Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Anacyclin - Bula

Esta bula é um registro histórico do medicamento descrito abaixo, meramente informativo e destinado ao público em geral.

Princípio ativo: nestrenol

Indicação: Como contraceptivo oral.

Apresentação: Comprimidos. caixa com 28 comprimidos (22 comprimidos vermelhos ativos e 6 comprimidos brancos inertes).

Contra indicação: Processos tromboembólicos pregressos ou presentes; tromboflebite; hiperlipoproteinemia; hipertensão grave; distúrbios cerebrovasculares pregressos ou presentes ou doença arterial coronariana (infarto do miocárdio). Nas últimas 4 a 5 semanas que precedem a uma cirurgia. Imobilização prolongada, como por exemplo, após acidentes. Insuficiência hepática grave, icterícia, distúrbios que afetem a secreção de bilirrubina (por exemplo, síndrome de Dubin-Johnson e de Rotor), história de tumores hepáticos que ocorreram durante o uso de estrógenos. icterícia ou prurido persistente durante gravidez pregressa. Anemia falciforme. Tumores hormônio-sexuais dependentes (incluindo mioma uterino e carcinoma mamário confirmado), sangramento genital de origem indeterminada; história de herpes gestacional. Otosclerose. Porfiria. História de hepatite não é necessariamente uma Contra indicação, desde que a função hepática esteja normal. Gravidez suspeita ou confirmada.

Modo de Usar:

Para que se tenha segurança contraceptiva, é essencial que se administre os comprimidos de maneira regular e que as instruções sejam exatamente seguidas. Anacyclin deve ser ingerido durante 28 dias consecutivos, de preferência sempre à mesma hora do dia.
Entretanto, a ingestão não pode ser iniciada em qualquer dia do ciclo menstrual, sendo que a paciente deve esperar a próxima menstruação. O primeiro comprimido (vermelho) deve ser ingerido no 1º dia da menstruação, seguido por um comprimido ao dia, durante 28 dias. Os 6 últimos comprimidos (brancos) são placebos e deverão ser ingeridos para que se mantenha o hábito diário. A menstruação deverá ocorrer durante a ingestão dos comprimidos brancos.
A cartela seguinte deverá ser iniciada logo após o término da anterior, mesmo que ainda haja algum sangramento vaginal. Se ocorrer um sangramento muito intenso dentro do período de 22 dias (período de ingestão dos comprimidos vermelhos), a paciente deve ser avaliada pelo médico.

Efeito Colateral:

Sistema cardiovascular:

Ocasionalmente aumento da pressão sanguínea; raramente processos tromboembólicos; os contraceptivos orais aumentam o risco de distúrbios tromboembólicos arteriais e venosos (tromboflebites, acidente vascular cerebral, trombose coronária, embolia pulmonar, trombose retiniana) especialmente em fumantes e/ou em mulheres acima de 35 anos e em pacientes imobilizadas.

Em mulheres com veias varicosas, os contraceptivos orais aumentam o risco de trombose venosa.

Sistema nervoso central:

Ocasionalmente cefaleias e enxaquecas, principalmente no início da administração; raramente cansaço, depressão e distúrbios visuais.

Trato gastrintestinal:

Ocasionalmente náuseas, vômito (principalmente no início da administração) e aumento das transaminases; raramente cólica de estômago, flatulência, colelitíase, icterícia; casos isolados: adenoma hepatocelular benigno (normalmente vascular), que podem sofrer ruptura e induzir a hemorragia intraperitonial, carcinoma hepatocelular (tem sido sugerido por certos estudos epidemiológicos em usuárias de contraceptivos orais por tempo prolongado, um aumento do risco de carcinoma hepatocelular) e pancreatite aguda.

Trato genital:

Ocasionalmente sangramento irregular (sangramento por ruptura ou amenorréia), principalmente no início da administração; raramente aumento do tamanho dos miomas uterinos, exacerbação de endometriose já existente e candidíase vaginal.

Pele e anexos:

Ocasionalmente cloasma; raramente exantema, eritema, acne; em casos isolados perda de cabelo ou hirsutismo.

Sistema endócrino e metabolismo:
Ocasionalmente aumento do iodo ligado à proteína e da tiroxina, aumento de triglicérides e influência variável nas lipoproteínas, aumento de alguns fatores de coagulação e redução da tolerância à glicose; raramente distúrbios no metabolismo do triptofano que pode levar à deficiência de vitamina B 6.

Outros efeitos indesejados:

Ocasionalmente retenção de líquido, leve aumento de peso, flacidez ou sensação de tensão nas mamas; raramente cãimbras nas pernas e alteração da libido.

Precauções e Cuidados:

Antes de se iniciar a administração de contraceptivos orais, é necessário um exame ginecológico completo e excluir a existência de gravidez. Durante o primeiro ano de uso, é conveniente proceder exames ginecológicos gerais, incluindo as mamas, a cada 6 meses e posteriormente a cada ano.

Superdosagem:

Nenhum caso de intoxicação aguda foi relatado até o momento.

Sintomas: os possíveis sinais de superdosagem são náuseas, vômito e, em crianças, indução de pseudo-menstruação.

Tratamento: não há antídoto específico; indica-se medidas gerais como remoção das substâncias ativas e tratamento sintomático. é aconselhável um exame da função hepática.

Fórmula:

Cada comprimido vermelho contém: linestrenol 1mg; etinilestradiol 0,05mg; excipiente q.s.p. 1 comprimido.

Cada comprimido branco inerte contém excipientes, sendo os principais: amido, lactose, talco.

Interação Medicamentosa:

Em altas doses (no mínimo 1g/dia) a vitamina C inibe competitivamente a conjugação sulfato do etinilestradiol na parede intestinal, aumentando sua biodisponibilidade de 50% ou mais. Isto pode levar a um aumento de efeitos estrogênicos indesejados e, com a supressão da vitamina C, uma redução considerável na concentração de etinilestradiol inalterado no plasma.

Certos fármacos, particularmente em terapias de longo-prazo, podem afetar a eficácia dos contraceptivos orais (especialmente os microdosados). O primeiro sinal disto é um sangramento por ruptura. Assim, uma vez que a contracepção não está mais assegurada, devem-se tomar medidas contraceptivas não-hormonais adicionais. Os seguintes fármacos podem afetar a ação contraceptiva: agentes enzima-indutores tais como anticonvulsivantes (barbitúricos, carbamazepina, etosuximida, hidantoínas, primidona), fenilbutazona, rifampicina (adicionalmente deve-se continuar utilizando métodos não-hormonais por várias semanas após a retirada da rifampicina), griseofulvina, antibióticos/quimioterápicos administrados oralmente (ampicilina, penicilina V, tetraciclina, neomicina, sulfonamidas, nitrofurantoína); laxantes.

Gravidez e Lactação

Associações estrógeno/progestágeno são contra-indicadas durante a gravidez (incluindo suspeita de gravidez). A gravidez deve estar totalmente excluída antes da administração de Anacyclin. Após o parto, em mulheres que não estão amamentando, o tratamento com Anacyclin normalmente inicia-se no primeiro dia da primeira menstruação. Nos casos em que a contracepção é necessária logo após a hospitalização, recomenda-se medidas protetoras não-hormonais adicionais durante os primeiros 14 dias.

Uma vez que os princípios ativos passam para o leite materno e também podem afetar quali e quantitativamente o leite, as lactantes devem usar métodos contraceptivos não-hormonais.

Fabricante:

Novartis Biociências S.A.

Novartis Pharma
0800-888-3003
8h às 17h
sic.novartis@novartis.com

Novartis Saúde Animal
0800-888-8280
seg. a sex., das 8h às 17h
nac.br@novartis.com

Novartis OTC
0800-775-8181
sic.novartis@novartis.com

CIBA Vision
0800-775-2422
sic.novartis@novartis.com

Sandoz
0800-400-9192
sac.sandoz@sandoz.com

Novartis é um grupo farmacêutico suíço criado em 1996 pela fusão de Ciba-Geigy e Sandoz com sede em Basileia, na Suíça. A Novartis está dividida em três grandes divisões: Pharma, Consumer Health e Sandoz.

Alguns medicamento do mesmo Fabricante:

Aclasta, Actigall, Afinitor, Agasten, Agrovet PS, Agrove, Anacyclin, Anafranil, Andursil, Apresolina, Aredia, Buspanil, Calsan, Cataflam D, Cedilanide, Cibacalcina, Cibalena A, Clofazimina, Comtan, Deserila, Desferal, Diocomb SI, Diovan Amlo, Diovan HCT, Doretrim, Estalis, Exelon, Faclor AP, Faclor, Flotac, Glyvenol, Hydergine, Leucomax, Lioresal, Locorten, Lopressor, Losalen, Lotensin H, Ludiomil, melleril, Mericomb, Merigest, Merimono, Methergin, Miflasona, Parlodel Sorol, Sandostatin, Trimedal Tosse, Xolair, Zaditen, Zelmac, Zometa, Zurcal,

Advertências:

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos:

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma:

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.