Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Hormodose - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : 17b-estradiol

Apresentação : Gel em embalagem de 80 g.

Indicação : Tratamento de sinais e sintomas advindos da deficiência estrogênica decorrente da menopausa natural ou cirurgicamente induzida, como, por exemplo, fogachos, distúrbios do sono, atrofia urogenital, assim como alterações do humor associadas a eles. Prevenção da perda óssea acelerada na Pós-menopausa. Em pacientes com étero intacto, o estrgeno deve ser suplementado pela administração seqencial de um progestágeno.

Efeito Colateral :

Alterações urogenitais: hemorragia genital, alterações da secreção vaginal, dismenorria, síndrome de tensão pré-menstrual, amenorria durante e Pós-tratamento, aumento do tamanho de miomas uterinos, candidase vaginal, cistites, desconforto nas mamas e mastodinia; alterações digestivas: náuseas, vômitos, célicas intestinais, dispepsia, icterícia colestática; alterações dermatológicas: cloasma ou melasma, eritema multiforme, alopecia, eritema nodoso, prurido, rash cutâneo; alterações oftalmológicas: aumento da curvatura da crnea, intolerância ao uso de lentes de contato; alterações do sistema nervoso central: cefaleia, enxaqueca, vertigem, depressão ou irritabilidade; outros: aumento e perda de peso, edema, modificações da libido.

Modo de Usar :

A dose deve adaptar-se s necessidades de acordo com a sintomatologia e o nível plasmático do estradiol durante o tratamento. Sugere-se iniciar o tratamento com duas aplicações (2 doses liberadas pela vlvula dosadora) simultâneas por dia, uma em cada brao, que correspondem a uma dose de 1,5 mg de estradiol. Em pacientes não histerectomizadas, a adição de progestágeno ao tratamento com estrgeno reduz o risco de hiperplasia do endométrio e cncer do endométrio associados com o uso prolongado de estrgenos. Estudos morfológicos e bioquímicos do endométrio sugerem a necessidade de administrar progestágenos no mínimo 10 a 14 dias em ciclos de 30 dias, para promover a maturação máxima do endométrio e eliminar qualquer alteração hiperplsica. - Superdosagem: em função do modo de Administração, improvável que ocorra superdosagem de estradiol, mas esta pode ser rapidamente revertida com a interrupção do tratamento.

Contra indicação :

Carcinoma de mama ou de endométrio; endometriose; sangramento vaginal de origem não determinada; lesão hepática grave; tromboflebite ativa ou distúrbios tromboemblicos; hipersensibilidade aos componentes da fórmula; gravidez e lactação.

Precauções :

Estradiol gel, como qualquer outra forma de tratamento base de hormônios sexuais, deve somente ser prescrito após exame clínico e ginecológico completo e exclusão de anomalia endometrial e de cncer de mama. Assim como outros regimes de reposição hormonal, as pacientes que recebem tratamento prolongado devem passar regularmente por exame clínico geral e ginecológico completo, incluindo-se monitorização do endométrio, se for necessário. A maioria dos estudos não tem demonstrado associação entre as doses usuais de estrgeno para tratamento de reposição hormonal e o risco de desenvolvimento de cncer de mama. Alguns estudos tém relatado aumento modesto no risco de cncer de mama em mulheres que fazem uso do tratamento de reposição hormonal com estrgenos por perãodos prolongados (mais de 5 anos). Enquanto os efeitos do tratamento combinado estrgenos-progestágenos não são conhecidos, as evidências disponíveis sugerem que os progestágenos não tém influência significativa no risco de cncer de mama em pacientes que usam estrgenos por longo perãodo. Recomenda-se que, para tratamento por longos perãodos, os benefícios potenciais sejam avaliados em relação aos riscos de cncer de mama em cada paciente. As mulheres sob esse tratamento, em particular aquelas com doença fibrocstica de mama ou com história familiar de cncer de mama (parentes de 1 grau), devem fazer exames regulares das mamas e devem ser instruídas a fazer auto-exame das mamas. Recomenda-se que a mamografia seja realizada antes do incio do tratamento e repetida a intervalos regulares em pacientes de alto risco. As pacientes com leiomioma uterino, que pode aumentar durante o tratamento com estrgeno, devem ser cuidadosamente monitorizadas. Uma vez que a superdosagem de estrgeno pode causar retenção hádrica, as pacientes com insuficiência cardíaca, hipertensão, distúrbios da função hepática ou renal, epilepsia ou enxaqueca devem ser mantidas sob especial vigilância. Não foi relatado que mulheres sob tratamento de reposição de estrgenos tenham risco aumentado de tromboflebites e/ou doença tromboemblica. Entretanto, as mulheres com história familiar positiva e aquelas com história de distúrbio tromboemblico, durante a gravidez ou associado ao uso de estrgenos, devem ser mantidas sob acompanhamento especial. Recomenda-se cautela em pacientes com história de icterícia relacionada com o uso de estrgeno. Em pacientes que desenvolveram icterícia colestática, o medicamento deve ser descontinuado enquanto se investiga a causa. Embora observações até o presente sugiram que os estrgenos não prejudiquem o metabolismo dos carboidratos, as pacientes diabticas devem ser monitorizadas durante o incio do tratamento, até que estejam disponíveis informaçães adicionais. A monoterapia prolongada com estrgenos aumenta o risco de hiperplasia e de carcinoma endometrial em mulheres Pós-menopausadas, a não ser que se faa a suplementação seqencial de um progestágeno para proteção do endométrio. Sabe-se que a sensibilização por contato pode ocorrer com todas as aplicações tópicas. Embora seja extremamente raro, as pacientes que desenvolverem sensibilização por contato a qualquer dos componentes da fórmula devem ser alertadas de que pode ocorrer reação de hipersensibilidade com a exposição continuada ao agente causador. - Interações Medicamentosas:: os medicamentos que atuam como indutores de enzimas hepáticas, tais como, barbitúricos, carbamazepina, hidantona, meprobamato, fenilbutazona, ampicilina, tetraciclina e rifampicina, podem prejudicar a atividade dos estrgenos e progestágenos. Os agentes queratolticos, gis ou cremes depilatérios e óleos podem alterar a absorção do estradiol gel. Recomenda-se o uso de Hormodose após o banho, encontrando-se a pele livre dessas substâncias.

Fórmula :

Cada dose de gel (1,25 g) liberada pela vlvuladosadora contém 0,75 mg de 17b-estradiol. Excipientes: carbopol, trietanolamina, álcool etlico.

Fabricante :

Farmasa Americano de Farmacoterapia

Rua Nova York, 245, Brooklin Paulista, São Paulo - SP, 4560000

Serviço de Atendimento ao Consumidor Hypermarcas

0800 126888 - Monange, Rastro, Leite de Colônia, etc.
0800 0111141 - Zero Cal e Adocyl
0800 7013388 - Finn
0800 0111145 - Niasi
0800 550053 - Revlon
0800 7706606 - Pom Pom

Amplium, Antiflogil, Broncoflux, Cordipina, Enzicoba 1 mg, Enzivital, Eufor 20, Farlac, Fluril, Fymnal, Gliplex, Hisnot, Hormodose, Lisaglucon, Loralerg d, Loralerg d, Loralerg, Lovacor, Loxiflan, Lucretin, Maxsulid, Noprop, Norton, Pentox, Peptulan, Prodil, Reuplex, Rinos-a, Sercerin, Ulcimet, Xylium


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Emagrecimento e Aumento de Massa Muscular