Site Bulário Brasil
Procure o medicamento pelo nome comercial.Vários tipos de calculadoras médicas Procure o medicamento pelo princípio ativoProcure o medicamento pela classe terapêuticaMande-nos um e-mail

Ablok plus 25 mg - Bula

Bula do medicamento que pertence ao grupo dos beta bloqueadores, uma classe de drogas usadas principalmente em doenças cardiovasculares.

Princípio ativo : Atenolol e Clortalidona

Classe Terapêutica : Anti-hipertensivos.

Apresentação : Comprimido 50mg+12,5mg. Caixa com 30 comprimidos.

Indicação : No tratamento da hipertensão arterial. A combinação de baixas doses eficazes de um betabloqueador e um diurético nos comprimidos de 50 mg pode ser adequada para pacientes mais idosos nos quais doses totais de ambas as doses sejam consideradas inadequadas.

Contra Indicação :

O produto é contraindicado na presença de bloqueio cardíaco de segundo e terceiro grau, pacientes sob choque cardiogênico, pacientes com antecedentes de hipersensibilidade à clortalidona e/ou atenolol. Na gravidez e lactação.

Modo de Usar :

Adultos: 1 comprimido de 50mg ou de 100mg ao dia, de acordo com a resposta clínica. A maioria dos pacientes com hipertensão arterial, apresentará uma resposta satisfatória com a dose diária de 100mg. Há pouco ou nenhuma queda adicional na pressão arterial com o aumento da dose, e quando necessário, pode-se adicionar outra droga anti-hipertensiva, tal como um vasodilatador.

Pacientes idosos: 1 comprimido de 50mg é suficiente na maioria dos pacientes idosos com hipertensão arterial, principalmente naqueles que não respondem ao tratamento com baixas doses de apenas um componente. Nos casos em que o controle da hipertensão não for alcançado, a adição de uma pequena dose de um terceiro agente, como um vasodilatador, pode ser adequada.

Crianças: Não há experiência pediátrica com o produto, portanto, não é recomendado seu uso em crianças.

Insuficiência renal: Em pacientes com insuficiência renal grave, pode ser necessária uma redução na dose diária ou na frequência de Administração das doses.

Efeito Colateral :

As reações adversas associadas ao uso do Ablok Plus são infrequentes e geralmente discretas. Incluem: extremidades frias, fadiga, distúrbios gastrointestinais e, em casos isolados, bradicardia.

Ocasionalmente, podem ocorrer dores de cabeça, alterações de humor, vertigens e piora da insuficiência cardíaca.

Raramente, foram relatados distúrbios do sono observados com outros betabloqueadores, assim como, alopécia, púrpura, trombocitopenia, reações cutâneas semelhante a psoríase, exacerbação de bloqueio cardíaco em pacientes sensíveis.

Houve relatos de rash cutâneo e/ou olhos secos associados ao uso de drogas betabloqueadoras.

A incidência relatada é pequena e, na maioria dos casos, os sintomas desaparecem quando o tratamento é descontinuado.

A suspensão da droga deve ser considerada se qualquer reação não for explicável por outras causas.

Náuseas e tontura, foram ocasionalmente relatadas com o uso da clortalidona, e reações idiossincráticas à droga, tais como trombocitopenia e leucopenia, raramente ocorrem.

Advertências e Preucações :

Gerais - Devem-se tomar cuidados especiais em pacientes com insuficiência cardíaca7 descompensada. As drogas betabloqueadoras, devem ser evitadas na insuficiência cardíaca manifesta.

Entretanto, elas podem ser usadas em pacientes cujos sinais8 de insuficiência tenham sido controlados.

Uma das ações farmacológicas dos betabloqueadores é reduzir a frequência cardíaca. Nos raros casos em que os sintomas possam ser atribuídos à baixa frequência cardíaca, a dose deve ser reduzida.

O atenolol como droga betabloqueadora cardiosseletiva, deve ser usado com cuidado em pacientes com doença crônica obstrutiva das vias respiratórias.

Entretanto, ocasionalmente pode ocorrer certo aumento na resistência das vias respiratórias em pacientes asmáticos.

Normalmente, isso pode ser revertido por doses comumente usadas de broncodilatadores, tais como o salbutamol ou a isoprenalina.

Como ocorre com outros betabloqueadores, o tratamento não deve ser descontinuado abruptamente em pacientes que sofrem de doença cardioisquêmica.

Assim como ocorre com as combinações de betabloqueadores com diuréticos, podem haver alterações do potássio sérico. Os níveis de potássio devem ser avaliados, especialmente em pacientes mais idosos, naqueles que estejam recebendo preparações digitálicas para insuficiência cardíaca, pacientes em dieta especial com baixo teor de potássio ou que apresentem distúrbios gastrointestinais.

Os diuréticos podem causar hiperuricemia. O uso do produto é geralmente associado a aumentos de menor importância no ácido úrico sérico.

Nos casos de elevação prolongada, o uso concomitante de agente uricosúrico reverterá a hiperuricemia.

É necessário tomar cuidado ao se administrar o produto a pacientes com conhecida predisposição a diabetes, pois Ablok Plus pode mascarar os sinais e sintomas da hipoglicemia ou causar um aumento na concentração da glicose sanguínea. O uso do produto pode agravar os distúrbios de circulação periférica arterial.

Os pacientes com uma história de reação anafiláctica contra vários alérgenos, podem não responder às doses usuais de adrenalina utilizadas no tratamento de tais reações.

Gravidez - Os betabloqueadores podem causar hipoglicemia, depressão respiratória, bradicardia e hipotensão e os diuréticos causam icterícia, trombocitopenia e hipocalemia em crianças, portanto não se deve administrar Ablok Plus em mulheres durante a gravidez.

Lactação - Ablok Plus é excretado no leite materno, portanto não é recomendado em mulheres que estão amamentando.

Pediatria - Não há experiência pediátrica com o produto, portanto, não é recomendado seu uso em crianças.

Geriatria (idosos) - Em pacientes idosos há um aumento na sensibilidade aos efeitos causados pelos betabloqueadores, potencializando o risco de indução de hipotermia. Pacientes idosos podem requerer doses menores, devido à função renal diminuída.

Insuficiência renal - Uma vez que o produto contém clortalidona, deve-se tomar cuidado com pacientes com insuficiência renal grave, pois pode ser necessária uma redução na dose diária ou na frequência de Administração das doses.

Superdosagem :

Em caso de superdose recomenda-se esvaziamento gástrico e a adoção de medidas de apoio necessárias.

Bradicardia excessiva pode ser tratada pela administração de 1 a 2 mg de atropina por via intravenosa que, se necessário, pode ser seguida por uma infusão intravenosa de 1 a 10 mg/hora de glucagon ou um beta-estimulante beta-adrenérgico, tais como dobutamina (2,5 mcg a 10mcg/ kg/min, i.v) ou isoprenalina (10 a 25 mcg, velocidade de infusão não superior a 5 mcg/min).

Dependendo da quantidade da superdose ingerida para atingir resposta desejada podem ser necessárias doses maiores de dobutamina ou isoprenalina, de acordo com as condições clínicas do paciente.

Comprimido 100mg+25mg. Caixa com 30 comprimidos.

Uso adulto

Interação Medicamentosa :

Deve-se tomar cuidado ao se prescrever um agente betabloqueador juntamente com drogas antiarrítmicas classe 1, como a disopiramida.

O uso concomitante de betabloqueadores e bloqueadores do canal de cálcio com efeitos inotrópicos negativos, como o verapamil e diltiazem, pode levar à prolongação da condução A-V e S-A, particularmente em pacientes com prejuízo da função ventricular ou anormalidades de condução. Isto pode resultar em hipotensão severa, bradicardia e insuficiência cardíaca.

Não se deve administrar betabloqueadores ou bloqueadores do canal de cálcio por via endovenosa dentro de 48 horas da descontinuação do outro agente.

Os betabloqueadores podem exacerbar a hipotensão de rebote, após a descontinuação da clonidina.

Se estas drogas forem administradas concomitantemente, o betabloqueador deve ser descontinuado alguns dias antes da suspensão da clonidina. Se for necessário trocar a clonidina por betabloqueador, a introdução deste deve ser feita alguns dias depois da descontinuação da clonidina.

A depleção de potássio pode ser perigosa em pacientes que estejam em tratamento com digitálicos. As preparações contendo lítio geralmente devem ser administradas com diuréticos, uma vez que podem reduzir o clearance renal.

Deve-se ter cuidado ao se usar anestésicos com atenolol + clortalidona, o anestesista deve ser informado e optar por um agente com a menor atividade inotrópica negativa possível.

Interferência em Exames Laboratoriais: Podem ocorrer alterações nas concentrações séricas de potássio, ácido úrico e glicose.

Informações Legais :

Reg. M.S. nº 1.0974.0092
Farm. Resp.: Dr. Dante Alario Jr. - CRF-SP nº 5.143

Fabricante :

Biolab Farmacêutica
Rua Olimpíadas, 242, 3° andar. Vila Olímpia.
São Paulo/SP - CEP: 04551-000
Tel: 55 11 3573-6000
SAC: 0800 724 6522


Medicamentos do mesmo fabricante :

Acinic, Ablok Plus.

Medicamentos com o mesmo princípio ativo :

betalor, angipress, plavix, atenoclor

Advertências :

Leia atentamente a bula antes de tomar qualquer medicamento.

Caso tenha alguma dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Este medicamento foi receitado para você e não deve ser dado a outras pessoas; o medicamento pode prejudicial, mesmo a pessoas que apresentem os mesmos sintomas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar qualquer efeito secundário não mencionados nesta bula, informe o seu médico ou farmacêutico.

Esta bula pode ser utilizada apenas como uma referência secundária e informática, pois trata-se de um registro histórico deste medicamento, portanto apenas a bula que acompanha o medicamento está atualizada de acordo com a versão comercializada. Sendo assim este texto não pode substituir a leitura da bula original.
O ministério da saúde adverte:

A automedicação pode fazer mal à sua saúde, lembre-se, a informação é o melhor remédio

Como descartar os medicamentos :

Todo medicamento, por conter diversas substâncias químicas, podem representar perigo ao meio ambiente e as pessoas, caso descartados incorretamente.

Nunca despeje líquidos no ralo ou em vasos sanitários, pois podem contaminar águas, mesmo no caso de cidades que contem com usinas de tratamento.

Os medicamentos são produtos que de maneira nenhuma devem ser consumidos fora do prazo de validade.

Informe-se sobre os locais que fazem a coleta adequada dos medicamentos vencidos. O sistema é parecido com o descarte de eletrônicos. Os laboratórios e postos de saúde são responsáveis pelo descarte apropriado para os remédios e algumas farmácias também recolhem os produtos.

Ampolas, seringas, agulhas e frascos de vidro danificados devem ser entregues à farmácia em uma sacola diferente daquela que contém restos de remédios

As embalagens dos medicamentos não devem ser reaproveitadas para o armazenamento de outras substâncias de consumo devido à potencial contaminação residual.

Como conservar seus medicamentos da melhor forma :

Mantenha o produto na embalagem original, tampado, guardado em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz, de radiações e de calor excessivo.

No caso de cápsulas, não retire o sachê de sílica do interior da embalagem.

Mantenha-o longe do alcance de crianças.

Manuseie-o com as mãos limpas.

Se a embalagem contiver a etiqueta “Fórmula Fracionada”, siga a orientação descrita na etiqueta

O peso/volume do produto corresponde aquele discriminado no rótulo. A capacidade da embalagem pode ser maior do que seu conteúdo

Limpeza: essencial em qualquer situação. Mantenha os medicamentos livres de pó, partículas e mofo.

Medicamentos devem ser armazenados isoladamente de cosméticos, produtos de limpeza, perfumaria, etc.

Os medicamentos devem ser guardados em salas protegidas da entrada de insetos, roedores e aves.

Caso observe alteração de cor, odor, ou consistência, procure seu farmacêutico.


Jesus a Chave Hermenêutica, Curso exclussivo com o Pastor Caio Fábio