Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Dopergin - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Lisurida.

Apresentação : Cartuchos com 28 comprimidos.

Indicação : No tratamento da hiperprolactinemia e suas manifestações. - Indicaçõessecundárias: acromegalia, doença de Parkinson, em associação ao tratamento antiparkinsoniano básico.

Efeito Colateral :

Nusea, cefaleia, cansaço, tontura e, raramente, vômitos podem ocorrer particularmente no incio do tratamento, quando a dose é aumentada rapidamente ou quando a dose diária é alta. Em casos isolados, decorrentes da sensibilidade individual, foram observados queda brusca da pressão sanguínea (chegando até colapso ortostático) e vômitos intensos. Em tais casos de reações graves de intolerância pode-se administrar até 100 mg de sulpirida i.m. Nota: É possível que ocorra piora temporria nos sintomas do parkinsonismo. Estes efeitos colaterais normalmente não indicam a descontinuação da terapia e podem ser controlados por redução da dose. Durante o decorrer do tratamento os efeitos colaterais geralmente desaparecem, mesmo empregando doses mais elevadas. Podem ocorrer pesadelos, alucinações, reações paranicas e confusão mental, quase sempre em pacientes com parkinsonismo. Tais efeitos são favorecidos com idade avançada, demncia concomitante (síndrome psquico-crebro-orgânica), infecções agudas, desidratação e com altas doses de Dopergin. Os sintomas são geralmente controlados pela redução da dose. Deve-se, entretanto, ter em mente que outras drogas antiparkinsonianas também podem induzir sintomas psicóticos. Existem relatos ocasionais de distúrbios do sono e muito raramente relatos de reações cutâneas e edema.

Precauções :

Na supressão da lactação, deve-se evitar todo tipo de sucção, quer do lactente quer da bomba para retirar leite. Em casos raros de mastite complicada com superinfecção, febre persistente ou formação de abscessos são necessárias medidas terapêuticas adicionais como, por exemplo, Administração de antibióticos. Caso ocorram aumento da pressão sanguínea, cefaleia persistente ou outros sinais de alterações do SNC em mulheres que tomam Dopergin para supressão da lactação, deve-se descontinuar imediatamente o tratamento, visto que, durante o uso de outros redutores de prolactina, tém-se observado raros casos de aumento de PA, infartos do miocárdio, crises convulsivas e apoplexia, embora não tenha se confirmado relação causal entre o tratamento e tais efeitos (que também podem ocorrer espontaneamente no perãodo puerperal). Antes de iniciar o tratamento com Dopergin, deve-se identificar a causa do distúrbio (por exemplo, medicamentos, hipotireoidismo), com especial atenção É possível existância de adenoma expansivo da hiPófise. No caso de distúrbios do campo visual ou quando a sela trcica significativamente aumentada, tanto a cirurgia (com ou sem terapia adicional com Dopergin) como o tratamento com Dopergin isolado podem ser empregados. Quando ocorrer gravidez em mulheres com adenoma hipofisário (prolactinoma), deve-se dar especial atenção para sintomas que possam indicar uma reativação de crescimento tumoral (cefaleia severa e constante, distúrbios visuais). O tratamento com inibidores da prolactina em indivíduos com insuficiência renal, especialmente dialisados, deve sempre ser iniciado com a menor dose possível, seguida de aumentos graduais, visto que esses pacientes são particularmente sensíveis a agonistas da dopamina. Recomenda-se especial atenção s doses empregadas em pacientes com distúrbios graves da função hepática. Mesmo corretamente administrado, Dopergin pode ocasionalmente levar à queda brusca da pressão arterial, afetando, dessa forma, a capacidade do paciente para dirigir veículos ou operar máquinas. Como regra geral, não se deve utilizar medicamentos durante a gestação, a menos que absolutamente necessário, portanto, em casos de suspeita de gravidez, deve-se descontinuar imediatamente o tratamento. - Interações Medicamentosas:: o efeito de Dopergin pode ser atenuado por neurolpticos e outros antagonistas da dopamina (por exemplo, haloperidol, sulpirida, metoclopramida, clorpromazina). A domperidona eficaz apenas perifericamente e não exerce influência nos sintomas do parkinsonismo. Embora os antidepressivos tricclicos sejam administrados frequentemente no tratamento do parkinsonismo, não foi observada influência sobre o efeito de Dopergin. Como precaução, Dopergin não deve ser usado juntamente com outros alcalóides do ergot (por exemplo, metil ergometrina) após o parto e no perãodo puerperal, embora não tenham sido observadas Interações entre a lisurida e tais compostos. Deve-se ter cautela especial ao prescrever Dopergin a mulheres que tenham tomado ou estejam tomando medicamentos para controle da pressão sanguínea. - Superdosagem: quando necessário, caso ocorra superdosagem, pode-se administrar como antídoto gotas de metoclopramida em casos leves (no caso de parkinsonismo a domperidona), e até 100 mg de sulpirida i.m. em casos graves.

Fórmula :

Cada comprimido contém 0,2 mg dehidrogenomaleato de lisurida.

Contra indicação :

A indicação deve ser considerada cuidadosamente em pacientes com distúrbios graves na circulação arterial perifrica e do coração (insuficiência coronariana). Em pacientes com distúrbios psicóticos anteriores ou atuais, a indicação clínica deve ser cuidadosamente revisada juntamente com a relação risco/benefício, uma vez que É possível um agravamento ou recorrência dos sintomas.

Modo de Usar :

Os comprimidos devem ser administrados sempre com as refeições ou lanches. A tolerabilidade pode ser melhorada iniciando-se o tratamento gradualmente (exceção: supressão da lactação primria) e, se possível, à noite. Isto aplica-se particularmente aos casos onde se empregam altas doses. A menos que o médico opte por outra prescrição, as seguintes orientações tém sido empregadas. - Supressão da lactação primria (quando indicada pelo médico). O tratamento deve ser iniciado, se possível, imediatamente após o parto ou aborto, mas seguramente dentro das primeiras 24 horas. A dose diária é de 1 comprimido de 2 a 3 vezes ao dia, durante 14 dias. Em casos raros pode voltar a ocorrer pequena secreção de leite após descontinuação do tratamento com Dopergin, que pode ser resolvida com mais uma semana de terapia. Supressão da lactação secundária (quando indicada pelo médico), mastite: 1 dia do tratamento: 1 comprimido à noite; 2 dia: 1 comprimido ao meio-dia e 1 à noite; 3 dia até no máximo 14: 1 comprimido pela manhã, 1 ao meio-dia e 1 à noite. Para obter-se inibição da lactação o mais rpido possível é aconselhável iniciar o tratamento com Dopergin administrado 3 vezes ao dia, a partir do primeiro dia. O tratamento deve ser terminado 4 dias após haver cessado o fluxo de leite. No caso da mastite, são em geral suficientes poucos dias de tratamento. Pode-se suspender o uso assim que a inflamação tenha diminuído, após O que é possível continuar a amamentação. Galactorria, galactostasia Pós-parto, amenorria induzida por prolactina, outros distúrbios do ciclo induzidos por prolactina, infertilidade feminina induzida por prolactina, distúrbios hiperprolactinmicos da libido ou da potncia no homem: 1 dia de tratamento: 1/2 comprimido à noite; 2 dia: 1/2 comprimido ao meio-dia e 1/2 à noite; a partir do 3 dia; 1/2 comprimido de manhã, ao meio-dia e à noite. O tratamento da galactorria Deverá prosseguir até que o fluxo de leite tenha cessado completamente. No caso da amenorria ele deve continuar (normalmente por alguns meses) até que tenha sido restabelecido ciclo normal em perãodos menstruais regulares. A dose diária pode necessitar de aumento, em função dos níveis de prolactina ou dos efeitos obtidos com o produto. Com o objetivo de uma melhor tolerabilidade, recomenda-se o aumento logo que seja possível, após 3 a 4 dias, dividindo-se a dose total diária em vrias doses parciais. Na galactostasia Pós-parto Dopergin pode ser descontinuado to logo os sintomas da doença tenham desaparecido e a amamentação pode ser imediatamenre restabelecida. - Acromegalia: adotar a mesma posologia para galactorria (vide acima). Dependendo da tolerabilidade e do efeito sobre os níveis de hormnio do crescimento, a dose pode ser aumentada até o máximo de 2 mg/dia. Parkinsonismo: a dose deve ser adaptada as Características individuais do paciente. O tratamento inicia-se com 1/2 comprimido à noite e deve ser aumentado em 1/2 comprimido semanalmente até que os efeitos clínicos sejam observados. A dose diária varia entre 0,6 e 2 mg, embora doses maiores sejam necessárias em casos individuais. A dose diária dividida em 3 a 4 doses menores que podem ser administradas juntamente com levodopa e/ou outras drogas antiparkinsonianas. Nos casos em que se observam oscilações acentuadas na capacidade de locomoção, recomenda-se fracionar a dose diária em doses menores igualmente divididas. Em parkinsonismo as doses devem ser menores na fase inicial, devendo ser gradativamente aumentadas. A dose de levodopa deve ser reduzida medida que a dose de Dopergin é aumentada. Merece ainda particular atenção os casos onde se administra concomitantemente levodopa e selegilina (inibidor de MAO-B que aumenta e prolonga a disponibilidade de dopamina nos receptores). A monoterapia com Dopergin também É possível em casos individuais. Em casos avançados de parkinsonismo, algumas vezes a dose é aumentada mais rapidamente, dependendo da tolerabilidade e eficácia. Em nenhuma circunstância a dose deve ser aumentada, caso ocorrerem efeitos colaterais. Geralmente desenvolve-se tolerância para alguns efeitos colaterais como náuseas, cefaleia, cansaço e tontura. Neste caso quando necessário, a dose pode ser aumentada após terem desaparecido os efeitos colaterais. A dose diária total máxima dividida em doses menores para melhorar a tolerabilidade de Dopergin. Quando as condições clínicas do paciente exigem um rpido incio do efeito de Dopergin, tais efeitos colaterais podem ser eliminados pela administração concomitante de domperidona, aumentando-se então a dose, conforme a necessidade. Esta medida, entretanto, é uma exceção. A necessidade de continuar a medicação com domperidona deve ser avaliada após 4 semanas, para a retirada da mesma. Recomenda-se uma redução temporria na dose de Dopergin quando os efeitos colaterais forem pronunciados.

Fabricante :

Schering do Brasil

Av Alfredo Egídio de Souza Aranha, 384 An 4
São Paulo - SP

Medicamentos do mesmo fabriante :

Azelan, Betaferon, Cliane, Dopergin, Ecovis 200, Esmeron, Estrofem 2 mg, Femiane, Fludara, Gestadinona, Ginedisc, Gyno icaden, Icaden, Levovist, Lindisc 50, Lindisc duo, Loratadina, Mesigyna, Microvlar, Nebido, Neovlar, Procin, Proviron, Puregon, Quadriderm, Rebetol, Rotram, Sporostatin, Ultraproct, Vasomax


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Emagrecimento e Aumento de Massa Muscular