Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Asacol - Supositórios - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo: Mesalazina

Classe Terapêutica: Anti-hipertensivo.

Apresentação: Cada supositório contém 500 mg de ácido 5-amino-salicílico (mesalazina). Embalagens de 10 supositórios.

Indicação:

Asacol É um medicamento que contém como Princípio activo o ácido 5-amino-salicílico (mesalazina), o principal metabolito activo da Sulfasalazina e responsável pela conhecida atividade terapêutica desta substância a nível das doenças inflamatórias do célon, acelerando a cicatrização dos processos inflamatórios e reduzindo o nmero de recidivas. Embora o seu mecanismo de ação não esteja perfeitamente esclarecido, as evidências disponíveis sugerem um efeito anti-inflamatório no célon por inibição da síntese das prostaglandinas. Os supositórios de Asacol libertam o Princípio activo directamente na mucosa intestinal afectada (recto e célon distal), a exercendo uma ação local.

Menos que 30% do fármaco libertado no célon, é absorvido para a corrente sanguínea sendo cerca de 70% excretado nas fezes. A parte absorvida do c. 5-amino-salicílico é acetilada no fígado em c. acetil 5-amino-salicílico, que eliminado principalmente por via renal.

2.PARA QUE SITUAções é indicado O ASACOL SUPOsitórioS?

Asacol supositórios é indicado no tratamento da colite ulcerosa, proctite e proctosigmoidite, tanto na crise aguda como na fase assintomática, para profilaxia das recidivas.

QUANDO NO DEVE SER UTILIZADO E QUAIS OS EFEITOS secundários QUE poderáO SURGIR?

A Ocorrência de efeitos secundários muito baixa e observou-se sobretudo em doentes com intolerância prvia Sulfasalazina.

Alterações gastrointestinais

Raramente podem ocorrer sintomas de desconforto abdominal, diarreia, flatulência, náuseas e vômitos.

Sistema Nervoso Central

Em casos isolados foram registados durante o tratamento com mesalazina, cefaleias e tonturas.

reações de hipersensibilidade

reações de hipersensibilidade tais como erupções cutâneas alérgicas, febre induzida por fármacos, broncospasmo, síndromes tipo lpus eritematroso disseminado, peri e miocardite, pancreatite aguda e nefrite intersticial, são possíveis em casos raros. Todos estes efeitos secundários não estáo relacionados com a dose administrada.

Outros efeitos secundários

Raramente foram descritas mialgia e artralgia assim como alterações laboratoriais (neutroPónia, trombocitoPónia e ligeira elevação das transaminases). Poderão igualmente observar-se níveis elevados de metahemoglobina.

Interações Medicamentosas: E OUTRAS

O efeito hipoglicemiante das sulfonilureias poderá ser intensificado. Não podem ser excluídas com segurança, Interações Medicamentosas: com cumarúnicos, metotrexato, probenecid, sulfinpirazona, espironolactona, furosemida e rifampicina.

É possível que o efeito indesejável dos glucocorticóides no estômago possa ser potenciado.

PRECAUções PARTICULARES DE utilização

Asacol não deve ser utilizado juntamente com lactulose ou preparados similares que baixem o pH das fezes e possam impedir a libertação da mesalazina. Asacol deve ser usado com cuidado em doentes com:

  • Insuficiência hepática e renal ligeira a moderadas
  • Alterações da coagulação
  • terapêutica concomitante com fármacos potencialmente txicos para o sistema hematopoitico
  • Se ocorrerem reações de hipersensibilidade ou toxicas, o fármaco Deverá ser descontinuado. Ao avaliar complicações articulares ou hepáticas, Deverá ter-se em conta que estas estáo frequentemente associadas à colite ulcerosa.

    utilização EM grávidaS, crianças, IDOSOS E DOENTES COM PATOLOGIAS ESPECIAIS

    Durante os 3 primeiros meses de gravidez, Asacol só deve ser administrado perante uma indicação rigorosa. Na última semana de gravidez e durante a lactação, está contra indicado. Asacol não deve ser utilizado em crianças com idade inferior a 2 anos, nem em doentes com doenças hepáticas ou renais, úlceras gastroduodenais ou tendência para hemorragias.

    EFEITOS SOBRE A CAPACIDADE DE CONDUção E utilização DE máquinaS

    Não se conhecem efeitos deste medicamento sobre a capacidade de condução ou utilização de quaisquer máquinas.

    EXCIPIENTES

    Os supositórios de Asacol contém como excipiente gliceridos hemi-sintéticos.

    4.QUANDO E COMO SE DEVE UTILIZAR?

    Nas doenças agudas introduzir 1 supositório 3 vezes por dia, durante 8 a 12 semanas

    No tratamento de manutenção far-se- 1 supositório 2 vezes por dia, de manhã e à noite, de forma permanente.

    Os supositórios devem ser introduzidos profundamente no nus, devendo ser retidos no recto durante 1-3 horas, para aumento da eficácia.

    Preconiza-se um tratamento a longo prazo para evitar recidivas.

    QUE FAZER EM CASO DE ESQUECIMENTO OU IMPOSSIBILIDADE DE APLICAR UMA OU MAIS DOSES?

    Nesta situação deve retomar logo que possível o esquema posológico previamente estabelecido pelo seu médico.

    A interrupção do tratamento não causa efeitos de privação, devendo o tratamento ser descontinuado apenas quando o médico o indicar.

    COMO PROCEDER EM CASO DE SOBREDOSAGEM OU INTOXICAção?

    Como em qualquer medicamento não devem ser excedidas as doses previamente recomendadas.

    Se, acidentalmente, esta situação se verificar, contacte o seu médico ou dirija-se ao Servio de urgência mais próximo.

    Qualquer efeito indesejável que não conste no BULA INFORMATIVA, Deverá ser comunicado ao seu médico ou farmacêutico.

    Não utilizar após o prazo de validade inscrito na embalagem. Conservar a temperatura inferior a 25ºC. Proteger da humidade e da luz.

    Fabricante:

    Fabricante: s Vitória S/A

    Morada
    Rua Elias Garcia, 28
    2700-327 Amadora

    Telefone
    +351 214 758 300

    Fax
    +351 214 747 070

    Email
    lab.vitoria@labvitoria.pt
    Secção de Vendas
    sec.vendas@labvitoria.pt

    Aquareme creme, Aquareme fluticasona, Aquareme pomada, Asacol 800 mg, Asacol comprimidos, Asacol supositorios, Asacol, Digassim, Flagyl comprimidos, Flagyl óvulo, Gretalvite, Largactil iv, Profenid cápsulas, Profenid gel, Profenid retard, Profenid solução, Profenid supositórios


    Advertências:

    Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

    Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

    Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

    Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

    Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

    O ministério da saúde adverte:

    A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

    Como descartar os medicamentos:

    Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

    Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

    Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

    Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

    Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

    As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

    Como conservar seus medicamentos da melhor forma:

    Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

    No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

    Mantenha-o longe do alcance de crianças.

    Manuseie-o com as mãos limpas.

    Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

    O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

    Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

    Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

    Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

    Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.