Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Coreg - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : carvedilol:

Apresentação : Embalagem contendo 16 comprimidos revestidos de 3,125 mg, 6,25 mg, 12,5 mg ou 25 mg.

Indicação : Insuficiência cardíaca congestiva leve ou moderada (classe II ou III de NYHA) de origem isquêmica ou cardiomioPótica, junto com digitlicos, diuréticos e inibidor da ECA, para reduzir a progressão da doença, evidenciada pela morte cardiovascular, hospitalização cardiovascular ou a necessidade de ajustar outros medicamentos para a insuficiência cardíaca. Coregup4 pode ser usado em pacientes incapazes de tolerar um inibidor da ECA. Coregup4 pode ser usado em pacientes que estejam ou não recebendo tratamento com digitlicos, hidralazina ou nitratos. hipertensão: Coregup4 também é indicado para o controle da hipertensão essencial. Pode ser usado isoladamente ou em combinação com outros agentes anti-hipertensivos, especialmente diuréticos tiazdicos.

Efeito Colateral :

As seguintes reações adversas foram relatadas mais frequentemente em pacientes com insuficiência cardíaca congestiva: edema perifrico, alergia, morte sbita, mal-estar, hipovolemia. Cardiovasculares: sobrecarga de fluidos, hipotensão postural. Sistema nervoso central e perifrico: hipestesia, vertigem. Gastrintestinais: melena, periodontite. Sistema hepático e biliar: ALT aumentada, AST aumentada. metabólicas e nutricionais: hiperuricemia, hipoglicemia, hiponatremia, fosfatase alcalina aumentada, glicosuria. Plaquetas, sangramento e coagulação: protrombina reduzida, púrpura. Psiquitricas: sonolência. Reprodutivas, homens: impotncia. Sistema urinário: função renal anormal, albuminária. hipertensão: em geral, Coregup4 foi bem tolerado em doses de até 50 mg ao dia. A maioria das reações adversas relatadas durante o tratamento com Coregup4 foi de gravidade leve a moderada. A Incidência geral de reações adversas aumentou com o aumento da dose de Coreg. Para reações adversas individuais, isto pode ser percebido para vertigem, que aumentou na frequência de 2% a 5% quando a dose diária total aumentou de 6,25 mg para 50 mg. Os eventos adversos a seguir foram relatados como possível ou provavelmente relacionados com Coregup4 em pacientes com hipertensão ou insuficiência cardíaca congestiva: cardiovasculares: isquemia perifrica, taquicardia. Sistema nervoso central e perifrico: hipocinesia. Gastrintestinais: bilirrubinemia, enzimas hepáticas aumentadas. Gerais: dor no peito subesternal, edema. Psiquitricos: nervosismo, distúrbios do sono, depressão agravada, concentração prejudicada, raciocnio anormal, paronria, instabilidade emocional. Sistema respiratério: asma. Reprodutivos, homens: libido reduzida. Pele e anexos: prurido, rash eritematoso, rash maculopapular, rash psoriasiforme, reação de fotossensibilidade. Sentidos especiais: zumbido no ouvido. Sistema urinário: frequência de micção. Sistema nervoso autnomo: boca seca, sudorese aumentada. metabólicos e nutricionais: hipocalemia, diabetes mellitus, hipertrigliceridemia. Hematológicos: anemia, leucopenia. Os eventos a seguir são potencialmente importantes: bloqueio AV completo, bloqueio de ramo, isquemia do miocárdio, distúrbio cerebrovascular, convulsões, enxaqueca, neuralgia, paresia, reação anafilactide, alopecia, dermatite esfoliativa, amnsia, hemorragia gastrintestinal, broncospasmo, edema pulmonar, redução da audição, alcalose respiratéria, nitrognio urico do sangue (BUN) aumentado, lipoproteínas de alta densidade (HDL) reduzidas, pancitopenia e linfcitos atépicos.

Fórmula :

Cada comprimido contém: carvedilol: 3,125 mg,6,25 mg, 12,5 mg, e 25 mg; excipientes q.s.p.1 comprimido.

Contra indicação :

Em pacientes com insuficiência cardíaca descompensada, classe IV NYHA exigindo terapia inotrpica intravenosa, asma brônquica ou em condições broncoesPósticas, bloqueio AV de segundo ou terceiro grau, síndrome de doença sinusal (a menos que um marca-passo esteja colocado), choque cardiogúnico ou bradicardia grave. O uso de Coreg em pacientes com insuficiência hepática clinicamente evidente não é recomendado. Coregup4 É contra indicado em pacientes com hipersensibilidade droga.

Modo de Usar :

Insuficiência cardíaca congestiva: a dose deve ser individualizada e cuidadosamente monitorada por um médico durante a fase de aumento da mesma. Antes do incio do tratamento com Coreg, a dose de digitlicos, diuréticos e inibidores da ECA (se usados) deve ser estabilizada. A dose inicial recomendada para Coregup4 3,125 mg duas vezes ao dia por duas semanas. Se esta dose for tolerada, pode ser aumentada para 6,25 mg duas vezes ao dia. A dose deve então ser dobrada a cada duas semanas até o nível máximo tolerado pelo paciente. No incio de cada nova dose, os pacientes devem ser observados por uma hora para se determinar os sinais de vertigem ou desorientação. A dose máxima recomendada é de 25 mg duas vezes ao dia em pacientes pesando menos do que 85 kg e 50 mg duas vezes ao dia em pacientes pesando mais do que 85 kg. Coregup4 deve ser tomado com a alimentação para diminuir a velocidade de absorção e reduzir a Incidência de efeitos ortostáticos. Antes de cada aumento da dose, o paciente deve ser observado no consultrio e avaliado quanto aos sintomas de piora da insuficiência cardíaca, vasodilatação (vertigem, desorientação, hipotensão sintomática) ou bradicardia, para determinar a tolerância a Coreg. A piora transitéria da insuficiência cardíaca pode ser tratada com doses maiores de diuréticos, embora ocasionalmente seja necessário reduzir a dose de Coregup4 ou descontinu-lo temporariamente. Os sintomas de vasodilatação frequentemente respondem a uma redução da dose de diuréticos ou dos inibidores da ECA. Se estas alterações não aliviarem os sintomas, a dose de Coregup4 pode ser reduzida. A dose de Coregup4 não pode ser aumentada até que os sintomas de piora da insuficiência cardíaca ou vasodilatação tenham se estabilizado. A dificuldade inicial ao aumentar a dose não deve impedir tentativas posteriores para administrar Coreg. Se os pacientes com insuficiência cardíaca congestiva experimentarem bradicardia (frequência cardíaca abaixo de 55 batimentos/minuto), a dose de Coregup4 deve ser reduzida. hipertensão: a dose deve ser individualizada. A dose inicial recomendada de Coregup4 de 6,25 mg duas vezes ao dia. Se esta dose for tolerada, usando-se a pressão arterial sistlica na posição de Pó, medida cerca de 1 hora após a administração como guia, a dose pode ser mantida por 7 a 14 dias, e depois aumentada para 12,5 mg duas vezes ao dia, se necessário, com base na pressão arterial mínima, novamente usando-se a pressão sistlica na posição de pé uma hora após a administração como guia para determinar a tolerância. Esta dose também deve ser mantida por 7 a 14 dias e pode então ser ajustada para 25 mg duas vezes ao dia, se tolerado e necessário. O efeito anti-hipertensivo total de Coregup4 é observado em 7 a 14 dias. A dose diária total não deve exceder 50 mg. Coregup4 deve ser tomado com a alimentação para retardar a velocidade de absorção e reduzir a Incidência de efeitos ortostáticos. Pode-se esperar que a adição de um diurético a Coreg, ou de Coregup4 a um diurético produza efeitos aditivos e exagere o componente ortostático da ação de Coreg. Coreg não deve ser administrado a pacientes com insuficiência hepática grave. - Superdosagem: a superdosagem pode causar hipotensão grave, bradicardia, insuficiência cardíaca, choque cardiogúnico e ataque cardíaco. Problemas respiratérios, broncospasmos, vômito, lapsos de consciência e ataques generalizados também podem ocorrer. O paciente deve ser colocado na posição deitada e, quando necessário, mantido sob observação e tratado sob condições de cuidados intensivos. Lavagem gástrica ou mese farmacologicamente induzida podem ser usados logo após a ingestão. Os seguintes agentes podem ser administrados: para bradicardia excessiva: atropina, 2 mg IV; para favorecer a função cardiovascular: glucagon, 5 a 10 mg IV rapidamente durante 30 segundos, seguido por uma infusão contínua de 5 mg/hora; simpaticomimáticos (dobutamina, isoprenalina, adrenalina) em doses de acordo com o peso corporal e efeito. Se a vasodilatação perifrica prevalecer, pode ser necessário administrar adrenalina ou noradrenalina com monitoração contínua das condições circulatérias. Para bradicardia resistente terapia, um marca-passo deve ser instituído. Para o broncospasmo, os beta-simpaticomimáticos (em aerosol ou IV) ou aminofilina IV devem ser administrados. No caso de convulsões, a injeção IV lenta de diazepam ou clonazepam recomendada. Caso ocorra intoxicação grave, com sintomas de choque, o tratamento com antídotos pode ser continuado por um perãodo de tempo suficientemente longo, compatével com a meia-vida de 7 a 10 horas de carvedilol.

Fabricante :

Roche Químicos Farmacêuticos S/A

Estrada dos Bandeirantes, 2020 – cep 22775-109
Rio de Janeiro – RJ - Brasil

Canal do Médico: 0800 77 20 292
Canal do Paciente: 0800 77 20 289

Ancotil, Bactrim, Cellcept, Coreg, Efurix, Fansidar, Fortovase, Globocef, Granulokine, Herceptin, Hivid, Lanexat, Lariamar, Limbitrol, Liquemine, Mabthera, Marcoumar, Pegasys, Posicor, Prolopa, Prostigmine, Protamina, Protovit, Pulmozyme, Rennie, Roacutan, Rocaltrol, Rocefin im, Rocefin iv, Rochagan, Roferon a, Uro bactrim, Verutex, Vesanoid


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.