Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Enteropride - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo: Cisaprida.

Apresentação: Comprimidos 5 mg: apresentado em embalagens contendo 30 comprimidos. Comprimidos 10 mg: apresentado em embalagens contendo 30 comprimidos. Suspensão: 1 mg/ml: apresentado em frasco contendo 100 ml.

Indicação: distúrbios ocasionados por retardo no esvaziamento gástrico (gastroparesia) de origem idioPótica ou conseqente neuropatia diabtica, anorexia nervosa, vagotomia ou gastrectomia parcial. síndrome de desconforto digestivo alto, com radiologia ou endoscopia negativas (dispepsia não ulcerosa) caracterizada por sensação de saciedade precoce, plenitude Pós-prandial, distensão abdominal, eructações em excesso, náusea, vômitos e dor ou queimação epigástrica. Refluxo gastroesofágico acompanhado ou não de esofagite. Restabelecimento da motilidade propulsiva do célon, como tratamento de longo prazo na constipação intestinal crônica.

Efeito Colateral:

Como conseqncia da aceleração do peristaltismo gastrintestinal, célicas abdominais, borborigmo e diarreia de caréter transitório podem ocorrer durante o tratamento. cefaleia discreta tem sido relatada ocasionalmente. Quando a diarreia ocorrer em crianças pequenas, a dose diária deve ser reduzida. há relatos isolados de efeitos sobre SNC como convulsões e reações extrapiramidais. Excepcionalmente, foram relatados casos de alteração da função hepática, com ou sem colestase. Não foi estabelecida de maneira inequvoca a relação causal com Enteropride. Superdosagem: em casos de ingestão acidental, recomenda-se a administração de carvo ativado e cuidadosa observação do paciente. Os sintomas que ocorrem, mais frequentemente, são célicas abdominais e aumento na frequência de eliminação das fezes. Em crianças, também foram observadas sedação, apatia e atonia.

Precauções:

Cuidados devem ser tomados nos pacientes onde motilidade gastrintestinal aumentada possa ser prejudicial.
Gravidez: embora, em animais, não tenham sido observados efeitos txicos sobre a fertilidade, efeitos embriotxicos ou teratogúnicos, o benefício terapêutico previsto deve ser ponderado contra os riscos potenciais do uso de Enteropride durante a gravidez, especialmente durante o primeiro trimestre.
Amamentação: apesar da excreção da cisaprida pelo leite materno ser mínima, não se recomenda o uso de Enteropride durante a lactação.
Neonatos prematuros: deve-se ter cautela ao administrar Enteropride a neonatos prematuros com idade gestacional inferior a 34 semanas.
Capacidade para dirigir e utilização de máquinas de precisão. Enteropride não afeta a capacidade psicomotora e não induz sedação ou sonolência, no entanto, ele pode acelerar a absorção de depressores do sistema nervoso central, tais como, álcool e barbitúricos, potencializando seus efeitos quando ingeridos conjuntamente. Nesse caso, recomenda-se muito cuidado ao dirigir veículos ou operar máquinas de precisão.
Interações Medicamentosas:: a aceleração do esvaziamento gástrico proporcionada por Enteropride pode influenciar a velocidade de absorção de outros medicamentos; fármacos de absorção gástrica podem ser menos absorvidos, enquanto que fármacos de absorção intestinal podem ter sua velocidade de absorção aumentada (por exemplo: benzodiazepúnicos, anticoagulantes, paracetamol, bloqueadores H2). Em pacientes recebendo anticoagulantes o tempo de coagulação pode se mostrar aumentado; recomenda-se control-lo uma semana após o incio do tratamento ou uma semana depois da interrupção do uso de Enteropride. Pode haver potencialização dos efeitos sedativos de benzodiazepúnicos e do álcool. Os efeitos procinéticos do Enteropride são, em grande parte, antagonizados por drogas anticolinrgicas. Na insuficiência hepática e renal, recomendada a redução da dose pela metade. Subseqentemente, essa pode ser adaptada, dependendo dos efeitos terapêuticos ou dos possveis efeitos colaterais. No idoso, os níveis plasmáticos em situação de equilíbrio são geralmente mais elevados, devido a um prolongamento moderado na velocidade de eliminação da droga. No entanto, as doses terapêuticas são as mesmas que em pacientes mais jovens. No caso de drogas que requeiram monitorização individual, recomenda-se determinar seus níveis plasmáticos, caso estejam sendo associadas ao tratamento com Enteropride.

Fórmula:

5 mg e 10 mg: cada comprimido contém,respectivamente, 5 mg e 10 mg de cisaprida. Excipientes: lactose, amido, celulose microcristalina, polivinilpirrolidona, slica coloidal amorfa, estearato de magnésio, polisorbato 20.
Suspensão 1 mg/ml: cisaprida 1 mg. Excipientes: sacarose, celulose microcristalina e carboximetilcelulose sódica, hidroxipropilmetilcelulose, polisorbato 20, cloreto de sódio, metilparabeno, propilparabeno, aroma de cereja, água purificada.

Modo de Usar:

Tratamento oral.
Adultos: de acordo com a intensidade da situação, recomenda-se 5 ou 10 mg, 3 vezes ao dia, de Enteropride, a serem tomados como comprimidos ou suspensão, cerca de 15 minutos antes de cada refeição principal (café, almoço e jantar).
Em quadros clínicos mais intensos, particularmente no tratamento da esofagite, necessita-se de mais uma tomada, antes que o paciente v se deitar.
No tratamento da constipação intestinal crônica, a dose diária (20 ou 40 mg) pode ser dividida em apenas 2 tomadas, observando-se melhora nas primeiras semanas de terapêutica, mas cujo efeito se torna adequado após 2 ou 3 meses nos casos mais refratérios.
A duração do tratamento e a dose de manutenção dependem basicamente da resposta individual.
Crianças: em média 0,2 mg/kg por tomada, repetidas 3 a 4 vezes ao dia.

Fabricante:

Cilag farmacêutica Ltda.

Rua Gerivatiba, 207, Butantã
CEP 05501-900, São Paulo, SP

Medicamentos do mesmo fabricante:

Ascaridil, Belara, Cilergil, Concerta, Droperidol, Enteropride, Evra, Fentanil, Floxstat, Frefest, Hismanal, Hypnomidate, Inoval, Itranax, Levaquin, Mebendazol, Ms long, Mylicon, Nerizina, Orap, Paracetamol, Prepulsid, Rapifen, Reminyl, Retinova, Sedatoss, Semap, Stugeron, Sufenta, System
Systen, Zytiga


Advertências:

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos:

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma:

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.