Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Ceforan - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Cefotaxima

Apresentação : Pó para Solução injetável: caixa com 1 frasco-ampola + 1 ampola de diluente.

Indicação : No tratamento de infecções por microrganismos sensíveis Cefotaxima Sódica.

Efeito Colateral :

O medicamento , de um modo geral, bem tolerado. As reações adversas mais comuns foram reações locais conseqentes s injeções intramuscular e intravenosa. Outras reações adversas ocorreram raramente.
reações de hipersensibilidade: como todas as cefalosporinas, pode eventualmente provocar reações alérgicas de pele (exemplo, urticária, exantema), prurido, febre medicamentosa, nefrite intersticial (muito raramente) e anafilaxia.
Efeitos sobre a crase sanguínea: eosinofilia, leucopenia e trombocitopenia transitéria.
Efeitos na função renal: aumento transitório na creatinina sérica e uria passvel de Ocorrência.
Efeitos sobre o trato gastrointestinal: embora raramente, efeitos sobre a função hepática, por exemplo aumento nos níveis séricos da bilirrubina e/ou das enzimas hepáticas AST (TGO), ALT (TGP), gamma GT, fosfatase alcalina e DHL. Sinais de comprometimento gastrointestinal como náuseas, vômitos, dor abdominal ou diarreia, podem ocorrer; se a diarreia for leve não necessitar interrupção do tratamento. Se for grave e persistente, necessária uma reavaliação médica e, eventualmente, coloscopia. Se for constatada a presença de colite pseudomembranosa o tratamento deve ser imediatamente suspenso. Esta condição inflamatória induzida por antibioticoterapia pode apresentar risco de vida. Tratamento específico deve ser iniciado sem demora. Drogas que inibam a motilidade intestinal (peristalse) não devem ser então administradas.
Quando administrado por via intravenosa pode provocar flebite. Isto pode ser evitado injetando-se a solução lentamente (3 a 5 minutos). Quando aplicado por via intramuscular pode ocorrer dor local.
Como com outros antibióticos beta-lactémicos, granulocitopenia e, mais raramente, agranulocitose podem desenvolver-se durante o tratamento com Cefotaxima, particularmente se administrado por longos perãodos. Para os casos de tratamento com duração maior que 10 dias deve ser monitorada a contagem sanguínea. Raros casos de anemia hemoltica foram relatados.
A Ocorrência do choque anafiltico bastante rara, porêm É possível.
A Ocorrência de um ou mais dos seguintes sintomas tem sido relatada após vrias semanas de tratamento de borrellose: erupção cutânea, prurido, febre, leucopenia, aumento das enzimas hepáticas, dificuldade em respirar, desconforto articular. até certo ponto estas manifestações são consistentes com os sintomas da doença principal para o qual o paciente está sendo tratado.
Pacientes em uso do medicamento podem apresentar resultados falso-positivos ao teste de Coombs. O mesmo pode ocorrer com determinações não enzimáticas de glicosria.

Fórmula :

Pó Para Solução Injetível
Cada frasco-ampola contém:
Cefotaxima 1g
(na forma sódica)
Cada ampola de diluente contém:
água para injeção 4ml

Contra indicação :

É contraindicado em casos de hipersensibilidade às cefalosporinas e s penicilinas. Em pacientes alérgicos s penicilinas É possível a Ocorrência de reação de sensibilidade cruzada.

Interação Medicamentosa :

Administração concomitante ou subseqente de drogas potencialmente nefrotóxicas (por exemplo, aminoglicosdeos) exige uma estreita monitorização da função renal.
Por inibir a excreção renal, a administração simultânea de probenecida aumenta e prolonga a duração da concentração de Cefotaxima sérica.

Interferncia em Exames Laboratoriais

Podem ocorrer alterações nas concentrações séricas de alanina aminotranferase, fosfatase alcalina, aspartato aminotransferase, lactato desidrogenase, nitrognio urico no sangue, creatinina, bilirrubina e plaquetas. Pode causar também resultados falso-positivos nas reações de sulfato de cobre nos testes de glicose na urina.

Modo de Usar :

Adultos e adolescentes acima de 12 anos de idade: a posologia e a via de Administração devem ser determinadas pela suscetibilidade do organismo causal, gravidade da infecção e condição do paciente. O medicamento pode ser administrado por via intramuscular ou intravenosa após reconstituição.
A dose usual da Cefotaxima deve ser de 2 a 6 g ao dia, divididas em 2 ou 3 administrações diárias.
Infecções moderadas a severas podem ser tratadas com 3g ao dia, reservando-se para as infecções que apresentam risco de vida doses até 6g ao dia.
A dose diária máxima não deve ultrapassar 12g.
Para a gonorréia recomenda-se uma dose única de 0,5g por via intramuscular (o tratamento da gonorréia causada por germes menos sensíveis requer aumento da dose).
recêm-nascidos, bebs e crianças: Bebs e crianças de até 12 anos devem receber o medicamento na dose diária de 50 a 100mg/kg de peso corporal em 2 a 4 doses iguais. Em casos onde ocorram infecções com risco de vida pode-se utilizar a dose diária de 150 a 200mg/kg de peso corporal.
No caso de uso em prematuros a dose máxima não deve ultrapassar a 50mg/kg de peso corporal.
Para a profilaxia de infecções Pós-cirúrgicas deve-se administrar uma dose única, 30 a 60 minutos antes do incio da cirurgia. Dependendo do risco de infecção esta mesma dose pode ser repetida. Para se determinar a dose ver posologia "bebs e crianças" acima.
Paciente com insuficiência renal e em dilise: Se a depuração de creatinina for menor que 5ml/min, a dose de manutenção deve ser reduzida para a metade da normal.
Duração do tratamento: Como na terapia com antibióticos em geral a administração de Cefotaxima deve ser continuada por um mínimo de 48 a 72horas após abaixar a temperatura do paciente ou após constatação da erradicação bacteriana; recomendável um mínimo de 10 dias de tratamento para infecções causadas por estreptococos beta-hemolticos do Grupo A, a fim de garantir contra o risco de febre reumática ou glomerulonefrite; necessário avaliação bacteriológica e clínica frequente durante a terapia de infecção do trato urinário crônico e pode ser requerida para muitos meses após o trmino da terapia; infecções persistentes podem requerer tratamento de muitas semanas e doses menores que as indicadas acima não devem ser usadas.

Pacientes Idosos

Pacientes idosos possuem sensibilidade maior ao produto do que pessoas mais jovens. é aconselhável que o médico observe o paciente e ajuste a dosagem de acordo com a resposta clínica.

Superdosagem :

Caso ocorra superdosagem com o uso do medicamento, o paciente deve ingerir uma grande quantidade de líquido para acelerar a diurese e incrementar a excreção urinária do Princípio ativo.
O tratamento é sintomático e deve ser acompanhado das medidas de suporte do estado geral.
Aos primeiros sinais de choque anafiláctico (transpiração, náusea, cianose) interromper imediatamente a administração.
Além das medidas normais de emergência, colocar o paciente na posição horizontal com as pernas elevadas e vias aéreas desobstrudas.
Aplicar imediatamente epinefrina por via intravenosa (diluir 1 ml da Apresentação : comercial a 1:1000 para 10ml).

Fabricante :

União Química Farmacêutica Nacional S.A.
Endereço: Avenida do Café, 277
São Paulo - SP, 04311-000
Telefone:(11) 5586-2000
SAC : 0800 11 15 59

Remédios do mesmo fabricante :


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.