Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Dolantina - bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Meperidina.

Classe terapêutica : Analgésicos.

Apresentação :

Cada ml contém :
Cloridrato de petidina .................... 50 mg

Indicação : DOLANTINA está indicada nos estados de dor e espasmos de vrias etiologias, tais como: infarto agudo do miocárdio, glaucoma agudo, Pós-operatérios, dor conseqente a neoplasia maligna, espasmos da musculatura lisa do trato gastrintestinal, biliar, urogenital e vascular, rigidez e espasmos do orifcio interno do colo uterino durante trabalho de parto e tetania uterina.
DOLANTINA pode ser empregada, ainda, como pré-anestásico ou como terapia de apoio ao procedimento anestásico.

Efeito Colateral :

Especialmente após a administração endovenosa podem ocorrer efeitos vagotrpicos, tais como bradicardia, hipotensão, broncoespasmo, miose, soluo, náusea e mais raramente vômito. Estes normalmente regridem com a administração de pequenas doses de atropina. Pode ocorrer também taquicardia especialmente após o uso endovenoso.
após aplicação por via endovenosa, podem ocorrer dor e eritema no local da aplicação .
Como reações adversas a nível perifrico podem ocorrer alterações da micção e obstipação intestinal.
A nível central pode ocorrer sedação, euforia, depressão respiratéria, confusão mental e tonturas.
Podem ocorrer convulsões, especialmente em pacientes recebendo altas doses de DOLANTINA e em casos de alterações pré-existentes da função renal e de aumento da suscetibilidade É convulsões.
A utilização de DOLANTINA durante a gestação pode afetar o recêm-nascido sendo que pode haver depressão respiratéria do mesmo após o parto. Por esta razo, o recêm-nascido deve ficar em observação por no mínimo 6 horas após o nascimento. Se houver depressão respiratéria poderá ser administrado antagonistas opicio (ex.: naloxone).
Em casos raros podem ocorrer reações de hipersensibilidade e até choque anafiltico após a administração de DOLANTINA. Caso isto ocorra deve-se tomar as medidas terapêuticas clssicas, quais sejam: decbito lateral, desobstrução de vias aéreas, assistência respiratéria, Administração de simpatomimáticos e corticóides em altas doses.
Posteriormente recomenda-se a utilização de expansores de volume tais como: albumina humana, HAEMACCEL(R) ou soluções hidroeletrolíticas balanceadas.
Outras medidas como inalação de oxignio, respiração artificial, uso de Anti-histamínicos e/ou cálcio podem ser empregadas a critério médico.

Precauções :

Embora até o momento não tenham sido observados efeitos teratogúnicos atribuveis ao uso de DOLANTINA, esta somente deve ser utilizada durante a gravidez sob rigorosa supervisão médica, uma vez que ultrapassa a barreira placentária atingindo o feto podendo levar à depressão respiratéria do recêm-nascido.
DOLANTINA passa para o leite materno, portanto, seu uso em nutrizes deve ser evitado.
DOLANTINA injetável não deve ser utilizada em crianças.
DOLANTINA deve ser utilizada com precaução em pacientes onde a depressão respiratéria deve ser evitada tais como alterações do centro respiratério, aumento da pressão intracraniana, alteração da consciência, dependência de drogas e álcool, hipotensão devido à hipovolemia.

Contra indicação :

Doenças nas quais se deve evitar depressão do centro respiratério.
DOLANTINA não deve ser utilizada em pacientes com hipersensibilidade conhecida petidina, nem em portadores de hipertensão intracraniana.
DOLANTINA não deve ser utilizada nas seguintes situações:
. pacientes com dependência a opiides, com exceção nos casos de cncer.
. terapia de reposição nos casos onde há uma tolerância a opiides.
. durante a lactação.
. crianças abaixo de 1 ano.

Interação Medicamentosa :

DOLANTINA deve ser usada com cuidado quando em associação com outros Analgésicos potentes, medicamentos que diminuem o limiar de convulsões, inibidores da MAO, derivados fenotiazúnicos e álcool. O uso concomitante com inibidores da MAO pode causar sintomas de choque, depressão respiratéria e coma.
DOLANTINA quando utilizada com buprenorfina e pentazocina e seus derivados pode ter seu efeito atenuado.
Medicamentos depressores do SNC como os barbitúricos e outros hipnéticos podem potencializar a sedação e a depressão respiratéria causada pela DOLANTINA.

Modo de Usar :

A dose preconizada para adultos :
Via intramuscular e subcutânea - 25 a 150 mg
Via endovenosa - 25 a 100 mg, dissolvidos em 10 ml de solução fisiológica ou glicosada 10 %. Aplicar lentamente (aproximadamente 2 minutos).
Esta posologia poderá ser repetida a critério médico, desde que se observe um intervalo não inferior a 3 a 4 h em relação primeira administração. Como precaução não deve ser ultrapassada a dose diária de 500 mg.
Em pacientes com disfunção hepática ou renal, a ação de DOLANTINA pode ser prolongada ou potencializada. Nestes casos a dose deve ser reduzida ou o intervalo entre as doses aumentado.

Superdosagem :

Nos casos de superdosagem, os sintomas mais frequentes são distúrbios visuais, boca seca, taquicardia, vertigem, midrase, hipertermia, tremor muscular, depressão respiratéria, anestesia e perda repentina da consciência.
A terapia sintomática com medidas gerais de suporte.
Caso ocorra depressão respiratéria é indicado o uso de antagonistas narcticos como o naloxone.

Fabricante :

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda.

Rua Conde Domingos Papaiz, 413 – Suzano – SP

Serviço de Atendimento ao Consumidor:
sac.brasil@sanofi.com

Produtos Sanofi
Fone: 0800 703 00 14
(2ª à 6ª feira, das 9 às 17h)

CNPJ 02.685.377/0008 23
Indústria Brasileira

Medicamentos do mesmo fabricante :

Aas protect, Actiprofen, Actonel, Aderogil, Agreal, Allegra 60 mg, Allegra d, Allegra d, Allegra pediatrico, Allegra, Amaryl, Amitrex, Amplictil gotas, Amplictil, Anandron nilutamida, Anandron, Antigripine, Apidra solostar, Apidra, Aprovel, Aprozide, Arava, Arelix, Asafen, Asilone, Atlansil, Auditol, Avaxim, Benoflex, Besaprin, Beserol, Bgstar, Buclina, Buclivit, Cefamezin, Cefrom, Celsior, Cepacaina, Cepacol fluor, Cepacol menta, Cepacol plus advanced, Cepacol, Cepacolplus advanced, Cewin efervescente, Cewin gotas, Cewin, Ciprofibrato, Citrovit 1 g, Citrovit 2 g, Claforan, Claripex al, Clikstar, Clorana, Colestase, Colirio moura brasil, Coltrax injetavel, Coltrax, Confiare prevent, Conmel, Corastorva, Corediol, Dactil, Danatrol, Daonil, Depakine chrono 300, Depakine chrono 500, Depakine chronosphere, Depakine solucao, Depakine xarope, Depura kids, Depura, Dermacyd breeze, Dermacyd delicata, Dermacyd femina, Dermacyd infantil, Dermacyd neutralize, Dermacyd pocket delicata, Dermacyd teen fresh, Dermacyd teen sweet flower, Dermacyd, Dermatop creme, Dermatop pomada, Dermatop, Dicinone, Dienpax, Dientrin, Digesan, Dimercaprol, Diurana, Dogmatil 50 mg, Dogmatil 200 mg, Dogmatil capsulas, Dogmatil forte, Dogmatil Solução oral, Dogmatil, Dolantina, Dorico, Eloxatin, Enterogermina, Equilid 50 mg, Equilid, Eradacil, Esperson n, Esperson, Euvax, Expolid, Falmonox, Fasturtec, Franol, Fraxiparina, Frisium, Gama venina, Gino loprox, GinoLoprox, Glimepirida andissa, Glimepirida, Glucantime, Haemaccel, Halotano, Hidrastar, Hidroclorotiazida, Hidromed, Hypaque 50, Hypaque m 75, Hypaque m 76, Ibgstar, Id Flu, Immucyst, Inocor, Istivac, Jevtana, Ladogal, Lantus, Lasilactona, Lasix long, Lasix retard, Lasix solucao, Lasix, Ledopsan, Lesterol, Loprox nl, Loprox creme, Loprox, Lovenox, Lyxumia, Maalox, Matergam, Maxilase, Meloxicam winthrop 15, Meloxicam winthrop 75, Metronidazol, Miocacin, Mioflex, Mobility, Mozobil, Mucolisil, Nasacort, Novalfem, Novalgina, Oenobiol, Omeprasec, Omnipaque, Omniscan, Orastina, Oroxadin, Os cal, Pan fungex, Par, Pastilhas cepacol, Pediacel, Pentavac, Pergalen, Pertacel, Plastenan, Plavix, Plavom, Pneumo, Pneumovax 23, Prednisolon, Primacor iv, Primacor, Primeral, Primperan comprimidos, Primperan, Profenid, Protectina, Psicoglut, Puran t4, Puran, Redrate, Renagel, Rifaldin, Rifocina, Rulid 300 mg, Rulid d, Rulid, Sanofi ventis, Sculptra, Semi, Seprafilm, Seprefact depot, Skelid, Socian, Sulpan, Suprefact e, Suprefact, Sureptil, Sylador, Tamcore, Targifor c, Targifor, Targocid, Taxotere, Tetavax, Tetraxim, Thymoglobuline, Ticlid, Toplexil pediatrico, Toplexil, Trental injetavel, Trental, Triatec, Trimovax, Typhim, Ulcedine, Utrim, Valpakine, Varicela, Verorab, Vincagil, Vitawin 2, Vitawin kids, Vitawin, wintomylon, Xatral, Youtube, Zolben, Zolbenl,


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.