Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Capoten - Mecanísmo de ação.

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo: captopril.

Apresentação: Comprimidos brancos: oblongos sulcados de 12,5 mg, apresentados em cartuchos com 15 ou 30 comprimidos; quadrados bissulcados de 25 mg: cartuchos com 16 ou 28 comprimidos; ovais sulcados de 50 mg: cartuchos com 16 ou 28 comprimidos.

Indicação: Tratamento da hipertensão; insuficiência cardíaca congestiva; infarto do miocárdio; Nefropatia diabtica; diabetes mellitus insulinodependentes: prevenção da progressão da doença renal e redução de seqelas clínicas associadas à dilise, transplante renal e morte.

Efeito Colateral:

Erupções cutâneas, prurido, febre, artralgia,eosinofilia, fotossensibilidade, rubor ou palidez, hipotensão, taquicardia, dores no peito e palpitações, angina pectoris, infarto do miocárdio, síndrome de Raynaud e insuficiência cardíaca congestiva; anemia, trombocitopenia e pancitopenia, angiedema envolvendo as extremidades, face, lbios, membranas mucosas, lngua, glote ou laringe; tosse; insuficiência renal, dano renal, síndrome nefrtica, poliria, oligúria e frequência urinária; proteinária; astenia, ginecomastia; parada cardíaca, crebro vascular, distúrbios de ritmo, hipotensão ortostática, sncope; Pónfigo bolhoso, eritema multiforme (incluindo síndrome de Stevens-Johnson), dermatite esfoliativa; pancreatite, glossite, dispepsia; hematológicos: anemia, incluindo as formas aplástica e hemoltica; icterícia, hepatite, incluindo raros casos de necrose e colestase; metabólicos: hiponatremia sintomática; musculoesquelticos: mialgia, miastenia; ataxia, confusão, depressão, nervosismo, sonolência; broncospasmo, pneumonite eosinofólica, rinite; visão turva; impotncia; febre, mialgia, artralgia, nefrite intersticial, vasculite, erupção, eosinofilia e hemossedimentação elevada; hipercalemia; hiponatremia; hipertensão renovascular; elevações das transaminases, fosfatase alcalina e bilirrubina sérica.

Modo de Usar:

Capoten deve ser tomado 1 hora antes das refeições. A dose deve ser individualizada.
hipertensão: o incio da terapia exige ponderação de recentes tratamentos anti-hipertensivos, da extensão da elevação da pressão sanguínea, da restrição de sal e das outras circunstâncias clínicas. Se possível, interromper a droga anti-hipertensiva, que o paciente estava tomando anteriormente, uma semana antes de iniciar o tratamento com Capoten (captopril). A dose inicial de Capoten (captopril) 50 mg 1 vez ao dia ou 25 mg 2 vezes ao dia. Se não houver uma redução satisfatéria da pressão sanguínea após 2 ou 4 semanas, a dose pode ser aumentada para 100 mg 1 vez ao dia ou 50 mg 2 vezes ao dia. Se a pressão sanguínea não for satisfatoriamente controlada após 1 ou 2 semanas nesta dose (e o paciente ainda não estiver tomando um diurético), Deverá ser acrescentada uma pequena dose de diurético do tipo tiazdico (p. ex., 25 mg/dia de hidroclorotiazida). A dose de diurético poderá ser aumentada em intervalos de 1 a 2 semanas, até que seja atingida sua dose anti-hipertensiva usual máxima.
Caso o medicamento esteja sendo introduzido em um paciente sob diureticoterapia, o tratamento com Capoten, Deverá ser iniciado sob rigorosa supervisão médica. Se for necessária uma redução subseqente da pressão sanguínea, a dose de Capoten poderá ser aumentada pouco a pouco (enquanto persistindo com o diurético) e um esquema de dosagem de 3 vezes ao dia poderá ser considerado. A dose de Capoten no tratamento da hipertensão normalmente não excede 150 mg/dia. Uma dose diária máxima de 450 mg de Capoten não Deverá ser excedida. Para pacientes com hipertensão grave (p. ex., hipertensão acelerada ou maligna), quando uma descontinuação temporria da terapia anti-hipertensiva atual não vivel ou desejável ou quando a titulação imediata para níveis de pressão arterial mais baixos for indicada, o diurético Deverá ser mantido, mas outras medicações anti-hipertensivas concomitantes deverão ser interrompidas e a posologia do Capoten (captopril) Deverá ser iniciada imediatamente em 25 mg, 2 a 3 vezes ao dia, sob rigoroso controle médico.
Quando necessário, devido ao estado clínico do paciente, a dose diária do Capoten poderá ser aumentada a cada 24 horas ou menos sob monitoramento médico contínuo, até que uma resposta pressérica sanguínea satisfatéria seja obtida ou a dose máxima de Capoten (captopril) seja atingida. Neste regime, a inclusão de um diurético mais potente, p. ex., a furosemida, pode também ser indicada.
Insuficiência cardíaca: o incio da terapia exige ponderação da terapia diurética recente e da possibilidade de uma depleção sal/volume grave. Em pacientes com pressão arterial normal ou baixa, que tenham sido vigorosamente tratados com diuréticos e que possam estar hiponatrmicos e/ou hipovolmicos, uma dose inicial de 6,25 ou 12,5 mg 2 ou 3 vezes ao dia, poderá minimizar a magnitude ou a duração do efeito hipotensor; para estes pacientes, a titulação da posologia diária usual pode então ocorrer dentro dos próximos dias. Para a maioria dos pacientes a dose diária inicial usual 25 mg 2 ou 3 vezes ao dia. após uma dose de 50 mg 2 ou 3 vezes ao dia ter sido atingida, aumentos subseqentes na posologia devem ser retardados, quando possível, durante pelo menos 2 semanas, para determinar se ocorre uma resposta satisfatéria. A maioria dos pacientes estudados apresentou uma melhoria clínica satisfatéria com uma dose diária de 150 mg ou menos. Uma dose máxima diária de 450 mg de Capoten (captopril) não Deverá ser excedida. Capoten (captopril) geralmente deve ser usado em conjunto com um diurético e digitlicos. A terapia com Capoten (captopril) precisa ser iniciada sob rigoroso monitoramento médico.
Infarto do miocárdio: a terapia deve ser iniciada 3 dias após o episódio de infarto do miocárdio. após uma dose inicial de 6,25 mg, a terapia com captopril Deverá aumentar para 37,5 mg/dia em doses divididas, 3 vezes ao dia conforme tolerado. A dose deve ser aumentada para 75 mg/dia administrados em doses divididas, 3 vezes ao dia conforme a tolerabilidade, durante os dias seguintes, até que se atinja a dose-alvo final de 150 mg/dia em doses divididas, 3 vezes ao dia administrados durante as vrias semanas seguintes. Se houver Ocorrência de hipotensão sintomática, pode ser necessária uma redução da dose. As tentativas subseqentes para se atingir a dose de 150 mg/dia deverão ser baseadas na tolerabilidade do paciente ao captopril. O captopril pode ser utilizado em pacientes submetidos a outras terapias Pós-infarto do miocárdio, p. ex., com trombolticos, Ácido acetilsalicílico ou betabloqueadores.
Nefropatia diabtica: em pacientes com nefropatia diabtica, a dose diária recomendada de captopril de 75 mg em doses divididas, 3 vezes ao dia. Se uma redução adicional da pressão arterial necessária, outros agentes anti-hipertensivos, tais como, diuréticos, agentes bloqueadores de beta-adrenorreceptores, agentes que atuam centralmente ou vasodilatadores, podem ser usados conjuntamente com o captopril. Ajuste da dose para pacientes com insuficiência renal: doses divididas de captopril 75 a 100 mg/dia são bem toleradas em pacientes com nefropatia diabtica e insuficiência renal leve a moderada. Devido ao fato de que o Capoten (captopril) excretado principalmente pelos rins, a velocidade de excreção reduzida em pacientes com função renal comprometida. Portanto, estes pacientes poderão responder a doses menores ou menos frequentes. Sendo assim, para pacientes com insuficiência renal significativa, a dose diária inicial de Capoten (captopril) Deverá ser reduzida e incrementos menores devem ser utilizados para titulação, que Deverá ser bastante lenta (intervalos de 1 a 2 semanas).

Contra indicação:

história de hipersensibilidade prvia ao captopril ou qualquer outro inibidor da enzima conversora da angiotensina
Interações Medicamentosas:: hipotensão: pacientes em terapia com diuréticos. Pacientes tomando diuréticos e principalmente aqueles nos quais a terapia com diuréticos foi instituída recentemente, bem como aqueles com intensas restrições dietáticas de sal ou em dilise, poderão apresentar, ocasionalmente, uma redução brusca da pressão arterial, geralmente na primeira hora após terem recebido a dose inicial de captopril. Agentes com atividade vasodilatadora: drogas com atividade vasodilatadora deverão ser administradas com cuidado, considerando-se o uso de dosagens menores. Agentes que afetam a atividade simPótica: (p. ex., agentes bloqueadores ganglionares ou agentes bloqueadores de neurônios adrenérgicos) devem ser usados com cautela. Agentes que aumentam o potássio srico: agentes poupadores de potássio, tais como, a espironolactona, triantereno ou a amilorida, ou suplementos de potássio, deverão ser administrados apenas para hipocalemia documentada e, então, com cautela, já que podem levar a um aumento significativo do potássio srico. Os substitutos do sal contendo potássio deverão ser também usados com cautela. Inibidores da síntese endgena de prostaglandinas: há relatos de que a indometacina pode reduzir o efeito anti-hipertensivo do captopril, principalmente em casos de hipertensão com renina baixa. Outros agentes antiinflamatórios não esteroides (p. ex., ácido acetilsalicílico) também podem apresentar este efeito. lítio: relata-se aumento dos níveis séricos de lítio e sintomas de toxicidade do lítio em pacientes recebendo concomitantemente lítio e inibidores da ECA. Estas drogas devem ser administradas com cuidado e recomenda-se monitorização frequente dos níveis séricos de lítio. Se um diurético for usado concomitantemente, os riscos de toxicidade pelo lítio aumentam.

Fórmula:

Cada comprimido de 12,5 mg ou 25 mg ou 50 mgcontém captopril 12,5 mg ou 25 mg ou 50 mg, respectivamente. Os ingredientes inativos são: celulose microcristalina, amido de milho, lactose e ácido esteárico.

Fabricante:

Bristol-Myers Squibb Farmacêutica S.A.
Rua Carlos Gomes, 924,
Santo Amaro - São Paulo - SP
CNPJ 56.998.982/0001-07
Sac: 0800 727 6160 - sac.brz@bms.com

Medicamentos do mesmo labaratório:


Advertências:

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos:

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma:

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.