Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Dkaflan - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Diclofenaco Potassico.

Indicação : O produto É indicado no tratamento a curto prazo das seguintes condições agudas: estados dolorosos inflamatórios Pós-traumáticos, como por exemplo os devidos a entorses. Dor e inflamação do Pós-operatério, como por exemplo após cirurgias ortopódicas ou odontológicas. Agudização do quadro de osteoartrite. Crise aguda de gota. Afecções mêsculo-esquelticas. síndromes dolorosas da coluna vertebral. Condições dolorosas e/ou inflamatórias em ginecologia, como por exemplo, dismenorria primria ou anexite. Como adjuvante no tratamento de processos infecciosos graves acompanhados de dor e inflamação de ouvido, nariz ou garganta, como por exemplo nas faringoamigdalites e otites, respeitando os Princípios terapêuticos gerais de que a doença de base deve ser adequadamente tratada. A febre isolada não é uma indicação do produto.

Efeito Colateral :

Ocasionalmente podem ocorrer: distúrbios gastrintestinais tais como: náusea, vômito, diarreia, célicas abdominais, dispepsias, flatulência e anorexia. Casos raros como hemorragias gastrintestinais, hematémese, melena, úlcera péptica com ou sem hemorragia ou perfuração, diarreia sanguinolenta, pancreatite. Casos isolados como distúrbios do intestino delgado tais como: colite hemorrágica e exacerbação da colite ulcerativa ou protocolite de Crohn, estomatite aftosa, glossite, lesões esofgicas, constipação.
Ocasionalmente pode ocorrer cefaleia, tontura ou vertigem, e casos raros de sonolência foram observados. Casos isolados de distúrbios da sensibilidade, incluindo parestesia, distúrbios da memria, insônia, irritabilidade, convulsões, depressão, ansiedade, pesadelos, tremores, reações psicóticas.
Foram observados casos isolados de distúrbios da visão (visão borrada, diplopia), deficiência auditiva, zumbido, alterações do paladar, rash ou erupção cutânea. Foram observados casos raros de urticária e casos isolados de eritroderma (dermatite esfoliativa), perda de cabelo, reação de fotossensibilidade, púrpura, incluindo púrpura alérgica, erupção bolhosa, eczema, eritema multiforme, síndrome de Stenvens-Johnson, síndrome de Lyel (epidermlise tóxica aguda).
Foram observados casos isolados de insuficiência renal aguda, anormalidades urinárias tais como: hematéria, proteinária, nefrite intersticial, síndrome nefrtica, necrose papilar.
Ocasionalmente: elevação dos níveis séricos das enzimas aminotransferases (TGO, TGP). Casos raros: hepatite, com ou sem icterícia. Casos isolados de hepatite fulminante foram observados.
Casos isolados de trompocitopenia, leucopenia, anemia (hemoltica e aplástica), agranulocitose.
Foram observados casos raros de hipersensibilidade tais como: asma, reações sistémicas anafilticas/anafilactides, incluindo hipotensão, casos raros de edema, casos isolados de impotncia (a associação com a administração de diclofenaco duvidosa), palpitação, dor no peito, hipertensão.

Contra indicação :

O produto é contraindicado em pacientes com úlcera péptica e em pacientes com conhecida hipersensibilidade à substância ativa. Como outros agentes antiinflamatórios não-esteroides o produto também É contra indicado em pacientes nos quais as crises de urticária, asma ou rinite aguda são precipitadas pelo Ácido acetilsalicílico ou por outras drogas com atividade inibidora da prostaglandina-sintetase.

Interação Medicamentosa :

Ao ser administrado juntamente com formulações com lítio ou digoxina, o diclofenaco pode elevar suas concentrações plasmáticas; mas ainda não foi encontrado nenhum sinal clínico de superdosagem nestes casos. Vários agentes antiinflamatórios não esteroides são responsveis pela inibição da atividade de diuréticos. Tratamento concomitante com diuréticos poupadores de potássio pode estar associado elevação dos níveis séricos do potássio o que o torna necessário o controle dos níveis séricos deste on. a administração concomitante de agentes antiinflamatórios não esteroides sistémicos pode aumentar a Ocorrência de reações adversas, portanto essa associação não recomendada. Investigações clínicas não oferecem indcios de que o diclofenaco exera influência no efeito de anticoagulantes.
Como precaução, entretanto, recomenda-se que ao se administrar o produto e anticoagulantes em tratamento concomitante, sejam feitos testes laboratoriais com a finalidade de verificar se a resposta desejada ao anticoagulante está sendo mantida.
Como com outros agentes antiinflamatórios não esteroides o diclofenaco em altas doses (200 mg) pode inibir temporariamente a agregação plaquetária. Estudos clínicos mostraram que o diclofenaco pode ser administrado juntamente com agentes antidiabéticos orais sem influenciar seus efeitos clínicos. Deve-se tomar cuidado quando drogas antiinflamatórias não-esteroides forem administradas com menos de 24 horas antes ou após o tratamento com metotrexato, uma vez que a concentração sérica desta droga pode se elevar e sua toxicidade ser aumentada.

Modo de Usar :

Comprimidos:
O produto deve ser administrado de pReferência antes das refeições. Como regra a posologia inicial deve ser de 1 comprimido administrado de 2 a 3 vezes ao dia. Em casos leves, bem como para crianças acima de 14 anos de idade, 1 comprimido duas vezes ao dia , em geral suficiente. No tratamento da dismenorria primria, a posologia, que deve ser adaptada individualmente, em geral, de 1 comprimido administrado de 1 a 3 vezes ao dia. Inicialmente, administrar 1 comprimido 1 a 2 vezes ao dia e, se necessário, elevar no decorrer de Vários ciclos menstruais, até o máximo de 1 comprimido 4 vezes ao dia. O tratamento deve ser iniciado aos primeiros sintomas e, dependendo da sintomatologia, pode continuar por mais alguns dias.
devido às dosagens disponíveis do produto, o produto não é recomendado para crianças abaixo de 14 anos de idade.

Precauções e Advertências

A exatidão do diagnóstico e a estreita vigilância médica são essenciais em pacientes com sintomas indicativos de distúrbio gastrintestinal, com história que sugira ulceração gastrintestinal, com colite ulcerativa ou com Doença de Crohn, bem como em pacientes com insuficiência hepática grave. devido à importncia das prostaglandinas na manutenção do fluxo sanguíneo renal, deve ser dada atenção especial ao se utilizar o produto em casos de comprometimento das funções cardíaca ou renal, em pacientes tratados com diuréticos e naqueles em recuperação de grandes cirurgias. A medicação deve ser descontinuada nas situações em que ocorrer ulceração péptica ou sangramento gastrintestinal.
O tratamento das afecções, nas quais o produto é indicado, dura habitualmente poucos dias. Porêm, se ao contrrio das recomendações para seu uso, o produto for administrado por perãodos mais prolongados, é aconselhável - como ocorre com outros antiinflamatórios não-esteroides altamente ativos - monitorar o hemograma e as funções hepática e renal. Pacientes que sentirem tonturas ou outros distúrbios do Sistema Nervoso Central devem abster-se de dirigir veículos ou operar máquinas.
não é recomendável o uso do produto durante a gravidez. O médico deve avaliar o benefício contra o potencial de risco para o feto, nos casos de estrita indicação . Essa orientação aplica-se particularmente aos três últimos meses de gestação (pela possibilidade de ocorrer inrcia uterina e/ou fechamento prematuro do canal arterial).
após a dose oral de 50 mg administrada a cada 8 horas, a substância ativa passa para o leite materno, todavia, em baixas concentrações.
Nos estudos conduzidos, o diclofenaco não mostrou efeitos carcinogúnicos, mutagúnicos e teratogúnicos.

Superdosagem :

O tratamento de intoxicação aguda com agentes antiinflamatórios não esteroides consiste essencialmente em medidas sintomáticas e de suporte. Não há quadro clínico tópico resultante da superdosagem do diclofenaco. As medidas terapêuticas a serem tomadas em casos de superdosagem são: lavagem gástrica e tratamento com carvo ativado, to cedo quanto possível após a superdosagem, ajudam a evitar a absorção.
Tratamento sintomático e de suporte deve ser administrado em caso de complicações, tais como: hipotensão, insuficiência renal, convulsões, irritação gastrintestinal e depressão respiratéria. Terapias especficas tais como diurese forçada, dilise ou hemoperfusão não são teis na eliminação de agentes anti-reumáticos não esteroides em decorrência do seu alto ndice de ligação a proteínas e metabolismo intenso.

Fabricante :

Ariston Indústrias Químicas e Farmacêuticas Ltda.

Rua Adherbal Stresser, 84, Jardim Arpoador, São Paulo - SP, 05566-000

TEL.: (11) 3783-8000

Medicamanetos do mesmo fabricante :

Alcaten, Amicilon, Arifenicol, Ariproxina, Benzatron, Beplexaron, Cefariston, Cefaxon, Cefoxitina_10_g, Cilinon, Complexo_b, Dalivit, Dkaflan, Dnaren, Dorpinon, Dorscopena, Fentetramin, Ferrotron, Furosetron, Losartan-hidroclorotiazida-losarerin, Losartan-labochem, Losartan-losarerin, Minoton, Oprazon


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.