Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial. Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativo Procure o medicamento pela classe terapêutica Mande-nos um e-mail

Alopurinol

Bula do fármaco inibidor seletivo das etapas terminais da biossíntese de ácido úrico, usado para prevenir crises de gota e outras condições associadas com o excesso de ácido úrico no corpo, entre elas, pedras nos rins.

Princípio ativo: alopurinol

O alopurinol reduz a formação de uratos/ácido rico em situações em que já tenha ocorrido deposição (p.ex. artrite gotosa, tofos cutâneos e/ou nefrolitíase), ou quando há risco de deposição (p.ex. tratamento de doenças que possam levar ao desenvolvimento de nefropatia aguda de ácido rico).

Indicação:

- gota idiopática;
- litíase de ácido úrico;
- nefropatia aguda do ácido rico;
- doenças neoplásicas e mieloproliferativas (quando os níveis de uratos estão elevados, espontaneamente ou depois da terapêutica citotóxica);
- certas alterações enzimáticas que levam hiperprodução de uratos
- tratamento de cálculos renais de 2,8-dihidroxiadenina (2,8-DHA) relacionados com a atividade deficiente da adenina fosforribosiltransferase
- tratamento dos cálculos renais mistos recorrentes de oxalato de cálcio na presença de hiperuricosria, quando a administração de líquidos, medidas dietéticas e outras similares falharam.

Antes de tomar Alopurinol ratiopharm 300 mg comprimidos

Não tome Alopurinol ratiopharm 300 mg comprimidos:

- Se tem hipersensibilidade (alergia) ao alopurinol ou a qualquer um dos ingredientes deste medicamento.

Tome especial cuidado com Alopurinol ratiopharm 300 mg comprimidos:
Interrompa de imediato o tratamento se surgir erupção cutânea ou qualquer outro sinal ou sintoma de hipersensibilidade.

Informe o seu médico se:

- estiver a tomar medicamentos para a hipertensão arterial
- sofre de insuficiência cardíaca, renal ou hepática.

O tratamento com alopurinol não deve ser iniciado se estiver com uma crise aguda de gota, Deverá aguardar pelo fim da crise para iniciar o tratamento com alopurinol.

Se tiver uma crise aguda de gota durante o tratamento com alopurinol, Deverá continuar o tratamento e contatar o seu médico para lhe receitar um anti-inflamatório adequado.

Se os seus níveis de uratos estiverem muito elevados deve ingerir líquidos em quantidade suficiente para se manter hidratado, para evitar que haja deposição nas vias urinárias.

Tomar Alopurinol ratiopharm 300 mg comprimidos com alimentos e bebidas:

Deve tomar os comprimidos sem mastigar e com bastante liquido, após as refeições.

Gravidez

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Deverá ser o seu médico a avaliar os riscos e benefícios de tomar alopurinol durante a gravidez.

Aleitamento

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Caso esteja a amamentar e o seu médico considere necessário tomar alopurinol Deverá interromper o aleitamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Este medicamento pode causar sonolência, vertigens e dificuldade de coordenação dos movimentos, podendo alterar a capacidade de reação, pelo que a capacidade de condução de veículos ou utilização de máquinas pode ser prejudicada. Isto verifica-se de modo acentuado no caso de ingestão simultânea de álcool.

Interação Medicamentosa:

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver tomando ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos sem receita médica.

Se estiver a tomar medicamentos contendo alguma das substâncias a seguir mencionadas, Deverá informar o seu médico: vidarabina, ampicilina, amoxicilina, 6- mercaptopurina, azatioprina, agentes uricoséricos, salicilatos, anticoagulantes cumarínicos, fenitona, teofilina, ciclofosfamida, doxorrubicina, bleomicina, procarbazimam, mecloretamina, ciclosporina, IECAs, diuréticos tiazídicos, antidiabéticos orais (sulfonilureias), antiácidos e dadanosina.

Como tomar:

Tomar Alopurinol ratiopharm 300 mg comprimidos sempre de acordo com as instruções do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

O tratamento com alopurinol deve ser iniciado com doses baixas, p.ex. 100 mg/dia, para diminuir o risco de reações adversas.

Podem seguir-se os seguintes regimes posológicos:
- situações moderadas: 100-200 mg/dia
- situações moderadamente graves: 300-600/dia
- situações graves: 700-800 mg/dia

A dose máxima recomendada é de 800 mg/dia. Nos idosos deve usar-se a dose mais baixa que produza uma redução satisfatória.

No tratamento de crianças e jovens com idade inferior a 15 anos, recomenda-se 10-20 mg/Kg de peso corporal por dia (dividida em três doses individuais), até um máximo de 400 mg/dia.

Se sofre de insuficiência renal ou hepática informe o seu médico para que ele possa ajustar a dose de alopurinol.

Tomar os comprimidos sem mastigar e com bastante liquido após as refeições. O alopurinol é bem tolerado, em especial após a ingestão de alimentos.

Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver a impressão de Alopurinol ratiopharm 300 mg comprimidos é demasiado forte ou demasiado fraco.

Se tomar mais Alopurinol ratiopharm 300 mg comprimidos do que deveria

Informe de imediato o seu médico ou farmacêutico.

Efeitos secundários:

Como os demais medicamentos, Alopurinol ratiopharm 300 mg comprimidos pode ter efeitos secundários.

Poderão ocorrer manifestações cutâneas alérgicas (reações pruriginosas, maculopapulares, descamativas, purpúricas, ou raramente esfoliativas). Alguns casos de hipersensibilidade generalizada ao alopurinol manifestam-se por uma reação cutânea esfoliativa, febre, adenopatias, dores na articulações e uma eosinofilia. Caso sinta alguns destes sintomas deve interromper de imediato o tratamento com alopurinol e contatar o seu médico.

Ocorrem raramente reações cutâneas associadas a esfoliação, febre, linfoadenopatias, dores nas articulações e/ou eosinofilia, assemelhando-se a síndroma de Stevens-Johnson e/ou Lyell. A vasculite e a resposta tecidual associada podem manifestar-se de varias formas, incluindo hepatite, nefrite intersticial e, muito raramente, convulsões. Caso sinta alguns destes sintomas deve interromper de imediato o tratamento com alopurinol e contatar o seu médico.

O choque anafilático agudo foi reportado muito raramente.

Raramente poderá ocorrer linfoadenopatia angioimunoblstica, disfunção hepática (desde alterações assintomáticas das provas de função hepática até hepatite, incluindo necrose hepática e hepatite granulomatosa).

Casos sinta náuseas e vômitos, estes sintomas podem ser evitados se tomar o alopurinol após as refeições.

Muito raramente, foi relatada hematemese recorrente e esteatorreia.

Poderão ainda ocorrer os seguintes efeitos: diminuição dos elementos do sangue, (agranulocitose e trombocitopenia, eosinofilia), febre, mal-estar geral, fraqueza, cefaleias, vertigens, dificuldade de coordenar os movimentos, sonolência, coma, depressão, paralisias, formigueiro, neuropatia, alterações visuais, cataratas, alterações maculares, alteração do paladar, aftas, alterações gastrointestinais, infertilidade, impotência, diabetes mellitus, hiperlipidemia, furunculose, queda de cabelo, descoloração do cabelo, angina, hipertensão, bradicardia, edema, uremia, hematúria, angioedema e ginecomastia.

Caso detecte efeitos secundários não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Conservação de Alopurinol ratiopharm 300 mg comprimidos

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Conservar na embalagem de origem.

Não utilize Alopurinol ratiopharm 300 mg comprimidos após expirar o prazo de validade indicado na embalagem.

Os outros ingredientes são: amido de milho, estearato de magnésio, Avicel PH 101, gelatina, Aerosil 200, talco, glicolato de amido sódico.

Ratiopharm, Comércio e Indústria de Produtos Farmacêuticos Ltda.
Rua Quinta do Pinheiro
Edifício Tejo, 6º Piso
2790-143 Carnaxide
Portugal

Medicamentos do mesmo fabricante:

Aasedatil, Aceclofenac Ratiopharm, Ácido Acetilsalicilico, Alopurinol, Cálcio Vitamina D3 Ratiopharm, Captopril e Hidroclorotiazida, Diclofenac Ratiopharm, Escitalopram Ecitrix, Fluconazol Ratiopharm, Fluoxetina Ratiopharm, Furosemida, Gabapentina Ratiopharm 600, Gabapentina Ratiopharm 800, Ibuprofeno Ratiopharm, Indapamida Ratiopharm, Meloxicam Ratiopharm-15, Meloxicam Ratiopharm-75, Olanzapina Ratiopharm, Pantoprazol Ratiopharm, Paroxetina Jaba, Paroxetina Ratiopharm, Pergolida Ratiopharm-1, Pergolida Ratiopharm 5, Pergolida Ratiopharm 25, Perindopril Indapamida Ratiopharm, Risperidona Ratiopharm, , Venlafaxina Ratiopharm-75, Venlafaxina Ratiopharm, Zolpidem Ratiopharm,

Advertências:

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informativa, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos:

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma:

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.