Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Colchicine - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Colquicina

Apresentação : 1mg, comprimidos

Indicação :

A colquicina faz parte do grupo dos medicamentos usados para o tratamento da gota. utilizada nas seguintes situações:

Gota:

Acesso agudo de gota;

terapêutica de prevenção de acessos de gota quando no incio de tratamentos hipouricemiantes com inibidores de síntese de ácido rico ou com uricoséricos.

Outros dePósitos microcristalinos: condrocalcinose e reumatismo com hidroxiapatite.

Outras Indicaçõesmais raras: doença periódica, doença de Beháet.

Antes de tomar COLCHICINE

Não tome COLCHICINE:

Se tem alergia (hipersensibilidade) É colquicina, ou a qualquer outro componente de COLCHICINE.

Se insuficiente renal ou insuficiente hepático. Tome especial cuidado com Colchicine:

Nos tratamentos de longo curso:

Nos indivíduos em idade de procriar, Deverá ser instaurada uma contracepção eficaz qualquer que seja o parceiro tratado.

recomendado interromper o tratamento com colquicina três meses antes da concepção. A contracepção Deverá manter-se até 3 meses após a interrupção da colquicina.

Em tratamento de ataque:

Deverá haver uma vigilância atenta em caso de insuficiência renal ou hepato-biliar. Deverá associar-se a retardadores do trnsito intestinal ou anti-diarreicos, em caso de aparecimento de diarreia ou colopatia evolutiva.

Nos tratamentos de longo curso, nas doses de 0,5 a 1 mg, as complicações são raras. Por prudncia, despistagem sistemática dos efeitos secundários. é aconselhada uma vigilância hematológica semestral.

A utilização concomitante de Colchicine e de pristinamicina ou macrílidos (com excepção de espiramicina) não recomendada.

Se foi informado pelo seu médico que tem intolerância a alguns açucares, contacte-o antes de tomar este medicamento.

Tomar Colchicine com outros medicamentos:

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver tomando ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Associações não recomendadas:

Macrílidos com excepção da espiramicina (telitromicina, azitromicina, claritromicina, diritromicina, eritromicina, josamicina, midecamicina, roxitromicina, troleandomicina). Podem aumentar significativamente os níveis séricos de colquicina e o risco de toxicidade, podendo esta tornar-se fatal.

Pristinamicina:

Pode aumentar significativamente os níveis séricos de colquicina e o risco de toxicidade, podendo esta tornar-se fatal.

Associações que necessitam de precauções de utilização:

Ciclosporina

Potencia os efeitos indesejáveis neuromusculares da colquicina. Em caso de associação com a ciclosporina Deverá realizar-se vigilância clínica e biológica (doseamento do CPK). Não ultrapassar mais do que alguns dias de tratamento com a colquicina.

Gravidez e Aleitamento:

Caso deseje engravidar, recomenda-se a interrupção do tratamento com Colchicine três meses antes da concepção.

Quando o uso do medicamento for estritamente necessário para a me, Deverá esta suspender a amamentação.

Consulte o seu médico antes de tomar qualquer medicamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas:

Não foram observados efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas.

Informaçães importantes sobre alguns componentes de Colchicine:

Contém Lactose e Sacarose. Se foi informado pelo seu médico que tem intolerância a alguns açucares, contacte-o antes de tomar este medicamento

COMO TOMAR COLCHICINE

Tomar sempre de acordo com as Indicaçõesdo médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas. Os comprimidos são para administração oral e devem ser ingeridos com um copo de água. A dose habitual é:

Gota e dePósitos microcristalinos:

Acesso agudo de gota

1 Dia: 3 comprimidos (1 comprimido de manhã, 1 comprimido ao meio dia, 1 comprimido à noite);

2 E 3 dias: 2 comprimidos por dia (1 comprimido de manhã e 1 comprimido à noite);

4 Dia: 1 comprimido à noite

Dias seguintes: 1 comprimido à noite

Prevenção dos acessos de gota aquando dos tratamentos hipo-uricemiantes:

A dose diária profiltica de colquicina depende da frequência e da gravidade dos episódios anteriores e pode variar de 0,5 mg duas a quatro vezes por semana até 1,5 mg por dia. é normalmente eficaz numa dose oral de 0,5-1 mg por dia, ajustada de modo a não causar diarreia.

O tratamento com colquicina deve manter-se até pelo menos um mês após a redução da concentração de urato no sangue e que É comum a cobertura profiltica durante 3 a 4 meses.

Outras indicações:

Doena periódica, doença de Beháet: habitualmente 1 comprimido por dia à noite, permanentemente.

utilização em crianças:

Na doença periódica, estudos realizados em doentes pediátricos com idade igual ou superior a 3 anos, que receberam tratamento profiltico a longo termo, não demonstraram problemas relacionados com a idade, que limitem a utilização da colquicina nesta indicação , na dose de 0,5 mg a 1,0 mg por dia.

Em crianças com idade inferior a 5 anos a dose diária recomendada é de 0,5 mg/dia. Em crianças com idade igual ou superior a 5 anos a dose recomendada é de 0,5 mg, duas vezes por dia.

Não foram realizados estudos sobre os efeitos da colquicina na população peditrica, nas restantes indicações.

utilização em idosos:

Os doentes idosos, mesmo os que apresentam funções renal e hepática normais, podem ser mais sucetíveis a toxicidade cumulativa com colquicina. Recomenda-se redução da dose nestes doentes.

utilização em doentes com insuficiência hepática ou insuficiência renal:

Nestes doentes existe um risco aumentado de toxicidade cumulativa. A dose deve ser reduzida ou devem ser aumentados os intervalos entre as doses.

Em doentes com depuração de creatinina inferior a 50 ml/min a dose deve ser reduzida para metade. Em doentes com depuração de creatinina inferior a 10 ml/min deve ser considerado um tratamento alternativo.

Se tomar mais Colchicine do que deveria:

Dose tóxica cerca de 10 mg.

Dose constatada mortal, acima de 40 mg

Intoxicação rara, mas grave (30% de mortalidade), sobretudo voluntária.

Sinais e sintomas clínico:

Prostração: 1 a 8 horas, em média 3 horas.

Perturbações digestivas: dores abdominais difusas, vômitos, diarreias profusas levando a desidratação e perturbações circulatérias.

Perturbações hematológicas: hiperleucocitose, depois leucopenia e hipoplaquetose, por depressão medular.

Polipneia frequente. Alopecia ao 10 dia.

Evolução imprevisível. Morte, se ocorrer em geral ao 2é ou 3 dia por desequilíbrio hidro-electroltico, choque sptico.

Tratamento:

Não há antídoto específico da colquicina.

vigilância clínica e biológica constante em meio hospitalar.

Eliminação do txico por lavagem ao estômago e depois por aspiração duodenal.

Tratamento unicamente sintomático: reequilíbrio hidro-electroltico, antibioterapia geral e digestiva maciça, assistência respiratéria.

Caso se tenha esquecido de tomar Colchicine:

Tome a dose em falta assim que se lembrar.

Se estiver quase na altura de tomar a dose seguinte, não tome a dose em falta e tome Colchicine na hora habitual.

Não tome duas doses ao mesmo tempo.

Não tome uma dose dobrada para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Efeitos secundários possíveis

Como os demais medicamentos, a Colchicine pode ter efeitos secundários em algumas pessoas:

Gastrointestinais

Muito frequentes: Diarreias, náuseas, vômitos (até 80% dos doentes). Podem ser os primeiros sinais de sobredosagem. necessário então diminuir as doses ou mesmo parar com o tratamento.

Frequentes: Hemorragia gastrointestinal (no caso de sobredosagem).

Hematológicos

Raros: Leucopenia, neutropenia, trombocitopenia, anemia aplástica.

Neuromusculares

Raros: Neuropatia perifrica. Miopatia. distúrbios neuromioPóticos, os quais são reversíveis com a paragem do tratamento.

Renais

Frequentes: Alteração da função renal (no caso de sobredosagem). hepáticos

Raros: Alteração da função hepática.

cutâneos

Pouco frequentes: Urticaria e erupções morbiliformes.

Raros: alopécia.

Outros

Muito raros: Azoospermia.

COMO CONSERVAR COLCHICINE

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não conservar acima de 25ºC Proteger da luz

Não utilize COLCHICINE após expirar o prazo de validade impresso na embalagem. O prazo de validade corresponde ao últim dia do mês indicado.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

Outras informações

Qual a composição de Colchicine:

A substância ativa é a colquicina.

Os outros componentes são:

Povidona, estearato de magnésio, sacarose, lactose e lacansolvel de eritrosina (E 127).

Qual o aspecto de Colchicine e o conteúdo da embalagem:

Comprimidos cor-de-rosa ranhurados. Caixas de 20 e 40 comprimidos.

Fabricante :

LABESFAL Laboratórios Almiro, S.A.

E-mail: geral@labesfalgenericos.pt
Linha directa Labesfal Genéricos: 918643285
Telefone: +351 232 857 035
Fax: +351 232 853 036

Endereços:

Labesfal Genéricos S.A
Av. Dr. Afonso Costa, nº1370
3465-051 Campo de Besteiros

Labesfal Genéricos, S.A.
Rua D. Luís de Noronha nº4,
7º Andar, 1050-072 Lisboa

Medicamentos do mesmo fabricante :

Acetilsalicilato de Lisina Labesfal 900, Acetilsalicilato de Lisina Labesfal Pó, Acetilsalicilato de Lisina Labesfal, Acetilsalicilato de Lisina, Água Para Preparações Injetáveis basi, Água Para Preparações Injetáveis labesfal, Alfuzosina decafarma, Amoxicilina labesfal, Ampicilina, Besflo, Canef, Carbamazepina Labesfal 200, Carbamazepina Labesfal 400, Ceftriaxona labesfal 500, Ceftriaxona Labesfal 1000, Ceftriaxona Labesfal 2000, Davicrome, Davilose, Dek, enalapril hidroclorotiazida labesfal, Estreptomicina, Fenitoina Labesfal, Fenobarbital Labesfal, Fluoxetina Mer, Gliclazida fresenius, Gliclazida jaba, Isoprenalina, Lisinopril Hidroclorotiazida Basi, Lisinopril Hidroclorotiazida Labesfal, Lisinopril Hidroclorotiazida Mepha, Lisinopril Labesfal 5, Lisinopril Labesfal 10, Lisinopril Labesfal 20, Lisinopril Ranbaxy, Loratadina Crizin, Meloxicam Labesfal, Morfina Labesfal, Paroxetina Labesfal, Pirimetamina, Ramipril Labesfa, Risperidona Labesfa, Sinvastatina Labesfal,


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.

Emagrecimento e Aumento de Massa Muscular