Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Clopixol - bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : dicloridrato de zuclopentixol.

Apresentação : CLOPIXOL 10 mg Comprimidos Cada comprimido contém 10 mg de dicloridrato de zuclopentixol. Embalagem contendo 20 comprimidos.

Indicação : esquizofrenia aguda e crônica e outras psicoses, especialmente com sintomas como alucinações, delírios, distúrbios do pensamento, assim como agitação, inquietação, hostilidade e agressividade. Fase manaca da psicose manaco depressiva. Retardo mental associado com hiperatividade motora, agitação, violncia, e outros distúrbios do comportamento.
demência senil com idias paranides, confusão e/ou desorientação ou distúrbios do comportamento.

Efeito Colateral :

Neurológicas: Podem ocorrer sintomas extrapiramidais, especialmente durante as fases iniciais do tratamento. Na maioria dos casos, estes efeitos colaterais podem ser controlados satisfatoriamente através da redução da dose e/ou uso de substâncias antiparkinsonianas. O uso profiltico de rotina de medicação antiparkinsoniana não é recomendado. A discinesia tardia pode ocorrer muito ocasionalmente em pacientes submetidos a tramento de longo prazo. As drogas antiparkinsonianas não aliviam estes sisntomas. Recomenda-se redução da dose ou, se possível a interrupção da terapia.
Psquicos: sonolência inicialmente.
Autonmicos e cardiovasculares: Boca seca, distúrbio de acomodação, distúrbio da micção, constipação, taquicardia, hipotensão ortostática e vertingens.
hepático: Podem ocorrer alterações leves e transitérias dos testes de função hepática.

Precauções :

CLOPIXOL não deve ser ingerido com bebida alcolica ou barbitúricos.
Pacientes em terapia por longo prazo devem ser acompanhados cuidadosamente. O tratamento não deve ser interrompido abruptamente.
CLOPIXOL deve ser usado com precaução em pacientes com desordens convulsivas, doença hepática ou cardiovascular avançada.
Preferivelmente, o CLOPIXOL não deve ser usado durante a gravidez e lactação.
Efeitos sobre atividades que requeiram atenção: A capacidade de dirigir automáveis ou de operar máquinas pode ser afetada. Portanto, deve-se tomar cuidado, sobretudo no incio do tratamento até que todas as reações individuais do paciente sejam conhecidas.

Contra indicação :

intoxicações agudas por álcool, barbitúricos, ou opiceos; estados comatosos.

Interação Medicamentosa :

O CLOPIXOL pode aumenta a resposta ao álcool e aos efeitos dos barbituratos e outros depressores do SNC. O CLOPIXOL não deve ser usado concomitantemente com a guanetidina ou compostos de ação similar, já que os neurolpticos podem bloquear o efeito anti-hipertensivo destes compostos. O CLOPIXOL reduz o efeito da levodopa e das drogas adrenrgicas. O uso concomitante da metoclopramida e piperazina aumenta o risco de sintomas extrapiramidais.

Modo de Usar :

Adultos: A dose deve ser ajustada individualmente de acordo com a condição. De modo geral, deve-se iniciar com uma dose pequena e aument-la até alcançar um efeito timo to rpido quanto possível com base na resposta terapêutica.
esquizofrenia aguda e outras psicoses agudas; estados de agitação aguda graves, Mania:
Tratamento via oral: Usualmente 10-50 mg/dia. Em casos moderados a graves, iniciar com 20 mg/dia e aumentar, caso necessário , 10 a 20 mg a cada 2-3 dias até 75 mg ou mais por dia.
esquizofrenia crônica e outras psicoses crônicas:
Tratamento via oral: Dose de manutenção de 20 40 mg/dia.
Agitação em pacientes oligofrúnicos:
Tratamento via oral: 6-20 mg/dia, se necessário, aumentar para 20-40 mg/dia.
Agitação e confusão em pacientes senis:
Tratamento via oral: 2-6 mg/dia ( de pReferência administrar no final do dia). Se necessário aumentar para 10-20 mg/dia.
OBS: a administração pode ser feita em dose única ou dividida a critério médico.

Superdosagem :

O conjunto dos seguintes sintomas pode indicar superdosagem: sonolência, coma, sintomas extrapiramidais, convulsões, hipotensão, choque , hipo ou hipertermia.
Conduta na superdosagem
Tratamento sintomático e de suporte. deve-se fazer lavagem gástrica, to rpido quanto possível, após a ingestão oral. administrar carvo ativado. instituir medidas de suporte dos sistemas respiratério e cardiovascular. não se deve utilizar epinefrina (adrenalina), pois pode resultar em redução ainda maior dos níveis tensionais.
Convulsões podem ser tratadas com diazepam e os sintomas extrapiramidais com biperideno.
Recomendações especiais
A síndrome neurolptica maligna (snm) é uma complicação rara, porêm potencialmente fatal, ao uso de substâncias neurolpticas. os sinais cardinais da snm são hipertermia, rigidez muscular e flutuação do nível de consciência associados a disfunção autonmica (pressão sanguínea lbil, taquicardia, sudorese). Além da imediata interrupção da medicação neurolptica são vitais a instituição de medidas de suporte geral e tratamento sintomático.
Atenção: este produto é um novo medicamento, e embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança quando corretamente indicado,podem ocorrer reações adversas imprevisíveis ainda não descritas ou conhecidas. em caso de supeita de reação adversa, o médico responsável deve ser notificado.

Fabricante :

Indústria Química e Farmacêutica Schering-Plough S/A.

Rua Antônio das Chagas 1623
São Paulo Sp, 04714-002, Brasil

FONE: (11) 5188-5150
SAC SCHERING-PLOUGH: 0800 770 2477

Bazoton, Cedrin, Claritin, Clopixol, Coristina d, Coristina r, Daivonex, Diprogenta, Diprospan, Disofrol, Elocom, Episol fps 15, Fareston, Fluir, Furacin, Garasone, Gets it, Lioram, Nujol, Octelmin


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.