Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Diazepan N.q. - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo: diazepan

Apresentação: Cartucho contendo 20 comprimidos.

Indicação: Alívio sintomático da ansiedade sob todas as formas; nos problemas funcionais e manifestações somáticas associadas é ansiedade; espasmos musculares; insônia; na síndrome de abstinncia alcolica. Em psiquiatria o Diazepan N.Q. é indicado na ansiedade de estados psicóticos e neurticos. Em pediatria, na prevenção de convulsões hipertrmicas.

Efeito Colateral:

Os efeitos adversos comumente citados e que em geral estáo relacionados com a dose administrada são: sonolência, fadiga e relaxamento muscular. As reações adversas menos frequentes são: constipação, diarreia, náusea, vômito, incontinncia urinária, aumento ou diminuição da libido, visão turva, secura da boca, euforia, erupção cutânea, retenção urinária, tremor, cefaleia, taquicardia, espasmos musculares, palpitação, aumento da secreção bronquial. reações paradoxais como estados agudos de hiperexcitação, ansiedade, alucinações, aumento da espasticidade muscular, insônia, irritabilidade, distúrbios do sono, tém sido descritos. Quando estes últimos ocorrerem, o tratamento deve ser interrompido. A interrupção abrupta pode provocar reações que vo desde irritabilidade, ansiedade, mialgia, tremores, reIncidência da insônia e vômitos, até convulsões isoladas e estados de mal-mioclínico.

Precauções:

A administração de Diazepan N.Q. a pacientes com miastenia gravis deve ser feita sob rigorosa vigilância, devido ao relaxamento muscular preexistente. Pacientes com função renal e/ou hepática comprometidas devem ter a posologia ajustada. O consumo de bebidas alcolicas deve ser evitado durante o tratamento, pois pode ocorrer potencialização do efeito depressor. Pacientes sob o uso de Diazepan N.Q. devem ser alertados quanto realização de atividades perigosas que requeiram grande atenção, como operar máquinas perigosas ou dirigir veículos. Gravidez e lactação: efeitos teratogúnicos ainda não foram estabelecidos, por isso não se recomenda o uso de diazepan nos três primeiros meses de gravidez. O uso de benzodiazepúnicos durante a gravidez pode causar dependência fsica no recêm-nascido, podendo levar à síndrome de abstinncia. O uso contínuo, especialmente durante as últimas semanas de gravidez, pode causar sonolência, hipotensão, diminuição da função respiratéria no neonato. Quando benzodiazepúnicos são administrados em altas doses, antes ou durante o trabalho de parto, podem causar problemas respiratérios, relaxamento muscular, hipotermia e dificuldades de alimentação no recêm-nascido. Diazepan e seus metabólitos atingem o leite materno. Como o recêm-nascido metaboliza mais lentamente (principalmente prematuros), podem ocorrer os efeitos acima ditados. - Interações Medicamentosas:: a administração concomitante de Diazepan N.Q. com outros medicamentos depressores do SNC, tais como, neurolpticos, antidepressivos, tranqilizantes, hipnéticos, anticonvulsivantes, anestásicos, pode levar à potencialização de seus efeitos. Não existem interferncias com hipoglicemiantes, anticoagulantes e diuréticos comumente utilizados.

Fórmula:

Cada comprimido de 5 mg e 10 mg contém respectivamente: 5 e 10 mg de diazepan. Excipiente q.s.p. 1 comprimido.

Contra indicação:

Pacientes com hipersensibilidade a benzodiazepúnicos ou a pacientes dependentes de outras drogas inclusive o álcool, exceto, neste últim caso, quando utilizado para o tratamento de sintomas agudos de abstinncia. Na insuficiência respiratéria, em razo do efeito depressor dos benzodiazepúnicos; entretanto, a agravação da hiPóxia pode, ela mesma, desencadear uma ansiedade que justificaria submeter o paciente a tratamento intensivo. Evitar o uso em pacientes com glaucoma de ângulo estreito. - Advertência: dependência: pode ocorrer dependência quando da terapia com benzodiazepúnicos. O risco mais evidente em pacientes em uso prolongado, altas dosagens e particularmente em pacientes predispostos, com história de alcoolismo, abuso de drogas, forte personalidade ou outros distúrbios psiquitricos graves. Para minimizar o risco de dependência, os benzodiazepúnicos devem ser apenas prescritos após cuidadosa avaliação quanto indicação , e devem ser administrados por perãodo de tempo o mais curto possível. A duração prolongada do tratamento s se justifica quando os benefícios superam os riscos. síndrome de abstinncia: a interrupção abrupta da medicação pode levar à síndrome de abstinncia, principalmente após tratamento prolongado, e sobretudo em doses elevadas. Para evitar esse fenmeno, recomenda-se reduzir progressivamente as doses. Se for necessário interromper abruptamente a medicação , deve-se estar atento às reações do paciente.

Modo de Usar:

Para que o efeito benfico seja timo a dose deve ser individualizada. As posologias médias recomendadas a seguir correspondem s necessidades da maioria dos pacientes, podendo haver casos que necessitem de doses mais elevadas. Nestes casos a posologia deve ser aumentada cautelosamente para evitar a Ocorrência de efeitos adversos. Adultos: dependendo da gravidade dos sintomas 2,5 a 10 mg, 2 a 4 vezes ao dia. Idosos, debilitados ou pacientes com função hepática e/ou renal prejudicadas: 2,5 mg, 1 a 2 vezes ao dia inicialmente; o aumento da dose deve ser gradual quando necessário e tolerado. Crianças: 2,5 mg, 3 a 4 vezes ao dia inicialmente; o aumento da dose deve ser gradual quando necessário e tolerado. devido à variedade de respostas das drogas que agem no SNC, o tratamento deve iniciar com baixas doses e aumentar quando necessário. Não usar em crianças abaixo de seis meses de idade. - Superdosagem: manifestações de superdosagem incluem sonolência, confusão, coma e diminuição dos reflexos. Respiração, pulso e pressão sanguínea devem ser monitorados. Medidas gerais de suporte devem ser empregadas, com lavagem gástrica imediata. A hipotensão pode ser controlada com a administração de vasopressores. A dilise tem valor limitado. O flumazenil pode ser utilizado como antagonista específico.

Fabricante:

Novaquímica Natures Plus

Rod. SP 101, Km. 08
Hortolândia/SP - CEP: 13186481
Tel: (19 )887-1209
Fax: (19 )887-2242

Medicamentos do mesmo fabricante:

Cenalfan, Daforin, Deposteron, Dialudon, Diazepan nq, Digecap, Doxal, Dozeneurin 5000, E-radicaps, Fosfocaps, Levordiol, Megestran, Mesmerin, Migrane, Mucotoss, Neurolil, Novazepam, Repovit, Somalgin, Sonebon


Advertências:

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos:

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma:

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.