Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Blaubumin - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo : Albumina Humana

Classe terapêutica : antivirais

Indicação : BLAUBUMIN É indicado nos casos onde há necessidade de se corrigir a volemia e a pressão coloidosmática. A Albumina Humana 20% é indicada em edemas, (por exemplo, edema cerebral), processos txicos (por exemplo, toxemia gravódica e hiperbilirrubinemia), na terapia da substituição do volume sanguíneo e em casos de hipoalbuminemia devida cirrose hepática e nefroses.

Efeito Colateral :

BLAUBUMIN é uma solução hipertúnica e pode causar hipervolemia. Embora com baixa Incidência de acontecimento existe o risco de insuficiência circulatéria por hipervolemia ou grave reação de incompatibilidade com choque. Ambas as situações podem levar à parada cardíaca e morte. Durante ou após infusão de soluções que afetam o volume sanguíneo, podem ocorrer reações urticariformes transitérias, hipotensão temporria, aumento da temperatura e/ou calafrios. Tais reações são raras e a experiência mostrou que desaparecem rapidamente com a interrupção da infusão.

Advertências

Podem ocorrer sinais ou sintomas de incompatibilidade, inclusive reações do tipo alérgico.
Na Ocorrência destas reações recomenda-se as seguintes medidas imediatas:
Sintomas subjetivos (dor na nuca, náuseas, rubor, etc.): interromper a infusão.
dispnéia, choque ou sinais isolados de choque: administrar epinefrina por via endovenosa administrar corticosteróides em altas doses por via endovenosa; restaurar o volume sanguíneo e aplicar oxignio através de cateter intranasal.
Parada cardíaca ou respiratéria: reanimar.

Fórmula :

Cada frasco de 50 ml contém:
Princípio Ativo:
Albumina Humana 10,0g
Excipientes:
Caprilato de sódio 0,15g
Cloreto de sódio 0,30g
água para injetíveis q.s.p.
Cada frasco de 100 ml contém:
Princípio Ativo:
Albumina Humana 20,0g
Excipientes:
Caprilato de sódio 0,30g
Cloreto de sódio 0,61g
água para injetíveis q.s.p.
Conteúdo de sódio: 114-126 mmol/L

Contra indicação :

Este medicamento não deve ser administrado em casos conhecidos de reações alérgicas ou anafilticas a albumina e seus componentes. BLAUBUMIN está contraindicado em pacientes com insuficiência cardíaca. A utilização de BLAUBUMIN sem prvia diluição É contra-indicada na desidratação.

Interação Medicamentosa :

BLAUBUMIN ao ser administrado por via endovenosa não interage com medicamentos ou alimentos. Todavia, como tem função no transporte de farmcos, metabólitos e outras substâncias, sua administração modifica o estado fisiológico do paciente com tendência a traz-lo de volta s condições normais.

Modo de Usar :

A dose Deverá ser adaptada a cada caso individualmente. Normalmente utiliza-se 1a 2 ml/min. poderá ser determinada através de parâmetros clínicos, hemodinâmicos (pressão sanginea, pressão venosa central, diurese a cada hora) e parâmetros bioquímicos (níveis de proteína total e albumina). A quantidade do produto, a diluição adequada e a duração do tratamento dependem do quadro clínico. Quando utiliza-se BLAUBUMIN sem diluição, deve-se promover a hidratação do paciente, se necessário.
Recomenda-se o seguinte esquema posológico:
Cirrose hepática ou nefrose, doenças e cirurgias gastrointestinais. Pr e Pós-operatério:
Usar albumina não diluda (20%) na velocidade de 35 a 70 gotas/minuto ou diluda a 1: 4 em soro fisiológico, na velocidade de 125 gotas/minuto. A quantidade infundida e a duração do tratamento dependem do quadro clínico. necessário controlar regularmente a albumina sérica.
Queimaduras:
Usar albumina não diluda (20%) na velocidade de 125 gotas/minuto. no volume total de 50 a 100 ml , ou diluda 1:4 em soro fisiológico. Em casos graves, utilizar a infusão rápida: 500 ml em 15 a 30 minutos.
Edema cerebral:
Usar albumina não diluda (20%) na velocidade de 35 a 70 gotas/minuto, no volume de 50 a 100ml. Utilizar concomitantemente solução hipertúnica e/ou diuréticos e reduzir a administração de líquidos.
Toxemia gravódica:
Usar albumina não diluda (20%) na velocidade de 125 gotas/minutos, no volume de 50 a 300 ml.
Hemorragia, perda de plasma e choque hipovolmico:
No incio do tratamento, usar albumina não diluda (20%) na velocidade de 125 gotas/minuto, no volume de 50 a 100 ml. Em casos graves, pode ser utilizada a albumina diluda em infusão rápida: 500 ml em 15 a 30 minutos.
Na manutenção, utilizar albumina diluda a 1: 4 em soro fisiológico, na velocidade de 125 gotas/ minuto ou cerca de 500 ml/hora. Caso o valor de hematécrito fique menor que 25%, deve-se utilizar adicionalmente sangue total ou concentrado de hemcias.
Desidratação com deficiência de albumina e estabilização do volume circulante pr, intra e Pós-operatéria:
Usar albumina diluda a 1:4 em soro fisiológico ou glicosado a 5%, na velocidadede 125 gotas/minuto. A quantidade infundida e a duração do tratamento dependem do quadro clínico.
Perfusão extracorPórea (auxílio a circulação):
Administrar em quantidade proporcional solução de perfusão.
Hiperbilirrubinemia do recêm-nascido:
Administrar albumina não diluda (20%) de 5 a 14 ml/kg de peso corporal, 30 minutos antes de iniciar a exsanguíneo transfusão.
Crianças:
A dose depende do peso corPóreo e usualmente 1 a 2g/kg, administrado na forma de 10% de albumina (diluição 1/2).
Uso para pessoas de mais de 65 anos de idade:
Os pacientes idosos podem ser mais suscetíveis, por isso recomenda-se a devida precaução no tratamento destes pacientes.

Superdosagem :

Um aumento passageiro de albumina é auto-regulvel através de extravasamento proteco extravascular, aumento da degradação e inibição da síntese, até que os valores retornem a níveis normais. a administração excessiva pode levar à sobrecarga circulatéria e, em casos extremos, insuficiência cardíaca e morte.

Fabricante :

Blasiegel Indústria e Comércio Ltda.

Rodovia Raposo Tavares, 2833 Km 30,5
Barro Branco - Cotia/SP - Cep: 06705-030
Pabx: (11) 4615-9400
Fax: (11) 4615-9401

Medicamento do mesmo fabricante :

Anfugine, Anfugitak, Anfugitarin, Blaubimax, Blaubumin, Blauferon a, Blauferon b, Blauppsb, Dextasona, Duozol, Eritromax, Interleukin, Leucocitim, Novasutin, Ribavirin, Vudirax


Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.