Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Analgex - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo:

Apresentação:

Solução injetável: caixa com 50 ampolas de 2ml.
Solução oral (gotas): frasco contendo 10 ml.

Indicação: Analgésico e antipirético.

Contra indicação:

Pacientes com intolerância aos derivados pirazolônicos.

Porfiria hepática e deficiência congênita de glicose-6-fosfato-desidrogenase.

Gravidez (1º trimestre).

Amamentação.

Discrasia sanguínea.

Crianças com menos de 3 meses de idade ou pesando menos de 5 kg.

Posologia

Como usar Analgex?

Analgex solução injetável

Adultos: aplicar 1 ampola, por via endovenosa, o mais lentamente possível.

Analgex solução oral

20 gotas correspondem a 1 ml e contém 500 mg de Dipirona.

Crianças de 3 a 11 meses: 2 a 5 gotas (50 mg a 125 mg), até 4 vezes ao dia.
Crianças de 1 a 3 anos: 3 a 10 gotas (75 mg a 250 mg), até 4 vezes ao dia.
Crianças de 4 a 6 anos: 5 a 15 gotas (125 mg a 375 mg), até 4 vezes ao dia.
Crianças de 7 a 9 anos: 8 a 20 gotas (200 mg a 500 mg), até 4 vezes ao dia.
Crianças de 10 a 12 anos: 10 a 30 gotas (250 mg a 750 mg), até 4 vezes ao dia.
Crianças de 13 a 14 anos: 15 a 35 gotas (375 mg a 875 mg), até 4 vezes ao dia.
Crianças maiores de 15 anos e adultos: 20 a 40 gotas (500 mg a 1000 mg), até 3 vezes ao dia.
Crianças com menos de 3 meses de idade ou pesando menos de 5 kg não devem ser tratadas com Analgex, a menos que seja absolutamente necessário.

Neste caso, a dose recomendada é de, no máximo, 1 gota, até 3 vezes ao dia.

Efeitos Colaterais
Quais os males que este medicamento pode me causar?

Manifestações alérgicas na pele, dor de garganta ou qualquer outra anormalidade na boca ou garganta.

Durante o tratamento pode-se observar uma coloração avermelhada na urina, devido à excreção do metabólito ácido rubazônico, porém isto não tem significado toxicológico ou clínico.

Superdosagem
O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Na eventualidade da ingestão acidental ou Administração de doses muito acima das preconizadas, recomenda-se adotar as medidas habituais de controle das funções vitais.

Não são conhecidos problemas específicos relacionados ao uso da dipirona por pacientes idosos.

Interação Medicamentosa:

Não se deve ingerir bebidas alcoólicas durante o tratamento, porque o efeito do álcool pode ser potencializado.

Medicamento contendo ciclosporina não deve ser administrado concomitantemente, pois ocorre uma diminuição do nível sanguíneo de ciclosporina.

O produto, igualmente, não deve ser administrado à pacientes sob tratamento com clorpromazina, pois pode ocorrer hipotermia grave.

Fabricante:

União Química Farmacêutica Nacional S.A.

Rua Cel. Luiz Tenório de Brito, 90
Embu-Guaçu – SP CEP 06900-000
SAC: 0800 11 1559
CNPJ 60.665.981/0001-18

Medicamentos do mesmo fabricante:

Aceflan, Analgex-c, Analgex, Diamox, Fluimucil, Stelazine, Vancontrat, Vaselina, Vaslip,

Advertências:

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos:

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma:

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.