Bulário Brasil

Alektos - Bula

Esta bula é meramente informatica destinada ao público em geral.

Indicação

Este medicamento é destinado ao tratamento dos sintomas da rinoconjuntivite alérgica, tais como espirros, nariz entupido (congestão nasal), coceira e secreção
nasal, olhos vermelhos e lacrimejantes e ao tratamento dos sintomas da urticária crônica, tais como erupções da pele com placas avermelhadas (eritemas) e pápulas, acompanhadas de coceira.

Contra-indicações

ALEKTOS não deve ser usado em casos de hipersensibilidade conhecida à bilastina ou aos demais componentes da fórmula.

Este medicamento é contraindicado para menores de 12 anos de idade.

Posologia

ALEKTOS é para ADMINISTRAÇÃO exclusiva por via oral. Os comprimidos de ALEKTOS devem ser tomados em condições de jejum, uma hora antes ou duas horas após a ingestão de alimentos ou bebidas, inclusive suco de frutas. Os comprimidos de ALEKTOS devem ser tomados com uma quantidade de água
necessária para facilitar a deglutição. A linha de sulco(divisão) pode ser usada para dividir o comprimido em duas partes, caso haja dificuldade para deglutição. A posologia habitualmente recomendada é de 1 comprimido de ALEKTOS 20 mg ao dia, em dose única, uma hora antes ou duas horas depois da ingestão de alimentos ou bebidas, inclusive de sucos de frutas. A duração do tratamento, para os casos de rinoconjuntivite alérgica e urticária crônica,
dependerá das características clínicas (tipo, duração e curso dos sintomas), devendo-se seguir as orientações médicas. Siga a orientação de seu médico,
respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Efeitos Colaterais :

Como todo medicamento, ALEKTOS 20 mg pode causar eventos adversos, embora nem todos os pacientes apresentem. Esse medicamento pode causar os seguintes eventos adversos: Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): dor de cabeça e sonolência. Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): tontura, tinido (ruído de sino nos ouvidos), vertigem, dificuldade de respirar, nariz seco ou desconfortável, dor de estômago, náusea, diarreia, boca seca, inflamação da parede do estômago, dificuldade de digestão, coceira, aumento do apetite, herpes oral (feridas de frio), fadiga, sede, febre, sensação de fraqueza, ansiedade, dificuldade de dormir, batimento
irregular do coração, traçado anormal do coração no eletrocardiograma (ECG), alterações de determinadas enzimas do fígado (transaminases). Se qualquer destes efeitos colaterais se tornar sério ou se você observar algum efeito colateral não listado, informe ao seu médico ou farmacêutico. Informe ao seu médico, cirurgiãodentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento. Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis ou desconhecidas. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

Advertências e Precauções

Gravidez e lactação: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. ALEKTOS não deve
ser administrado a gestantes e lactantes, a não ser quando absolutamente necessário, uma vez que a experiência clínica sobre seu uso em mulheres nestas condições é limitada. Não existem informações sobre a excreção da bilastina no leite humano nem em animais. O seu uso durante o período
de amamentação deve considerar a relação benefício/risco para a mãe e para a criança.
Pacientes idosos: não é necessária nenhuma adaptação posológica para pacientes idosos.
Pacientes pediátricos: A eficácia e a segurança do uso do produto em crianças abaixo de 12 anos de idade ainda não foram estabelecidas. O seu uso não é indicado para menores de 12 anos.

Pacientes com Insuficiência Renal: Não é necessário ajuste posológico para pacientes com disfunção renal (problemas nos rins); a dose diária não deve ultrapassar a posologia indicada. Recomenda-se cautela quando a bilastina for coadministrada com alguns medicamentos, como cetoconazol e eritromicina, em pacientes com insuficiência renal.
Pacientes com Insuficiência Hepática: Não é necessário ajuste posológico para pacientes com disfunção hepática (problemas no fígado); a dose diária não
deve ultrapassar a posologia indicada.
Interferência em testes de Fabricante : De um modo geral, os anti-histamínicos interferem com os testes cutâneos de alergia. Recomenda-se a suspensão do
uso do produto por um período de tempo adequado antes dos testes serem realizados.
Efeitos na capacidade de dirigir e operar máquinas: o uso de bilastina não tem influência ou é desprezível sobre a capacidade de dirigir e operar máquinas.

Superdosagem

Não se conhecem sintomas de superdose em humanos. No caso de ingestão de doses muito acima das recomendadas, procure imediatamente assistência médica. Não tome nenhuma medida sem antes consultar um médico. Informe ao médico o medicamento que utilizou, a quantidade e os sintomas que está apresentando. Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Composição

Cada comprimido contém 20 mg de bilastina.

Excipientes: celulose microcristalina, amidoglicolato de sódio, dióxido de silício e estearato de magnésio.

Armazenamento

O produto deve ser conservado na embalagem original e à temperatura ambiente (15°C à 30°C). Os comprimidos de ALEKTOS são brancos, ovais, biconvexos e sulcados, com odor e sabor característicos. A linha de sulco não tem por objetivo a divisão do comprimido em doses iguais; ela
pode ser usada para quebrar o comprimido e facilitar a deglutição.

Apresentação :

Comprimidos contendo 20 mg de bilastina, em embalagens com 4, 10 e 30 unidades.

USO ORAL
USO ADULTO ACIMA DE 12 ANOS.

Interações Medicamentosas

Interações com medicamentos: O perfil de segurança da bilastina não é afetado com o uso concomitante de medicamentos a base de cetoconazol, eritromicina, diltiazem ou lorazepam, em pacientes com função renal normal. No entanto, caso esteja fazendo uso desses ou de outros medicamentos, informe o seu médico.

Interação com álcool: Não se observou alterações no desempenho psicomotor após a ingestão concomitante de álcool e 20 mg de bilastina.

Ingestão com alimentos: O produto não deve ser ingerido com alimentos ou bebidas, pois seu efeito pode ser diminuído. Informe ao seu médico ou cirurgiãodentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Informações Legais

MS – 1.0639.0259
Farm. Resp.:
Juliane D. Piotto Juabre
CRF-SP nº 22.210
SAC: 0800 7710345

Laboratório

Nycomed Pharma Ltda.

Endereço: Rua do Estilo Barroco, 721 - Santo Amaro, São Paulo - SP, 04709-011
Telefone:(11) 5188-4400

CNPJ 60.397.775/0008-40
Indústria Brasileira

Medicamentos do mesmo fabricante :

Acabel
Ad til
Agiolax
Albocresil
Alektos
Dicetel
Dm-creme
Dramin b6
Dramin
Faktu
Riopan
Venalo

Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.
Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.
Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.
Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informatica, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.

O ministério da saúde adverte:

A auto-medicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descastar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.