Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Glimeprid - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Glimepirida.

Classe terapêutica : Hipoglicemiantes Orais.

Apresentações :

30 comprimidos 1 mg
30 comprimidos 2 mg
30 comprimidos 4 mg

Indicação : Tratamento oral do diabetes mellitus não insulino-dependente (Tipo II), quando os níveis de glicose não podem ser adequadamente controlados por dieta alimentar, exercícios físico s e redução de peso.

Efeito Colateral :

Dor de cabeça, excesso de apetite, náusea, vômitos, fadiga, insônia, alteração do sono, inquietação, agressividade, falta de concentração, depressão, confusão mental, alterações da fala e da visão, afasia, tremor, paresias, distúrbios sensoriais, tontura, sensação de abandono, perda do prprio controle, delírio, convulsão, sonolência e alterações da percepção, podendo evoluir para coma, dificuldade de respiração e bradicardia. Sinais de contra-regulação adrenrgica como sudorese, pele mida e fria, ansiedade, taquicardia, hipertensão, palpitação,
angina do peito e arritmias cardíacas. Alterações visuais temporrias. Nusea, vômito, sensação de plenitude gástrica, dor abdominal e diarreia. Pode-se observar aumento das enzimas hepáticas, alterações na função hepática e hepatite,
fatores contributivos para insuficiência hepática. Ainda, prurido, urticária ou erupções. Podem ocorrer diminuição do sódio srico, vasculite alérgica e hipersensibilidade cutânea luz.

Contra indicação :

Pacientes portadores de diabetes mellitus insulino-dependente (Tipo I), em pré-coma ou coma diabético ou em cetoacidose diabtica. Hipersensibilidade glimepirida ou outras sulfoniluréias, derivados sulfonamédicos ou a qualquer componente da formulação. Insuficiência renal ou hepática graves. Gravidez e lactação.

Interações Medicamentosas:

A administração simultânea de insulina ou outro antidiabético oral, alopurinol,cloranfenicol, ciclofosfamidas, fenfluramina, fibratos, guanetidina, inibidores da MAO, ácido paraminosalicílico, fenilbutazona e oxifenilbutazona, probenecida, salicilatos, sulfonamidas, tritoqualina, tetraciclinas, inibidores da ECA,esteroides anabolizantes e hormônios masculinos, derivados cumarúnicos, disopiramida, feniramidol, fluoxetina, ifosfamida, miconazol, pentoxifilina (parenteral em doses altas), azapropazona, quinolonas, sulfimpirazona, trofosfamida pode potencializar o efeito terapêutico da glimepirida, com acentuação da diminuição do nível de açúcar no sangue e conseqente hipoglicemia. Acetazolina, corticosteróides, diuréticos, glucagon, ácido nicotúnico, fenotiazúnicos, rifampicina, barbitúricos, diazxido, epinefrina e outros agentes simpaticomimáticos, laxantes,estrognios e progestágenos, fenitona, hormônios da tireide, quando administradas simultaneamente, atuam reduzindo o efeito hipoglicemiante da glimepirida. Clonidina e reserpina, quando administradas simultaneamente,podem induzir tanto potencialização quanto diminuição do efeito hipoglicemiante da glimepirida. Beta-bloqueadores diminuem a tolerância glicose e podem aumentar a tendência hipoglicemia. Pacientes com diabetes mellitus,podem levar à deterioração do controle metabólico. Sob influência de fármacos simpaticolticos, os sinais da contraregulação adrenrgica para hipoglicemia podem estar reduzidos ou ausentes. álcool pode potencializar ou diminuir aação hipoglicemiante da glimepirida. A glimepirida pode potencializar ou diminuir os efeitos dos derivados cumarúnicos.

Modo de Usar :

Dose inicial usual: 1 mg/dia. se necessário, aument-la conforme nível de glicose no sangue e de Forma gradual, em intervalos de 1 a 2 semanas, de acordo com as seguintes etapas: 1 mg, 2 mg, 3 mg, 4 mg, 6 mg.
Pacientes com diabetes bem controlado - 1 a 4 mg/dia. doses diárias superiores a 6 mg (até 8 mg) não devem ser Utilizadas.

Precauções e Advertências

O uso regular de GLIMEPRID aliado a dieta adequada, exercícios físicos regulares e, se necessário, redução do peso corporal são importantes para o controle adequado da glicemia. Informar ao médico quando de qualquer reação do tipo hipoglicmico (poliria, polidipsia, secura da boca e pele ressecada).
Quando houver indisposição, incapacidade do paciente de cooperar, desnutrição, alteração na dieta, desequilíbrio entre o esforo físico e ingestão de carboidratos, consumo de álcool, função renal comprometida, descompensação hormonal, insuficiência hepática, superdose com GLIMEPRID e associação medicamentosa, pode ser necessário ajuste da posologia de GLIMEPRID ou de toda a terapia. Os sintomas de hipoglicemia podem ser mais leves ou ausentes quando esta se desenvolver de forma gradual, por exemplo, quando da idade avançada, o paciente estiver recebendo tratamento simultâneo com beta-bloqueadores e outros fármacos simpaticolticos. Hipoglicemia severa requer tratamento imediato. Trauma, cirurgia, infecções febris pode ocorrer uma desregulação do nível de açúcar no sangue, fazendo-se necessário substituir o hipoglicemiante oral pela insulina. Durante o tratamento efetuar determinações periódicas dos níveis de glicemia e glicosria. Pode ocorrer diminuição do estado de alerta, afetando a habilidade em conduzir veículos ou operar máquinas.

Fabricante :

HEXAL DO BRASIL LTDA

Rodovia Celso Garcia Cid, KM 87
Parque Industrial
Cambé - PR - Brasil
CEP 86183-600
SAC - 0800 400 91 92
sac.sandoz@sandoz.com
Cambé - PR +55 43 3174-8000
São Paulo - SP +55 11 5532-7122

Medicamentos do mesmo fabricante :

Aciclovir, Arotin, Atenopress, Atenorese, Binko Hexal, Captotec, Cetihexal, Cimetina, Ciprobiot, Clarilerg, Cor mio, Dexametonal, Diclac sr, Diclac, Enaprotec, Ergomemor, Flox, Flutec, Ginkgo Biloba, Glimeprid, Itrahexal, Keflaxina, Lisinopril, Lisinoretic, Lisinovil, Loratadina, Lorsacor, Lorsar hct, Micosten, Movacox, Neobacina, Neocina, Nimalgex, Omeprotec, Pantopaz, Piroxicam, Pontin, Qiftrim, Quadrihexal, Secnihexal, seduspar, sinvastacor, sotahexal, stugerina, Ulcerit, Zimicina,

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode ser-lhes prejudicial, mesmo que apresentem os mesmos sintomas.
Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.
O ministério da saúde adverte: a automedicação pode fazer mal à sua saúde.
Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária. Trata-se de um registro histórico deste medicamento.
Este texto não pode substituir a leitura da bula que acompanha o medicamento.
Os medicamentos podem mudar suas formulações, recomendações e alertas.
Apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão do medicamento comercializada.
Todas as bulas constantes no site portal são meramente informativas.
Lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.