Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Diasec - para que serve

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Cloridrato de loperamida

Apresentação : Caixa com 1 blister com 12 comprimidos de 2 mg e caixa com 50 blister com 4 comprimidos.

Indicação : diarreias de um modo geral, agudas ou crônicas, caracterizadas por hiperperistaltismo, hipertonia, célicas intestinais e perda líquida fecal. Nas ileostomias e colostomias hiperfuncionantes, com excessiva perda de água e eletrôlitos. Nas diarreias crônicas espoliativas associadas a doenças inflamatórias, tais como, doenças de Crohn e retocolite ulcerativa. Nas enterocolites funcionais secretoras e hipermotoras, tais como, o colo irritvel e diarreias Pós-irradiação (colorretites actúnicas). Não indicado na diarreia aguda ou persistente da criança.

Efeito Colateral :

Ressalvadas as Contra Indicações mencionadas, o produto é bem tolerado. Casos raros de secura da boca, distensão abdominal transitéria, náusea, vômito, constipação, sonolência e tontura foram mais comumente observados em tratamentos de longa duração.

Precauções :

Embora não tenham sido observados quaisquer efeitos teratogúnicos em animais, com doses comparveis a 30 vezes a dose terapêutica em humanos, o uso do produto deve ser evitado durante a gravidez. Por não estar comprovado se o cloridrato de loperamida eliminado pelo leite materno, recomenda-se também que não seja utilizado durante a fase de lactação. Como a depleção de fluidos e eletrôlitos nos pacientes com diarreia , em graus variveis, uma Ocorrência habitual, o uso do produto não deve excluir a hidratação oral ou parenteral.

Fórmula :

Cloridrato de loperamida 2 mg. Excipienteq.s.p. 1 comprimido.

Contra indicação :

Em situações clínicas ou cirúrgicas diversas, quando imperioso evitar a interrupção do fluxo fecal. Na vigncia de evidente processo toxiinfeccioso agudo causado por agentes invasivos (Salmonella shigella), e na colite pseudomembranosa associada terapêutica com antibióticos de largo espectro. A interrupção do fluxo fecal nestes casos indesejável, pois pode reter no intestino bactrias ou toxinas, que normalmente devem ser eliminadas do organismo através de evacuações. Em pacientes com doenças inflamatórias crônicas (colite ulcerativa, Doença de Crohn, etc.), em que predominam a distensão e sinais denunciadores de megacélon txico. Quando a função hepática estiver alterada, situação em que pode ocorrer superdosagem relativa. Em pacientes com hipersensibilidade reconhecida droga (erupções cutâneas, urticária, etc.).

Modo de Usar :

O seguinte esquema médico recomendado: adultos e crianças acima de 5 anos: diarreia aguda: a dose inicial de 2 comprimidos para adultos e 1 comprimido para crianças, seguidos de 1 comprimido após cada subseqente evacuação líquida, até uma dose diária máxima de 8 comprimidos (16 mg) para adultos e 3 comprimidos para cada 20 quilos de peso corPóreo para as crianças. diarreia crônica: a dose diária inicial de 2 comprimidos para adultos e 1 comprimido para crianças. Esta dose deve ser ajustada, até que 1 a 2 evacuações slidas ao dia sejam obtidas, O que é conseguido, em geral, com uma dose diária que varia entre 1 a 6 comprimidos. A dose diária máxima não deve ultrapassar 8 comprimidos (16 mg) para adultos e 3 comprimidos para cada 20 quilos de peso para as crianças. - Superdosagem: em casos acidentais de superdosagem deve-se promover lavagem gástrica seguida de Administração oral ou por sonda de uma suspensão aquosa de 100 g de carvo ativado. O paciente Deverá permanecer sob observação médica por um perãodo de pelo menos 48 horas, a fim de se detectar possíveis sinais de depressão do sistema nervoso central, que possam exigir medidas terapêuticas precoces especficas. Nos casos de intoxicação , os seguintes efeitos colaterais podem ser observados: constipação, náusea, vômitos, sintomas e sinais neurológicos (miose, hipertonia muscular, sonolência e bradipnia). Se depressão do SNC for observada, naloxona pode ser administrada. Desde que a excreção renal da loperamida muito pequena, a diurese forçada não efetiva em casos de intoxicação .

Fabricante :

QIF Química Intercontinental Farmacêutica

Av Itaboraí, 1425, Cursino, São Paulo - SP

(11) 5591-7600

Medicamentos do mesmo fabricante :

Amoxina, Broncosedol, Diasec, Doran gotas, Fenalerg, Fosfotonico, Gastroplus, Herpesil, Infladoren, Migral, Mucomax, Neomigran, Piostop, Renovan, Supervit, Urobiotic, Urotril, vVitamina e


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Emagrecimento e Aumento de Massa Muscular