Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Cefrom - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Cefpiroma.

Apresentação : Cefrom 1 g: embalagem com 1 frasco-ampola + diluente de 10 ml, para uso intravenoso. cefrom 2 g: embalagens com 1 frasco-ampola + diluente de 20 ml, para uso intravenoso.

Indicação : No tratamento das infecções causadas por microrganismos sensíveis cefpiroma.

Efeito Colateral :

reações de hipersensibilidade: reações alérgicas da pele (erupção, urticária); prurido; febre medicamentosa; reações alérgicas agudas severas (anafilaxia, algumas progredindo para o choque com risco de vida) podem ocorrer e exigem tratamento de emergência. Efeitos no trato gastrintestinal: Nuseas, vômitos, dor abdominal e diarreia. A possibilidade de colite pseudomembranosa deve ser considerada em pacientes nos quais ocorra diarreia severa e persistente, durante o tratamento ou nas semanas iniciais após seu final. Esta condição intestinal inflamatória induzida por antibioticoterapia pode apresentar risco de vida. a administração de CEFROM deve ser imediatamente suspensa nestas circunstâncias. O médico deve iniciar tratamento apropriado sem demora. Drogas que inibam o peristaltismo intestinal devem ser evitadas, categoricamente, nestes casos. Efeitos na função hepática: Aumento dos níveis séricos das enzimas hepáticas AST (TGO), ALT (TGP), LDH, bilirrubina sérica e fosfatase alcalina. Efeitos na função renal: Pode ser observado ligeiro aumento no nível srico de creatinina e uria. Nefrite intersticial foi observada em rarssimos casos durante o tratamento com outras cefalosporinas. Alterações nos elementos sanguíneos: Decrscimo no nmero de plaquetas (trombocitopenia), aumento no nmero de eosinfilos (eosinofilia) e. muito raramente, anemia hemoltica. Como ocorre com outros antibióticos betalactémicos, pode-se desenvolver granulocitopenia durante o tratamento e, mais raramente, agranulocitose, principalmente se for administrado por longos perãodos. Portanto o hemograma deve ser monitorado no decorrer de tratamentos que durem mais de 10 dias. reações locais: inflamação e dor no local da injeção. Outras: Assim como com outros antibióticos, o uso de CEFROM, especialmente se prolongado. pode resultar no supercrescimento de organismos não-suscetíveis. Avaliações repetidas destes pacientes são essenciais. Caso a superinfecção ocorra durante a terapia, medidas apropriadas devem ser tomadas. Podem ocorrer distúrbios do paladar imediatamente após a administração. Podem ocorrer também cefaleia e, muito raramente, convulsão.

Precauções :

Em pacientes hipersensíveis s penicilinas, existe a possibilidade de sensibilidade cruzada. Cefalosporinas devem ser usadas com extrema precaução em pacientes sensíveis penicilina. Nestes casos necessária estrita supervisão médica na primeira administração. A função renal deve ser monitorada se CEFROM for administrado associado a diuréticos de ala ou aminoglicosdeos. Em casos de insuficiência renal, a dose deve ser ajustada de acordo com o clearance de creatinina. Não foram realizadas experiências clínicas adequadas em crianças. O uso de cefalosporina estritamente proibido em pacientes com história de alergia imediata cefalosporina. Em caso de dvida, a presença do médico É essencial durante a primeira administração para socorrer um possível choque anafiltico que possa vir a acontecer, levando o paciente a risco de vida. Assim como com outros antibióticos betalactémicos, o uso prolongado de CEFROM pode levar à granulocitopenia e, mais raramente, é agranulocitose, havendo a necessidade de monitorização do leucograma se o tratamento se prolongar por mais de 10 dias. Durante ou logo após o tratamento com CEFROM pode haver o aparecimento de diarreia grave e persistente. Estes episódios podem estar relacionados É colite pseudomembranosa, evento raro com o uso de cefalosporinas. Se houver a suspeita da presença de colite pseudomembranosa, a administração de CEFROM deve ser descontinuada imediatamente. Nestes casos não devem ser administrados medicamentos que inibam o peristaltismo intestinal.

Fórmula :

CEFROM 1 g: Cada frasco-ampola contém 1.191 mg de sulfato de cefpiroma (equivalente a 1.000 mg de cefpiroma). Cada ampola de diluente contém 10 ml de água para injetíveis. CEFROM 2 g: Cada frasco-ampola contém 2.382 mg de sulfato de cefpiroma (equivalente a 2.000 mg de cefpiroma). Cada ampola de diluente contém 20 ml de água para injetíveis.

Contra-Indicaçõese Precauções

CEFROM está contraindicado a pacientes alérgicos s cefalosporinas. Em pacientes alérgicos s penicilinas pode ocorrer reação de hipersensibilidade cruzada. Não foram obtidas experiências clínicas adequadas em crianças.
Uso em gravidez e lactação: Embora os estudos em animais não revelem qualquer malformação ou efeito txico ao feto, CEFROM não deve ser usado durante a gravidez, já que a segurança não foi estabelecida. As lactantes não devem ser tratadas com CEFROM. ficando na dependência de experiências clínicas posteriores.

Interação Medicamentosa :

Embora não haja evidência de que CEFROM afete a função renal em doses terapêuticas, vale lembrar que os antibióticos cefalosporúnicos podem potencializar os efeitos nefrotxicos de alguns fármacos (por exemplo, os aminoglicosdeos). Pode-se obter, em casos raros, um resultado falso-positivo no teste de Coombs. Da mesma forma, métodos não-enzimáticos para a determinação da glicosria também podem apresentar um resultado falso-positivo. Portanto a glicosria deve ser determinada por métodos enzimáticos durante tratamento com CEFROM. CEFROM leva a um falso aumento das concentrações de creatinina quando os ensaios para creatinina são baseados no método do picrato. O uso de um método enzimático recomendado para evitar resultados falsamente elevados. Caso o método enzimático não seja disponível, a amostra de sangue Deverá ser coletada para teste imediatamente antes ou não menos que 6 horas após Administração de CEFROM.

Modo de Usar :

A dose e o modo de Administração dependem da severidade da infecção, da sensibilidade dos patégenos e das condições do paciente. A não ser que prescrito de modo diferente, as doses utilizadas em adultos são: Infecções complicadas do trato urinário inferior: Dose unitéria de 1 g, a intervalos de dosada 12h. numa dose total diária de 2 g. Infecções complicadas do trato urinário superior: Dose unitéria de 2 g, a intervalos de dose de 12h, numa dose diária de 4 g. Infecções cutâneas e do tecido mole: Dose unitéria de 1 g, a intervalos de dose de 12h, numa dose total diária de 2 g. Infecções do trato respiratério inferior: Dose unitéria de 1 g a 2 g, a intervalos de dose de 12 h, numa dose total diária de 2 g a 4 g. Septicemia/bacteremia: Dose unitéria de 2 g, a intervalos de dose de 12h, numa dose total diária de 4 g. Febre em pacientes neutropúnicos: Dose unitéria de 2 g, a intervalos de dose de 12 h, numa dose total diária de 4 g. Posologia em pacientes com a função renal prejudicada: A dosagem deve ser reduzida, recomendando-se as seguintes doses: depuração de creatinina maior que 50 ml/min: a dose diária recomendada na função renal normal de 2 x 1g a 2 x 2g; depuração de creatinina de 50 a 20 ml/mm: o ajuste de dose em função renal prejudicada é de 1 g como dose de ataque e, a seguir, 2 x 500 mg, ou de 2 g como dose de ataque a, a seguir, 2 x 1 g; depuração de creatinina da 20 a 5 ml/min: o ajustada dose em função renal prejudicada é de 1 g como dosada ataque e, a seguir, 1 x 500 mg ou de 2 g como dose de ataque e, a seguir, 1 x 1 g; depuração de creatinina menor ou igual a 5 ml/min (hemodilise): o ajuste de dose em função renal prejudicada de 0,5 g como dose de ataque e 250 mg imediatamente após a dilise, ou 1 g como dose de ataque e 0,5 g imediatamente após a dilise.

Superdosagem :

Caso ocorra superdosagem com o uso de CEFROM, o paciente deve ingerir uma grande quantidade de líquido para acelerar a diurese e incrementar a excreção urinária do principio ativo. O tratamento é sintomático e deve ser acompanhado das medidas de suporte do estado geral.

Fabricante :

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda.

Rua Conde Domingos Papaiz, 413 – Suzano – SP

Serviço de Atendimento ao Consumidor:
sac.brasil@sanofi.com

Produtos Sanofi
Fone: 0800 703 00 14
(2ª à 6ª feira, das 9 às 17h)

CNPJ 02.685.377/0008 23
Indústria Brasileira

Medicamentos do mesmo fabricante :

Aas protect, Actiprofen, Actonel, Aderogil, Agreal, Allegra 60 mg, Allegra d, Allegra d, Allegra pediatrico, Allegra, Amaryl, Amitrex, Amplictil gotas, Amplictil, Anandron nilutamida, Anandron, Antigripine, Apidra solostar, Apidra, Aprovel, Aprozide, Arava, Arelix, Asafen, Asilone, Atlansil, Auditol, Avaxim, Benoflex, Besaprin, Beserol, Bgstar, Buclina, Buclivit, Cefamezin, Cefrom, Celsior, Cepacaina, Cepacol fluor, Cepacol menta, Cepacol plus advanced, Cepacol, Cepacolplus advanced, Cewin efervescente, Cewin gotas, Cewin, Ciprofibrato, Citrovit 1 g, Citrovit 2 g, Claforan, Claripex al, Clikstar, Clorana, Colestase, Colirio moura brasil, Coltrax injetavel, Coltrax, Confiare prevent, Conmel, Corastorva, Corediol, Dactil, Danatrol, Daonil, Depakine chrono 300, Depakine chrono 500, Depakine chronosphere, Depakine solucao, Depakine xarope, Depura kids, Depura, Dermacyd breeze, Dermacyd delicata, Dermacyd femina, Dermacyd infantil, Dermacyd neutralize, Dermacyd pocket delicata, Dermacyd teen fresh, Dermacyd teen sweet flower, Dermacyd, Dermatop creme, Dermatop pomada, Dermatop, Dicinone, Dienpax, Dientrin, Digesan, Dimercaprol, Diurana, Dogmatil 50 mg, Dogmatil 200 mg, Dogmatil capsulas, Dogmatil forte, Dogmatil Solução oral, Dogmatil, Dolantina, Dorico, Eloxatin, Enterogermina, Equilid 50 mg, Equilid, Eradacil, Esperson n, Esperson, Euvax, Expolid, Falmonox, Fasturtec, Franol, Fraxiparina, Frisium, Gama venina, Gino loprox, GinoLoprox, Glimepirida andissa, Glimepirida, Glucantime, Haemaccel, Halotano, Hidrastar, Hidroclorotiazida, Hidromed, Hypaque 50, Hypaque m 75, Hypaque m 76, Ibgstar, Id Flu, Immucyst, Inocor, Istivac, Jevtana, Ladogal, Lantus, Lasilactona, Lasix long, Lasix retard, Lasix solucao, Lasix, Ledopsan, Lesterol, Loprox nl, Loprox creme, Loprox, Lovenox, Lyxumia, Maalox, Matergam, Maxilase, Meloxicam winthrop 15, Meloxicam winthrop 75, Metronidazol, Miocacin, Mioflex, Mobility, Mozobil, Mucolisil, Nasacort, Novalfem, Novalgina, Oenobiol, Omeprasec, Omnipaque, Omniscan, Orastina, Oroxadin, Os cal, Pan fungex, Par, Pastilhas cepacol, Pediacel, Pentavac, Pergalen, Pertacel, Plastenan, Plavix, Plavom, Pneumo, Pneumovax 23, Prednisolon, Primacor iv, Primacor, Primeral, Primperan comprimidos, Primperan, Profenid, Protectina, Psicoglut, Puran t4, Puran, Redrate, Renagel, Rifaldin, Rifocina, Rulid 300 mg, Rulid d, Rulid, Sanofi ventis, Sculptra, Semi, Seprafilm, Seprefact depot, Skelid, Socian, Sulpan, Suprefact e, Suprefact, Sureptil, Sylador, Tamcore, Targifor c, Targifor, Targocid, Taxotere, Tetavax, Tetraxim, Thymoglobuline, Ticlid, Toplexil pediatrico, Toplexil, Trental injetavel, Trental, Triatec, Trimovax, Typhim, Ulcedine, Utrim, Valpakine, Varicela, Verorab, Vincagil, Vitawin 2, Vitawin kids, Vitawin, wintomylon, Xatral, Youtube, Zolben, Zolbenl,


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.