Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Diclofenax - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Diclofenaco Potassico.

Classe terapêutica : Analgésicos

Apresentação : Diclofenax 50 mg: caixa com 10 drágeas. Diclofenax 100 mg AP: caixa com 10 drágeas.

Indicação : Tratamento a curto prazo de: processos reumáticos, inflamatórios e degenerativos; dor e inflamação no Pós-operatério; Pós-cirurgias ortopódicas ou odontológicas; condições dolorosas em geral e/ou ginecológicas (inclusive processos inflamatórios) como dismenorria primria; síndromes dolorosas agudas da coluna vertebral; como adjuvante no tratamento de processos infecciosos acompanhados de dor nas faringoamigdalites e otites.

Efeito Colateral :

Podem ocorrer náuseas, epigastralgia, vômitos, diarreia, cefaleia, tontura, vertigem, erupções cutâneas, edema perifrico. Podem ocorrer com menos frequência: sangramento gastrintestinal, úlcera péptica, sonolência, urticária ou distúrbio na função hepática incluindo hepatite com ou sem icterícia, edema, broncoespasmo, reações sistémicas anafilticas ou anafilactides e hipotensão. Casos isolados de úlcera péptica com perfuração, distúrbios colorretais, colite hemorrágica não especfica, exacerbação de colite ulcerativa, distúrbios sensoriais ou visuais, diplopias, insônia, irritabilidade e convulsões foram relatadas. Ocasionalmente, podem ocorrer eczema, eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson e Lyel, queda de cabelo, fotossensibilidade, insuficiência renal aguda, hematéria, nefrite intersticial, síndrome nefrtica, hepatite grave, trombocitopenia, leucopenia, agranulocitose, anemia aplástica e anemia hemoltica.

Precauções :

necessário rigoroso acompanhamento médico e exatidão de diagnóstico em pacientes com distúrbios gastrintestinais, história de ulceração gastrintestinal, colite ulcerativa ou Doença de Crohn, bem como em pacientes com insuficiência hepática grave. A pacientes tratados com diuréticos, assim como em estado de recuperação cirúrgica, deve ser dada atenção especial ao se administrar o diclofenaco, pelo possível comprometimento da função cardíaca ou renal, devido à importncia das prostaglandinas na manutenção do fluxo sanguíneo renal. Caso ocorram tonturas ou outros distúrbios do sistema nervoso central, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas. Nas ocasies em que ocorrer ulceração péptica ou sangramento gastrintestinal a medicação deve ser interrompida. Em pacientes idosos deve-se ter cuidado especial com o uso de diclofenaco, considerando-se suas condições clínicas. Em casos de Administração de diclofenaco por perãodos prolongados, assim como ocorre com outros antiinflamatórios não esteroides altamente ativos, é aconselhável fazer hemograma e monitorização das funções hepáticas e renais. Gravidez e lactação: o uso durante a gravidez, deve ser precedido de profunda avaliação médica com relação ao potencial de risco para o feto. Esta orientação particularmente importante nos três últimos meses de gestação (pela possibilidade de ocorrer inrcia uterina ou fechamento prematuro do canal arterial). Apesar da administração de doses orais de 50 mg em intervalos de 8 horas, ocasionar baixas concentrações no leite materno, o potencial de risco em relação ao lactente deve ser considerado.

Fórmula :

Cada drágea de coloração marrom contém:diclofenaco potássico 50 mg; excipiente q.s.p. 1 drgea. Cada drágea de ação prolongada, coloração vermelha, contém: diclofenaco potássico 100 mg AP; excipiente q.s.p. 1 drgea.

Contra indicação :

úlcera péptica. Hipersensibilidade à substância ativa. Pacientes que apresentam crises de asma, rinite aguda ou urticária precipitadas pelo Ácido acetilsalicílico ou por outras drogas inibidoras da prostaglandina-sintetase.

Modo de Usar :

A dose diária inicial é de 100 a 150 mg, administrada em 2 a 3 tomadas diárias; nos casos menos graves, na fase de manutenção, ou em crianças acima de 14 anos doses de 100 mg/dia são suficientes, sendo indicado 2 drágeas de 50 mg ou 1 drágea AP de 100 mg; no tratamento da dismenorria, a dose inicial indicada de 50 a 150 mg/dia, devendo, durante o tratamento, ser ajustada de acordo com a resposta do paciente. No entanto, esta não deve exceder 200 mg/dia; as drágeas devem ser ingeridas inteiras, preferencialmente antes das refeições, com pequeno volume de líquido.

Fabricante :

Infabra Indústria Farmacêutica Brasileira Ltda.

Rua Conselheiro Mayrink, 365
Rio de Janeiro/RJ - CEP: 20960-140
Tel: (21 )501-0799
Fax: (21 )281-0142

Tel.: DDG: (21) 80026-2395

Medicamentos do mesmo fabricante :

Agoniada, Alben, Aziac, Bio-caps-e, Broncodil, Citron, Complevitam, Dermobet, Diclofenax, Frenotossil, Ginkobil, Grip_caps_c, Nimeflan, Noacid, Peralgin


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.