se observar: extremidades frias, hipotensão ortostática, distúrbios sexuais, ansiedade, síndrome depressiva, prurido, edemas, cãimbras, náuseas, constipação, ondas de calor.

Modo de Usar :

A posologia recomendada é de 1 comprimido de 1 mg por dia em uma única tomada pela manhã. No caso de resultados insatisfatérios após um mês de tratamento, a posologia poderá ser aumentada para 2 comprimidos por dia, em duas tomadas (1 comprimido pela manhã e outro à noite), nas principais refeições. Pela sua boa aceitabilidade clínica e biológica, Hyperium pode ser administrado no hipertenso idoso e no hipertenso diabético. No paciente portador de insuficiência renal, se o clearance da creatinina for superior a 15 ml/min, nenhuma modificação posológica necessária, a Princípio. O tratamento deve ser mantido indefinidamente.

Contra indicação :

Estados depressivos graves. Insuficiência renal grave (clearance da creatinina < 15 ml/min), por precaução, na ausência de estudos atualmente disponíveis. Cuidados a serem tomados: nunca interromper bruscamente o tratamento, e sim diminuir progressivamente a posologia.

Precauções :

Como para todos os anti-hipertensivos, nos pacientes portadores de antecedentes vasculares recentes (AVC, infarto do miocárdio), a administração de Hyperium Deverá ser feita com acompanhamento médico permanente. O uso de álcool durante o tratamento desaconselhado. Na insuficiência renal, se o clearance da creatinina for superior a 15 ml/min, nenhuma modificação posológica se faz necessária. Na ausência de experiência documentada, não prescrever o produto para crianças. Gravidez: como para qualquer nova molécula, a administração de Hyperium deve ser evitada na gestação, embora nenhum efeito teratogúnico ou embriotxico tenha sido observado no curso das experimentações com animais. Amamentação: Hyperium excretado no leite; portanto sua administração desaconselhada durante o perãodo de amamentação. Efeitos sobre a capacidade de conduzir veículos ou de utilizar máquinas: os estudos em duplo cego contra placebo não demonstraram qualquer efeito de Hyperium sobre a vigilância em doses terapêuticas (1 ou 2 tomadas diárias de 1 mg). No caso de ultrapassar estas doses ou de associação com medicamentos sucetíveis de diminuir a vigilância, É conveniente advertir os motoristas e os operadores de máquinas sobre a possibilidade de sonolência. - Interações Medicamentosas:: associações desaconselhadas: a associação aos IMAO desaconselhada; a associação aos antidepressivos tricclicos deve ser considerada com cautela, pois a atividade anti-hipertensiva de Hyperium poderá ser parcialmente antagonizada. Associações possveis: a ausência de interação com outros medicamentos permite sua prescrição simultaneamente com antidiabéticos orais, insulina, hipouricemiantes, hipolipemiantes, digitlicos, antiarrtmicos, anticoagulantes, Analgésicos, antiinflamatórios, outros anti-hipertensivos (em particular os diuréticos e a diidralazina, mas também betabloqueadores, inibidores do cálcio, inibidores da enzima de conversão). Superdosagem: nenhum caso de superdosagem foi relatado até o momento. Os sintomas previstos para caso de superdosagem seriam hipotensão acentuada e distúrbios da vigilância. O tratamento preconizado, Além da lavagem gástrica, seria com o auxílio dos simpaticomimáticos. Hyperium fracamente dialisvel.

Fórmula :

Cada comprimido contém 1,544 mg dediidrogenofosfato de rilmenidina, quantidade correspondente a 1 mg de rilmenidina base, excipientes q.s.p.

Fabricante :

Servier do Brasil Ltda.


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Emagrecimento e Aumento de Massa Muscular